História Antes que o dia termine - Camren - Capítulo 2


Escrita por: ~

Postado
Categorias Fifth Harmony
Personagens Camila Cabello, Lauren Jauregui
Tags Ally Brooke, Amor, Camila Cabello, Dinah Jane, Fifth Harmony, Lauren Jauregui, Love Girl, Normani Kordei
Visualizações 82
Palavras 3.932
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Drama (Tragédia), Famí­lia, Musical (Songfic), Romance e Novela, Suspense
Avisos: Álcool, Bissexualidade, Homossexualidade, Insinuação de sexo, Linguagem Imprópria, Nudez, Sexo
Aviso legal
Os personagens encontrados nesta história são apenas alusões a pessoas reais e nenhuma das situações e personalidades aqui encontradas refletem a realidade, tratando-se esta obra, de uma ficção. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos, feita apenas de fã para fã sem o objetivo de denegrir ou violar as imagens dos artistas.

Notas da Autora


Olá, ia postar esse capítulo ontem,mas... bem na hora o carregador do meu notebook que já não estava bom, pifou de vez e o not descarregou </3 . está com meu irmão pra ajeitar, o carregador. a sorte foi que salvei no pendrive o cap e vim até a casa da minha tia pra postar :) quero sugerir que ouçam ao menos a música do final. deixarei o nome nas notas finais, e quem está no grupo do whats, eu enviei lá ontem. espero que gostem ^^

Capítulo 2 - Chapter two


Fanfic / Fanfiction Antes que o dia termine - Camren - Capítulo 2 - Chapter two

Camila deu entrada no hospital em estado grave, foi levada imediatamente para a sala de cirurgia. Estava com ferimentos nos braços e pernas, mas o estado grave era devido a pancada que ela sofreu na cabeça. Enquanto os médicos faziam tudo o que podiam por ela, Lauren teve que ser contida na recepção. Ela chorava em desespero, viu Camila piscar lentamente, e seu coração doeu quando ela foi levada para longe de si. ‘’e se ela não voltar mais?” lembrou da pergunta do taxista e se sentou ainda mais devastada. O homem havia morrido na hora com o impacto do outro carro. Dinah que havia chegado no local tentou se aproximar de Lauren para acalmá-la, mas a mulher estava muito nervosa.

— me deixa sozinha por favor, apenas ligue pra família dela

— você deveria dar a notícia e não é um bom momento para querer ficar sozinha

— eu não conheci a mãe dela. Olha, por favor, não me faça se sentir ainda mais mal do que estou

Dinah se levantou e pegou o celular para ligar para os familiares. Foram horas de cirurgia, e horas de desespero para Lauren, que não conseguia esquecer o momento em que o carro bateu com tudo no táxi, e o corpo de Camila sendo arremessado.

—vai pra casa, tome um banho e se alimente

—eu não quero, eu quero saber o estado dela, eles tem que me deixar vê-la

—as coisas não podem ser sempre do jeito que você quer Lauren, eles estão lutando para salvá-la, e você entrando lá só vai atrapalhar, não é médica

—ela fez tudo por mim... ela... ela é a melhor pessoa que já conheci no mundo, e eu a desprezei, eu fui rude, eu fui uma grande idiota, quando ela apenas estava me amando

— tenho que concordar com você, mas no momento não é nisso que temos que focar, vamos pensar positivo, eu estou tão nervosa e preocupada quanto você

Sentou ao lado dela.

—eu não vou conseguir seguir sem ela Dinah

—Shhh, calma, vai dar tudo certo, você precisa acreditar

—o taxista, ele ainda me alertou, me fez ver que precisava apreciar o que eu tinha, e ainda assim eu não soube fazer isso, eu não soube amá-la da maneira certa, da maneira que ela merecia ser amada

—não adianta lamentar, agora é só confiar e torcer para que ela fique bem

E o restante da noite foi de muito choro e dor para Lauren. Dinah conseguiu fazer ela ir para casa, tomar um banho e se acalmar. Sinuhe e seu noivo, Richard, iriam pegar o primeiro voo de Cuba para Londres.

Ao chegar no apartamento Lauren chorou novamente, porque cada cômodo, cada parte daquele apartamento fazia ela se lembrar de Camila. Do sorriso dela ao acordar naquela manhã lhe preparando presente e panquecas. No bico que ela fez convidando-a para conhecer sua família.

