História Antes de Cair (em revisão*) - Capítulo 4


Escrita por: ~

Postado
Categorias Supernatural
Personagens Balthazar, Bobby Singer, Castiel, Charlene "Charlie" Bradbury, Chuck Shurley, Claire Novak, Crowley, Dean Winchester, Gabriel, Hannah, Jody Mills, Personagens Originais, Sam Winchester
Tags Amizade, Amor, Anjos, Bobby, Boylovers, Casdean, Cass, Céu, Charlie, Chuck, Comedia, Crowley, Dean, Destiel, Romance, Sam, Sammy, Winchester, Yaoi
Visualizações 55
Palavras 1.629
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Aventura, Comédia, Drama (Tragédia), Famí­lia, Fluffy, Lemon, Romance e Novela, Slash, Sobrenatural, Yaoi
Avisos: Álcool, Bissexualidade, Heterossexualidade, Homossexualidade, Insinuação de sexo
Aviso legal
Alguns dos personagens encontrados nesta história e/ou universo não me pertencem, mas são de propriedade intelectual de seus respectivos autores. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos criada de fã e para fã sem comprometer a obra original.

Notas da Autora


Eaeeeeeeee seus putooooooooooooooooo
Como vocês estão???
FAZ UM BILHÃO DE ANOS QUE EU NÃO APAREÇO AQUI!
mass eu voltei!
Só quero explicar o sumiço:
1 : estive doente e não tinha ânimo algum pra escrever.
2 : me mudei! E se vcs já se mudaram já imaginam a bagunça que dura meses e meses AAAAAAA dá raiva só de lembrar que ainda tenho coisas pra organizar!
ENFIM, fiz um esforço e preparei um capzinho bem sem vergonha (não no sentido safado, seus SAFADOS (͡° ͜ʖ ͡°)), mas algo pra vcs saberem que eu ainda to aqui, QUE EU N MORRI EU TO VIVA OI TD BEM?
Bom, é isso!
E olha só, não esquece de dar uma olhada nas notas finais porq tem uma pergunta de temor importantíssimo bele seus puto

Capítulo 4 - E quando rola aquele clima com o irmão do crush do seu irmão


Já era noite quando os quatro chegaram, exaustos, ao Bunker.


Havia sido uma longa viagem, Dean logo avisou que iria tomar um banho e cair na cama.


Cass ficou comigo enquanto Sam me mostrava todo o imenso lugar, mas sua face mostrava cansaço, ele havia usado muito de seu poder nessa caçada, então pedi que fosse descansar também, sobrando apenas Sam e eu.


Ele parecia nervoso com aquilo, ficar perto de mim.


- Por que tão nervoso, Sam?


Ele engoliu seco.


- Não estou nervoso...


Sorri e me aproximei dele, tocando seu peito, sentindo seus batimentos descompassados.


- Não? Tem certeza?


Ele não disse nada, então fiquei na ponta dos pés para poder deixar meu rosto da mesma altura que a dele.


Seus olhos estavam em meus lábios.


Sorri amplamente.


- Quarto?


Ele arregalou os olhos.


- Como assim? Tão rápido? E-eu, nós... quer dizer, não houve nenhum beijo ainda e...


Eu estava a ponto de gargalhar de seu nervosismo infundado, mas resolvi me explicar.


- Quarto, Sam. Meu quarto. Você me chamou pra viver aqui, vou precisar de um quarto, certo?


Então o rosto do grandão ficou em brasa de tanta vergonha.


- Oh meu Deus! - cobriu o rosto com as duas mãos.


- Sam...


- Me desculpe! É que eu achei...você estava tão perto e... quando você disse quarto eu só...


- Sam! - fui eu quem pegou seu rosto entre as mãos agora. - Está tudo bem!


Aproximei meu rosto do dele novamente, e lentamente nos aproximei, deixando um singelo beijo na ponta de seu nariz.


- Agora houve um beijo – sussurrei e sorri.


O tom avermelhado da vergonha já havia abandonado seu rosto, agora ele olhava pra mim, com a boca ligeiramente aberta, aqueles os olhos brilhantes... eu não me lembrava da última vez que tinha visto algo tão lindo quanto aquilo.


- Acho que eu deveria mostrar seu quarto agora – ele disse, se soltando delicadamente de minhas mãos.


Eu sorri.


- Eu também acho, Gigantor.


Ele revirou os olhos, mas mesmo assim sorriu.


- É um péssimo apelido!


E começou a me conduzir para os corredores do Bunker.


