História Ansatsu Kyoushitsu - A Serpente e O Lobo - Capítulo 12


Escrita por: ~

Postado
Categorias Ansatsu Kyoshitsu (Assassination Classroom)
Tags Broderagem, Hayato, Karmagisa, Ooc, Spoilers
Visualizações 23
Palavras 2.332
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Ação, Aventura, Colegial, Comédia, Escolar, Esporte, Luta, Romance e Novela, Sci-Fi, Shonen-Ai, Sobrenatural, Universo Alternativo, Violência, Yaoi
Avisos: Bissexualidade, Heterossexualidade, Homossexualidade, Insinuação de sexo, Spoilers, Violência
Aviso legal
Alguns dos personagens encontrados nesta história e/ou universo não me pertencem, mas são de propriedade intelectual de seus respectivos autores. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos criada de fã e para fã sem comprometer a obra original.

Notas do Autor


Mais um "Hora do Filler"!

Frans:Desta vez se passa há alguns anos atras, quando eles tinha de sete a oito anos.

Essa historia é mais focada sobre como era o relacionamento do Hayato e Nagisa quando jovens, então não achem estranho se as personalidades deles são diferentes do que vimos hoje em dia.

Frans:Aproveitem o capitulo!

Capítulo 12 - Hora do Filler - "Posso te chamar de Hayato, Kazerufu-Kun?"


Fanfic / Fanfiction Ansatsu Kyoushitsu - A Serpente e O Lobo - Capítulo 12 - Hora do Filler - "Posso te chamar de Hayato, Kazerufu-Kun?"

-Uma o que? –Nagisa perguntou para Hayato, os dois tinham era muito jovens, crianças ainda. Os cabelos do Nagisa estavam soltou e iam até o ombro, enquanto o Hayato era apenas dois centímetros mais alto que o azulado e não usava nenhum casaco.

-Uma festa do pijama. –Hayato repetiu, seu rosto ganhando um leve tom rosa. Ele nunca tinha convidado ninguém para sua casa antes e isso o deixava nervoso. –Sabe, dormir ate tarde, comer besteiras, brincando o tempo todo... Essas coisas básicas.

-U-Uau... Eu nunca estive em uma festa do pijama antes, Kazerufu-Kun. Eu não sei se minha mãe vai deixar... –O azulado respondeu, também corando um pouco. Só fazia três meses que eles começaram a andar juntos e ele já tinha lhe pedido algo assim... Com ele, precisou de quase o dobro do tempo e sua mãe não o permitiu.

-Ela vai, eu sei disso porque serei eu que irei pedir! –O moreno afirmou grosso, mas Nagisa sabia que esse era o jeito dele de pedir para ele não se preocupar.

-Se você diz, então eu aceito. –Ele disse sorrindo, deixando o moreno ainda mais nervoso.

-É-É bom mesmo! –E saiu com passos pesados, fazendo o menor rir um pouco, Hayato com certeza não sabia bem como expressar seus sentimentos.

-----------------------------------------

-Ainda não acredito que você convenceu minha mãe que isso seria uma boa ideia. Você é incrível!–Nagisa comentou enquanto estava sentado em um carro junto com o Hayato. Tadashi, o adulto que sempre dirigia esse mesmo carro para leva o Hayato a escola, estava levando-os para a casa do moreno. Nagisa estava bem animado, essa era tecnicamente a primeira festa do pijama que ele participaria, já que a festa com ele foi proibida pela sua mãe.

-Você subestima os meus talentos de lábia, Shiota-Kun. –Hayato disse com orgulho e deboche, esse era o jeito dele de agradecer pelo elogio.

-E onde fica sua casa? –O azulado perguntou curioso, Hayato colocou a mão no queixo, pensativo.

-A essa altura, nós estamos perto. –Ele respondeu. Nagisa se virou para a janela, para conseguir ver onde exatamente estavam e ficou chocado quando percebeu que acabaram de entrar em um bairro extremamente rico.

-Er... Kazerufu-Kun? –O referido se virou, curiosidade em seu olhar. –Nós acabamos de entrar em um bairro muito, muito caro. Tadashi-San não esta no caminho errado? –Depois dessa pergunta, o carro parou, deixando o menor mais desconfortável.

-Não, na verdade, acabamos de chegar. –Dito isso, Tadashi abriu a porta para os dois garotos saírem.

