História Antes que termine - Capítulo 5


Escrita por: ~

Postado
Categorias Shawn Mendes
Tags Formatura, Romance, Shawn Mendes, Viagem
Visualizações 137
Palavras 2.325
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Escolar, Festa, Romance e Novela, Shoujo (Romântico)
Avisos: Álcool, Insinuação de sexo
Aviso legal
Os personagens encontrados nesta história são apenas alusões a pessoas reais e nenhuma das situações e personalidades aqui encontradas refletem a realidade, tratando-se esta obra, de uma ficção. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos, feita apenas de fã para fã sem o objetivo de denegrir ou violar as imagens dos artistas.

Notas do Autor


Estava animada pra escrever hoje...

Capítulo 5 - Fire


Fanfic / Fanfiction Antes que termine - Capítulo 5 - Fire

O ginásio de esporte estava todo decorado, com luzinhas douradas desprendendo do teto como se fossem estrelas. Havia uma fila de pessoas esperando para tirar fotos. Varios corpos dançantes ao som de Clean Bandit - Rockabye, preenchia o lugar de uma forma impressionante. Encontramos com Carlos que pelo cheiro havia bebido em algum lugar no caminho. Ele foi nos empurrando para a pista de dança. Gay sinceramente era o ser mais incrível e divertido de todo o mundo! Eu o amava imensamente!

Ele rebolava sobre as luzes neons e as pessoas o seguiam. Puxando pela mão, ele se acomodou a minha frente, passando minhas mãos para sua cintura, começamos a dançar juntos. De costas descemos até o chão, sempre rindo e as pessoas ao redor nos seguia rindo e gritando junto, o cheiro é maçante, uma mistura de suor, algo alcoólico e a perfume. Meu cabelo ja grudava nas costas desnuda pela falta de tecido do vestido. Ergui as mãos para cima sentindo a musica entrar e fechei os olhos. Meu corpo tinha vida própria. E eu não queria que terminasse. 

Uma das coisas que eu amava em Carlos era a forma em como ele conseguiria superar o preconceito. Quando eu o conheci a dois anos atrás. Ele não havia se assumido ainda, ele saiam com os garotos escondido da família e de tudo, eu nem desconfiava que ele era. Sendo um rapaz tão bonito, com seus cabelos loiros,seus olhos verdes e sardas. Um corpo sarado. As garotas iam aos delírios com ele, mas a recusavam. 

Um dia ele foi em casa pra fazer trabalho, nos sentamos na sala, mas então ele começou a chorar... soluçar. Eu em desespero perguntei o que aconteceu, e então ele começou a me contar... Seu pai havia te agredido mais cedo naquele dia, ele tinha se assumido para os pais, que foi um choque bem grande, sua mãe era mais compreensiva, se sentou com ele, perguntou se era uma fase ou se ele realmente era daquela forma e que se ele escolhesse a segunda opção, que Carlos não deixaria de ser filho dela, que amaria do mesmo jeito, até por que ela não iria obriga-lo a namorar uma garota se ele não quisesse. Com o pai não foi assim ... Ele o jurou de morte, que o filho dele não seria aquilo. Uma vergonha para a família. Chorei muito a sua companhia...

Naquela noite Carlos ficou em casa, meus pais e eu demos o maior apoio a ele e hoje vejo.. vejo que posso confiar a minha vida para a pessoa maravilhosa que é o Carlos. Nos dias que se seguiu na escola, os alunos começaram a zoa-lo de todas as formas, até que eu um belíssimo e glamuroso dia ( como gosto de chamar) dei um murro na boca de um dos valentões da escola e arranquei-lhe um dente da frente, foi ai que pararam

-Mexa essa bunda Luna!!-Gritou Carlos por cima da musica. Sorri e fiz o que me pedira. Ouvi alguns rapazes gritarem, eu não gosto de ser vulgar dessa forma, mas era uma das minhas ultimas festa com todos os meus amigos e colegas juntos. Eu só quero curtir como realmente se deve. Eu roubava seu copo e bebia o conteúdo sem olhar ou analisar o que era, mas por ficar mais animada, percebi que tinha algo ali.

Então a música chega ao fim e Come to Mama de Lady Gaga preenche o lugar de uma forma intima as pessoas puxam seus pares e musica se torna algo mais calmo. Carlos chega o meu ouvido, por conta da musica era horrivel de entender e pela terceira vez acabei entendendo. 

-Que saco!! Cortaram meu clima! -Sua atenção se prende a algo atrás de mim e ele ganha uma expressão maliciosa. -Olha Charlie chegou! Com aquele amigo gostoso dele! -Meus olhos correram de uma forma rápida demais para Shawn, como se soubesse exatamente onde ele estava. Ele vestia uma camisa cinza escura com uma jaqueta preta e calça também preta, conversava com Charlie até me ver, ele acena com a cabeça e eu repito o gesto. Eu ainda balançava e ria com Carlos por uma piada interna. 

