História Antigas histórias, eternos amores - Capítulo 2


Escrita por: ~

Postado
Categorias Bangtan Boys (BTS), GRAY
Personagens GRAY, J-hope, Jimin, Jin, Jungkook, Personagens Originais, Rap Monster, Suga, V
Tags Bts, Imagine, Namjoon, Rap Monster, Rapmon, Suga, Yoongi
Exibições 30
Palavras 2.022
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Crossover, Hentai, Romance e Novela
Avisos: Álcool, Heterossexualidade, Insinuação de sexo, Linguagem Imprópria, Nudez, Sexo
Aviso legal
Os personagens encontrados nesta história são apenas alusões a pessoas reais e nenhuma das situações e personalidades aqui encontradas refletem a realidade, tratando-se esta obra, de uma ficção. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos, feita apenas de fã para fã sem o objetivo de denegrir ou violar as imagens dos artistas.

Notas da Autora


Eu decidi que, tendo leitores ou não, vou tentar postar aqui uma vez por semana. Eu realmente gostei dessa história que quero continuá-la!

Capítulo 2 - Amizade, festa e... O quê?!


Namjoon POV

Há algumas semanas eu mantinha uma intensa conversa com a Hyemi. Ela me contou toda a história entre ela e o Suga, o que ela tinha passado após o término... Porra, foi muita coisa. Horas de conversa no Kakaotalk, às vezes ela me ligava e deu um baita apoio ao comeback do nosso grupo, mesmo que de longe por causa da promoção do seu primeiro feat. com um dos colegas da gravadora. Por mais que ela gostasse do Yoongi, notei que ela evitava a todo custo revê-lo... Seria vergonha? Medo?

Um dia, tive a oportunidade de perguntar isso pessoalmente. Ela pediu que eu a encontrasse em um café porque queria me mostrar algumas letras da época do término, então provavelmente seria um momento e assunto perfeito .

Me arrumei de forma simples. Coloquei um boné e uma máscara e já me preparava para sair do dormitório quando ouvi a voz de Suga atrás de mim:

- Onde você vai? Está cedo. – Ele olhou o relógio da cozinha e voltou novamente o olhar para mim. – Vai ver alguém?

- É... Algo assim. Uma amiga. – Cocei a cabeça tentando não parecer nervoso com a situação. Abri a porta e me escorei nela.

- Oh, entendo. Até mais tarde então.

Apenas concordei com a cabeça e saí, mesmo tendo certeza que ele suspeitava de algo. Eu não estava fazendo nada de errado, só vendo uma amiga! Claro que essa amiga era a ex-namorada dele, mas... Não estávamos fazendo nada, certo? Não era errado.

 

Hyemi POV

Como de costume, eu estava atrasada. Aish, eu tinha que parar com essa merda de mania de dormir tarde da noite antes de compromissos importantes. A minha sorte é que a cafeteria que eu tinha marcado de encontrar com o Namjoon era bem perto do meu apartamento, então esse não era o meu maior problema. As folhas com as letras que eu prometi mostrar a ele estavam espalhadas pela escrivaninha, foi realmente demorado organizar todas de forma correta, ainda mais porque eu estava escovando os dentes e arrumando o cabelo ao mesmo tempo que fazia isso.

Quando acabei de organizar as letras e me arrumar, corri para fora do apartamento e me apressei em chegar no lugar. Assim que entrei, avistei um homem de boné e máscara, ambos na cor preta, e já me sentei em sua mesa pedindo desculpa inúmeras vezes.

- Eu acabei dormindo demais de novo. Você pode me perdoar, sim? – Abri um sorriso e ele retirou a máscara, fazendo o mesmo.

- Você não muda, não é? Pouco tempo que te conheço e você já me trata com esse descaso... Aish!

Rimos um pouco e conversamos de forma descontraída antes que eu mostrasse as letras. Enquanto eu pegava-as em minha bolsa, me assustei quando ele me perguntou o porquê de ficar evitando Yoongi. Entreguei-lhe as folhas, mas ele nem botou os olhos nelas; vi que teria mesmo que responder àquela pergunta.

- Olha, eu... Não sei se ele ainda me odeia. Por tudo o que aconteceu, não sei mais no que ele acredita, muito menos no que eu acredito. Eu gosto dele e não vou negar isso nunca, mas a minha vida não pode parar por isso. – Suspirei. Um silêncio constrangedor imperava entre nós, o barulho que havia de pessoas conversando parecia ser mínimo perto daquele clima tenso. – Se eu ver ele e me aproximar de novo, eu tenho medo... Medo de querer largar tudo por causa dele.

