História Anny Korra (Sendo reescrita) - Capítulo 3


Escrita por: ~

Postado
Categorias Originais
Personagens Personagens Originais
Tags Agente, Alan, Annie, Anny, Correção, Deus, Escrevendo, Ficção, Gabriel, Guerra, Jack, Korra, Manton, Rafael, Reescrita, Smaug, Soldado, Taylor, Wendy
Exibições 32
Palavras 3.122
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 16 ANOS
Gêneros: Ação, Aventura, Ecchi, Fantasia, Ficção, Luta, Magia, Romance e Novela, Violência
Avisos: Bissexualidade, Heterossexualidade, Homossexualidade, Insinuação de sexo, Mutilação, Nudez, Violência
Aviso legal
Todos os personagens desta história são de minha propriedade intelectual.

Notas da Autora


Voltei! Desculpa a demora, mas o capitulo ta grande :3

Capítulo 3 - Rafael


Acordei no sofá preto e Anny dormia tranquilamente ao meu lado. Contemplei seu sono fofo durante algum tempo e logo sai do sofá, com cuidado para não acorda-la. Peguei meu celular, ainda em pé, e fui ver todas as notificações.

[22:36]GABRIEL: Nem entrou com a gnt hoje no Skype. Esta td acabado entre nós.

[22:37]Smaug: Dois viados. Bora skate amanhã de tarde?

[22:37GABRIEL: As 14 vejo vcs lá. Levem Money pra sorvete.

[22:38]Smaug: Viado2 já foi dormir, fraco.

[22:38]GABRIEL: Acho que ñ. Ele tava mó safado hj. (aquela carinha)

São dois idiotas conversando no bate papo.

[09:43]Rafa: Blz. Vou ver se a Korra topa ir.

Entrei no banheiro pensando se seria uma boa ideia levar ela pro meio daqueles dois doidos, vai que a doença é contagiosa. Tomei um banho rápido e vesti uma bermuda e um cheiro bom invadiu a casa. Anny já estava acordada e preparava o café da manhã.

-Panquecas.- Me entregou um prato.

-Bom dia pra você também. -Sentei na mesa e comecei a devorar minha comida, enquanto a garota na minha frente terminava de comer seu pão. -Gabriel e Smaug estão afim de ir na pista de skate. Você vem?

-Pode ser. Eu dei um jeito no seu skate outro dia, um fio tinha soltado. Ta novinho em folha.

Meu lindo filho tinha sido concertado! Agora dava pra acelerar de boas. Sai da cadeira e recolhi os pratos, deixando na pia.

-Já vamos ficar por lá mesmo. Eles vão chegar as 14.

Anny concordou com a cabeça e passou pela porta que ligava para a garagem, provavelmente indo pegar os skates. Sentei na escada do quintal, encostei os cotovelos no degrau de cima e fiquei observando o céu azul claro. A garota apareceu pouco depois com os dois itens na mão e uma pequena mochila nas costas.

-Vê se não estraga de novo. – Sorrindo me entregou meu precioso.

-Não pretendo. -Devolvi o sorriso.

Saímos do quintal, Rubi e Silver nos observaram atentamente enquanto fechávamos os portões. Os dois dobermans pretos ás vezes me dão muito medo. Caminhamos pela rua de mansões, algumas pessoas nos encaravam, outras nem percebiam nossa presença. Chegamos na pista de skate alguns quarteirões depois e alguns garotos pararam para olhar Anny ao meu lado. Uma raiva mortal cresceu dentro de mim e os xinguei mentalmente.

-Trouxe salgados e refri pra não morremos de fome.

Sentei em um banco perto de algumas árvores, Anny sentou ao meu lado e colocou a mochila em meu pé.

-O que fazer agora?

-Sei lá... Que tal... Andar de skate na pista de skate? -Com ar de deboche a garota me olhou.

Deitei em seu colo, olhando em seu olhos.

-É assim? Eu não ganho nem um carinho?

-A neko sou eu. -Me fez cafuné enquanto olhava algumas pessoas na pista.

Olhei pro céu azul novamente, agora pensando na vida em que estávamos levando. Tudo estava tão calmo ali, podemos ter amigos, estudar e curtir sem precisar matar pessoas. Estar tão calmo me deixou tão desconfortável, não era o ambiente em que eu estava acostumado.