Caminhamos para a mesa de bebidas e doces, nos empanturramos dos doces ali e falamos como a decoração esta simples e legal. Ele me conta sobre os caras que tem conhecido e sobre como esta apaixonado por um médico. Carlos é aquele tipo de ser, que vai em um lugar e que independente do que aconteça homem nunca é de mais. Tipo esse médico, ele teve uma crise de enxaqueca e ao chegar lá foi atendido por ele e pow... os dois ja esta na maior amizade. 

Após alguns minutos ali, decidimos ir falar com os garotos.

-Heeeeyyyyy turobom? -Carlos falava arrastado por conta do álcool consumido. Cara não sei onde que eles andaram bebendo, mas a diretora fora bem direta com o fato de bebidas alcoólicas... Algumas meninas ali ja ficavam alvoroçadas, mas respeitavam o espaço de Shawn.

-Onde está Amanda? -Perguntou Charlie. Me avaliando de cima a baixo. -Cara! Você ta linda! Ja conseguiu alguém? -Disse ele incrédulo.

Lhe transferi um grandioso sorriso.

-Ainda não... Eu me perdi de Amanda assim que cheguei. A beleza aqui...-Apontei para Carlos que observava a pista de dança rindo. -Me arrastou assim que meu pé pisou aqui.

-Vou procura-la. -Disse Charlie. -fique aqui com ela? Ou vai comigo? 

-Eu vou com você! -interrompeu Carlos quase gritando se virando para mim, ele me lança uma piscadela e sai arrastando Charlie. 

-Ele é bem animado. -Shawn se aproxima para falar. Passo as mãos no cabelo grudado de suor e sorrio. 

-aah ele é incrível! -sorrio e ele confirma com a cabeça.

-Oii, sabia que te conhecia. -Viro-me para deparar com Sophia Bloom com um vestido curtissimo vermelho e com os peitos de fora. Reviro os olhos. -Shaaaawn!! -Grita ela batendo palmas e dando pulinhos de felicidade, Shawn sorri. 

-aahh.. ooi, como vai? -Ele mexe na nuca.

-Tira foto comigo? -Diz ela e Shawn confirma, após de umas dez fotos em posições diferentes (só ela fazendo caras e bocas). -Um autografo? -Shawn confirma e ela lhe entrega a caneta e mostra o topo de seus seios para que ele assine. Que garota mais... Ela me olha de cima a baixo com uma cara de deboche e vai embora rebolando.

Shawn se vira para mim e...

-Você está linda...

Meu rosto queima, e agradeço ao ambiente escuro que estamos, para que ele não consiga ver isso. 

-Obrigada... eu acho... -Respondo constrangida. -Beberam algo antes de vir? -Ele nega. -Quer dançar? -Ja ouvindo No Way do Fifth Harmony. Ele toma minha mão e me leva para a pista, onde o povo elétrico se acalma para a musica quente que esta por vir.

Com sua mão direita ele segura a minha cintura, e a outra se desprende na lateral do corpo, minha mão esquerda em seu ombro e a outra se mantem colada ao corpo também. Dançamos colados sincronizados para frente e para trás suavemente, as pessoas ao nosso redor começam a parar para ver, mas a unica coisa que é o fundo de seus olhos. Apesar de ser muito alto, meu salto cooperou de leves. Ele passa a mão delicadamente atrás de minha cabeça e me inclina, seu cheiro me invade, algo doce e selvagem ao mesmo tempo. Ele sorri e sinto minhas pernas amolecerem. 

Quando me levanta de novo dessa vez é diferente, a musica esta ficando mais agitada. Os passos ficam mais precisos, ele me rodopia uma vez. Não se vê mais ninguém dançando, só nós dois... uma vibração forte e quente passa por mim e sinto invadir seu corpo também, ele me olha fixamente, como se enxerga-se minha alma. Não me lembrava que essa musica fosse ser assim, mas claro que com ele seria...Ele me aperta na cintura e então segura uma de minhas mãos e me rodopia, ao me puxar, nossos corpos se chocam um contra o outro e sua mão volta para a minha cintura, firme e quente. Meu coração luta desesperadamente contra minhas costelas e meu medo é que saia pela boca, estou tão nervosa que poderia morrer.

O que está acontecendo comigo?

A musica vai chegando ao fim, ele me rodopia uma,duas, três vezes até me trazer de volta pra si. O salão estronda em palmas e assovios, nossos olhares ainda fixo, um enorme sorriso desprende de meus lábios e arfando digo:

-Eu... Eu preciso de ar. -Balbuciei. 

-Acho uma boa ideia. Quer que eu a leve? -Shawn indica para a porta do ginásio.

-ah, tudo bem. -As pessoas nos olhavam com curiosidade, nos seguindo com os olhos enquanto pulavam e dançavam. Fiz sinal que iria sair para a Amanda que me olhava sorrindo maliciosamente junto com Charlie. 

Andamos pelo corredor em silêncio, observo os armários, a estante com fotos e troféus de alunos, sorrio com a lembrança de alguns que ganhei e, imagino como será ano que vem... onde tudo termina.

-As vezes sinto falta...-Começa Shawn. -Dos amigos...

