História Antisocial - Capítulo 8


Escrita por: ~

Postado
Categorias Originais
Personagens Personagens Originais
Tags Amigos, Antisocial, Colégio, Originais
Exibições 38
Palavras 1.223
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Artes Marciais, Colegial, Romance e Novela, Shoujo (Romântico)
Avisos: Bissexualidade, Heterossexualidade, Homossexualidade, Insinuação de sexo, Linguagem Imprópria, Sexo
Aviso legal
Todos os personagens desta história são de minha propriedade intelectual.

Notas do Autor


Oi pessoas.
Como o prometido, aí está o capítulo.
Espero que gostem.
Beijos.
💙💙💙

Capítulo 8 - Ele sempre nos atrapalha.


Lara on:

Depois que terminamos de organizar, faço mensão de ir para meu quarto.

- Lara. – Axel me chama.

- Sim?

- Temos que conversar sobre ontem e também sobre essas ligações.

- Ok. Achei que íamos passar o dia sem falar sobre isso. 

Vamos para sala e ela começa a falar:

- Primeiro, quem caralhos é aquele garoto que nos atrapalhou? – Ela pergunta com uma expressão irritada.

- Bom...ele é um garoto da minha escola, que insiste em ser meu "amigo". – Oculto a parte da conversa que ouvi ontem. Não quero preocupar a Axel com isso, sei cuidar dos meus problemas.

- Ok. Então ele é nosso vizinho. Vou precisar dar uns sacodes nele, Lara?

- Não. Você sabe que não precisa agir como minha babá. 

- Desculpa. É que eu me preocupo com você.– Ela diz isso passando a mão pela minha bochecha e colocando uma mecha de cabelo atrás da minha orelha. 

Levanto minha cabeça, que até então estava abaixada, e encaro suas orbes azuis. Ficamos nos encarando por um tempo, até que ela vira o rosto e diz:

- Sobre ontem...eu queria me desculpar. O que eu fiz foi por impulso. Sei que não deveria ter feito aquilo, mas eu não aguentava mais me segurar. Eu sempre gos...

O som da campainha não deixa ela terminar e, não sei porquê, mas isso me deixou com raiva. Me levanto e abro a porta.

"Era só o o que me faltava. Tinha que ser o Rafael para nos atrapalhar novamente."

- O que você quer Rafael?

- Esse garoto de novo?! Olha cara, já é a segunda vez que você nos atrapalha.– Diz Alex enquanto se levanta e vem até a porta.

- Oi Lara. Estou atrapalhando o que, posso saber?– Rafael perguntA

- Não é da sua conta. Mas voltando ao assunto, o que você que?

- Ah! Eu queria conversar. Você disse que depois poderia conversar.

- É, eu disse, mas não disse quando.

Ele fica sem graça e Axel que até então não estava entendendo nada, mas viu que o clima está tenso, diz:

- Você não gostaria de ficar pro jantar, é...

- Rafael.– Ele completa.– Gostaria sim de ficar.

Na mesma hora me viro para ela com os olhos arregalados e com muita raiva. Ela ignora e continua.

- Então pode entrar e ficar a vontade, já vou começar a fazer o jantar.– Ela da passagem para o mesmo e ele entra. – Acho que não nos conhecemos. Prazer, Axel, sou prima da Lara.

- Prazer, Rafael. Vocês são primas mesmo?! É que eu vi vocês...deixa pra lá.

Nos dirigimos para sala. E Axel senta no sofá menor, Rafael se senta no sofá maior e eu me sento na poltrona.

- Hã... O que vocês querem comer?– Pergunto, já que Axel não sabe cozinhar.

- Qualquer coisa que você fizer tenho certeza de que ficará bom. – Rafael diz e eu reviro os olhos.

Meu celular, que até que enfim tirei do silencioso, começa a tocar e eu atendo.

Ligação on:

- Alô, Lara? Você tá ai?– Reconheço a voz de minha tia.

- Oi tia. Calma, já tô aqui, pode falar.

- É que eu preciso que você arrume o sótão para mim. Quero transformar aquele lugar em um mini escritório para quando eu estiver na cidade. – Ao ouvir a palavra sótão, arregalo meus olhos e me viro em direção a Lara.

- Claro tia. A Axel tá aqui, você quer falar com ela.

- Não, já vou desligar, tenho uma reunião importante daqui a pouco.

- Ok, tchau.