Nagisa ficou de boca aberta para o que ele via, era como uma mansão de gente rica que aqueles animes que ele assistia mostrava. A casa era gigante e com um jardim ainda maior, grades de cor dourada estavam na sua frente, brilhando de forma impecável. Quando passaram pelo portão, o azulado percebeu algumas fontes e plantas exóticas no jardim, dando ainda mais ar de realeza, vários empregados estavam fazendo fila na porta, se curvando quando os dois garotos passaram.

A parte de dentro era ainda mais nobre que a de fora, piso tão limpo que eles podiam ver seu reflexo, pinturas magníficas nas paredes, uma escada esculpida em uma forma assustadoramente perfeita, tudo isso era demais para o menor dos garotos aguentar.

-K-Ka-Kazerufu... Kun...? –Nagisa começou, tremendo um pouco pela grande opressão que ele sentia agora, era como se ele não fosse digno nem de olhar para esse lugar, que dirá entrar, era uma pressão até maior do que quando entrou na casa dele. –V-Você... É rico?

-Na verdade, meus pais são. Eles tem empresas multibilionárias e viajam por todo o mundo para trabalhar. –Hayato respondeu, não vendo grande coisa nisso. Ele logo se virou confuso para o Nagisa. –Você nunca achou estranho que eu compartilho exatamente o mesmo sobrenome da família que quase controla 45% de toda exportação do pais?

-T-Todos nos achamos que era coincidência... –O azulado confessou, olhando para o seu reflexo no chão. Hayato não agia como um riquinho mimado, pelo ao contrario, ele sempre agia como se detestasse quem tinha poder. Isso sempre deixou todos com um pé atras sobre ele ser herdeiro da grande empresa Kazerufu ou não.

-... É a minha atitude, não é? –Hayato perguntou, mesmo sabendo da resposta. Quando o azulado assentiu timidamente, ele suspirou. –Bem, eu não deveria estar surpreso.

Ele começou a levar o menor para o seu quarto, que tinha uma cama grande e com detalhes caros, mas o resto era bem simples. Tamanho médio da cor verde como os olhos do moreno, com um armário e uma cômoda, prateleiras lotadas de livros e revistas,uma mesa com os livros e atividades da escola junto com uma cadeira, uma caixa de sapatos cheia de bonecos do Sonic Ninja e uma porta para um banheiro, alem de um casaco branco com detalhes vermelhos e um desenho de lobo pendurado em um cabide.

-Bem... Isso parece muito mais o seu estilo do que o resto, Kazerufu-Kun. –Nagisa admitiu, se sentindo muito mais confortável naquele lugar, Hayato soltou um pequeno grunhido em concordância.

-Meus pais disseram que se nós nos mudamos , aqui vai se tornar nossa casa de férias por conta do grande espaço. –Ele disse, se jogando na cama em seguida. –Espero que a próxima casa seja mais simples, não que eu tenha algo contra aqui, mas eu prefiro coisas mais... Comuns.

-Como você. –Nagisa se sentou na cadeira, olhando para o seu amigo. –Mas por que você odeia tanto as pessoas com poder? Tecnicamente, você é como elas...

-Shiota-Kun, você precisa entender que existem cinco tipos de seres, dois tipos de seres humanos e dois tipos de animais- Hayato começou a explicar, seus olhos esmeraldas voltadas para as safiras do menor. - Os tipos de seres humanos são aqueles prestigiados e aqueles que são ignorados. Já os animais são aqueles que, mesmo ignorados ou prestigiados, fazem tudo que os seus opressores querem sem hesitar e aqueles que, mesmo se são ignorados ou prestigiados, continuam a lutar ate o ultimo suspiro contra seus opressores.

-E o ultimo ser? –Nagisa perguntou curioso. Hayato deu um sorriso assustador, fazendo o menor se mexer desconfortável na cadeira.

-O quinto ser é um tipo de ser tão baixo e repugnante que ser chamado de humano ou animal seria um insulto para as duas espécies. –Ele respondeu, se virando para o teto em seguida. –É contra esses seres que eu luto, são esses seres que eu odeio e irei lutar contra, como um bom exemplo do segundo tipo de animal que eu sou.

-Entendo... –Nagisa realmente entendia, esse tipo de pensamento se assemelhava ao dele,então ele não achava estranho. O azulado olhou para suas próprias mãos antes de olhar para o moreno novamente. –E eu? Seria qual tipo de ser humano ou animal?

