História Anônimo Texting - Larry Stylinson - Capítulo 20


Escrita por: ~

Postado
Categorias One Direction
Personagens Harry Styles, Louis Tomlinson
Tags Larry, Texting, Ziam
Visualizações 298
Palavras 1.531
Terminada Sim
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Romance e Novela
Avisos: Álcool, Bissexualidade, Cross-dresser, Heterossexualidade, Homossexualidade, Insinuação de sexo, Linguagem Imprópria, Sexo
Aviso legal
Os personagens encontrados nesta história são apenas alusões a pessoas reais e nenhuma das situações e personalidades aqui encontradas refletem a realidade, tratando-se esta obra, de uma ficção. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos, feita apenas de fã para fã sem o objetivo de denegrir ou violar as imagens dos artistas.

Capítulo 20 - E se o que Stan disse for verdade?


Fanfic / Fanfiction Anônimo Texting - Larry Stylinson - Capítulo 20 - E se o que Stan disse for verdade?

- Que coisa horrível é essa que você esta vestindo? - Stan diz. (Foto 1)

-  Eu gostei.

- Se olha no espelho. você está ridículo tira isso agora.

- Baby mais eu gostei.

- Mais você não vai assim, Não vai me fazer passa vergonha na frente de todos meus amigos. Toma veste essa. - Ele me entrega uma calça jeans dois números maior que o meu.

- E da um jeito nesse cabelo que isso está horrendo. - Mordo meu lábio evitando chorar. 

Vou pro quarto, tiro a roupa que eu estava vestindo, vejo a sacola com as peças trocadas em cima da cama, hoje de manhã sai pra compra uma calça e acabei pegando um sacola errada. Mordo meu lábio eu devo experimenta? Não vai ser muito estranho? Visto me olho no espelho.  (Foto 2)

- O que é isso Louis? - Stan diz, ele entra no quarto e me encara.

- Nada eu só estava experimentando. peguei a  bolsa trocada na loja, amanhã  passo lá pra devolver. - Falo tirando a roupa rápido.

- Você que o que que todo mundo veja a vadia que você é?

- Não.

- Então não veste esses trapos, voce esta ridículo com essa barriga enorme, olha pra isso. - Você nem pense em colocar isso de novo esta me ouvindo? - Ele aperta meu maxilar e confirmo. - aproveita que esta sem roupa e fica de 4 faz a única coisa que voce sabe saber que é ser uma boa vadia.

                  ♾♾♾♾♾

- Acordo assustado, olhando pros lados não reconhecendo a casa que estou. Respiro fundo afastando as memorias, me levanto, vou ate o banheiro procuro uma lâmina, eu preciso limpa isso de mim. Minhas mãos estão tremendo, me seguro forte  na pia do banheiro e espero minha respiração voltar ao normal. Me olho no espelho meu olho roxo e meus lábios cortados são apenas uns dos meus hematomas que estão pelo meu corpo.

Passo as mãos pelos meus cortes, você tem que ser forte Lou, você precisa ser forte. Respiro fundo, controlando minha ânsia de vômito.

- Querido? Você está bem?

- Desculpa não queria acorda a senhora.

- Não se preocupe, já esta na minha hora. Vem cá. - Saio do banheiro e vou ate ela, sinto ela me abraçar. - Você teve um pesadelo? - Confirmo. - Você esta tremendo vem. - Ela me puxa pra cama e deita do meu lado. - Quando meus filhos tinham pesadelos eu deitava com eles e a gente inventava histórias felizes. Você que fazer isso? - Confirmo, ela puxa o lençol e nos cobre.

- Quero. - Falo, sinto ela mexer no meu cabelo, me aninho nela.

- Certo. Era uma vez... - Ela começa.

- Um menino chamado Louis. - Continuo e ela sorri me incentivando a continuar. - O sonho dele é ser psicólogo, trabalhar com criança, ter uma casa, um marido. - Deixo uma lágrima cair.

- O Louis que ter filhos também? - Confirmo.

- Dois um menino e uma menina. - Ela sorri.

- E como eles se chamariam?

                   ♾♾♾♾

Abro meus olhos e volto a fecha-los, devo ter pegado no sono de novo. Posso escutar a mulher cantando baixinho enquanto faz alguma coisa na cozinha. Me levanto, vou ate lá.

- Você acordou, Como se sente?

- Bem melhor. Obrigado.

- Por que você não escova os dentes e vem tomar café. - Confirmo, vou ate o banheiro e vejo que tem uma escova ainda na embalagem em cima da pia, abro, escovo meus dentes e lavo meu rosto. Eu tenho que decidir pra onde eu vou não posso ficar aqui abusando da boa vontade da mulher.

- Você gosta de chá? - Confirmo, me sento e vejo ela me servi.

- Você nem me disse seu nome.

- Louis, meu nome é Louis. - Falo, mordo um pedaço do biscoito e o sinto derreter na minha boca.

- É um bonito nome Louis, combina cm você. Eu me chamo Anne. - Ela sorri.

- Obrigado, o da senhora também é bonito. - Ela sorri. Como mais alguns biscoitos e tomo o chá. Observando ela tira mais alguns dos forno. - A senhora que fez?

- Sim toda semana faço biscoitos para levá pra o orfanato. Você gostou?