Ligação off:

Ela desliga sem ao menos se despedir. Olho para Axel com uma expressão de consolação e me aproximo da mesma, ignorando a presença de Rafael e dou um beijo em sua testa.

- Me desculpa Axel. Achei que ela iria querer falar com você. – Digo, me arrependendo sinceramente.

- Tudo bem, eu sei que você fez aquilo com as melhores das intenções. Já deveria me acostumar com ela me tratando assim.

- Ela disse para arrumar o sótão.– Ela arregala os olhos, como já era esperado.

- Como assim?! Ela nunca deixou a gente nem chegar perto do sótão. – Isso mesmo, nossa tia nunca deixou a gente chegar perto do sótão. 

- Bom ela disse que vem esse final de semana para casa, então temos que arrumar até lá. Que tal pedirmos um sanduíche para comer e já começamos a arrumar hoje?

É, isso seria bom, aquele sótão deve estar uma bagunça.

- Se vocês quiserem, eu posso ajudar?– Rafael, que até então estava calado observando o que ocorria, disse.

Axel e eu nos encaramos e resolvo responder:

- Melhor não, Rafael. Lá tem coisas muito pessoais. Bom, vamos pedir a pizza?

- Eu ligo e peço.– Diz Axel se levantando e indo até o telefone de casa, que fica na cozinha, não me perguntem porquê, deixando Rafael e eu sozinhos na sala.

Um silêncio constrangedor paira entre nós, até Rafael quebra-lo.

- Desculpa por ter invadido sua casa ontem.– Ele diz.

- Ok.– Digo seca.

- Você e a Axel têm alguma coisa?

- Não. – Digo, mas murmuro um "ainda" para mim mesma.

- Que bom. – Ele arregala os olhos percebendo o que dizer e eu não pude deixar de rir. – Quero dizer, é que, a esquece.

Eu, que ainda estava em pé, me sento no sofá menor. 

- Era isso que você queria conversar? 

- Não.– Ele se levanta e se senta ao meu lado. Se aproxima do meu ouvido.– Eu queria conversar sobre como você tem me ignorado esses dias. Sabe que eu me importo muito com você, não quero que me odeie.– Ele diz sussurrando e seus lábios encostam de leve em meu ouvido, me fazendo arrepiar.

O afasto bruscamente. Sabia bem o que ele realmente queria e que ele não se importa comigo de verdade.

- Quando foi que eu te dei essa intimidade garoto?! 

Axel volta da cozinha e Rafael não responde.

- Os sanduíches vão chegar daqui meia hora. Que tal jogarmos algo enquanto isso? – Ela pergunta animadamente.

- Tá.– Respondo sem ânimo.

- Seria muito legal. – Rafael diz, demonstrando também estar animado com a sugestão.

- Lara, me ajuda a procurar os jogos que temos aqui em casa.

- Tá Axel. Vem, eu sei exatamente onde ficam.

Levo Axel para o quarto de hóspedes, lá tem um armário onde ficam os jogos.

- O que Rafael você e Rafael estavam conversando enquanto estava na cozinha? – Axel, como sempre sem rodeios, me pergunta.

- Bom...– Paro para pensar em como dizer para ela.

Em um rápido movimento ela me prensa na parede me deixando de frente para a mesma e de costas para ela.

- Ele estava perto demais de você, não gosto disso. – Ela diz sussurrando, bem próximo a minha orelha, mordendo a mesma no final e se afastando. 

Acabo corando muito, sinto meu coração batendo rapidamente. Durante toda a nossa busca por um bom jogo, evito olhar diretamente em seus olhos e toda vez que nossos olhares se cruzam, desvio o olhar.

Pegamos um jogo de tabuleiro qualquer. Que Axel acaba ganhando. A comida chega e comemos.

- Já tá tarde. Vou indo para casa. Tchau Axel.– Ele diz fazendo um asceno com a mão.– Tchau Lara. – Ele se aproxima e me abraça, não retribuo, pois a surpresa me impede. 

Rafael vai embora. E eu subo rapidamente para o meu quarto e me tranco. 

"Não quero falar com a Axel. Meu coração parece que vai saltar do peito todas as vezes que nos aproximamos, desde o que aconteceu ontem a noite."

Tomo um banho rápido, visto um pijama qualquer que achei no chão do quarto e me deito na cama e logo caio no sono.

Continua...




Notas Finais


Espero que tenham gostado.
Sinceramente, não fiquei feliz com esse capítulo, mas ele era necessário.
Desculpe qualquer erro ortográfico.
Beijos.
💙💙💙


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...