-O que é aquilo? -Anny apontou pruma pista me tirando de meus pensamentos.

Em outro banco, dois alunos da nossa escola discutiam com outros 5 garotos. Percebi que eram os dois amigos que sempre ficavam na sala conversando, o garoto do celular e um garota que sempre puxava papo com ele, mas raramente era respondida. Ao perceber que havia um desentendimento ali, rapidamente me levantei do banco e fui naquela direção.

-..a Taylor vai me dar o dela, é bem simples, não? -O garoto que parecia ser o líder chegou perto da menina, sorrindo convencido.

-O skate é dela e ela faz o que quiser. -O menino do celular, atrás de Taylor retrucou, olhando com desgosto aos garotos.

-Caiam fora daqui. -Taylor olhava pra baixo, triste pela situação em que se encontrava.

O líder chegou mais perto e segurou o skate de Taylor, coloquei meu braço na frente impedindo o vagabundo de continuar.

-O que está fazendo? Meu papo é com ela.

-Se é só com ela por que tem essa plateia com você? -Apontei pros outros 4 acompanhantes. -Se você ainda não percebeu, ela não vai te emprestar o skate. E você e seus amigos não estão convidados para o show, caiam fora daqui.

Fiquei entre os dois, deixando Taylor as minhas costas e o idiota a minha frente.O garoto era um pouco mais alto que eu, com uns 19 anos, piercing no nariz e tatuagem que aparecia no ombro pela regata que usava. Um dos capangas se aproximou dele, olhando para mim e cochichando:

-Ei, esse cara deu uma surra no Mike outro dia.

-Então esse é o cara que bateu em meu irmão outro dia? E aquela gostosa ali é a garota que Mike queria pegar? Bom gosto o dele, pena que não posso dizem o mesmo dela. -Olhou as minhas costas, analisando Anny dos pés a cabeça e sorrindo travesso.

“Rafael, vamos embora.” Anny apareceu do meu lado, com raiva. E enquanto olhava pra garota duas mãos me empurraram com força pro lado, me fazendo cair. O líder tinha me jogado e agora puxava o skate com força da mão de Taylor. A garota lutava bravamente segurando seu item, mas o líder fechava o punho, se preparando para dar um soco. Forcei o vento o mais rápido que pude em meus pés, me jogando em sua direção. O garoto se assustou e olhou pra minha mão, que já o atingia na bochecha. Ele caiu no chão com medo, disparou a correr e seus capangas logo atrás. Os três a minha volta me encaravam, cada um com uma expressão diferente.

-Obrigada! Desculpe a confusão... Eu sou a Taylor! -Apresentou a garota que já conhecia.

-Rafael. Você é da minha sala, né? Eu ouvi seu nome na apresentação.

-Sim! E o inútil do Vortex também. -Apontou para o garoto estilo emo, com cabelos pretos arrepiados, pálido e olhos castanhos avermelhados.

-JACK Vortex. E inútil é você. -Grunhiu olhando para o chão.

Anny suspirou e pegou a mochila, saindo em direção a floresta. Apertei o anel confuso. “Aonde vai?” Sem olhar pra trás a garota respondeu. “Tenho mais o que fazer. Vejo você as 13. Deixei sua comida em uma sacola ali perto.” E entrou na mata.

-Quem é ela?

Reparei que todos olhavam na mesma direção que eu, Taylor apontava pro local onde ela tinha desaparecido.

-Minha melhor amiga, Korra.

-Melhor amiga? -Vortex deu um sorriso de canto. -Vi sua careta quando ele a chamou de gostosa.

Meu celular começou a tocar, ignorei o comentário do garoto e o peguei. Fui em direção ao banco onde estava a sacola, dando um breve aceno de despedida para os alunos.

-Alô.

-Oi, Rafa! Quanto tempo, seu puto!

 -Eae, Sterco! O que conta de novo?

-Deu umas tretas aí e talz. Parece que uma sociedade grande esta a fim de começar uma nova Guerra. To chamando você e a An... KORRA. -Ri silenciosamente.- Chega no Quartel Negro Central as 19h para decidirmos tudo.

-Suave. Vou avisar ela. Mas por que ligou pra mim? Me senti importante agora.