- É claro que você acha péssimo! Ninguém gosta de apelidos, por isso eles foram inventados.


- Isso não tem nenhum lógica!


Foi a minha vez de revirar os olhos.


- Ok, Spock! Mas na minha mente isso faz muito sentido.


Então ele parou de frente pra uma porta de madeira escura e abriu.


Uma cama de casal, escrivaninha, uma cômoda razoavelmente grande e uma porta que provavelmente pertencia a um banheiro.


- Se quiser, amanhã podemos procurar outro quarto no Bunker que você goste – ele disse, meio preocupado.


Neguei com a cabeça.


- Sam, isso – apontei o quarto - já é perfeito, obrigada! E além do mais, eu não sou do tipo que dorme muito, lembra?


Ele sorriu sem graça e assentiu.


- Só achei que você seria como o Castiel, sabe? Ele também não dorme, mas gosta de manter seu quarto aqui, com as coisinhas dele.


Sorri.


- Cassie gosta de sentir que pertence à algum lugar. Embora ele ame o céu, e não importa o que ele tenha de enfrentar, você, Dean, esse Bunker, a Terra, é onde ele escolheu pertencer.


- E você? A que lugar pertence?


- Quando eu souber te aviso.


- Como assim? – fez cara de confuso.


- Me disse na outra noite que preferia isso tudo aqui da Terra do que o Céu.


- Eu sei, mas ainda é de onde eu vim, minha graça, a minha essência ainda me faz sentir que é lá que pertenço.


- Você pode escolher onde e a quem pertencer, Kiara. Só basta se decidir.


E eu fiquei em silêncio, sentindo sua mão quente e grande ainda na minha.


- Eu já vou indo – ele disse – Boa noite, tampinha.


Semicerrei meus olhos para ele.


- Ninguém gosta dos apelidos, e é por isso que eles foram inventados, lembra?


Rindo, aquele alce sumiu pelo corredor.


- Gigante estúpido! - eu sussurrei para mim mesma, entrando no quarto e fechando a porta.


Fiquei alguns instantes parada, refletindo toda nossa conversa, até escutar batidas na porta.


Sorri.


Será que era o Sam?


- Esqueceu alguma coisa, Gigante? - disse e simultâneamente fui abrindo a porta.


Pra dar de cara com Castiel.


- Por que me chamou de gigante? - ele perguntou confuso.


Balancei a cabeça.


- Pensei que fosse o Sam.


- Mas ele acabou de sair daqui.


O olhei acusadoramente.


- Estava escutando nossa conversa, Sr. Castiel?


- Hm...não?


- Estava sim! Que coisa mais feia, Cassie!


- Não é minha culpa! Vocês estavam falando alto e meu quarto é o do lado, então foi impossível não ouvir.


- E o que estava fazendo no seu quarto? Não estava vigiando o sono do Dean, como faz toda noite?


- Ele está tendo um sonho...estranho – falou, desconfortável.


- Como assim?


- Esta gemendo e se contorcendo na cama, mas não é... de dor – seu rosto estava em brasa.


Abri a boca.


- Dean está tendo um sonho erótico?! - quase gritei.


- Sim!


- E por que você não esta lá, você pode acordá-lo e fazer o sonho realidade, o que acha? – um olhar bem significativo.


Ele corou horrores.


- N-Não tem graça, Kiara!


- Ta bom, ta bom! – revirei os olhos rindo - O que acha de me ajudar a bolar um plano Destiel pra amanhã?


- Ok.


Me deitei na cama e bati no espaço do meu lado.


- Ah não, Kiara!


- Vai, por favor! Vamos, como nos velhos tempos!


Ele suspirou e se deitou também, ficamos um de frente pro outro.


Costumávamos fazer isso todas as vezes.


Cass ficou um bom tempo apenas divagando, enquanto olhava para mim.


- Sente falta de Gabe e Balth? – ele perguntou de repente.


Suspirei triste.


- Todos os dias...


- Acha que existe alguma possibilidade de eles estarem vivos? Quer dizer, não podemos senti-los, mas eu fui mandado de volta tantas vezes... Talvez eles estejam por aí, possivelmente até sem memória, como eu depois dos leviatãs. Seria possível, não é?


Sorri pra ele.


- Sim, seria possível... mas não acha que um deles já teriam nos procurado se esse fosse o caso? Principalmente Gabriel.


O olhar dele ficou mais triste ainda, então o abracei.


- Ou talvez só estejam esperando a hora certa para voltar! – não vou mentir, nem eu acreditava nas minhas palavras, mas eu faria qualquer coisa pra que Cassie não ficasse triste.