- Hyemi... Me desculpe. Não era da minha conta.

Só depois que ele disse isso que notei uma lágrima descendo pelo meu rosto. Ele passou o dedo pela minha bochecha para secá-la, parecendo algo como “eu estou aqui pra você”, mesmo que ele não dissesse, mesmo que nos conhecêssemos pouco.

Senti um arrependimento de já ter entregado as folhas nas mãos dele, já que aquelas letras, escondidas à sete chaves, falavam de Yoongi, do quanto eu o amava e sentia falta de sua presença. Por um momento até pensei que ele teria pena de mim, ainda mais pelo que eu havia acabado de dizer, mas ele apenas elogiou as letras, dizendo que era o tipo de música que nos tocava o coração ao ouvir.

 

Alguns meses depois...

 

O BTS estava em seu período de férias, finalmente. Eu podia ver Namjoon com frequência e até conheci alguns dos outros membros ao visitar o dormitório quando Yoongi não estava. Jimin me disse que ele saia para beber à noite e estava estranho, parecia deprimido, então eu lembrei: recentemente um antigo amigo nosso havia falecido por problemas de saúde, além de, neste ano, completar 5 anos desde que o nosso relacionamento acabou. Tudo deve ter sido um baque para ele, e eu ficava cada dia mais preocupada, cada dia mais o sentimento de saudade crescia em mim.

Nesse meio tempo eu havia saído com vários homens, nenhum realmente interessante, e logo haveria uma festa particular de um amigo, que eu com certeza precisava de um acompanhante. Eu pensei em chamar o Gray, mas me disseram que ele ficou chateado quando eu disse que o nosso relacionamento nunca passaria de “uma noite”. Qual é, não era possível que ele tivesse se apegado tanto assim, não é? Nós passávamos muitas horas juntos fazendo música, algumas mais nos divertindo, mas... Ele realmente queria algo sério? Não ia rolar.

De toda forma, a data da festa se aproximava e eu não tinha pensado em quem chamar ainda, não dava pra ser qualquer pessoa. Então, numa tarde no dormitório do BTS, eu tive a brilhante ideia de levar o Namjoon.

- Waaaah, vocês deveriam sim ir juntos! – Jin estava sentado no sofá junto com Jungkook enquanto eu lavava a louça do almoço e Nam arrumava as coisas, colocando tudo em seu devido lugar.

- Isso não seria tipo um encontro? – Jimin provocou. Sabia que eu e Namjoon tínhamos ficado bem próximos, ele adorava brincar com isso.

- Não! – Dissemos em uníssono, eu e Namjoon. Continuei: - Eu não sei se realmente deveria, vai ser uma festa chata. Bebidas, música alta demais, danças sensuais... Será?

Houve mais uma discussão de meia hora sobre os prós e os contras da tal festa até que chegássemos a conclusão final: nós dois iriamos juntos sim. Afinal, o que teria de mal curtir um pouco?

 

Ainda no táxi, eu estava hesitante de sair de lá. Nam me acordou do transe, abrindo a porta e me dando a mão para que eu pudesse sair. Me agarrei ao braço dele e sussurrei um “não deveríamos estar aqui”, mas ele ignorou o que eu disse e apenas sorriu. Entramos no local e fomos até a mesa de Simon e Gray, os dois estando acompanhados. Enquanto Simon nos cumprimentava de maneira calorosa, Gray olhou da maneira mais fria possível para nós dois e apenas cumprimentou de forma seca, quase como se fosse uma obrigação. Nos sentamos junto com eles e Namjoon conversava com Simon sobre algo que eu mal prestava atenção, mas abaixei a cabeça quando senti o olhar de Gray ainda sobre mim. O que eu estava fazendo? Eu não era assim. Provavelmente era um sentimento de culpa, ele era um cara legal... Porém, eu não podia prometer mil amores pra alguém enquanto penso em outra pessoa. Senti o loiro ao meu lado pegar em minha mão e apertá-la de leve, então levantei a cabeça e ele sussurrou “Eu estou aqui, não se preocupe”. O mesmo sentimento que tive na cafeteria um tempo atrás... Ele estava me consolando.

A música estava alta e cada vez mais dançante, atraindo muitas pessoas para a pista de dança. Eu, Namjoon, Simon e Bona, acompanhante de Simon, ficamos apenas conversando e bebendo, rindo de piadas e tudo mais. Não sabia mais se estava bebendo pela festa, pela preocupação com Yoongi ou para parar de me importar com os olhares de Gray. Aliás, este último estava todo animado na pista de dança com “sua mulher”, que nem o nome se dignou a dizer, provavelmente querendo me deixar com ciúmes. Uma tentativa falha.

