História Annoying - Capítulo 10


Escrita por: ~

Postado
Categorias Naruto
Tags Itadei, Lemon, Narusasu, Naruto, Sasuke, Sasunaru, Yaoi
Exibições 238
Palavras 2.167
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Colegial, Drama (Tragédia), Festa, Fluffy, Lemon, Romance e Novela, Shonen-Ai, Shoujo (Romântico), Shoujo-Ai, Suspense, Universo Alternativo, Yaoi
Avisos: Álcool, Bissexualidade, Heterossexualidade, Homossexualidade, Insinuação de sexo, Linguagem Imprópria, Nudez, Pansexualidade, Sexo
Aviso legal
Alguns dos personagens encontrados nesta história e/ou universo não me pertencem, mas são de propriedade intelectual de seus respectivos autores. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos criada de fã e para fã sem comprometer a obra original.

Capítulo 10 - Maid Sasuke


Fanfic / Fanfiction Annoying - Capítulo 10 - Maid Sasuke

Annoying

~Maid Sasuke~

 

— Ai meu Deus — Naruto falou cada palavra pausadamente, e então colocou a mão sobre a boca, acho que queria me zoar mais um pouco até a crise de riso chegar.

Tive que me vestir de faxineira, ou empregada, ou maid, ou sei lá que diabos de roupa é essa. Senti minha dignidade se esvair do corpo, porém se eu me negasse em vesti-la, eu perderia a aposta e todos do grupo que apostaram em mim provavelmente ficariam bravos comigo e se afastariam.

Não sei aonde fui me meter, mas estou tendo que aturar Naruto tão escandalosamente que tem de se apoiar na parede para não cair, se eu me importasse realmente com ele chamaria a ambulância, pois essa risada dele não é nada normal.

— Vamos logo, idiota. — revirei os olhos irritado e o puxei pelo pulso.

Fui o arrastando corredor a fora, enquanto ele se esgueirava nas paredes se debatendo, parecia arduamente estar tentando parar de rir, mas era falho.

— Irmão? Você está bem?

Ótimo, Itachi nunca sai do quarto, mas é claro que numa situação embaraçosa como está ele tinha que sair. Olhei para ele com toda minha indignação estampada no rosto, aquele uniforme era ridículo e pinicava, estava tentando muito nem olhar meu reflexo no espelho.

Meu irmão tentou, realmente tentou se controlar, mas quando ele foi falar comigo, caiu na gargalhada rindo junto de Naruto, que ao ouvir a risada de Itachi fez com que sua crise de riso voltasse, eu não merecia aquilo.

Não demorou para que o outro loiro curioso, que estava com cara de sono saísse do quarto de meu irmão, diferente dos outros, ele me encarou sério.

— Onde conseguiu um desses? Eu quero um. — Momento que todos se calaram, até Deidara também começar a rir, o que só me fez revirar os olhos, me virei para ver minha imagem ridicularizada, esse uniforme de Maid que Naruto arranjou é um vestido de empregada cheio de babados, meias que vem até metade das cochas além de um lenço de frufru no cabelo, era triste de olhar para mim mesmo, sentia auto vergonha alheia. Suspirei e me voltei para os três, nunca vi meu irmão rir tanto, nem quando Deidara foi atacado pelo nosso antigo cachorro, o animalzinho quase arrancou as bolas do loiro, provavelmente foi o melhor bichinho que já tive, quem dera ele estivesse aqui agora.

— Mas, afinal, o que esta acontecendo? —Falou Itachi se recompondo do ataque de riso.

Naruto também parou de rir e ergueu os pés para ficar do tamanho do meu irmão, o que ainda não deu certo e que fez Itachi se agachar um pouco, pude ver o ciúme de Deidara perfurar Naruto como raios lazer, Naruto cochichou no ouvido do meu Itachi que assentiu sorrindo.

— Entendi, bom, boa sorte... Maid Sasuke. — Ele e Deidara voltaram rindo para o quarto de meu irmão, Naruto pegou na minha mão me levando até a escada.

— Eu sei andar sozinho, idiota. — Naruto revirou os olhos bufando.

— Não parecia, se nos atrasarmos a culpa vai ser sua Maid Sasuke. —Resolvi ignorar esse apelido.

Agora estou começando a entender o porque daquele garoto ter mudado de colégio após ser o escravo de Naruto. Até as empregadas da casa me olharam de maneira surpresa, desconfiada e com vontade de rir. Fui o mais rápido possível para dentro do carro para que nenhum vizinho me visse nesse estado, o que felizmente deu certo, Naruto entrou também sentando no banco do passageiro, o olhei contorcendo meu rosto de raiva, o que só o fez dar um daqueles seus sorrisinhos irritantemente sarcásticos.