—droga!

Ela deveria ter largado qualquer tipo de reunião e feito a vontade dela, nem que fosse apenas daquela vez. Isso já se repetia a meses, sempre o trabalho em primeiro lugar, nunca reconhecendo ou dando valor as inúmeras formas que Camila tinha de demonstrar o seu amor. Sentou na cama e viu uma das blusas dela jogada lá em cima, estava uma bagunça, Camila as vezes era muito bagunceira. Levou a peça de roupa até o rosto, sentindo o cheiro dela.

— você não pode me deixar Camz... eu não posso continuar se eu não tiver você

Falou baixinho como se ela estivesse ali para ouvir. Então uma espécie de diário chamou a sua atenção. Ela o pegou, abriu e deixou cair uma partitura com um papel.

‘’compus essa canção sobre Lauren e eu. Mostraria depois da audição, mas tive medo que isso a deixasse assustada. Sempre dizem que em um relacionamento, um dos dois sempre ama mais. Quem dera não fosse eu.’’ — Camila Cabello

Deixou uma lágrima escapar ao ler aquilo e ver a caligrafia perfeita da latina. Leu cada palavra escrita naquela música e imaginou ela cantando, com sua voz doce e afinada. Acabou dormindo abraçando o diário.

Acordou na manhã seguinte com seu celular tocando. Era Dinah. atendeu as pressas.

—alô? Você tem notícias dela?

—eu acho melhor vir para o hospital agora mesmo. A mãe dela está aqui

—a mãe? Ah... eu... eu estou indo agora mesmo

Desligou e apenas pegou o seu casaco. Assim que entrou no hospital deu de cara com Dinah, e na recepção estava uma mulher, não tão velha quanto ela imaginou, ao lado de um homem que tentava a todo custo tranquiliza-la.

—é a senhora  Cabello?

—sim. e aquele é o noivo dela

O pai de Camila havia falecido quanto ela tinha 15 anos de idade, e desde então sua mãe ficou sozinha, até conhecer Richard, pelo qual embarcou em um romance e agora estava noiva.

—deveria ir até ela

Respirou fundo e foi até lá, insegura, com medo, e assustada.

—senhora Cabello

A mulher direcionou o olhar pra ela e se aproximou sem dizer uma palavra, apenas abraçou Lauren. As duas choraram de forma descontrolada, sentindo a dor uma da outra.

—ela... ela está em coma, eu não sei o que fazer, não podemos salvá-la

—como assim em coma?

—o médico disse que ela sofreu uma lesão na cabeça. Durante a cirurgia ela teve uma parada cardíaca mas eles conseguiram reverter a situação, mas tiveram que induzi-la ao coma, seu corpo pode ter mais chances de se recuperar assim

—eles deram certeza?

—não, agora é só esperar, não sabem por quanto tempo ela vai ficar assim, não sabem se ela vai reagir aos medicamentos e vai acordar, talvez ela fique assim pra sempre! E precise desligar os aparelhos por falta de reação. Eu não posso perder a minha menina! A minha única filha

Chorou novamente. Lauren passou as mãos nos cabelos, ela queria tanto poder voltar no tempo, mas ele só andava pra frente, ele nunca voltava, era como a morte, depois que vinha não tinha mais volta. O tempo era assim, depois de um acontecimento, você não tinha mais como voltar pra desfazer, era impossível. Lauren não aproveitou o tempo que tinha ao lado da namorada. E se lamentava por conhecer a sogra naquelas circunstâncias.

***

Primeiro dia.

A sala era silenciosa e mórbida, só se ouvia o bipe das máquinas conectadas ao corpo pálido de Camila.  Lauren não saiu dali desde o momento que fora liberada para ficar ali com ela. Sinuhe precisou ser atendida por uma enfermeira após sua pressão subir ao ver o estado da filha. Havia um corte perto de sua boca, vários arranhões nos braços e pernas, e ela parecia fraca demais, apenas aqueles aparelhos a mantinha respirando.

