História Anomaly - Capítulo 9


Escrita por: ~

Postado
Categorias Amor Doce
Personagens Castiel, Debrah, Personagens Originais, Viktor Chavalier
Tags Amor Doce, Castiel
Visualizações 208
Palavras 2.771
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Mistério, Romance e Novela
Avisos: Álcool, Drogas, Estupro, Insinuação de sexo, Linguagem Imprópria, Mutilação, Sadomasoquismo, Sexo, Suicídio, Tortura, Violência
Aviso legal
Alguns dos personagens encontrados nesta história e/ou universo não me pertencem, mas são de propriedade intelectual de seus respectivos autores. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos criada de fã e para fã sem comprometer a obra original.

Notas da Autora


Olá meus queridos, sei que deveria ter postado ontem como prometido, mas vou explicar tudo nas notas finais, peço que leiam, pois é importante!
Espero que gostem deste capítulo <3

Capítulo 9 - Iceberg


Fanfic / Fanfiction Anomaly - Capítulo 9 - Iceberg

Capítulo 8

Iceberg

O ruivo revirou-se no colchão quando ouviu o despertador tocar, xingando-o com palavras indecifráveis. Levantou o tronco, esticou-se para pegar o celular e levou um susto quando percebeu que já era sexta-feira, pois a semana tinha passado rápido demais!

Colocou a mesma roupa de sempre e não se preocupou em arrumar os cabelos desgrenhados, escovou os dentes preguiçosamente e pegou um caderno velho e uma caneta: os únicos materiais que ele levava. Saiu do quarto e se deparou com a loira fazendo o mesmo gesto, a roupa desta vez era inteira preta e o cabelo era preso em um rabo de cavalo alto, fazendo o ruivo perceber que no começo das costas de Zoe havia um indício de tatuagem coberta pela roupa.

—Bom dia. – Ela falou fraca, ele pôde perceber olheiras embaixo dos olhos sedutores e a palidez no rosto delicado da jovem, que nem se preocupava em esconder seu cansaço.

—E ai... – Remexeu os ombros em puro descaso – Você está horrível!

—Desculpe ser humana e ter noites de insônia, Collins. – Deu um sorriso irônico e começou a andar em direção à saída dos dormitórios.

—Está de mau humor, é? – Aprendeu durante a semana o quanto era bom irrita-la e isto foi seu melhor passatempo.

—Estou! – Ela apertou os punhos e o fitou com olhos semicerrados. Ele apenas achou graça.

—Problema seu, garota! – Deu um peteleco na bochecha de Zoe – Não é minha culpa se sua vida está ruim...

Ela apenas o ignorou e voltou a andar, ele já estava sentindo o cheiro de café vindo do refeitório e, quase que instantaneamente, sua barriga fez um barulho longo e agudo de fome. Sentiu certa vermelhidão tomar suas bochechas quando percebeu que o olhar dela se desviou para ele em uma expressão de puro humor.

—Com fome? — Perguntou, melhorando relativamente o humor.

—Não é da sua conta, tábua. — Revirou os olhos escuros e continuou a andar ao lado da loira.

—Cast! — Ouviu uma voz irritante ecoar pelo corredor e logo Ambre estava do lado do ruivo com um sorriso irritante.

—O que você quer? — Olhou para a garota com um semblante tedioso e Zoe apenas voltou a ficar séria quando viu a patricinha.

—Só queria dar bom dia, grosso! — Empinou o nariz e olhou para Zoe, sorriu com sua boca venenosa e soltou — Ah, você está ai... Como é seu nome mesmo?

—Você sabe meu nome, não se faça de sonsa! — Zoe respondeu seca, sem nem mesmo olhar para a loira. Ambre, que não esperava aquela resposta, engoliu em seco e sentiu seu rosto ficar quente de raiva.

—Como ousa falar assim comigo? — Apontou o dedo para si mesma e se irritou ainda mais quando percebeu que Castiel estava rindo.