Não ajudou muito, mas foi o máximo que pude fazer.


- Obrigado por mentir pra mim...


Eu ri, e logo mudei daquele assunto triste.


- Mas vamos falar de amanhã agora!


- O que tem em mente?


- Estava pensando em deixar vocês dois sozinhos um pouco, Dean fica mais confortável em demonstrar sentimentos quando não tem mais ninguém olhando.


- E como vamos ficar sozinhos?


- Posso pedir pro Sam ir até a cidade comigo com a desculpa de que preciso de roupas, já que vou meio que morar aqui com vocês por um tempo.


- E se Dean quiser ir também?


- Cassie você o conhece mais do que eu, sabe que Sam tem mais paciência pra essas coisas do que Dean.


- Certo...Kiara?


- Hum?


- E o que eu faço quando estiver sozinho com ele?


- Seja você mesmo, Cassie. Foi por isso que ele se apaixonou por você. Mas dessa vez, deixe sinais do que você realmente deseja, faça-o sentir que você o quer! O toque casualmente no braço quando estiverem conversando, invada mais ainda o espaço pessoal dele, essas coisas! Se ele mal se contém apenas conversando com você, quem dirá se você começar a tocar nele! - comecei a rir.


- E...e se ele me afastar? Se ficar bravo comigo quando eu fizer essas coisas? Não gosto quando Dean fica bravo ou chateado comigo.


Apesar da carinha imensamente fofa que ele fez enquanto falava – que me dava vontade de apertar e não soltar mais –, ele tinha um pouco de razão.


Dean poderia muito bem não reagir bem as investidas de Cass, ainda mais quando ele vier a fazer isso do nada.


E é exatamente por isso que eu – linda e maravilhosa, vulgo agente dupla – irei comunicar ao Dean que deixar ele no Bunker com o Cass é parte do plano também, e que ele deve fazer o mesmo lance de contato físico que eu falei pro meu maninho tapadinho fazer.


Vish, que coisa mais confusa! Até eu me perco nisso!


Mas voltando pro meu maninho...


- Cass, ele não vai ficar bravo ou chateado! Se quer realmente saber, ele vai querer fazer até outras coisas – lhe dei meu olhar mais malicioso possível.


E ele riu e corou ao mesmo tempo, escondendo seu rosto no travesseiro.


- Awn, que belezinha, meu irmão todo envergonhadinho por causa do futuro “magic boy” dele! – disse rindo e lhe cutucando a barriga.


E isso o fez escondeu o rosto mais ainda, tentando sem sucesso esconder o grande sorriso.


Era tão bom ver meu irmão assim!


Ele tirou sua cabeça do travesseiro e me lançou um olhar acusatório.


- E você e Sam? E os apelidinhos ali no corredor, os olhares e tudo mais! Parece que eu não sou o único que futuramente vai ter um “magic boy”.


Eu queria rir de Cass falando daquele jeito, mas na verdade eu corei e muito!


Sam...Sam era um assunto complicado.


É um cara incrível, isso é inegável, mas eu não estava ali pra um romance que não fosse o de Dean e Cass. Eu estava ali para ajudar, não piorar ainda mais me envolvendo com o grandão.


Eu gostava de o provocar, era divertido ver ele envergonhado, e eu gostava dele, mas estamos em risco, quanto mais eu ajudo Cass e Dean, mais perto eu chego da minha queda, e possivelmente, minha morte também.


Não posso tornar tudo mais difícil ainda.


Castiel notou quando eu fiquei repentinamente triste.


Ele leu minha mente, e me abraçou.


- Não é justo! – ele sussurrou. – Você também merece ser feliz!


- Cass, eu desci pra cumprir minha última missão, que é ajudar você e Dean, e acredite, se eu conseguir cumpri-la vai ser o momento mais feliz de toda a minha vida!


- Nos ajudar será mais grave para eles do que cometer o ato em si! Você pode morrer!


- Se eu tiver que morrer, assim seja! Mas não antes de cumprir minha missão!


Ele não falou mais nada, mas eu sabia exatamente o que ele pensava, apenas me abraçou, e assim ficamos até o amanhecer.


Notas Finais


Preciso que vcs me ajudem! Como vai ser o nome do nosso otpzinho lindo e cheiroso Sam e Kiara.
1 : Kisa
2 : Samia
3 : Kiel
4 : Kim
5 : Samuki
VOTEM AÍ TA MEUS LINDJOS ♡♡♡♡♡♡♡♡♡♡♡


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...