- São uma delícia. - Como mais um. Termino o meu chá.  - Dona Anne, eu não sei nem como agradecer tudo o que a senhora fez por mim, eu não tenho como pagar a senhora.

- Você não precisa agradecer querido, voce já está se despedindo? - Confirmo. - Você já sabe pra onde vai? - Nego. - Onde é sua casa?

- Perto do centro. - Ela me olha horrorizada.

- Louis você andou de lá até aqui vestido daquele jeito? - Confirmo. - Graças a Deus eu te encontrei se não não sei o que teria acontecido. Do centro até aqui é quase uma hora e meia de caminhada.

- Eu não tinha percebido que eu tinha andado tanto.

- Vamos fazer assim, você me ajuda. E pode fica aqui comigo certo? Até você decidir pra onde vai. - Ela diz.

- Eu não quero incomodar e seus filhos?

- Eles estudam, a minha filha mora com a namorada e o meu filho fica sempre por lá por ser mais perto. Ontem ele ia vim mais aconteceu alguma coisa com um amigo dele e ele acabou não vindo. Então temos um acordo? - Confirmo.

- Temos o que eu posso fazer? - Ela sorri.

- No meu quarto tem um casaco ele vai fica grande em voce mais é melhor do que a camisa que você estava ontem. Pega lá.  - Vou até o quarto dela e pego em cima da cama um casaco, o visto, ele fica no meio das minhas pernas. (Foto 3)

- Ficou enorme. - Ela fala rindo quando me vê.  - Mais também você é tão pequeninho esta parecendo um ursinho. - Ela diz, sinto minhas bochechas corarem. - Tem um mercadinho aqui no final da rua você leva esse prato e entrega ao Robin. - Confirmo, pego o prato com biscoitos. - Tenha cuidado. - Confirmo.

Ando devagar pela rua, observando as casas. Eu moraria em um lugar assim é tão diferente da casa que fui criado, algumas senhoras que estão nas portas me encaram provavelmente me estranhando, as comprimento.

- Bom dia Robin por favor? - Pergunto a uma moça que esta no caixa, ela me aponta um senhor que esta quase no final do mercado. - Robin? - Ele confirma.

- Dona Anne mandou pra o senhor.  - Ele sorri.

- Obrigado. Fale pra ela que a noite passo lá.  - Confirmo e saio.

- Louis. - Escuto a voz de Stan e sinto meu corpo todo se arrepiar.

- O que você esta fazendo aqui? Como me achou?

- Eu sempre sei onde voce esta Lou.

- O que você que Stan?

- Eu te avisei Louis, ninguém gosta de você, você está sozinho, seus amigos sumiram quando você mais precisou. - Ele diz chegando perto de mim, dou um passo pra trás.

- Me deixa em paz Stan.

- Só eu gosto de você Louis, só eu posso cuida e proteger você, ninguém vai te fazer mal eu juro.  - Ele se aproxima de mim. - No vou deixar ninguém te machucar.

- Não encosta em mim. - Falo com raiva.

- Que foi Louis, todo mundo já sabe a vadia que você é. Acha que pode se esconder pra sempre? Você já disse a pobre mulher que esta te abrigando que você é uma puta?

- Esta tudo bem aqui? - Robin diz.

- Esta, estamos apenas conversando. - Stan diz, aproveito que ele esta distraído e saio correndo em direção a casa da Anne.

- Louis? Você está bem? - Respiro fundo, confirmo. - O Robin te tratou mal? - Nego.

- não, tinha um cara, ele me falou uma coisas.  - Falo nervoso.

- Calma já passou, ninguém vai fazer nada com você aqui. - Ela me abraça forte. - Shiuuu, calma. Esta tudo bem. - Ela fala, mexendo no meu cabelo é me apertando contra ela. - Pronto esta mais calmo? - Confirmo. - Tem Certeza?

- Tenho. - minhas mãos ainda estão tremendo,  minha cabeça esta doendo e se o que o Stan disse for verdade? E se ele for a única pessoa que gosta de mim?

- Louis? Você está bem?

- Estou, vamos. 

- Tem certeza? - Confirmo.

- Então vamos. - Escuto um celular toca e ela vai até a o quarto e o pega. - Oi meu amor, está tudo bem? E o seu amigo?  - Não consigo ouvir a resposta. - Você tem que ficar calmo ele deve esta bem, eu sei querido, mais se desesperar não vai resolver nada. Cade sua irmã? Certo mande ela me ligar. Você vai ver que ele vai aparecer, não se preocupe eu já achei uma pessoa pra me ajudar a leva as caixas. Esta tudo bem, ele vai me ajudar. Certo, qual quer coisa me avise. E tenha calma ele deve esta bem.

- Tudo bem com seu filho? - Ela confirma.

- um amigo dele, que ninguém sabe onde está. Vamos? - Ela pega uma caixa e eu pego a outra. Saímos da casa dela a vejo tranca. - É aqui perto nos vamos a pé certo? - Confirmo.


Notas Finais


Eu amo os comentários de vocês.. obrigado por dividirem comigo o que estão achando. ❤❤

Me falem gostaram das roupas?

Uma pergunta: Estou pensando no próximo capítulo coloca o ponto de Vista do Harry do que está acontecendo agora com o Louis "sumido" o que vocês acham? Vocês querem?

Até amanhã Loves! 😘😙


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...