Hayato olhou para o Nagisa por alguns segundos, pensando exatamente no que dizer. Ele ainda se lembra de como todo o seu corpo ficou paralizado de medo quando sentiu um poder assustador vindo daquela criança que mal conseguia levantar uma cadeira direito, aquilo não era algo humano, mas também não parecia algo animalesco.

Antes que ele conseguisse abri a boca para responder, dois adultos entraram no quarto. O primeiro era um homem forte de cabelos loiros com olhos marrons e uma barba no rosto, a segunda era uma mulher com cabelos e olhos castanhos e era um pouco baixa. Hayato rapidamente se levantou com um sorriso.

-Mãe? Pai? O que fazem aqui? Achei que iriam fazer uma reunião super importante ou algo assim. –Ele disse, fazendo os olhos do azulado se arregalarem, ele estava na frente dos donos das maiores empresas do Japão.

-Nós vamos, mas primeiro queríamos conhecer esse seu amigo que você convidou para cá. –O pai do Hayato disse, rindo em seguida.

-Você nunca convidou ninguém antes, ele deve ser alguem bem importante, em? –A mãe do Hayato perguntou com um pequeno sorriso, fazendo o moreno corar um pouco e se aproximar do Nagisa.

-Bem... Pai, Mãe, conheçam meu amigo, Shiota Nagisa. Shiota Nagisa, esses são meus pais, Kazerufu Tsuyo e Kazerufu Sakura. –Hayato os apresentou, Nagisa rapidamente se curvou.

-É um prazer conhecê-los, Senhor e Senhora Kazerufu. –Nagisa disse respeitosamente, Sakura riu com prazer.

-Ora, ora, parece que seu amigo é muito respeitoso e gentil, eu adorei! –Ela disse, segurando as mãos do azulado. –Pode nos chamar simplesmente de Sakura e Tsuyo, Nagisa-Chan!

-O-Ok... Sakura-San... –Tsuyo suspirou, sua mulher sempre deve um fraco por crianças fofas.

-----------------------------------------

Nagisa não sabia se ficava intimidado pela refeição que estava em sua frente, aliviado por perceber que a cozinha não era tão grandiosa quanto a entrada ou desconfortável com os olhares de expectativa que todos davam sobre ele para provar a comida. Com as mãos tremendo, ele usou seu hashi para pegar um sushi próximo, comendo logo em seguida.

-E ai? Como está? –Hayato perguntou, um pouco ansioso pela resposta. Os olhos do Nagisa brilharam quando sentiu o gosto magnífico da comida em sua língua, fixa ali mesmo depois de engolir.

-I-Isso é delicioso! O sushi mais saboroso que eu já provei na vida! –Com a resposta do azulado, toda a família Kazerufu sentiu-se aliviada.

-Viu só filho? Eu disse que sua comida é espetacular! –Sakura disse feliz, Nagisa se virou surpreso para o moreno corado.

-Você que fez isso, Kazerufu-Kun?

-N-Não todo... Eu apenas ajudei com alguns ingredientes e temperei alguns alimentos. –Hayato respondeu envergonhado, estendendo um copo com chá para o menor. –Mas isso eu fiz sozinho... Eu chamo de Chá Gelado do Lobo Selvagem.

Ele entregou para o menor, que olhava para o liquido com interesse. Ele foi proibido de tomar chá em sua casa depois que sua mãe se separou do seu pai, mas ele nunca realmente gostou de chás, apenas tomava suco e as vezes leite de morango que ele compartilhava. Percebendo o olhar envergonhado, mas esperançoso do moreno, ele deu uma chance e deu pequeno gole.

Um silencio se instalou no local, Hayato estava muito ansioso pela resposta do menor, gostando ou não, ele é o seu primeiro real amigo e sua opinião era muito importante para ele. Nagisa ficou quieto por alguns segundos.

E então, ele começou a chorar.

-E-Essa é... –Um pequeno soluço. -... A-A melhor bebida que tomei! –Outro soluço. –E-Eu estou tão feliz... P-Por ter vivido até hoje para prova-la! –E ele continuou a chorar sem parar, as vezes bebendo o chá e chorando ainda mais.