-Tava pensando sobre isso. -Sorrio. -É chato as vezes, mas as amizades são boas. Esse ambiente é legal...

Ao chegarmos a porta, Shawn a abre e me espera sair. somos abraçados pelo leve frio e, nos sentamos à calçada, um clima tenso se estendeu por nós, a única coisa que pensava era sua mão na minha cintura, era um aperto gentil e delicado... e ao mesmo tempo era... intenso e quente. Ele me faz ter esses pensamentos controversos. Havia alguns casais ali, se beijando e conversando baixinho, eu os observei por um tempo até que Shawn disse: 

-É legal... poder vir nessas coisas de novo. Eu nem poderia estar aqui. -Ele da de ombros e eu me viro para encara-lo. -Sabe.. minha agenda é um pouco apertada... e com o tour começando... ta sendo uma loucura. Esse final de ano é só pra dar uma respirada.

-Você vai viajar com a gente né? -Pergunto lembrando que ao chegar em casa eu ainda tenho que convencer meus pais.

-Acho que sim... -Diz ele sorrindo. - Gostaria de ir...-O celular dele começa a tocar, ele o tira do bolso e me observa, enquanto o coloca o ouvido. -Oi? Festa do Charlie na escola... Sim, eu sei... To com uma pessoa agora. -Ele mantem olhar firme a mim. -Ta certo... Tchau. 

-Ta tudo bem?-Pergunto sentindo um arrepio frio subindo. 

-Frio? -Ele me transfere um sorriso encantador quando tira sua jaqueta e a coloca sobre meus ombros.

-Não eu... não precisa... ahh... -Ele nega com a cabeça e se aproxima mais para o meu lado, apoiando os braços nos joelhos. -Obrigado...

Ficamos conversando ali por horas, rimos das mesmas idiotices. É um tipo de pessoa confortável, que você consegue falar qualquer coisa e, chegamos ao ponto mais interessante da noite Harry Potter. Ele é um fã de carteirinha e nos divertimos falando sobre. Chegamos a musica... Ele me conta sobre sua paixão e como é conhecido por quase todos os países e somos interrompidos quando seu telefone toca de novo.
-Oi? Aqui fora pq? Ta... ja te devolvo ela. -Ele me olha e ao dizer isso percebo que esta falando de mim, sorrio ja imaginado quem seja. Ele desliga e levanta, me estendendo a mão. -Te querem de volta. 

-E eu sou tão importante. -Digo rindo irônica e ele me transfere um dos mais encantadores do sorrisos e sinto meu coração aquecer.

Cara... Eu não to bem!! Meu coração não ta bem!! O que ta havendo comigo?? Não consigo pensar direito e a todo momento me sinto tensa, na espera que algo aconteça.

É uma hora da manhã, nem vi a hora passar. A festa parecia que tinha acabado de começar, o volume de pessoas era maior. A musica Scared to Be Lonely do Martin Garrix tocava, e o povo ia ao delírio acompanhando a musica aos berros e pulando junto. Amanda, Charlie e Carlos estavam na pista juntos e sem pensar duas vezes arrastei Shawn pra la. Dançamos os cinco juntos, na verdade a gente só pulava e balançava os braços no ritmo da musica, enfim... Dançavamos? Não sei... mas era divertido ver a expressão no rosto de Shawn, ele meio que não bate muito bem da cabeça e pra dançar então? Comédia. Até que Sophia entra no meio tentando agarra-lo, Amanda me lança um olhar de ódio. Sophia sempre a provocou e agora com Shawn aqui, ela iria fazer de tudo para chamar a atenção. Ele me lança um olhar de socorro e sorrio com sua expressão. Sua música começa, No promises toma conta do lugar, me aproximo e ele segura o meu braço, se desvencilhando de Sophia, me puxa pela cintura, coloco os braços em seus ombros, me aproximo e nossos olhos se encontra. 

-Fugindo de seu amor é?-Digo irônica.

-Ah, tentando... -Ele ri. Presto atenção na letra da musica e ergo a sobrancelha. 

-Sem promessas? -Ele me observa e algo em seu olhar muda, pensando a respeito, me distanciado de si, ele me rodopia e puxa contra seu corpo novamente, fazendo com que meu cabelo balance levemente.

-Você não é dessas. -Diz simplesmente, fazendo com que meu peito lute contra as costelas novamente, suspiro pesadamente e não há nada o que responder, meu rosto queima.

Amanda nos chama para ir embora, avisa que é pra eu ir com Charlie e Shawn no carro, pois ela vai tentar, TENTAR levar um bem louco Carlos para casa. Charlie e ela discutem, mas no fim das contas ele sede. Dando um beijo estralado em sua namorada, nos despedimos dos amigos e vamos embora. Lá fora o clima está gelado e Shawn me entrega a sua jaqueta novamente. Ao entrar lanço meu salto ao chão e deparo-me com meus pés latejando e vermelhos, uma dor de cabeça grita. Shawn senta no banco de trás comigo, e vai tagarelando sobre qualquer coisa com Charlie, enquanto permaneço lutando contra o sono. 

Algo passa despercebido por mim e...
 



Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...