História Anorexic Girl - Capítulo 3


Escrita por: ~

Postado
Categorias Amor Doce
Tags Amor Doce, Lysandre, Respectkira
Exibições 31
Palavras 1.525
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Drama (Tragédia), Romance e Novela, Yaoi, Yuri
Avisos: Álcool, Bissexualidade, Heterossexualidade, Homossexualidade, Insinuação de sexo, Sexo, Violência
Aviso legal
Alguns dos personagens encontrados nesta história e/ou universo não me pertencem, mas são de propriedade intelectual de seus respectivos autores. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos criada de fã e para fã sem comprometer a obra original.

Notas do Autor


Oi gente linda.
tudo bom?
comigo não :c

ADIVINHA QUEM NÃO VAI PRO SHOW DO BTS?
EUUUUUUUUUUUUUUUUUUUUUUUUUUUUUU
:C
TO BEM NA MERDA.
Mas enfim.

Capítulo ai pra vocês.

A,uma coisa : *o itálico é flashback/sussurro *

Capítulo 3 - Capítulo 3 - Sleep Well


A menina acordou numa sala branca em cima de uma cama. Deduziu que estaria na enfermaria,ou até mesmo no médico?

— Ah,vejo que acordou! — Uma mulher disse. Ela tinha cara de ser asiática ou um descendente. Seus cabelos negros estavam presos num coque alto,usava uma roupa toda branco com uma cruz no lado esquerdo do peito. Nos olhos usava um lápis de olho e um delineado simples. — Sou Sook,prazer. — Se curvou em respeito. — Bom,vejo aqui que você é Charlote,certo? — A menina concordou com a cabeça. — Você tomou café? Ou lanchou? Você está,parece que não e alimentou. — A menina congelou. Sua pele ficou pálida,fazendo a enfermeira se assustar. — Não comeu,certo? — A menina assentiu. Ela não havia tomado café,mas havia lanchado,mas não queria contar o quê havia acontecido.

— M-mas,eu lanchei. Eu não sei o quê aconteceu,eu fui ao banheiro e só desmaiei. — A menina mentiu. Não queria que descobrissem a verdade,não queria o inferno de volta em sua vida.

— Hm... Mas enfim,você tem que ficar de repouso,sem fazer movimentos brutos,se hidrate e coma bastante ok? — A enfermeira falou e a menina assentiu.

— Mas quem me trouxe aqui? — Ela perguntou curiosa. Ela era única no banheiro,como alguém sabia que ela estava lá?

— Ah,foi um rapaz muito gentil. Na verdade ele está te esperando lá fora,quer que eu chame ele? — A enfermeira perguntou,e a mais nova assentiu. Estava curiosa,quem seria o cara que lhe ajudou? Armin,talvez.

A enfermeira saiu da sala deixando a mesma sozinha. Então ela começou a pensar em seus atos,estaria ela certa? Fazendo aquilo de novo. Ela iria estragar sua vida,torna-lá um inferno de novo por causa de status? 

Saiu de seus devaneios quando viu a enfermeira entrando com o tal rapaz. Seu corpo se enrijeceu quando viu o rapaz a sua frente. Cabelos platinados com as pontas verdes,olhos bi colores,roupas vitorianas. Não é possível,seria ele? Balançou a cabeça em sinal de negação,não era ele,era apenas uma alucinação,uma alucinação. 

— Aqui,é ele. — A enfermeira disse e Lysandre deu um aceno. — Bom,vou deixar vocês a sós. —  Ela disse e saiu da sala. Lysandre ficou ali parado. Charlote bateu na cama para que ele sentasse. 

Se aproximou da cama e sentou,olhando para a menina. Ele começou a observar a menina. Ela estava com uma faixa na testa?

— Você está bem? O quê aconteceu com sua testa? — Ele perguntou e passou a mão na testa da menina. A mesma ruborizou.  — D-desculpa. — Ele disse se afastando.

— Tudo bem. Estou bem sim,obrigada. Na realidade eu não sei o que houve comigo ou com minha testa, só acordei aqui. O-obrigada por me ajuda. Como soube que eu estava no banheiro? — Perguntou com medo da resposta.

