História Ano 2043 - Capítulo 1


Escrita por: ~

Postado
Categorias Originais
Personagens Personagens Originais
Tags Alienígena, Gay, Militar, Romance, Yaoi
Visualizações 76
Palavras 1.124
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Ação, Drama (Tragédia), Ficção, Lemon, Mistério, Romance e Novela, Suspense, Violência, Yaoi
Avisos: Álcool, Bissexualidade, Estupro, Homossexualidade, Insinuação de sexo, Linguagem Imprópria, Sadomasoquismo, Sexo, Tortura, Transsexualidade, Violência
Aviso legal
Todos os personagens desta história são de minha propriedade intelectual.

Notas da Autora


Olá.
Espero que gostem.
(Desculpe qualquer erro.)

Capítulo 1 - Este é Alexandre Black


Fanfic / Fanfiction Ano 2043 - Capítulo 1 - Este é Alexandre Black

Ano de 2036, um ano marcado pelo início da guerra e do desespero.

A tecnologia estava alta, mas o mundo estava um caos, criaturas de outro mundo estavam atacando a terra na tentativa de habita-la, homens de todos os lugares se juntavam para as combater. Um deles era Alexandre Black, um homem famoso por suas habilidades em combate, renomado como o homem que mais matou, era considerado jovem para ter tal nomeação, apesar da pouca idade (26 anos), Alexandre sempre deu sua vida as guerras, sendo todas elas vitoriosas.

Alexandre foi chamado a base N° 3044, para lutar contra as tais criaturas, mas o destino...Ah, o destino...Ele sempre os pega de surpresa, pode ser com algo pequeno como um simples corte de mão ou com algo grande, o amor.

-------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------

Ano de 2043.

Alexandre chegou a tarde em sua base, foi recebido pelo capitão Samuel, um homem alto de cabelos loiros e pele clara, ele guiou Alexandre até seu dormitório e lhe passou o dever de as 6 da noite ir até o campo de treinamento, disse que queria ver se o tal homem que “mais matava no mundo” era tão bom quanto diziam, e se retirou do dormitório. Alexandre se sentou na cama que tinha ao centro do quarto, logo a frente tinha um grande espelho, onde se olhou. Sua barba estava grande, mas ele não pensava em tira-la, gostava dela em seu rosto, se sentia mais adulto com ela.

Seu físico não era forte, mas também não era de total magro. Sua altura (1,75M), apesar de não ser a altura normal (e exigida) entre os demais soldados, ele tinha uma força exuberante, derrubava até mesmo homens que tinham o dobro de seu peso, seus olhos de cor azul, herdados de sua mãe, junto a cabelos escuros herdados de seu pai. Era um homem desejado entre homens e mulheres, mas apesar disso, nunca teve a vontade de se casar.

“Um soldado não tem tempo para amar”, Ele dizia.

Alexandre arrumou suas coisas e vestiu a roupa entregue pela base, logo daria 18:00H, e ele precisaria ir até o campo, então saiu de seu quarto e foi a caminho. Ao chegar lá, avistou Samuel a sua espera.

-Olá, soldado –Disse Samuel-Esses são, Carl, Dylan e Matt, eles serão sua equipe a partir de agora.

-Prazer em conhece-los-Disse Alexandre.

-Olá, Senhor Black! –Disse Carl eufórico-É um prazer conhece-lo, nunca imaginaria o ver pessoalmente!

Todos riram.

-Carl, assim vai assusta-lo-Disse Dylan.

-Mas ele é praticamente uma lenda! –Dizia o garoto.

-Bem, vamos começar- Disse Samuel- O treinamento será o seguinte, Carl, Matt e Dylan o atacará -Seu olhar foi para Alexandre-Quero que derrube todos.

-Como desejar- Alexandre disse com um sorriso em seu rosto-Quem será o primeiro?

Matt atacou, pegou Alexandre de surpresa, mas Alexandre não demorou muito para consegui o derrubar, logo em seguida, Dylan o atacou, dessa vez conseguindo o acertar um soco no rosto, Alexandre rio e logo deu um soco no rosto de Dylan, logo em seguida dando outro em seu estomago, assim o fazendo cair.

-Vamos, rapazes! –Gritou Samuel.

Carl tentou bater em Alexandre, mas foi em vão, Alexandre o derrubou com facilidade, mas Carl acabou caindo por cima de sua mão, seu dedo estava ereto se deslocando, Carl gritou.

