História Another You - Capítulo 1


Escrita por: ~

Postado
Categorias Amor Doce
Personagens Alexy, Ambre, Armin, Castiel, Charlotte, Dakota, Kentin, Li, Nathaniel, Priya
Tags Amor Doce, Drama, Hentai, Revelaçoes, Shoujo, Violencia
Visualizações 16
Palavras 1.773
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Ação, Bishoujo, Colegial, Ficção Científica, Hentai, Lemon, Musical (Songfic), Romance e Novela, Shoujo (Romântico), Suspense, Violência, Yuri
Avisos: Álcool, Bissexualidade, Heterossexualidade, Insinuação de sexo, Linguagem Imprópria, Nudez, Sexo, Transsexualidade, Violência
Aviso legal
Alguns dos personagens encontrados nesta história e/ou universo não me pertencem, mas são de propriedade intelectual de seus respectivos autores. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos criada de fã e para fã sem comprometer a obra original.

Notas da Autora


AHEEEO
FANFIC NUEVA EEEEE
Visitem meu canal, Luezatã <3 Lá tem as atualizações da Fanfic e umas edições topster rs

Capítulo 1 - Apenas Respire Fundo


Fanfic / Fanfiction Another You - Capítulo 1 - Apenas Respire Fundo

Eu virei a noite fazendo um trabalho para a faculdade, afinal eu acabei estudando música na faculdade Columbia em Nova York, me atraio pela área musical desde pequena, e descobri que meu sonho é ser uma grande compositora, trabalhar em gravadoras, enfim, empresária. Eu segui os passos da minha mãe... Faz um ano que não a vejo, sinto tanta falta dela... Apenas calls no Skype, mensagens de texto estão me matando de saudade. Ainda mais que eu não vejo meus amigos faz um tempo, principalmente meu namorado, Armin. Ele conseguiu uma bolsa de estudos em Prima, no Arizona, Katherine foi para Nyada  junto com namorado da mesma Lysandre, conseguir uma carreira de atriz na Brodway, e Lysandre, como possivelmente, um cantor famoso. Nós nos vemos com frequência devido estarmos em Nova York, Nathaniel conseguiu ser médico, foi para Havard com meu primo Logan, Luria mesmo tendo sua filha e com o namorado Nathaniel longe, está começando os estudos para ser veterinária em Valencia, na Flórida. Mas não estou aqui para falar dos meus sentimentos.

Fiquei a noite toda pesquisando sobre fenômenos musicais para as aulas de música em Columbia, era complicado. Parecia que era uma tortura para meu psicológico, me sinto sozinha. Nem meu melhor amigo Will eu ando vendo, mesmo que seja pelo mesmo meio de comunicação que minha mãe. Ele está fazendo faculdade de direção de cinema no Brooklyn. Eu nem conheci minha colega de quarto, e ainda por cima sou obrigada a ouvir ela gemer a noite inteira por a mesma dormir com a faculdade toda.

Na medida que acordo, percebo que minha desconhecida colega de quarto já havia descido para a aula há tempos, e eu ainda sentada na escrivaninha com meu trabalho a minha frente. Eu nem me preocupei muito, apenas escovei meus dentes, peguei meus tênis que estavam espalhados pelo dormitório, coloquei a cartolina no porta-mapas, e desci para a aula, pelo ou menos a minha demoraria uns 20 minutos para começar, embora eu estivesse morrendo de sono, andei pelos corredores disfarçando minha afeição sonolenta.

Suspirei, entrando na sala. Como de costume, eu me sentei na primeira carteira, em frente a mesa do professor. Não que eu seja aquele ‘’clichê’’ nerd depressiva. Eu apenas gosto de estar a frente do professor e ter boas notas, afinal eu preciso de um futuro bom. Eu ouço alguns sussurros vindo do fundo da sala, seja lá o que eles estivessem falando de mim, eu não ligo... Logo eu sinto uma silhueta feminina se aproximando de mim.

-Olá. –Uma garota de pele morena, e olhos azuis me olhou com um sorriso –Spencer, não é? –Pendeu a cabeça do lado

-Érrr... Me chame de Zoey, por favor. –A olhei, apoiando meu queixo na minha mão esquerda.

-Bom... Meu nome é Bonnie, e, eu acompanhava seu canal de covers no YouTube, ficamos bem tristes quando você ia entrar num Hiatus indeterminado e...-Eu a interrompi.

