História Another World - Capítulo 4


Escrita por: ~

Postado
Categorias Originais
Personagens Personagens Originais
Visualizações 14
Palavras 1.502
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 16 ANOS
Gêneros: Colegial, Comédia, Drama (Tragédia), Famí­lia, Fantasia, Festa, Romance e Novela, Shoujo (Romântico), Violência
Avisos: Álcool, Bissexualidade, Heterossexualidade, Homossexualidade, Insinuação de sexo, Linguagem Imprópria, Violência
Aviso legal
Todos os personagens desta história são de minha propriedade intelectual.

Notas do Autor


Espero que gostem <3

Capítulo 4 - Compras


Fanfic / Fanfiction Another World - Capítulo 4 - Compras

Casa do Vida

Sábado – Dia da Festa

17:30

Narradora, Autora

Essa? – Vida

Não – Esperança negou

E essa? – Vida

Não – Esperança suspirou

Minhas roupas estão acabando, Esperança, e até agora não achamos nada – Vida

Não achamos nada, pois você não tem nada que preste pra vestir – Esperança se jogou na cama

Mas são o que eu tenho – Vida

Precisamos comprar roupas novas pra você – Esperança

A gente não tem tempo de comprar roupas agora, Esperança, a festa vai começar as 19hrs – Vida olhava a hora em seu telefone

Não são nem 18hrs ainda, pode pedir pro seu pai levar a gente só pra comprar alguma coisa pra você usar hoje, essas suas roupas são horríveis – Esperança

Olha quem fala – Vida retrucou

Eu me visto melhor do que você, cara, ninguém mais uma calças tão largas quanto as que você usa – Esperança

Desde quando você virou critico de moda? – Reclamou

Desde que eu percebi que você não sabe se vestir – Esperança

E tem outra, se quer impressionar a Morte, tem que saber se vestir, porque ela sabe – Esperança

Alguém bateu na porta e Vida gritou para que entrasse, logo, o pai dele adentrou o quarto com um prato de biscoitos em mãos.

Rapazes, o que estão fazendo? Que bagunça é essa, Vida? Sua mãe vai matar você – Felicidade

Estamos tentando escolher alguma roupa para o Vida ir na festa, mas ele não tem nada que preste – Esperança negou

Ele só sabe falar mal das minhas roupas, pai – Vida cruzou os braços e fechou a cara

Filho, temos que admitir, você não se veste bem – Felicidade assentiu

Qual é, pai? Até você? – Vida o olhou indignado

Faz tempo que já disse para sua mãe que você precisa dar uma melhora no seu guarda-roupa – Felicidade se sentou na cama

Deus do céu, e o que vocês querem que eu faça já que minhas roupas não agradam o paladar afiado de vocês? – Vida inflou as bochechas

O senhor pode nos levar ao shopping? Precisamos de uma roupa nova para ele se ele quiser impressionar a garota que ele gosta – Esperança

Vida gosta de alguma garota?! – Felicidade pareceu surpreso

Esperança! – Vida o repreendeu

Que foi? – Esperança enchia a boca de biscoitos

Por que não me contou, filho? Quem é a garota? É da sua escola? – Felicidade

Meu deus... – Vida bateu com a mão na testa

É a Morte, ela estuda no mesmo colégio que a gente, só que ela é do terceiro ano, foi ela quem acertou a bola na cara do Vida e foi ela quem fez a gente conseguir ir nessa festa – Esperança contou tudo

Vida ficou atônito, seu pai olhava surpreso para Esperança, sem dizer uma palavra.

Uma hora ou outra ele ia saber, Vida, você é um péssimo mentiroso – Esperança deu de ombros

Você é o pior amigo do mundo – Vida passou as mãos no rosto

Sou o Seu melhor pior amigo do mundo – Esperança

Eu... Estou bem surpreso... Morte, eu conheço ela, na verdade, conheci o pai dela – Felicidade

Da onde o senhor conhece o pai dela? – Vida se surpreendeu

Trabalhamos juntos durante um bom tempo, conversávamos bastante, éramos bons amigos – Felicidade explicou

Mas ele já faleceu a alguns anos – Felicidade parecia triste

O que aconteceu com ele? – Vida

Acidente, estava chovendo bastante naquela noite, ele estava de carro junto com a filha, ela tinha apenas 10 anos, ao que me lembro, seu carro deslizou pela ponte da cidade e acabou caindo, ele conseguiu salvá-la, mas acabou não conseguindo sair do carro e ele afundou junto – Felicidade

Eu não sabia disso – Vida levou as mãos á boca

Talvez esse seja um dos motivos por ela ser um tanto quanto, rebelde, cresceu sem o pai, apenas com a mãe, e devemos dizer que, Ódio não é a melhor mãe do mundo quando acaba de perder o marido – Felicidade suspirou

Ódio é a mãe dela e o pai era...? – Vida

Afetividade, é, ele e Ódio não tem muito haver, mas quando se ama, essas coisas não importam – Felicidade

Que história – Esperança

Eu não fazia idéia de nada disso – Vida

Ódio não gosta que se metam nos traumas passados da família, por tanto, prefere manter essas coisas apenas entre ela e a filha, afinal, não acho que Morte gostaria de mexer na ferida novamente – Felicidade

Perder um pai é duro, talvez por isso ela seja tão casca grossa – Esperança

Enfim, cortando todo esse assunto ruim, finjam que eu nunca disse isso á vocês – Felicidade

Os dois assentiram e ele se levantou da cama, deixando o prato junto com Esperança.