Sinceramente, Hayato não sabia como reagir a isso. Claro, ele estava querendo uma resposta, mas nunca imaginou esse tipo de resposta. Lentamente, seu rosto começou a ganhar uma coloração vermelha, o deixando muito parecido com um tomate maduro.

-E-Então você gostou... Q-Que bom... –Ele sussurrou envergonhado. Seus pais sorriram para ele enquanto Nagisa tentava o seu melhor para parar de chorar.

-D-Desculpe... Mas isso é tão bom... –Nagisa disse, tentando limpar as lagrimas. Hayato ergueu um pano e enxugou por si mesmo.

-P-Pronto, pare de chorar, bebêzão. –O moreno murmurou, desviando o olhar. Nagisa olhou para ele por um tempo antes de dar um sorriso, Hayato realmente lembra um pouco dele.

-----------------------------------------

-Você tem uma sala de jogos só para você?! –Nagisa novamente se sentia intimidado, mas a felicidade de poder jogar vários jogos superou a intimidação. Hayato sorriu debochado.

-O que você esperava vindo da minha família? –Os dois começaram a brinca com tudo quando era brinquedo, desde Twister até jogos recém-lançados da Nintendo e Sony. Tudo aquilo era bom demais para o pequeno Nagisa, que começou a sentir-se novamente indigno de ficar naquele lugar.

Hayato começou a mexer em algumas coisas na TV, possivelmente conectando o seu Playstation na mesma, enquanto o Nagisa olhava pela janela do quarto. Esse lugar era tão grande e majestoso e o Hayato era tão incrível quanto... Da mesma forma que ele.

-Pronto, agora que tal jogamos... –Hayato parou sua pergunta depois de olhar para o menor. -... Shiota-Kun, por que esta chorando?

-N-Nada... –Nagisa sussurrou, tentando inutilmente secar as lagrimas que caiam em seus olhos. Hayato começou a ficar um pouco desconfortável com aquilo e abraçou o menor de forma desajeitada.

-... Ei, eu não posso te ajudar se você não me contar. –Hayato murmurou, olhando para os olhos do menor. –Pode me contar, eu sou o seu amigo e protetor.

-... E-Eu tenho medo... –Ele sussurrou, segurando firme a blusa do moreno. Hayato inclinou a cabeça, curioso com a confissão do menor. -... Eu já tive um amigo... Que era tão incrível quanto você... Mas acho que não fui o suficiente... Ele deve ter se cansado de mim e...

-... E então ele te deixou, não é? –Nagisa simplesmente afundou ainda mais o seu rosto no peito do maior. Hayato continuou abraçando o menor, deixando o mesmo chorar em seu ombro. –Shiota-Kun, eu quero que você saiba que eu nunca irei te abandonar. Você é meu melhor amigo e está sobre minha proteção... –O azulado olhou para o moreno, o mesmo tinha um sorriso no rosto. -... Eu nunca vou te deixar, eu prometo.

Nagisa sentiu novamente as lagrimas começarem a escorrer em seus olhos, desta vez de alegria. Hayato enxugou as lagrimas novamente com um pano e acariciou os cabelos agora amarrados em um rabo de cavalo do menor, o fazendo rir.

-Nós realmente somos amigos, não é? –Nagisa perguntou, Hayato rapidamente assentiu. As bochechas do Nagisa começaram a ganhar uma coloração rosa. –E-Então... Eu posso te chamar de Hayato, Kazerufu-Kun?

Hayato também corou com a pergunta, desviando o olhar rapidamente. Isso estava indo mais rápido que ele esperava, mas eles já são amigos e amigos chamam uns aos outros pelo primeiro nome, então...

-C-Com uma condição! –Ele disse, se virando de novo para o azulado. –Eu também devo te chamar pelo seu primeiro nome. –O sorriso do Nagisa cresceu um pouco, juntamente com o rubor.

-Claro! –O azulado disse feliz, o que fez um pequeno sorriso involuntário e tímido surgir no rosto do moreno. Hayato apontou para o Playstation ligado

-Vamos jogar um pouco, Nagisa-Kun?

-Eu adoraria, Hayato-Kun!


Notas Finais


Aqueles mais atentos ja sabem quem é "Ele" que o pequeno Nagisa compara tanto com o Hayato

Frans: Lembrando que essa historia é um tanto quanto diferente do anime e mangá, então existiram coisa bem divergentes entre eles, como agora.

É isso, esperamos que tenham gostado! Até o proximo capitulo!


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...