—Na verdade quem não sabe seu nome sou eu... — A mais alta continuou, sorrindo triunfante e ainda sem direcionar o olhar para a garota histérica — Ana, Ângela, Alice? —Provocou e a patricinha grunhiu alto — Nossa — Finalmente os olhos castanhos encontraram os azuis, fazendo Ambre sentir a tensão em suas costas — Sua voz é bem aguda, isto me lembra alguma coisa... — Zoe colocou o dedo no queixo, pensando de um jeito teatral — Acho que já te ouvi em algum lugar!

Ambre paralisou e Castiel ficou confuso com tudo aquilo, a loira platinada não desviava o olhar de Zoe que apenas a olhava com um olhar desafiador e provocativo.

—Deve ser coisa da minha cabeça... — Carter bateu o indicador na testa falsamente — Até porque, não é todo dia que alguém com esta voz conseguiria entrar em um concurso de música, não é?

E a loira voltou a andar para o refeitório, deixando Ambre e Castiel para trás, o ruivo estava ainda mais confuso e a patricinha estava congelada.

—É ela... — A menina sussurrou para si mesma e instantaneamente saiu correndo para o lado oposto, deixando Castiel sozinho.

—Essas meninas ainda vão me matar... — Coçou a nuca e voltou a andar.

 

Depois de um longo dia de aula, finalmente o grupo de Sweet Ville estava fazendo seu jantar, já pensando na viagem de volta que seria no domingo.

—Gostei daqui... — Rosalya falou, comendo sua salada mista rapidamente.

—Me surpreendi também, é uma escola ótima! — O loiro sorriu docemente e suspirou ao notar que a irmã não estava na mesa — Alguém viu a Ambre? Não há vi o dia inteiro hoje...

Ninguém respondeu, nem mesmo Castiel que, mesmo tendo visto Ambre de manhã, preferiu não dirigir a palavra para o seu rival. Voltaram a comer, desta vez em silêncio, e foi assim que o ruivo desviou o olhar para Zoe, que acabara de entrar com uma feição de poucos amigos, ela estava mais estressada que o normal.

—Olha só, olhando para ela de novo! — Rosa provocou, vendo as bochechas do ruivo ficando rosadas.

—Ela quem? — Perguntou tedioso.

—Zoe! — Respondeu feliz — Está gostando dela?

—Não fale besteira, Rosalya — Castiel suspirou e desviou o olhar da garota — Quem gostaria de uma tábua como ela?

—Eu gostaria... — Nathaniel respondeu simplesmente, devorando uma garfada de arroz — Ela é inteligente, doce e ao mesmo tempo transmite uma superioridade quase que assustadora, eu diria que ela é uma garota muito peculiar...

—Gosta de mistérios, Nath? — Rosa sorriu maliciosa e segurou o riso quando percebeu que o ruivo serrava os punhos e trincava o maxilar, provavelmente pelo o que tinha escutado. — Mas enfim, mudando de assunto... Descobri o que a amiga deles, a Letícia, fez para estar aqui!

—Sério que você investigou? — Lysandre perguntou — É tão impróprio se meter na vida alheia...

—Sabemos que Dajan se envolveu em tráfico de drogas, Viktor matou os pais e Zoe está aqui por ser neta da diretora, só faltava descobrir daquela Letícia... — Ela fez um suspense — Ela está aqui porque é uma ninfomaníaca!

Todos engasgaram com suas comidas e demorou um tempo até Rosalya voltar a contar os fatos.

—Pelo que tudo indica ela é uma ninfomaníaca que invadia casas de garotos e os abusava... Até ai tudo bem, qual garoto não gostaria disto? Mas ai que aconteceu algo fatídico: ela invadiu a casa de um professor casado! — A albina se empolgava ao contar toda a história e os meninos estavam surpresos demais para acreditar em todos aqueles fatos ridículos — Ela está aqui até hoje em tratamento...

—Isto é loucura! — Nathaniel deixou escapar uma risadinha e voltou a comer, suas bochechas ficaram coradas.

—Digo o mesmo... — Desta vez foi Lysandre.