'' Lysandre caminhava tranquilamente de volta até sua sala quando ouviu um estrondo vindo do banheiro feminino.

Adentrou no mesmo e viu Charlote desmaiada. 

— Charlote,Charlote? — O menino chamou e a mesma não respondeu. Se aproximou da mesma e viu que ela estava pálida,suas mãos estavam geladas. Pegou a menina no colo estilo noiva e foi até a enfermaria.

Chegou na enfermaria e viu Sook,logo contando o que havia acontecido com a mesma.

Deixou ela na maca e foi até o lado de fora,se sentando no banco até a mesma acordar. ''

— Ah,sim! Obrigada,Lysandre. — A menina fez uma cara fofa e abraçou o mesmo. Lysandre não entendeu o tal ato,apenas correspondeu.

— Hm,eu sei que pode ser um pouco precipitado mas,o pessoal vai sair no final,você gostaria que eu te buscasse? É que,nós não nos falamos muito,e bem eu... Aish,eu sou um idiota. — Ele diz e coloca a mão na testa. Charlote ri chamando atenção de Lysandre.

— T-tudo bem,Lysandre. Mas,não ia ser hoje a noite?

— Não,eles mudaram,falaram que seria melhor na sexta. (N/A: Fui eu autora que quis mudar mesmo c:) — Lysandre disse e Charlote concordou com a cabeça.

— Bem,eu até queria,mas o Armin já tinha me chamado. — Charlote disse e Lysandre concordou com uma cara triste. — Falando nele. — Charlote apontou para a porta,vendo Armin adentra na sala.

Correu até a menina e deu um abraço apertado na mesma,fazendo Lysandre se sentir desconfortável. 

— Lote. O quê aconteceu? Você está bem? — O rapaz se desvencilhou de Charlote.

— Calma,Armin!  Eu estou bem,só foi uma tontura. — Charlote disse e o rapaz suspirou. — O Lysandre me trouxe aqui. — Charlote disse e apontou para Lysandre,o mesmo deu um aceno.

— Ah,Lysandre. — Armin disse com um pouco de nojo.

— Bem,eu vou indo. Tchau,Charlote. — Lysandre disse se levantando e indo em direção a porta.

— Tchau,Lys. Nos falamos depois. — A menina disse acenando. Lysandre saiu de lá e logo Armin virou para Charlote.

— Lys? Que intimidade é essa? — Armin disse e fez um bico.

— Ciúmes? Ele só me ajudou. 

— Sei,mas toma cuidado, não quero te ver sofrendo. — Armin disse e Charlote apenas concordou.

[...]

6 dias depois,sexta-feira.

Sexta-feira havia chegado. 

Agora são 7:30 da noite e Charlote estava se arrumando.

Colocou uma calça de cintura alta jeans preta,uma blusa branca de alça,um salto alto preto simples.

Prendeu seu cabelo

num coque alto,fez uma maquiagem simples e estava pronta. Pegou sua bolsa e colocou suas coisas,agora era só esperar Armin.

Alguns minutos depois Armin bateu na porta e a mesma atendeu. Olho para o menino um pouco e soltou um assovio. 

— Nossa. Quem diria,Armin. Tá de parabéns. — A menina bateu palmas fazendo o outro rir. Ele estava com uma calça jeans preta,uma camisa branca e um blazer preto. Usava um tênis preto e seus cabelos estavam semi-desarrumados. 

— Você também está linda,vamos? — Armin estendeu o braço para Charlote. Prendeu seu braço no do garoto e trancou a casa,indo em direção ao elevador.

[...]

Chegaram no restaurante e logo foram entrando. O restaurante era simples,nada muito luxuoso. 

Chegaram na porta e logo viram Vitória acenando para eles. A menina soltou uma risada fraca,realmente,Vitória era a mais animada. Foram até a mesa e se sentaram logo começando a conversar.

— Estão todos aqui? — Vitória perguntou.