-É por que tá caindo na caixa postal mesmo, se não eu tava falando com ela. Aceita, você é um inútil.

-Nossa, magoei. Nem fala mais comigo.

-Ah, você sabe que falo isso por que te gosto. Mas enfim, te vejo aqui. Fui.

-Falou.

Chamada encerrada. 10h30.

Peguei a sacola e sai em direção a floresta, curioso com o que Anny estava fazendo. Talvez atrás de algum item magico, ou sentiu alguma presença interessante? Depois de 5 minutos de caminhada encontrei um tronco caído, onde coloquei minha sacola e me transformei em uma coruja. Com os olhos e ouvidos sensíveis captei alguns animais enquanto voava pela floresta. Parei em uma árvore alta quando ouvi duas vozes. Foquei os olhos e me concentrei na conversa.

-Você devia vim mais pra cá, relaxar um pouco de tantas Missões.

-Você sabe que não vim aqui pra relaxar. -O garoto de cabelos marrons escuros e olhos da mesma cor sorria. -Já sabe da grande reunião hoje de noite? A Death Angel é o grande babado, todo mundo falando nisso.

-Reunião? Ninguém me avisou nada não! -Anny levantou da grama e revirou a mochila, pegando seu celular. -Cinco chamadas perdidas de Steven, ótimo.

Sentou no colo do garoto como se fosse a coisa mais natural possível.

-Que horas?

-Ás 19. Mas membros como você devem chegar uma hora antes.

-Entendo. Falando nisso, que horas são?

-São 10h35. Tem alguma coisa daqui a pouco?

-Skate as 13, mas trouxe uns salgados. Aceita?

-Ué, eu agradeço.

Ela puxou a mochila pra perto deles e virou no colo do garoto, ficando cara a cara. Colocou uma bolinha de queijo na boca do garoto enquanto comia um pastel.

-Com quem você vai no skate?

-Rafael, Gabriel e Smaug.

-Rafael de novo? -Virou a cara ao ouvir meu nome.

-Sem ciúmes, seu chato.

-Eu? Chato? -A garota concordou com um aceno. -Não sabe como você é chata!

Ela fez um bico como se tivesse ficado triste e o acompanhante lhe deu um selinho. Segurou sua cintura e o beijo foi ficando mais intenso. Furioso, voltei a forma humana, ainda no galho. Tinha de ver com meus próprios olhos aquela cena estúpida. Quem aquele garoto pensava que era? Pra minha desgraça o galho não suportava meu peso e começou a estalar, chamando atenção dos pombinhos. Virei um falcão e sai daquele lugar o mais rápido possível. Voava pelo sentido contrario ao skate, indo para montanhas e bosques floridos. Não tinha nenhum destino e estava morto de raiva. Meu pior sentimento aparecia mais uma vez: ciúmes. Ciúmes de alguém com que não tinha relação nenhuma. Não tenho coragem de assumir um relacionamento, mas ver ela com outro foi algo perturbador. Gostar de uma garota feita pra matar não é fácil. Ela não sente amor, nem saudades, mas confia facilmente nas pessoas. Meu objetivo é manter ela feliz e segura, mesmo que isso me mate. “Esse é o maldito amor, sentimento de mortais e que pode ser mortal.” Respira, Rafael. Respira, inspira e não pira!

“Rafael?”

E no silencio profundo daquela montanha sua voz surgiu em minha cabeça. Devo estar ficando louco, agora to escutando ela me chamar.

FAEL?”

Não... Calma. Eita, poxa! É ela mesma! Apertei o anel. “Oi?”

“Cadê você? São 13h30!” Oi?! Já? Conferi no celular. 13 horas e 29 fucking minutos. Sai voando o mais rápido possível como falcão. Logo cheguei no tronco que tinha guardado o meu lanche, sai correndo enquanto comia meu suposto almoço.

-Cheguei! Desculpa a demora, perdi a noção do tempo!

Anny sorriu.

-Está tudo bem, relaxa.

Percebi que não corria perigo de morte. Sentei na grama do lado de uma pista e continuei comendo meus salgado, pensando na cena que tinha visto a pouco.

-Quer refrigerante?