—eu poderia ter agido diferente com você, eu poderia ter dito tudo o que sentia e parar de se esconder atrás do meu medo de me entregar, porque você sempre se entregou completamente pra mim Camz, e eu fui uma grande covarde, e eu tenho tanto medo de não poder te dizer como eu sinto, porque se você me deixar sem eu ter a chance de te dizer tudo... eu vou morrer junto, eu vou morrer por dentro

Disse enquanto puxava a cadeira para colocar ao lado da cama.

—eu não posso seguir sem você Camila, você é a melhor, aquele seu aluno, Oliver disse, ele falou que é a melhor professora do mundo, e eu discordo nessa frase, porque você não só é a melhor professora do mundo, você também é a melhor namorada, melhor amiga... melhor pessoa que já conheci na vida. Eu li a música que escreveu e sei que ficaria brava por ter visto sem sua autorização, mas eu não resisti, você deveria ter me mostrado amor, eu teria amado, eu teria amado receber qualquer coisa que você escreveu pra mim. Eu ainda quero te ouvir cantar ela Camz, por favor... seja forte, você sempre foi a mais forte de nós duas, continue sendo meu amor, eu te imploro. Eu sei que pode me ouvir, de alguma forma, eu sei que pode.

 

“Sei que existe algo por trás do seu sorriso

Eu tenho uma noção pelo aspecto dos seus olhos, sim

Você construiu um amor, mas aquele amor desaba aos pedaços

Seu pedacinho do paraíso torna-se escuro demais”

 

A gente sempre acha que tem mais um minuto, uma hora, um dia, uma semana, talvez um mês ou um ano. O nosso pensamento nos impulsiona a achar que sempre haverá outro amanhecer, mas as coisas não são assim, temos a oportunidade de dar o máximo de nós mesmos todos os dias, mas quando não se faz isso, pode ser um erro incapaz de ser corrigido. Lauren se sentia despedaçada, por todas as vezes que Camila foi gentil, amável e uma boa namorada, e ela apenas estava preocupada com sua carreira, sua posição na empresa e seus amigos. Deixando de lado a mulher incrível que tinha.

—eu cometi muitos erros, e o maior deles foi não ter te dado o devido valor, mas eu sempre fui completamente apaixonada por você Camz, eu só não sei, ou não sabia, como demonstrar isso. eu deveria ter tentado. Você tentou me ajudar na reunião, e eu só enxerguei você atrapalhando tudo, eu sou uma burra! Eu nunca mereci você, e você me amou mesmo assim

 

“Ouça seu coração enquanto ele está chamando por você

Ouça o seu coração, não há mais nada que você possa fazer

Eu não sei para onde você está indo e eu não sei por quê

Mas ouça seu coração antes que você diga-lhe adeus”

 

—meu coração dói tanto agora Camz, e eu posso imaginar o que fiz com o seu. Eu deveria ter entrado naquele táxi com você, ou ter te impedido de ir embora, eu deveria ter aceitado dançar com você. Eu não sei dançar, eu nunca danço, mas... eu deveria ter feito sua vontade, e ter apreciado aquele momento, era algo tão simples, e eu acabei te fazendo chorar

‘’aprecie o que tem. Apenas ame-a’’ lembrou das palavras do taxista.

—eu não te amei da forma certa Camz

—senhorita Jauregui, ela precisa descansar, é melhor que saia um pouco

O médico disse abrindo a porta do quarto

—só mais 5 minutos, por favor

Ele concordou e saiu.

—eu quero nossos momentos de volta, quero que pegue no sono com a cabeça no meu colo enquanto eu acaricio os seus cabelos. Quero seu abraço durante a madrugada quando eu acordar por causa de um pesadelo. Quero seus beijos de bom dia e boa noite. Quero seu sorriso, quero ouvir a sua risada de novo, ela é tão... linda! Eu nunca te disse isso, mas eu amo a forma que você ri, e como mordi o lábio quando está concentrada . eu amo todos os seus detalhes, o meu erro foi não ter dito isso.

 

“Às vezes você se pergunta se essa luta vale a pena

Os momentos preciosos estão todos perdidos na maré, sim

Eles foram arrastados embora e nada é o que parece

A sensação de que pertencem aos seus sonhos”

 

—senhorita Jauregui

O médico chamou mais uma vez

—tudo bem. Eu estou indo agora, mas eu volto tá bom? Fique melhor por mim, por nós, por favor Camz, seja forte

 

“E existem vozes que querem ser ouvidas

Tanto a dizer, mas você não consegue encontrar as palavras

O cheiro da magia, a beleza que existia

Quando o amor era mais tempestuoso do que o vento”

 

Deu um beijo na mão dela e levantou da cadeira. A olhou mais uma vez e acompanhou o médico para fora do quarto.