—Pelo menos ela tem seios! — Castiel pensou alto, o que fez Rosa revirar os olhos.

 

A noite passou rapidamente e logo já era sábado, estranhamente aquele dia não estava tão frio quanto os outros e a chuva de outono tinha dado uma trégua.

—Não vou morar com a tia Agatha, ela é alternativa demais! — A loira falou para sua avó que revirou os olhos — Posso morar ao lado dela, mas não com ela...

—Que seja — Elsa bufou, digitando algo em seu computador — Vai morar no mesmo prédio, aqui diz que tem um à venda, ele é bem pequeno e posso pagar!

—Não preciso de muita coisa, você sabe.

—Está feito então, vou conversar com o corretor de imóveis hoje à tarde e acredito que semana que vem você já possa se mudar! — Levantou-se da confortável poltrona e bagunçou levemente os cabelos da jovem. — Agora vá se divertir!

—Certo — A menina também se levantou e seguiu pela porta — Obrigada por tudo, vó!

Desceu até o pátio da escola, todo sábado vários ônibus eram contratados para levar os alunos para o centro da cidade e lá estava o grupo de Sweet Ville, esperando o próximo chegar.

—Oi, Zoe — Rosalya cumprimentou simpática quando notou que a menina se aproximava com uma roupa muito bem apropriada: calça destroyed preta, uma camisa larga da mesma cor e um blazer amarelo bem acentuado, além do habitual coturno e um gorro preto que acabara de colocar quando pôs os pés para fora da mansão.

—Bom dia, Rosa — As garotas haviam se dado bem desde que Rosalya se aproximava insistentemente da garota por achá-la tão bonita e digna de modelo, a albina, sendo apaixonada pelo mundo da moda, não conseguiu evitar imaginar a menina nas peças que ela desenhava e Zoe acabou cedendo à simpatia da menina. — Olá meninos... — Falou calmamente, evitando Ambre que empinava o nariz.

—Animada para hoje? — A albina perguntou sorridente e Zoe concordou com a cabeça, desviando o olhar para seu grupo de amigos que se aproximava.

Viktor chegou e levou o braço para os ombros da garota, empurrando-a para baixo em brincadeira.

—Bom saber que você nos troca tão rápido! — Viktor falou, apertando as bochechas de Zoe que estava vermelha de vergonha.

—Eu não troquei ninguém, Vik! — Revirou os olhos e ele finalmente a largou, dando uma pequena risada quando a menina massageou as bochechas.

—Olá! — Dajan cumprimentou todos junto de Lety, que deu um sorriso animado.

—Vamos ao cinema hoje? — Viktor perguntou para Zoe, que ergueu a sobrancelha — Tá passando um filme de terror que o Dajan quer ver!

—Tem um monte de monstros e espíritos! — Dajan falou animado.

—Podemos ir sim! — A loira concordou e olhou para o grupo de Sweet Ville — Querem assistir com a gente?

—Pode ser... Não é pessoal? — Rosa perguntou e todos confirmaram, menos Ambre que já estava longe de ser encontrada.

Castiel apenas observava o braço de Viktor ainda sobre Zoe, seu rosto se enrijeceu e ele engoliu em seco.

—O próximo ônibus está vindo... — Rosa falou, observando o veículo entrar na escola — Onde está sua irmã, Nath?

—Falou que não está se sentindo bem... — Coçou a nuca — Vai ficar por aqui!

—Graças a Deus! — Sorriu Rosa e começou a seguiu para ônibus.

Zoe entrou logo atrás de Castiel e se sentou ao lado do ruivo, que estranhou a atitude da jovem.

—Não vai sentar com seu namorado? — Perguntou, deixando sua cabeça cair para o lado da janela e observando o lado de fora.

—Ele se sentou com o Dajan — Respondeu rapidamente, digitando algo no celular — E ele não é meu namorado, quantas vezes vou ter que falar?

—Pois parecem namorados... — A olhou rapidamente e sentiu as bochechas corarem ao perceber que estavam tão perto um do outro.

