História Ansiedade - Capítulo 1


Escrita por: ~

Postado
Categorias Originais
Tags Vida Real
Visualizações 3
Palavras 926
Terminada Sim
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 16 ANOS
Gêneros: Colegial
Avisos: Álcool, Sexo
Aviso legal
Todos os personagens desta história são de minha propriedade intelectual.

Capítulo 1 - Como decobri minha ansiedade


Com apenas doze anos de idade ja sofria com transtorno de ansiedade, porém isso nunca haia passado em minha cabeça. 

Sempre fui uma pessoa deprimida por natureza, gosto de músicas mais melancolias e filmes/series/animes de romance, o que faz de mim uma manteiga derretida. Desde meus doze anos venho me perguntando o por que de ser assim.

Minhas crises de ansiedade vinham enrustidas em forma de bulimia (eu simplesmente parava de comer), perdi o sono e a vontade de sair de casa. Por muito tempo pensei que fosse depressão, por mais que sejam doenças diferentes podem andar juntas. 

Meus pais nunca suspeitaram de nada, muito menos eu, achava que era só uma fase, como todos diziam. Em minha sétima série (treze anos) eu continuei sem comer, porém por não sentir falta da comida, isso acontecia em alguns dias da semana que esquecia de comer.

Então aconteceu a coisa que mais tinha medo, em minha oitava série (quatorze anos) eu comecei a me enxergar com outros olhos, não conseguia mais me achar bonita. Com esses problemas de autoestima, vieram os problemas na escola, ia para a enfermaria todos os dias com pressão baixa, sempre mentia para a enfermeira falando que ja havia comido, porém ela sempre me dava biscoitos. Nunca fui a aluna nota 10 ou nota 0, mas com todas essas coisas na cabeça me tornei a aluna nota 0. Sabia que tinha algo de errado e que precisava de ajuda, mas tinha tanto medo de receber um “não” ,que não conseguia pedir ajuda. (Pode parecer mentira, mas a pessoa com ansiedade sofre tanto para pedir ajuda/favor a alguém que fica em silêncio, isso acontece por que temos medo de receber um não como resposta. E por esse motivo, também achamos difícil falar não a alguém).

Sem saber o que estava acontecendo deixei para lá, o tempo passou, essas crises iam e vinham durante os meses, cada vez mais fortes. 

O tempo passou e conhecia pessoa mais maravilhosa da minha vida, meu namorado, que me ajudou muito em minhas crises, mas que também foi a causa de muitas delas.

Vou me resumir em como sou em meu relacionamento, sou uma pessoa totalmente insegura,por conta de meu corpo, sou carente em alguns períodos do mês, sempre gostei de conversar ao invés de brigar, tanto que sempre pergunto quem vai/que horas ele volta e etc. Sou um pouco ciumenta com algumas “amiguinhas” também. (Como uma bomba não?)

Certo dia ele resolve que ia voltar para a igreja, disse que achava ótimo ele tomar essa decisão. Ele voltou a frequentar com os pais dele. Tudo ia bem, até o dia em que ele disse que teria um encontro de jovens. Minha prima ja havia me falado de algo assim, digamos que so tenha lembrado das coisas ruins que ela tinha me dito.  Perguntei para ele se alguém que ele conhecia iria para que nao ficasse sozinho, ele disse que sim (dois amigos nossos) estava tranquila.

Mas algo me disse que devia perguntar mais uma vez quem iria, ele falou  os dois amigos e o nome de uma ex-ficante, e como havia dito antes, sou extremamente insegura. Só essa notícia já me fez faltar um pouco de ar. Fiquei emburrada por ele ter me falado dessa pessoa em cima da hora. Isso me deixou mais insegura ainda. E quando ele foi sair simplesmente desligou na minha cara quando estavamos nos despedindo, na hora nao sabia que ele estava muito atrasado (MESMO ASSIM NAO JUSTIFICA TAL COMPORTAMENTO). Nesse exato momento não por que eu queria, senti uma lágrima escorrer, e milhares vieram depois, desesperada com o que aconteceu dui andar pela casa, senti um aperto no peito e uma falta de ar assustadora, estava respirando de modo ofegante, mas parecia que não entrava ar em meus pulmões. O aperto foi ficando cada vez mais forte, e comecei a ficar mais desesperada ainda. Tudo começou a ficar preto, eu estava quase desmaiando por falta de oxigênio. Foi quando cai no chão e controlei minha respiração, logo após isso conversei com um amigo, o que que ajudou muito.(Em todo momento da crise estava sozinha em casa). 

Com medo do que aconteceu comecei a procurar ajuda psicológica. Passei quatro anos de minha vida com crises que nunca entendi o motivo de acontecerem. Crises que hoje vejo que poderiam ter acabado com um desmaio em qualquer lugar por qualquer motivo, ou motivo nenhum. Uma das coisas que escutei quandi meus pais descobriram que tinha ansiedade foi, “o que ta te deixando tão ansiosa?”, vocês podem não saber, mas essa frase para uma pessoa ansiona é muito frustrante, porque podemos nao ter motivos para estarmos ansiosos. 

A ansiedade é um problema que esta afetando muitos jovens de hoje, tudo pode começar com uma prova, como o ENEM, com cobranças dos pais, professores, e a sua autocobrança. Não é motivo de vergonha ir a um psicólogo. Se você na tem dinheiro para um, procure o posto de saúde mais próximo de sua casa e veja se tem um psicólogo, você não vai se arrepender.

1.Obs: Se você conhece alguém que sofre de ansiedade, ou até mesmo você. Em momentos de crise nunca esconda de sua família ou amigos, conte a alguém próximo. 

2.Obs: Em caso de crises se a pessoa ainda não for diagnosticada e não tomar remédio o mais aconcelhavel é que você acalme ela, mostre para a pessoa como se deve respirar (puxando o máximo de ar e soltando até o final). Caso não passe chame o 192 e explique a situação de forma direta.


Notas Finais


Bom, essa é uma história que aconteceu comigo, mas que pode acontecer com qualquer um, por qualquer motivo. Se você conhece alguém que sofre com crises de ansiedade não chame de frescura.


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...