-Espera, o que quer dizer com ‘’ficamos’’, no plural? –Soei, duvidosa, mas impaciente ao mesmo tempo.

-Ué, alguns alunos aqui da sala –Ela apontou com o polegar para os tais alunos no fundo da classe, que cochichavam algo –Eles acompanhavam seu canal, e ficaram surpresos por você ter entrado na faculdade, tipo, uma pessoa famosa na internet.

-Ah, que isso! –Eu sorri, a olhando –Eu sou uma pessoa normal como qualquer outra, preciso render um futuro bom.

-Haha...-Ela riu baixo –Ainda me lembro quando você e seus colegas de classe no ensino médio cantando Loser...Uhm... –Ela tinha dificuldades para se lembrar

-Loser Like Me –Eu sorri, a olhando

-Isso! Essa música salvou tantas vidas aqui nessa escola...

-Hm? –A olhei, duvidosa.

-É, algumas pessoas aqui tinham altos índicies de depressão, inclusive eu... Pensavam em suicídio, sabe? Assim que... Sua escola fez a transmissão ao vivo no evento beneficente para arrecadação de dinheiro pra escolas públicas que foram inundadas depois daquela frente fria e chuva forte em Malibu... Muita gente se comoveu com essa música, e com outra música de sua autoria que você cantou depois do discurso sobre depressão...

-Paralyzed? –Eu sorri novamente, deixando meus cabelos castanhos claros refletirem um pouco que a luz do sol batia na janela, eu fico realmente surpresa em saber que minhas músicas e dos meus amigos salvaram tantas vidas...

-É! Essa mesmo –Bonnie sorriu pra mim, ficamos um tempo em silêncio, até que eu decido quebrar o gelo

-Você ainda está no primeiro ano... Mas você tem idade pra já ter ido pro segundo ou terceiro ano daqui... Você repetiu ou algo do tipo? Sem querer ser meio intrometida, claro.

-Ah.... –Ela olhou para o lado. –É meio complicado, eu tive que sair por um tempo, sabe, meus pais tiveram outra oportunidade de emprego e eu tive que sair por um ano, e me atrasei aqui. –Ela disse meio seca, um tanto triste e despreocupada.

-Ah... Entendi. –Sorri, logo, vejo a professora entrar na sala de aula.

-Nós nos vemos depois! –Ela sorriu com sua boca fechada, se sentando no fundo da sala, eu a olhei por alguns segundos caminhando para o fundo da sala, para a carteira que escolhera se sentar.

A professora começou se apresentando. Um pouco do clichê primeiro dia de aula, seu nome era Miranda Beaoking, mas acho que se pronunciava ‘’Bouquingui’’... Um pouco estranho, mas ignoremos essa parte. A mulher se apresentou como professora de vocais, eu me lembro que foi com ela com quem fiz minha primeira audição para entrar aqui em Columbia. Era uma mulher rígida e exigia para que seus alunos  fossem perfeitos, mas não entendo a necessidade disso... Nem uma graaande artista eu pretendo ser, apenas quero ser uma empresária conhecida que trabalha com artistas conhecidos.

O dia passou lentamente, parecia que a hora não passava, como o mês de maio, só que em hora. Até que finalmente, a hora de voltar aos dormitórios chegou, essa era a hora mais esperada do meu dia, pelo ou menos pra mim. Novamente, a minha desconhecida colega de quarto estava transando com alguém, ainda bem que tem uma lona cobrindo a cena.... Eu suspirei, desanimada. Logo, eu me joguei na cama, pegando meu celular... Me desanimei mais ainda

Nenhuma mensagem do Armin... 

Nos últimos dias, ele só tem me mandado um ‘’Bom dia meu Amor’’, ‘’Dorme Bem, linda’’, fora nossas calls no Skype. Mas, essa semana não trocamos sequer uma palavra... Isso me entristeceu um pouco, até que eu me deparo com ele online em meu Whatsapp, e vejo que ele está digitando algo. Eu sorrio, e me animo logo.

**CONVERSA ON**

 

-Boa noite, amor <3 –Armin me manda a mensagem, eu abro um sorriso

-Noite, bebê <3 –Digitei, entusiasmada, mas logo me lembro que ele ficou uma semana inteira sem me mandar notícias. Logo resolvi digitar, da maneira mais clara possível. –Por quê demorou pra me responder essa semana toda? Poxa, eu fiquei paranoica

-Ah, é que eu tava meio ocupado com um lance aqui na faculdade. Sabe,  gráficos de personagens ;)

-haha, palhaço –Eu ri, esperando ele digitar sua resposta.