—o senhor acha que ela vai ficar boa? Que ela vai acordar?

—eu não tenho como te dar uma certeza, é imprevisível, vai depender de como ela reage aos medicamentos, ela chegou em estado grave, foi uma sorte termos conseguido reverter o quadro quando ela quase se foi, no momento da parada cardíaca

Seus olhos ficaram marejados só em pensar sobre isso.

—e a senhora Cabello?

—ela está descansando, tomou um calmante e está na enfermaria

—obrigada

Ela foi fazer companhia a Sinuhe, tentou tranquiliza-la mesmo que também estivesse sem forças. Richard e Dinah estavam presente também. Logo Allyson e Normani chegaram pra de alguma forma tentar dar uma força. Toda oração era bem vinda naquele momento.

Lauren pediu uma licença do seu trabalho. Não conseguia se concentrar em nada a não ser na situação que Camila estava. E dormir aquela noite sem sua namorada do seu lado, foi a pior sensação do mundo. Acordou mais de uma vez se sentindo atônita depois de ter pesadelos, e não tinha os braços de Camila para abraça-la e dizer que está tudo bem.

Segundo dia.

Ela acordou com uma baita dor de cabeça, e mesmo depois de ter tomado um comprimido para dor, ela não cessou. Tomou um banho demorado, seus olhos estavam avermelhados porque chorara por horas, talvez por isso a dor de cabeça não lhe largava.

A tarde ela levou a partitura com a música que a latina havia escrito, e fez várias cópias dela, se tudo desse certo, e ela acordasse, queria de fato fazer uma surpresa pra ela, dar-lhe o presente que ficou devendo. Mas a incerteza de ver os olhos castanhos novamente, era o que lhe tirava a paz interior. Chegou no hospital por volta das 15:00 horas e levou flores, as colocou em um jarro com água perto da cama. Sentou ao lado de Camila e suspirou.

—eu disse que voltaria, e aqui estou eu meu amor. Tive a pior noite da minha vida, foi um completo inferno dormir sem você, dormir sem ter sua presença ao meu lado da cama, os seus pés gelados encostados nos meus. Ou a sua mão pousada na minha cintura, como você fazia ao dormir de conchinha comigo. Momentos esses que eu devia ter dado mais atenção. Mas eu não estou aqui pra me lamentar, não hoje, eu quero dizer que estou dando tudo de mim para ser forte. Eu conheci a sua mãe sabia? Fiz o que tanto queria, não foi em boas circunstancias, mas eu a conheci e me arrependo de não ter comprado mesmo uma passagem para Cuba, se eu tivesse aceitado ir contigo, não teria arrependimentos agora. era eu quem deveria estar nessa cama, não você. Eu merecia isso, por ter sido tão estúpida

Acariciou a mão dela e beijou delicadamente.

—porque as pessoas tomam tantas decisões erradas na vida? Eu tive uma escolha, eu poderia ter entrado naquele táxi, e talvez, mudado o que aconteceu, ou não, mas ao menos eu teria ido contigo, você não teria saído com raiva e terminado o nosso namoro. Mas parece que já é do ser humano tomar decisões erradas. Você estava certa, eu deveria ao menos uma vez ter dado total atenção a nós duas, ao nosso relacionamento e esquecer que o emprego existe, esquecer a droga da reunião, esquecer tudo. Eu não me permiti sentir Camz, não me permiti me entregar totalmente, eu deixei esse sentimento dentro de mim, mas eu deveria ter falado mais sobre a forma que me sentia a seu respeito. Você queria ouvir né? você só estava cansada de não ter de volta tudo que me dava,  e eu entendo isso agora. mas eu achei que estava sendo o suficiente, mas não estava. Eu sinceramente não sei o que viu em mim, mas eu sei o que vi em você. Eu vi luz, brilho, eu vi alegria, simplicidade, eu vi uma mulher especial, inteligente, talentosa. Nós sempre fomos especiais Camz, sempre, eu só não consegui demonstrar isso pra você, porque eu sou uma idiota

Suspirou. Ficou em silencio apenas fitando a máquina que mostrava os batimentos cardíacos dela.