— Não,falta a Gabriela. — Kentin se pronunciou. Todos concordaram. Minutos depois Gabriela entrou pela porta. Ela usava uma calça jeans preta e uma camiseta cinza,acompanhada de seu cabelo preso junto com uma mochila. Alguns cochicharam palavras horríveis,tais como '' sério que ela sempre se veste assim?'' '' nossa,que falta de classe ''

Gabriela apenas passou por eles,sem dar muita importância. Todos ficaram com uma cara de '' ??? '' . Esperaram alguns minutos e logo ela saiu do banheiro,com um uniforme de garçonete.

Um silêncio se instalou. Todos intenderam o recado e começaram a pedir.

Todos começaram a pedir coisas como batatas,hambúrgueres e coisas do tipo.

— Bom,vamos pe... — Vitória falou mas foi interrompida por Charlote.

— Espera. Eu vou querer algo saudável. — Charlote disse e todos fizeram uma careta. — Gente,eu sou estudante de Nutrição,tenho que ser saudável.

— Ah,Charlote. É final de semana,relaxa. — Falaram e a menina suspirou. É final de semana,ela ia perder isso de qualquer jeito mesmo.

— Tudo bem,tudo bem! — A menina concordou.

Logo eles chamaram uma garçonete e Gabriela apareceu.

— Hm... Boa noite,já vão fazer o pedido? — A menina perguntou. Podia se notar que todos estavam desconfortáveis com a situação,tanto a menina,quanto o grupo.

— S-sim! — Falaram e logo ela começou a anotar.

— Seu pedido está sendo feito. Obrigada pela preferência. —  A menina disse e seu curvou,voltando ao seu lugar. Ficaram em silêncio e depois começaram a falar.

Minutos depois o pedido chegou e os mesmo começaram a comer. 

[...]

Acabaram de comer e pagaram a conta,indo para fora do restaurante.

— E agora? Ir pra casa de quem? —  Alina perguntou e todos apontaram para Castiel.

— Nem dá,meus pais 

— Alguém mora sozinho? — Todos negaram. Alguns moravam em república,outras em casa compartilhada,mas Charlote morava sozinha. Ficou com receio de dizer,mas disse.

— E-eu moro. Mas eu moro num apartamento pequeno,não é muito coisa.

— Ok,vamos para a casa da Charlote. — Falaram e logo se separaram. Charlote deu o endereço de sua casa e logo eles foram.

[...]

Logo já estavam na casa de Charlote,se divertindo,bebendo.

— Gente,vamos jogar o jogo da garrafa? — Vitória disse e todos concordaram.

O jogo havia começado. Beijos pra lá,beijos pra cá. A garrafa foi girada parando em Charlote e Lysandre. Gritos foram ouvidos e Charlote ficou corada. Não falava muito com o menino,mas não queria amarelar. Os dois se aproximaram e logo começaram o beijo. Um beijo lento,que depois de um tempo,foi ficando selvagem,com passadas de mão pelo corpo de ambos. 

Logos se separaram por conta da falta de ar. Voltaram aos seus lugares com as caras vermelhas de vergonha. Todos os olharam e fizeram uma cara e voltaram a jogar.

Algum tempo depois todos foram dormir,provavelmente umas 2 da manhã.

Charlote pegou os colchonetes que tinha e logo foram separar os grupos.

Com os grupos separados,todos foram dormir. Tinha um porém. Lysandre não tinha onde dormir,então foi dormir junto com Charlote.

Deitaram na cama de costa um para o outro e logo foram tentar dormir.

Uma chuva forte começou,fazendo Charlote pular da cama,virando para o outro lado,dando de cara para Lysandre.

— Não consegue dormir? — Perguntou e a menina assentiu. — Tem medo de raios? — A menina assentiu de novo. Lysandre lhe abraçou,fazendo a menina ficar surpresa. Fechou os olhos e se aconchegou no platinado,enquanto o mesmo fazia cafuné em sua cabeça e cantava uma canção de ninar. Logo a menina adormeceu. — Durma bem! — Lysandre disse e logo adormeceu com a menina.

 


Notas Finais


ESSE CAPÍTULO FOI UMA BELA BOSTA
ALGUÉM ME MATA PVFR
EU NÃO QUERO REESCREVER,VAI ASSIM MESMO.
dscp ._.
o próximo vai ser bom
amo vcs <3


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...