Ela mostrou uma garrafa de 600ml pela metade. Tomei de sua mão e bebi tudo em um gole, pensando se aquele idiota também tinha bebido daquela maneira. Provavelmente não, deveria ter sido um cavalheiro e pegou um copo. Ri baixo e percebi que a  Anny olhava pras pistas atentamente.

-Eles chegaram. – Apontou para dois garotos conversando próximos a uma pista intermediária. Acenei e os dois viados nos perceberam.

-Chegay! Sentiu minha falta, amore? -Gabriel fingiu um pulo ‘muito másculo’ para perto de mim. -Olá, Korra! Como foi a noite ontem? -Deu um sorriso malicioso.

Anny me olhou com dúvidas, fiz um ‘não’ com a cabeça, não tinha contado nada pra ninguém.

-Korra, oi. Perdoai esse infeliz. Ele ta achando que vocês tranzam todo dia só por que moram na mesma casa. E boa tarde Viado2.

Pelo menos o Smaug tem noção de como se comportar diante de uma garota. Sorri diante da situação desconfortável que Anny se encontrava.

-Boa tarde, babacas. Tão afim de cair nas pistas ou não?

-Bora! -Smaug e Gabriel levantaram os skates.

-Eu acho que não vou...

-Por que não? -Smaug pareceu surpreendido com a fala da garota.

-A única pista que me interessa só tem gente desinteressante.

Olhei a pista Master, as mais alta. Duas garotas se esfregavam em um menino de 17 anos que eu reconheci imediatamente. Mike.

-O que aquele FDP ta fazendo ali? -Cuspi as palavras, lembrando com nojo do beijo que tentara dar em Anny.

-A pista é pública, cara. Daqui a pouco ele sai. -Gabriel bateu uma mão em meu ombro. -E não sabia que curtia coisas insanas, Korra.

Gabriel sorriu com seu jeito galã, o sorriso que com certeza lhe rendeu várias minas. Ele não toma vergonha na cara mesmo, acabou de reconciliar com a Lauren e já dá em cima da Anny. A garota riu.

-Na verdade, fui criada para fazer coisas insanas.

Peguei meu skate e corri pra pista intermediaria, onde me joguei acelerando. Os três me seguiram e Anny era claramente a melhor. Smaug encarava meu skate confuso.

-Que merda é essa no skate de vocês?

-Um acelerador. Faz as manobras ficarem mais altas, dando pra curtir mais e nem precisa dar impulso.

-Depois me empresta? -Gabriel surgiu ao meu lado, interessado.

-Beleza. O da Korra também tem, e o dela é mais insano, como vocês gostam de dizer.

-Se quiser pode andar no meu agora. -Ela ofereceu. -Aqueles desgraças ainda não saíram da minha pista.

E a tarde passou rapidamente enquanto todos divertíamos.

***

Várias pessoas se reuniam em um grande círculo, com cerca de 50 poltronas luxuosas. Dez poltronas ainda estavam vazias, das pessoas mais importantes que deveriam estar em uma outra reunião. A porta central abriu e homens e mulheres com roupas caras sentaram em nove cadeiras, deixando a do meio vazia.

-Peço a atenção de todos, por favor. -Um homem se levantou da cadeira. -Estamos aqui para discutir sobre a Aliança Cripto. Por ser um assunto de extrema importância pedimos a presença da Death Angel. Eu lhes apresento: Anny.

As mesma portas se abriram de novo e todos olhavam naquela direção. Uma garota perfeita saiu de lá, com um vestido roxo majestoso que realçava suas curvas e com um cajado de lua. Ela não usava tapa-olho, revelando seu olho vermelho. Com calma, Anny caminhou ate a sua cadeira, parando na frente da poltrona.

-Sejam bem vindos a mais uma reunião. -Ela sorria. -Espero chegar a um consenso com todos e que consigamos resolver essa briga antes que se torne a segunda parte da Guerra. Vamos começar com as apresentações. Anny. -Se sentou.

Um a um todos se levantavam e falavam sua posição ali. E ali no meio dois garotos chamaram minha atenção. Um bem mais que o outro: o menino que tinha visto com Anny essa tarde.

-Sou o Manton Rick. General top1.

-Meu nome é Levy Conti, Agente Especial número 4 e General 1. -O menino loiro ao seu lado se sentou novamente.