Dei partida, indo a caminho do colégio, sempre quando o sinal ficava vermelho e eu parava o carro, o motorista ao lado me olhava sem entender. Em uma dessas paradas olhei para o loiro tagarela que se mantinha calado o caminho inteiro, o que foi bom, porém estranho, já que estamos falando de Uzumaki Naruto. Ele estava olhando para fora, apoiado o rosto em uma das mãos, sua feição também não era das melhores, o clima era melancólico. Não que eu me importe com seu silencio, o que é muito melhor que o som de sua voz esganiçada, e não precisava aturar suas piadinhas sobre o que estou vestindo. Mas, é meio desconfortante já que irei ter que conviver com ele por esse mês inteiro, pelo menos quero saber com que estou lidando.

— Naruto, riu tanto que mordeu e perdeu a língua? — comentei quebrando o gelo.

— Hum?! Ah, não é nada. Só estou pensando.

— Ok, mais assustador que ver você calado, é ouvir você dizer que esta pensando. Sabe, eu te odeio com todas as minhas forças.

— Sei disso, obrigada por reforçar isso, empregadinha. — respondeu-me num tom frio.

— Mas mesmo eu te odiando mais que eu odeio o Deidara, só queria saber o que se passa em sua cabeça oca e loira. — Voltei minha atenção na estrada.

— Vai continuar querendo, para se distrair vai passar um pano ou varrer um chão. — Resmungou.

Ok, uma nova nota mental para mim: Não tentar entender o Naruto. Anotado.

— Que se foda então — Falei curto e grosso.

Não gostava que quando eu me preocupava com algo ou alguém, fizessem pouco caso.

Naruto voltou a se sentar na posição anterior, mas dessa vez apenas ignorei.

O resto do trajeto continuou o silencio. Chegamos no colégio, Naruto saiu rápido do carro, e se voltou para mim sorrindo desafiadoramente, como se todo o tempo no carro não tivesse importado, ou nem ao menos existido. Suspirei segurando a porta já entreaberta, aproveitando meus últimos segundos com dignidade, e então sai de dentro do automóvel, assim que eu pisei no pátio daquele estacionamento, parece que a escola chegou a parar por um segundo, foi o esperado, muitos riram, outros estavam apenas surpresos e tentando entender o que aconteceu comigo. Em todo caso, ignorei, e estava rezando mentalmente para que o dia acabasse logo.

Enquanto andava pelos corredores via os olhares se voltando exclusivamente para mim, alunos, professores, funcionários, todos. Eu não reclamaria se um saco de papel fosse parte do uniforme, porque realmente quero esconder o rosto e nunca mais mostrar. Chega a ser meio humilhante, olhei para o dono de madeixas douradas ao meu lado, por incrível que pareça, ele não esta se vangloriando pelo ato nem ao menos rindo pelo fato de eu estar corado, ele estava vidrado olhando para o chão, nem ao menos soltava um dos seus sorrisos sarcásticos que eu tanto odiava. É, realmente esta acontecendo algo. Os outros devem saber. E falando neles...

—Sasuke, o que fizeram com você? —Sakura falou me rodeando, eu permaneci de braços cruzados, tentando ignorar.

Os risos de Kiba eram ouvidos até do outro lado da escola, acompanhado por Gaara e até Ino e Hinata. Mas agora, notei novamente que, assim que Naruto viu os outros do outro lado do corredor, disfarçou aquela cara seria e sorriu como sempre faz.

—Nossa, realmente não pegaram leve. —Ouvi a voz de Neji soar atrás de mim, e o perolado parou ao meu lado, me analisando e soltando um riso nasal.

—Nem me diga, já virei chacota no colégio.

—Pelo que ouvi, algumas garotas acharam muito fofo o que você fez, é que não sei se sabe mas tem um garoto que se assumiu trans a um tempo aqui, e nem ele próprio se aceitava, então o pessoal esta deduzindo que você esta apoiando o garoto.

—Bom, pelo menos isso é melhor que nada.

—Mas continua hilário! —Kiba berrou se apoiando em Hinata, ao menos estou divertindo as pessoas hoje.

—Ok, ok, podem rir, mas pelo menos não desisti, então vocês não ganham a aposta por enquanto.

—Mas eu pagaria para ver isso de qualquer modo! —Meus olhos chegavam a latejar de tanto que já os revirei hoje.

Então o sinal tocou, para variar os olhares eram voltados a nós, mais especificamente, voltados para mim. Ignorei o máximo que pude, vi que todos os nossos amigos estavam conversando mais a frente, menos Neji, que andava ao meu lado ouvindo música em seus fones. Não queria incomodar, já que sei o quão chato é alguém interromper enquanto está de fones. Eu ia cutuca-lo, porem, ele pareceu ler minha mente, tirou os fones e me olhou.

—Pode falar Sasuke! —Ele sorriu.

—Bom, são duas coisas.

Uma era sua sexualidade, que agora que estamos mais íntimos acho que não vai ter problema, e a outra é sobre o Uzumaki, porque se o jeito normal dele já me incomoda, imagine agora. O perolado fez um sinal para que eu prosseguisse.

—Ok, hum, primeiro, naquele dia lá em casa uma das meninas falou que você era gay, é verdade?