—Pare de ser chato, qual o seu problema? — Ela se virou para ele e bagunçou o cabelo ruivo.

—Não toque em mim! — Falou nervoso e fez a garota soltar uma gargalhada.

—Você é tão fofo — Riu mais um pouco e voltou sua atenção ao celular, fazendo o ruivo sentir o rosto pegar fogo com aquelas palavras.

—Não seja idiota, tábua... Não sabe com quem está falando! — Respondeu com uma voz sem graça e se ajeitou na poltrona, fitando as mãos.

—Quer ouvir música? — A garota perguntou, oferecendo um de seus fones de ouvido para o garoto.

—Não vou precisar ouvir músicas de menina, não é? — Pegou um dos fones em dúvida.

—Não mesmo — E ele colocou no ouvido, logo sentindo a vibração de uma música do The Pretty Reckless.

O ônibus começou a se mover e ele notou o olhar da menina para a janela do veículo, observando tudo com certa tristeza no olhar.

—O que foi? — Foi direto e duro, fazendo-a olhar diretamente em seus olhos.

—Nada, só estava pensando... — Deu um sorriso fechado e se acomodou na poltrona, fechando os olhos.

—Você tem uma tatuagem nas costas, certo? — Sua boca perguntou sem sua permissão.

—Tenho — Ela abriu de seus olhos — Como sabe? Anda me espionando?

— Vi um pouco dela ontem cedo, deu para ver por causa do rabo de cavalo! — Respondeu, serrando os punhos por estar sendo tão idiota.

—É uma flor de lótus... Fiz no começo do ano! — Brincou com uma mecha de seu cabelo — A flor de lótus está relacionada, acima de tudo, à vida. Por ser uma flor que nasce do lodo, do pântano, também simbolizando a superação, a força, a capacidade de passar pelas dificuldades e ver o lado positivo da situação, acho que foi por isso que a escolhi...

—Bem profundo... — Comentou, olhando para o leve sorriso na feição da garota, era incrível o quanto ela falava de si mesma com leveza, mas falava apenas o necessário, deixando todo o resto um mistério.

Zoe Carter era um mistério para ele, uma confusão doce e ao mesmo tempo venenosa. Ele poderia perguntar qualquer coisa para a jovem e ela iria responder facilmente, mas a resposta parecia ser tão incompleta. Ela poderia ser comparada a um iceberg, parecendo ser apenas um pedaço de gelo no mar, mas que abaixo, onde ninguém consegue ver, tinha uma geleira gigantesca e monstruosa, um mundo a ser descoberto. Quem era ela afinal? Uma garota que cantava como um anjo, que andava a cavalo feito um guerreiro, aprendia como um gênio e ao mesmo tempo em que era elegante e doce, poderia ser venenosa. Enfim, ao mesmo tempo em que ela era um livro aberto, ela era um livro totalmente lacrado.

Ele a fitou novamente, como era bonita... Era incrível a atração que ele sentia por ela, que qualquer um, na verdade, sentia por ela. As pessoas sentiam a necessidade de ficar perto da loira pelo simples fato de que ela era maravilhosa.

O ônibus parou e os alunos logo se levantaram, se dirigindo para fora do veículo que parou na frente de uma lanchonete.

—Ei — A loira chamou Castiel, que a olhou com uma falsa expressão de tédio — Não se esqueça do meu sorvete!

—Ah, tem isto ainda! — Revirou os olhos, lembrando que a garota lhe deu a chave da sala de música para ele ir à hora que quisesse, pois não poderia leva-lo por conta de que estava muito ocupada naquela semana. — Gosta de qual sabor?

—Chocolate!— Lhe sorriu convencida e ele deu um pequeno sorriso.

—Além de tábua é gorda... — Falou, mas a garota apenas riu, não se ofendia com suas piadas. Ele observou que tinha uma sorveteria por perto e começou a andar lentamente até lá com a loira ao seu lado.

—Ei, vocês — Escutaram Rosalya que tinha um sorriso malicioso nos lábios — Se comportem, a gente vai indo para o cinema, nos encontrem lá!