-Aliás, como ta aí em columbia?

-ah, é meio difícil, professores rígidos... mas fora isso, é lindo aqui. 

Quando me dei conta, ficamos até altas horas da madrugada conversando, eu não posso reclamar que não estamos conversando muito. Nós finalmente, nos despedimos. Ele me mandou um áudio dizendo ‘’Continua sendo a minha luz distante que é um dos meus motivos de acordar, eu temo gatinha’’. Eu me senti tão feliz quando ouvi isso, que eu retribui o mandando outro áudio dizendo ‘’Ai... Você é o rei da viadagem mesmo, por isso eu te amo demais’’. 

**CONVERSA OFF**

-------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------

Eu me levanto, indo para o local onde ficam os chuveiros da faculdade, eu fui levando meus pertences, como sabonete, shampoo, poxete com minha pasta e escova de dentes,  minha camisola. Eu entro no local, começando a escovar meus dentes, até que ouço uma voz masculina cantando uma música familiar, acho que era ‘’I Can’t Stop this Felling Anymore’’, do músical Greeze. Eu me aproximo do tal chuveiro que a voz do tal homem, que era uma voz muito bonita... Até que eu vejo um homem alto, tinha um tanquinho, cabelo com um topete bagunçado, olhos verdes, pele levemente morena, eu disfarço voltando onde eu escovava meus dentes.

-Olá... –O Homem colocou a toalha em sua cintura, e foi ao meu encontro

-Oi... –Fiquei envergonhada, e o olhei

-Uma caloura, certo –Ele sorriu, me olhando com um olhar sedutor

-A-Aham! Qual o seu nome?

-Eu me chamo Rider... Sou do ultimo ano daqui, acho que você deve ser uma das estudantes de música... Te desejo sorte, eu cursei com a senhora Miranda, e ela era uma mulher implicante, mas valeu a pena.

-Ah...-Assenti –Obrigada... Você...

-Antes que você me pergunte, não, eu não sou gay. –O tal Rider riu

-Ah... Eu não ia perguntar isso –Eu ri, sem jeito. – Eu queria saber, qual é a aula mais difícil daqui?

-Hm... A aula da Cassandra Puckermann. , isso se você fizer aula com ela, ou pelo ou menos aguentar as duas primeiras semanas...

-Ela dá aula do que exatamente?

-Professora de dança, artes dramáticas no geral... Mas valeu a pena, minha estreia no estúdio começa ano que vem e eu devo isso a ela.

-Hm... Entendi –Eu sorri –É... Boa noite, Rider... Eu preciso tomar banho –Eu ainda ri, meio sem graça. –A gente se vê por aí –Ele sorriu, saindo do local, enquanto eu tiro minhas roupas, prendo meu roupão juntamente com minha toalha no porta-toalhas, e entro no mesmo.

Esses dias aqui na faculdade foram um saco! Eu não tenho ninguém comigo aqui, sou uma caloura isolada... Sinto falta da Kath, do Will, de todos! Minha mãe... Faz tanto tempo que não recebo um amor maternal. Pareço uma pessoa carente falando assim, mas, é sério, dói muito sentir falta das pessoas que ama.

Eu tomei meu banho, logo saio do chuveiro, e coloco minhas roupas juntando meus pertences na pochete que eu havia levado, e volto ao meu dormitório. Pelo ou menos a minha colega de quarto está dormindo. Uhul! Uma noite sem gemidos!

Deito-me na minha cama, prestes a fechar meus olhos, mas meu telefone começou a tocar. Que estranho... Quem me ligaria a uma hora dessas da madrugada?

...

Era a Luria. Óbvio, eu atendi, era uma das minhas melhores amigas desde a infância, e ela foi pra Sweet Amoris quando foi transferida junto com a Kath. 

-Luri? –Antendi, falando baixo para não acordar minha colega

-Z-Zoey...-Ela estava com uma voz tremula, preocupada. Mas um pouco triste.

-...? O que foi?

-S-Sweet Amoris...

-O que tem Sweet Amoris?

-Sweet Amoris pegou fogo!

***

Continua.


Notas Finais


AEHEO
Comentem, e favoritem <3 Claúdio fica feliz rs


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...