Eu, Anny, Manton e Levy éramos os únicos que tinham menos de 24 anos e estavam ali. Steven era o próximo mais velho, e não parecia muito confortável durante a reunião.

“Ou você mata ou você morre. Leis da natureza foram feitas para ser seguidas.”  E com essa frase ele conquistou vários soldados que concordaram em ir no seu plano insano na ultima Guerra. Quebraram um defesa de 10mil soldados com 7mil atacantes. Até hoje me pergunto como.

Eram várias pessoas discutindo e eu tava ali de enfeite. Agente Especial não tem nenhuma importância nessa reunião, e apenas fui convocado por ser o líder desse título.

-Um espião hacker obteve algumas informações da sede inimiga. Planejam vários ataques para sequestrar alvos. Esses alvos são obrigados a lhes obedecer. Apenas alvos fortes e com poderes interessantes estão sendo focados, pelo que entendemos devem estar querendo fazer um ataque direto ao Olimpo e estão juntando pessoas que possam ser úteis. Rafael e Levy, vocês são alvos. Sua escola é um dos pontos de ataque. Nós ainda não sabemos se eles sabem dos Agentes Especiais ou é por terem um poder que possa ser útil. E não fazemos ideia de como ele vão obrigar vocês a seguir os planos. Tomem cuidado. Não foi especificado o dia do ataque, então não queremos enviar tropas para escolta-los. Temos a data e o lugar de outros pontos então estamos colocando prioridade nesses planos. E temos certeza que vocês vão dar conta. Uma folha será entregada para vocês explicando o ataque.

-Eu também estou na escola. E tenho certeza que estão muito afim de me sequestrar mas não sabem como fazer isso. Posso usar isso para ajuda-los. -Anny observava os outros dois jovens com curiosidade.

-Tadinha da minha escolinha... Vai ficar toda quebrada com a Anny. -Steven lamentava baixo ao meu lado.

-Confiamos em você, Lady. Então, sobre o alvo Mark podemos...

Perdi o foco o resto da reunião inteira. Daria uma treta insana se os alunos descobrissem que ela é a Death Angel. Eu sabia que estava demorando para alguma merda acontecer. A reunião acabou e eu tava ali brisando.

-Fael? -Anny estava na minha frente tentando me acordar.

-To de pé. -Levantei da poltrona e me espreguicei com o terno apertado.

-Precisamos ficar de olho na nossa escola agora. Não quero que te levem. -Ela me abraçou. -Temos que cuidar um do outro, né?

Sorri, ela era tão fofa as vezes. Manton apareceu ao nosso lado e Anny me soltou, talvez constrangida, mesmo que tenha dúvidas se ela tem esse sentimento.

-Oi, Rafael. Eu sou o Manton. -Desinteressado, como se fosse obrigado, se apresentou. -Já ouvi muito sobre você.

-Prazer. É uma pena, não tenho ideia de quem seja você.

Respondi formalmente apenas porque Anny nos olhava. Ele me encarou fixamente, como se procurasse meu piores segredos para contar a todos. Tenso. Que ódio.  Senti o vento se agitar a minha volta, meus sentimentos estavam literalmente transbordando.

-Vou me apresentar então. Eu sou um ​ficante da Anny. E como amigo dela deve concordar comigo sobre como ela esta linda esta noite.

Senti a facada em minhas costas. Ele estava exibindo sua posição? Meu sangue ferveu. Um redemoinho começou a se formar em minhas costas. “Mas você é muito importante pra mim. Não fique com ciúmes, por favor.” Respirei fundo e olhei por garoto que sorria vendo que tinha atingido meu ponto fraco. Apertei o anel com força. “Vamos embora.” Sai para pegar o papel com o diretor, enquanto Anny despedia de Mandito com um beijo. Lhe esperei na porta, a garota se aproximou e fui o mais rápido possível para casa, sem olhar pra trás. Tinha certeza que ela estava triste comigo mas não me importava, apenas me joguei na cama e pensei sobre o que estava acontecendo.

Não posso fazer nada, ela pode ficar com quem quiser. E eu e  ela... Somos apenas amigos. Apenas amigos...

***


Notas Finais


Por favor, comentem :3
2bjs

[Reescrita] :3


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...