***

E assim os dias foram passando, e depois semanas. Até que se completou 1 mês e 15 dias, desde que Camila ficou em coma. Os médicos viam melhora no seu estado físico, os ferimentos sararam, ainda ficou algumas marcas arroxeadas, mas... no geral, ela continuava na mesma, ela não apresentava respostas aos estímulos que os médicos tentavam. Alguns já tinham perdido a esperança.

—o trauma que ela teve foi grave. Tivemos que induzi-la ao coma, para manter a segurança e bem estar da paciente, ou era isso, ou era o fim, ela iria sofrer bem mais, estando consciente, foram muitas lesões, muitos machucados. E foi um modo de minimizar o trauma psicológico e induzir amnésia , acalmar a paciente e tornar a realização de procedimentos seguros

—mas ela já deveria estar acordada

—senhorita Jauregui, eu te falei no inicio, nós não temos o controle, e ela não está reagindo... e eu tenho uma notícia pra te dar, e ela não é boa

—ela piorou?

—como ela poderia piorar se ela não apresentou melhora? —disse triste —eu sei que deve estar doendo, vocês eram íntimas, eram...

—ela é minha namorada! A mulher da minha vida

—eu sei, fique calma. Mas a mãe dela, ela está sem esperanças, e eu falei sobre o desligamento dos aparelhos, ela está vegetando

—como pode falar isso?

Foi pra cima dele e agarrou em seu jaleco. Logo os seguranças vieram para segurá-la.

—você não vai mata-la! eu não vou deixar que faça isso

—eu não quero isso, mas já perdemos as esperanças, a mãe dela também

—mas eu não perdi! Você não conhece Camila, não sabe o quanto ela é forte, e eu sei que todos os dias que passei vindo até aqui, contando sobre o meu dia a dia, sobre o que sinto, eu sei que ela estava me ouvindo, e ela vai voltar, ela tem que voltar pra mim. Eu preciso de mais uma oportunidade de fazê-la feliz de verdade

—não me veja como um vilão da história, talvez seja melhor colocar um fim no sofrimento de vocês

—não! isso seria apenas o começo do meu fim

Depois de ser tirada da presença do doutor, Sinuhe apareceu para conversar com ela.

—como pode pensar algo assim? Ela é sua filha

—ela pode estar sofrendo nesse estado, é como se estivesse com a alma aprisionada em algum lugar, sem conseguir voltar. Pararam com o medicamento, e ela já deveria ter acordado. Não sabem o que está acontecendo, no último exame realizado, ela não apresentou nenhum dano cerebral, teve a melhora em relação a isso, e mesmo assim, ela não acordou, o que espera que eu faça? Que venha todos os dias ver a minha filha praticamente morta? Isso me tortura Lauren

—está sendo egoísta! A decisão não deve ser sua, ela não está morta, ela ainda respira, o seu coração ainda bate, ela está vida! Droga, ela não desistiria de você, porque está desistindo dela assim tão fácil?

—já vai fazer dois meses Lauren, precisamos acabar com esse martírio

—não! eu te imploro que não faça isso

—você tem 15 dias com ela, eu não tenho mais como voltar atrás, eu sinto muito... nem que eu quisesse eu poderia, eu já assinei os papéis, e farão o desligamento dos aparelhos quando fechar os 2 meses

—não deveria ter tomado essa decisão sozinha! Não poderia...

Ela desabou de novo, dessa vez foi pior, era o mesmo que ter recebido o aviso de óbito de sua garota, eles iriam desligar os aparelhos, e ela a perderia para sempre.

—me desculpe, eu achei que era o melhor a se fazer —disse chorando tentando se aproximar —ela não está bem vivendo do jeito que está Lauren, procure me entender, eu não desejaria isso pra ninguém, comer por uma sonda, viver dependendo de máquinas, que sentido tem isso?

—eu não vou deixar de acreditar nela, eu não vou desistir, ninguém vai desligar os aparelhos

—eles irão te segurar se tentar impedir. Eu sinto muito

Abraçou Richard.