Algumas horas se passaram e, no meio da festa, uma declaração inesperada: Simon pedindo Bona em namoro. Depois de todo um texto ensaiado que, conhecendo ele bem, havia ficado horas pensando em como expressar seus sentimentos, uma música romântica começou a tocar. Nam, que até agora tinha ficado sentado ao meu lado, levantou-se e me estendeu a mão direita.

- Quer dançar comigo?

Por causa do álcool, tive dificuldades em levantar e, quando consegui, quase caí em cima dele. Rimos, mas o clima ficou estranho quando notamos a proximidade de nossos rostos e pior ainda quando nos pegamos um olhando para os lábios do outro. Ele pigarreou e me levou até a pista, segurando em minha cintura de modo desajeitado por também estar um pouco bêbado; enquanto isso, eu coloquei meus braços ao redor de seu pescoço e, assim, com os corpos colados, dançamos as duas ou três músicas românticas que tocaram em seguida. 

Já na última música, eu, que antes estava com a cabeça encostada no peito do rapaz, levantei a cabeça novamente para olhá-lo nos olhos. O que era aquela sensação? Eu não sabia se era o efeito do álcool novamente, a luz ou a música, mas de alguma forma eu estava me sentindo atraída por tudo aquilo. Aproximei meus lábios dos dele, que não se afastou, iniciando um beijo calmo. Ele apertava minha cintura, eu acariciava o cabelo dele... Foi um momento e tanto, mas, quando nos separamos, eu não sabia o que sentir nem o que dizer mais. Ele apenas sorriu e voltamos à nossa mesa, visivelmente envergonhados.

Não demorou muito para irmos embora, já que estava bem tarde. Pegamos um táxi até o dormitório do BTS e, no meio do caminho, Namjoon quebrou o silêncio:

- Olha, está tarde e... Você podia dormir lá no dormitório, Mimi. Amanhã cedo você vai pra sua casa. – Ele falava pausadamente, como se escolhesse as palavras certas.

- Tudo bem, Nam, mas amanhã cedo eu prometo que não estarei mais lá pra te perturbar!

 

Namjoon POV

Estava difícil de acreditar ainda que havíamos nos beijado, foi tão doce que... O que eu estava pensando? Ela é a mulher do Suga, eu não posso fazer isso. Agora eu entendia porque ele gostava tanto dela, porque ele deixava aquela foto dos dois em cima do criado-mudo.

Entramos no dormitório o mais silenciosamente possível, comigo guiando Hyemi pelos cantos da casa e, ao entrar no quarto, nem acendemos a luz para não acordar Seokjin. Peguei uma blusa minha e entreguei a ela, que já se despia. Com a escuridão do quarto, a única coisa que eu podia ver eram as curvas de seu corpo, o que mesmo assim parecia que me levaria à loucura. Balancei a cabeça para espantar aqueles pensamentos e fui até a cama, ajeitando-a para que Hyemi pudesse se deitar nela.

Vestida apenas com a blusa que lhe entreguei e suas roupas íntimas, a loira agarrou-se ao meu braço e sussurrou com a voz manhosa:

- Você vai deitar comigo, não vai? Eu tenho medo de dormir só...

Ela se jogou na cama e pareceu desmaiar de tanto sono e talvez pela bebedeira, só notei que ela estava acordada quando, depois de me trocar também, deitei ao seu lado e ela me abraçou. Afaguei seus cabelos e assim dormimos, juntos.

Yoongi POV

Já eram quase onze horas da manhã e Namjoon continuava dormindo em seu quarto. Que noite, hein? Jimin me disse que ele iria a uma festa com a nova amiga dele, e pelo visto a noite foi ótima. O problema é que eu precisava ir especificamente com o ele para resolver alguns detalhes da nossa viagem de férias, então eu teria que acordá-lo.

Entrei no quarto sem bater na porta, mas me arrependi logo em seguida. Olho para a cama de Namjoon e me deparo com Hyemi, a minha Hyemi, dormindo com a cabeça encostada no peito dele enquanto as malditas mãos daquele idiota estavam ao redor do corpo dela. Não me contive, eu já não sabia se aquele sentimento era inveja ou ciúme quando gritei:

- Que porra é essa, Rapmon?!

 

 



Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...