—Certo — Zoe respondeu.

—Não vá se acostumando com minha boa ação! — O ruivo falou quando entrou no lugar decorado por tons de rosa.

—Castiel, você vai embora amanhã... É claro que não vou me acostumar, a gente talvez nunca mais se veja, idiota! — Ela deu uma risada sem graça e desviou o olhar.

Só ai que ele percebeu que realmente poderia nunca mais vê-la, e, por algum motivo desconhecido pelo rapaz, seu coração latejou.

—Não é todo mundo que tem a sorte de me ver todo dia... — Respondeu rápido, sorrindo de canto para disfarçar a frustração.

—Você é muito metido! — Gargalhou e logo chegaram ao caixa.

—Duas casquinhas de chocolate — O ruivo pediu para o atendente.

—Chocolate? — A loira lembrou, dando uma cotovelada no ruivo — Além de ter o cabelo ruim é gordo!

—Cala a boca — Deu uma pequena risada e afundou as mãos nos bolsos, olhando-a de soslaio.

—O que foi? — Perguntou quando percebeu que o rapaz a fitava, fazendo-o corar levemente.

—Não é nada — Balançou os ombros e logo recebeu as duas casquinhas, dando para a menina segurar enquanto pagava.

—Obrigada, tomate! — Ela falou quando devolveu umas das casquinhas para Castiel.

—Por nada — Comeu a casquinha rapidamente e percebeu que a loira comia tudo lentamente enquanto o sorvete começava a derreter — Você é muito lerda!

—E você é bruto, comeu igual um homem das cavernas! — Riu quando lambeu a parte que derretia do sorvete. Aquele gesto fez o ruivo corar insanamente, ela ficou incrivelmente sensual fazendo aquilo e ele era um homem, afinal de contas.

—Você está muito vermelho! — Estranhou, lambendo mais um pouco — Está tudo bem?

O coração do rapaz disparou mais que rápido e ele estava se sentindo totalmente idiota, com a necessidade de falar ou fazer qualquer coisa. Foi ai que juntou sua mão com a da garota na casquinha e praticamente terminou com o sorvete.

—Ei, era meu — Ela falou, corando ainda mais pela aproximação repentina de Castiel, que ficou a centímetros de sua boca.

—Você ia deixar derreter tudo! — Respondeu, cruzando os braços.

—Chato... — Revirou os belos olhos castanhos e chegou mais perto do badboy — Aqui está sujo! —Passou a mão no canto da boca do rapaz, que ficou surpreso quando sentiu o toque leve da moça em seu rosto, limpando o sorvete com a ponta do dedo e colocando-o na boca. Ele engoliu em seco, pois aquele perfume, aquela aproximação e ela colocando o dedo entre os lábios maravilhosamente bem hidratados o estava deixando louco. — Agora vamos para o cinema... Eles devem estar esperando a gente! — Deu um pequeno sorriso e puxou-o pela mão.

—Vai com calma, tábua... — Falou, tentando se recuperar daquele momento. 


Notas Finais


Nossa gente, só Deus sabe o inferno que foi fazer este capítulo! Primeiro que eu decidi baixar um The Sims crack e ai vocês já sabem... Entrou um milhão de vírus no meu pc e até agora não consigo mexer no bonito.
Tive que usar o computador do meu pai para postar, mas confesso que ele é muito antigo e ruim, então se tiver algum erro no texto me anisem que irei corrigir pelo celular!
Semana que vem provavelmente eu não poste nos dias certos, pois levei o pc para manutenção e vai ficar pronto só na quarta! Além de tudo marcaram três provas para esta semana na universidade, pois vamos entrar em greve e o pessoal está fazendo tudo as pressas... Por isto infelizmente esta semana talvez eu não poste, mas vou ao menos tentar fazer dois capítulos ao mesmo tempo na sexta e postar!
Espero que tenham gostado do capítulo e continuem com as teorias, já tem várias boas que me mandaram haha <3
Um beijo e até a próxima meu queridos, vocês são demais!


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...