Escolhas. Sinuhe havia feito uma, que também não tinha mais volta. Se arrependeu depois da conversa com Lauren, estaria ela desistindo da própria filha ou apenas acabando com o seu sofrimento? Não sabia ao certo, mas a decisão já tinha sido tomada.

Só depois de 4 dias Lauren foi liberada para ver Camila, devido ao seu mal comportamento com o médico. Mas ela não se desculpou. Passou todos os dias que Sinuhe disse que ela ainda teria com ela. até que chegou o último dia.

—você só tem hoje, antes que o dia termine, e ela parta... será o desligamento dos aparelhos

—para de dizer isso Sinuhe! Me deixa sozinha com ela, se não acredita na sua própria filha, eu acredito.

Sinu suspirou e saiu do quarto, deixando Lauren ali sozinha na companhia da latina. Estava devastada mas tentava ficar firme, por ela, por elas duas. Precisava ser a mais forte pelo menos dessa vez. Ela segurava um papel em suas mãos. Com a ajuda de Allyson, a artista visual e também musicista que era amiga de Camila, a Jauregui conseguiu cifrar a letra de uma música.

—eu escrevi uma música pra você. Eu sei que não sou compositora e nem sei nada sobre música, mas... eu estava no nosso apartamento, e simplesmente fluiu as palavras, e a melodia... e eu quero cantá-la pra você

Ela não iria falar sobre desligamento de aparelho, não queria transmitir coisas negativas para Camila. Trouxe um violão, passou uma semana tendo aulas pela manhã com Ally, tudo apenas pra aprender a tocar a canção que escreveu.

—eu sei que pode me ouvir Camz. Com certeza ficaria melhor sendo cantado e tocado por você, mas... é de coração. E isso não é uma despedida Camz... por que eu ainda tenho fé em nós duas

Segurou o violão na posição certa e começou a fazer a primeira nota

 

“Tudo ficará bem

Você disse

Amanhã

Não chore

Não derrame uma lágrima

Quando você acordar

Ainda estarei aqui

Quando você acordar

Combateremos seus medos

E agora irei...”

 

Não conseguiu cantar e tocar sem chorar. Ver ela daquela maneira, tão quieta, doía tanto. Porque Camila estava sempre tagarelando sobre vários assuntos, sempre com um sorriso no rosto  com seu brilho no olhar.

 

“Traga meu coração de volta

Deixe suas fotos sobre o chão

Roube minhas memórias de volta

Não posso mais suportar isso.

Sequei minhas lágrimas

E agora encaro os anos

Do jeito que você me amou

Desapareceram todas as lágrimas”

 

Parou um pouco para respirar e enxugar as lágrimas. Então continuou a tocar. As pessoas que estavam no corredor ouviram a canção. O medico, duas enfermeiras, Sinuhe e Richard entraram no quarto. Lauren cantava de olhos fechados, deixando as lágrimas escaparem dos seus olhos.

 

“Apenas um pouco mais de tempo foi o que precisamos

Apenas um pouco de tempo para que eu visse

A luz que a vida pode dar

Como você pode ser livre

Então agora irei”

 

Ela finalizou a música e abriu os olhos ao ouvir o bipe da máquina. O médico se aproximou, todos ali se aproximaram, segurando no ombro de Lauren, Sinuhe tentou acalmá-la, seu choro era contínuo. O bife descontrolado parou, e ficou apenas o som do bipe contínuo.

—eu sinto muito mesmo!

—NÃO! EU A AMO! ELA NÃO PODE IR

—não há mais nada a se fazer Lauren —o médico disse tentando controlar o seu estado, estava quase chorando.

—não! me soltem! Camila!

Então aconteceu... como uma chama surgindo em meio a escuridão, a máquina bipou de novo e mostrou os batimentos cardíacos.

—isso é impossível

O homem disse sem acreditar quando viu os dedos das mãos de Camila se mexerem de forma bem lenta. Lauren se levantou rapidamente e largou o violão no chão. Ela parecia um bebê despertando de um sono profundo.

—Camz?

Disse próxima dela, quando viu os castanhos mais lindos do universo fita-la com um pouco de dificuldade, a visão ainda estava embaçada.


Notas Finais


música 1: Listen to your heart na voz da Kelly Clarkson
música 2 e mais importante: Take My Heart Back por Jennifer Love Hewitt (tchau que eu tô chorando)


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...