-O que foi? – Samuel perguntou.

-Eu acho que ele se machucou – Disse Alexandre.

-Ts, malditas crianças –Disse Samuel impaciente-O levem até Theodore!

Dylan e Matt levantaram Carl com brutalidade.

-Devagar –Disse Alexandre-Ele não tem culpa disso.

Os quatro foram a caminho da enfermaria.

-Então...Matt-Disse Alexandre-Não fala muito, não é?

-O que quer que eu fale? –Perguntou Matt- O mundo está fodido e podemos todos morrer.

Alexandre soltou um leve riso.

-Isso é verdade, está tudo fodido –Disse Alexandre sorrindo- Mas mau humor não resolve nada.

-Nem adiante-Disse Dylan- Ele é um chato do caralho a todo momento.

-Olha quem fala-Matt disse-Logo você vai começar a falar e não vai mais calar a porra da boca.

Alexandre gargalhou.

-Certo, certo...Trocando de assunto, quem é Theodore? –Perguntou Alexandre.

-Ele é o médico chefe da nossa base, um ruivo arrogante-Falou Dylan- Mas ele é bem comível.

-Não vejo graça nele- Disse Matt- Não tenho tesão em pessoas altas.

-A por favor, Matt- Disse Dylan- O cara é um tesão em si.

-Fala isso para o Steven-Falou Matt.

-Steven? Quem é Steven? –Perguntou Alexandre.

-Steven é o braço direito do capitão, um assassino habilidoso- Dylan disse parando em frente a uma porta que tinha uma placa escrita “Enfermaria- Ele também é namorado de Theodore...A 10 anos.

Os 4 entraram na enfermaria.

-O que houve? –Perguntou Theodore.

Alexandre o olhou da cabeça aos pés, foi como um choque. Theodore era alto (1,86M), sua pele era pálida com algumas sardas em seu rosto, seus olhos eram pretos como a escuridão da noite, seus cabelos ruivos eram longos, mas estavam amarrados.

-Wow...-Disse Alexandre.

Todos olharam para ele.

-Bem...Carl machucou a mão-Falou Matt.

-Deixe-me ver –Falou Theodore, indo até Carl e levantando sua mão.

-Então? – Perguntou Dylan.

-Ele deslocou o dedo levemente-Ele puxou o dedo de Carl rapidamente, um estralo pôde ser escutado, junto ao grito de Carl- Pronto, logo ele ficaram melhor.

Theodore foi até a estante no canto da sala e pegou uma caixa com remédios dentro e entregou a Carl.

-Tome por uns dias e logo você não sentira mais dor- Disse ele a Carl.

-Está bem-Disse Carl-Obrigado.

-Por nada-Theodore foi até a outra sala.

-Vamos-Disse Dylan-Alexandre! Acorda, para de babar o Theodore.

-Vão na frente- Disse Alexandre-Depois alcanço vocês.

Os três obedeceram e Alexandre foi até a outra sala, Theodore estava olhando algo em seu microscópio.

-Poderia parar de me olhar? - Disse Theodore ainda olhando algo em seu microscópio- Me comer com os olhos não vai te ajudar em nada –Ele se virou- Posso ajudar?

-Nada –Alexandre disse- Mas quem sabe futuramente –Alexandre o olhava com segundas intenções.

Theodore rio.

-Por favor, vá crescer um pouco antes de flertar com alguém que nem ao menos conhece.

-Tenho algo grande aqui que você iria adorar.

-Me poupe- Theodore voltou para a primeira sala- Saia antes que contate o capitão.

Alexandre foi até ele.

-Iremos nos conhecer melhor- Ele olhou Theodore cheio de desejo- Eu não desisto das minhas presas, Senhor Theodore.

-É doutor-Theodore disse com um sorriso irônico-Agora poderia? –Ele apontou para a porta de saída.

-Claro, doutor –Alexandre sorrio e saiu da enfermaria.

Alexandre nunca tinha sentido tal desejo tão alto por alguém antes, ele sabia que não desistiria até que conseguisse pelo menos um beijo do tal Doutor Theodore, mas Theodore era um homem elegante e difícil de se conquistar...Esse era o menor dos problemas é claro, Alexandre não se lembrou que Theodore já era comprometido...Steven, o assassino mais temido pelas bases.

 

Continua.



Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...