Parece que você precisa de roupas novas, filho, vamos ao shopping? – Sorriu para o garoto

Vida sorriu de canto e assentiu.

.

.

.

Shopping Zephyr

18:00

Os três andavam pelo shopping, á procura de alguma loja ao qual pudessem comprar roupas novas para Vida.

Onde podemos ir? – Vida

Eu conheço uma, onde minhas mães geralmente compram roupas pra mim, podemos ir lá – Esperança

Eu não quero roupas iguais as suas – Vida cruzou o braços e negou

Minhas roupas são melhores do que as suas – Esperança

Não são não – Vida

Rapazes, por favor, estamos perdendo tempo, podemos ir em qualquer loja – Felicidade se colocou entre os dois

Eles assentiram e seguiram pelo shopping. Passaram por várias lojas, até encontrarem uma que agradasse Vida. Os três entraram e começaram a procurar por roupas.

Eu irei aproveitar que viemos e pagar uma conta, fiquem por aqui escolhendo as roupas, eu volto logo – Felicidade

Ele saiu dali e os dois adentraram a loja para procurar uma roupa.

Enquanto Vida olhava os cabides, ouviu uma voz conhecida, ele olhou de canto e viu Egoísmo e Raiva que pareciam olhar alguns cabides também. Vida tratou de se esconder rapidamente quando Egoísmo se virou na direção dele.

Ei, Vida, eu achei- Esperança chegou com algumas camisas

Vida o puxou para baixo e os dois estavam escondidos entre as roupas do cabide.

O que você ta fazendo aqui? – Esperança

Vida fez sinal de silêncio e apontou para fora. Esperança separou algumas roupas, de modo que pudesse enxergar e viu Egoísmo e Raiva.

Aah... – Esperança

Vida o puxou para dentro novamente.

Você acha que ele vai fazer o que, te bater? – Esperança

Eu não sei, mas ele fica me encarando, parece que vai me matar e desovar – Vida passou a mão no rosto

Ele fez sinal de silêncio novamente, quando ouviu que as vozes se aproximaram.

... E como estão as coisas entre você e a Nojo? – Egoísmo

Ela anda neurótica, achando que to traindo ela com a Desejo, isso não tem nada haver – Raiva

Por que ela acha isso? – Egoísmo

Porque achou um sutiã no meu quarto, acontece que o maldito sutiã, era dela – Raiva

E qual foi a da paranóia então? – Egoísmo

Ela nunca usa sutiãs iguais, logo, não lembra quais são os dela, então quando viu aquele no meu quarto, achou que era de outra, e enlouqueceu – Raiva

Nojo é meio louca – Egoísmo riu

Ela é totalmente louca, mas eu amo ela – Raiva

Você, sendo romântico? Meu deus, nem parece o mundo real, Raiva – Egoísmo

Eu não sou o amor em pessoa, mas eu sei tratar bem quem eu gosto, seu pau no cu – Raiva

Tudo bem, não está mais aqui quem falou – Egoísmo

Mas e você e a Morte, em? Já resolveu chamar ela pra sair? – Raiva

Eu até tentei, mas nos últimos dias ela andou ocupada demais, preocupada com o pirralho do Vida, quero quebrar a cara daquele moleque, eu sei que ele sente alguma coisa por ela, ninguém fica com brilho nos olhos daquele jeito quando olha pra alguém, sem sentir nada – Egoísmo

E se ele gostar dela, o que você vai fazer? – Raiva

Se ele tentar se aproximar dela, eu dou um jeito nela, eu to do lado dela a mais de cinco anos e não vai ser esse pivete que ta aqui á um ano, que vai roubar ela de mim – Egoísmo

Se precisar de ajuda, já sabe né – Raiva

Sei sim – Egoísmo

Os dois deram uma risada. Esperança e Vida se olhavam com os olhos arregalados.

O que vamos fazer? Ele vai te matar! – Esperança falava baixo

Eu não sei! – Vida estava apavorado

De repente, as roupas foram separadas, revelando os dois ali. Egoísmo e Raiva os encaravam.

Olha o que encontramos aqui, o tico e o teco – Raiva

Que coincidência, estávamos falando de você agora mesmo, Vida – Egoísmo

Com licença – Felicidade puxou os rapazes pelo outro lado do cabide

Pai! – Vida

Algum problema por aqui, rapazes? – Felicidade olhou para Raiva e Egoísmo

Nenhum, senhor, apenas acabamos encontrando nossos amigos, Vida e Esperança escondidos nos cabides – Egoísmo disse de maneira irônica

O que estavam fazendo escondidos, garotos? – Olhou para os dois

Hum, n-nós... – Vida olhou para Egoísmo que o encarava

Deixamos uma roupa cair, hahaha, foi isso – Esperança deu uma risada forçada

Ah, tudo bem então – Felicidade assentiu e os soltou

Temos que ir agora, nos vemos na festa, Vida – Egoísmo o encarou e os dois saíram dali

Esperança e Vida se entreolharam, engolindo em seco.



Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...