—Ah, sim. É, eu pedi para não falarem muito sobre isso, sabe, eu perdi varias amizades por conta disso, e não sabia se você era contra e tudo mais, não quero perder mais uma amizade, e muito menos uma que valorizo tanto. —Ele pareceu meio sem graça, mas sorri.

—Não esquenta cara, não tenho nada contra, alias, estou de vestido, não estou ao nível de julgar ninguém por ser quem é.

—Obrigado, isso significa muito. — Colocou a mão no peito aliviado — E a segunda pergunta?

—É sobre o Naruto, o que tem de errado com ele?

—Ah, eu sei que não se dão bem e tal mas não precisa xingar ele, afinal ele é meu amigo e... -O interrompi.

—Não, não é isso. É que ele estava meio estranho enquanto vínhamos para o colégio. É alguma coisa familiar ou o que? Eu não gosto dele mas do mesmo jeito vou ter que atura-lo, quero ao menos saber no que ele é metido, e que assuntos evitar.

—Bem, na verdade ele era assim todo dia, ele sorria como sorri hoje, mas não era tanto, sempre que o via estava cabisbaixo, mas então você chegou e não o vi mais tão triste, e é, ele tem uns probleminhas familiares sim, é meio complicado, acho que o apropriado é ele mesmo lhe dizer.

—Já perguntei, ele não disse nada.

—É, ele nunca diz quando o perguntam. Ok, amanha ele não vai vir para escola provavelmente, já que é costume ele faltar todas as quartas. Que tal depois das aulas irmos tomar sorvete? Ai eu te explico tudo certinho. -Assenti, pelo menos com ele não preciso me vestir de Maid para conseguir respostas, mas é claro que com o Uzumaki tudo tem que ser mais complicado.

Entramos na sala, em nossos perspectivos lugares, assim que o Sensei entrou, fui a primeira coisa que ele conseguiu reparar, pelo visto iria dizer algo, mas notou a minha cara de poucos amigos, então decidiu se calar. Na carteira a frente da minha ouvia Naruto e Kiba bolando planos malignos para me fazer passar vergonha.

O resto do dia foi como o esperado, olhares direcionados a mim, mas tudo bem, poderia ser pior, eu acho. Após as aulas, saímos novamente todos juntos, combinei certo com Neji sobre amanhã, e pelo que entendi Kiba vai me dar meu castigo amanhã, já que Naruto não virá. Nos despedimos, e como ontem, tive que dar uma corridinha para alcançar Naruto, bom, ele me obrigou a usar essa roupa ridícula, o dever dele é também cumprir o trato.

—Ok Uzumaki, pode ir falando, e é bom ser uma coisa grande, me fez passar bastante vergonha hoje.

—Hm, tá, serei piedoso, ahm... Deixe-me ver, ah sim, nos conhecemos desde bebês, pronto, é isso.

As coisas não estavam coincidindo, ele não poderia mentir.

—Ué, mas ontem mesmo você não disse que aconteceu quando tínhamos sete anos?

—Sim, aconteceu alguma coisa quando tínhamos sete anos, mas nos conhecemos antes desse acontecimento, no caso, desde que eramos mini Naruto, e mini Sasuke Baka. Ah, e você vai me mandar as fotos das lições que o professor vai passar amanhã, e isso não é um pedido, é ordem, o Kiba vai falar seu castigo, agora tchau Maid Sasuke.

—Quer carona? -Isso saiu meio que no automático, não que eu queira dar carona para ele.

—Não, valeu. -Ele continuou andando, dei de ombros novamente seguindo o processo de ontem. Mas antes de entrar em casa, coloquei um sobretudo que havia guardado na mochila antes de sairmos, posso ter passado todo esse mico em frente de desconhecidos, mas não na frente de minha mãe, não quero enfarta-la ou faze-la sentir vergonha de ter me parido, tirei a faixa ridícula do cabelo, e então entrei em casa. Apenas dei um beijo rápido na minha mãe, e subi pro meu quarto para me trocar. Aproveitei para tomar um banho, tentando com a agua lavar linha vergonha e estresse de hoje.

O resto da noite correu como de costume, voltei para meu quarto pra fazer uma lição de Geografia, enquanto a fazia, meu celular zumbiu e brilhou, mostrando na tela, "Irritante", sem escolhas abri a mensagem.

"Hey, Baka, o que esta fazendo?"

​"Lição, e você?"

"Vendo uma barata Gay."

"Que?"

"É, ela acabou de sair do armário Kkkkkkkkk"

"..."

Não vou perder meu tempo respondendo mais esse idiota.


Notas Finais


Quase 200 favoritos *u* OBRIGAD@ A TODOS S2
Eu postei fic nova, Death note~ Quem quiser dá uma passadinha pra ler, bem amorzinha sim ~u~
https://spiritfanfics.com/historia/eu-voce-e-um-bebe-9033667
E é isso meu povo, brigad@ por tudo ~
Bjuuus e até a próxima o3u~


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...