História Anxiety Crisis - Capítulo 1


Escrita por: ~

Postado
Categorias EXO
Personagens Chanyeol, Xiumin
Tags Ansiedade, Chanmin, Xiuyeol
Visualizações 141
Palavras 917
Terminada Sim
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 12 ANOS
Gêneros: Drama (Tragédia), Universo Alternativo

Aviso legal
Os personagens encontrados nesta história são apenas alusões a pessoas reais e nenhuma das situações e personalidades aqui encontradas refletem a realidade, tratando-se esta obra, de uma ficção. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos, feita apenas de fã para fã sem o objetivo de denegrir ou violar as imagens dos artistas.

Notas do Autor


Gente, voltei com o plot da Gio pq ela só plota hino lasjkdalsjfasf

Bom, tentei retratar a ansiedade da melhor maneira que consegui, apesar de sofrer desse mal eu não sei bem como escrever o que se sente em relação a isso, espero que gostem!

Boa leitura~~

Capítulo 1 - Falta de ar


As pálpebras estavam fechadas com força e os cílios tremiam levemente conforme os soluços eram segurados no fundo da garganta. Não queria chorar mais uma vez. Sua respiração se tornava pesada e seu peito começava a doer, uma ânsia se formava dentro de si e o ar parecia estar sumindo pouco a pouco. Droga, pensou, lá vinha a ansiedade atacar mais uma vez.

Chanyeol estava trancado no banheiro da lanchonete onde tinha marcado de se encontrar com Jongin, mas o moreno não tinha aparecido. Na primeira hora, pensou que talvez tivesse acontecido algum imprevisto e tentou falar com o amigo, mas suas mensagens não foram respondidas e suas ligações caíram na caixa postal. Então Chanyeol resolveu esperar. Demorou cerca de quatro horas para que ele percebesse que o outro não iria se encontrar com ele e que não fizera questão alguma de desmarcar, o que levava à preocupação que Chanyeol sempre tivera ao fazer novos amigos.

Ele tinha pouco mais que 22 anos e era completamente diferente do seu eu do passado. Costumava ser alegre e fazer amigos com facilidade, sempre com um bom humor invejável e piadinhas na ponta da língua para conseguir se enturmar fácil. Porém, depois de um tempo, todos os seus amigos começaram a se afastar, mais precisamente quando um antigo relacionamento seu tinha acabado e seu mundo pareceu desmoronar. Ele pensou que aquilo fosse por causa do sumiço repentino do bom humor e das piadinhas, então tentou voltar ao que era antes, mas nunca realmente conseguiu.

Não tinha ninguém ali que o aturasse falando sobre como a vida era uma droga e que ele nunca mais queria amar ninguém.

Chanyeol pensava que seria retribuído, sabe? Ele sempre foi o ombro amigo de alguém, ouvindo lamúrias e chateações alheias com total compreensão. Pensava que podia confiar naqueles que pareciam confiar em si. Foi ingênuo ao pensar isso.

Aos poucos ele se afundou na depressão e suas piadas serviam para esconder aquilo. Não tinha muitos amigos já que a maioria já nem falava mais com ele, todos simplesmente sumiram de sua vida sem uma explicação satisfatória. Também não fez questão de correr atrás, não depois de conhecer Minseok.

Minseok era mais velho e morava a duas cidades de distância. Conheceram-se através de um jogo online e acabaram mantendo contato fora dos personagens fictícios. Tornaram-se bons amigos.

Chanyeol agora tinha uma pessoa que o ouvia quando se sentia mal e podia contar tudo ao outro em ligações extremamente longas que sempre recebia a compreensão do outro. O coreano mais velho parecia ter sido um anjo com a missão de aquecer o coraçãozinho quebrado do Park, mesmo que fossem apenas amigos, aquela amizade era a única que fizera bem para Chanyeol. Ligava para Minseok quando tinha crises, mandava mensagens quando sentia que queria fazer alguma besteira e, em troca, tinha o outro lhe acalmando e dizendo que tudo aquilo iria melhorar.

Naquele instante, quando as mãos começaram a tremer em excesso, Chanyeol buscou pelo celular no bolso e entrou rapidamente no chat de Minseok.

 

Chanyeol:

Ei você pode me ajudar?

Acho que to tendo outra crise

To sozinho

 

Enviou as mensagens sabendo que ele seria o único a entendê-lo. Por incrível que pareça, Chanyeol confiava sua vida em Minseok. Talvez pelo modo como o outro parecia estar sempre cuidando de si e agindo como um pai coruja, mesmo quando estava ocupado com as coisas da faculdade sempre arranjava um jeitinho de ajudá-lo em suas crises. Era um dos motivos para que Chanyeol não tivesse medo de mandar mensagens a hora que fosse ao outro.

Certo, na noite anterior tinha discutido com o amigo por causa de algo que sequer se lembrava mais, mas já tinha discutido antes e sempre acabavam voltando ao de sempre. Amigos. Amigos de verdade.

Seu celular vibrou.

 

Minseok:

Não posso falar, Chanyeol

To ocupado, procura seus amigos

Não dá pra falar agora

 

Os olhos do Park piscaram surpresos e ele sentiu o aperto em seu peito aumentar. Ele não queria acreditar que seu amigo, aquele que sempre fez questão de estar ao seu lado, estava o deixando quando mais precisava.

 

Chanyeol:

Mas você prometeu

Prometeu que estaria aqui sempre que eu precisasse

 

Minseok:

Chanyeol, eu sou ocupado demais

Não posso ficar te dando atenção sempre que tem um de seus chiliques

 

A respiração estava se tornando mais lenta e pesada, o rapaz procurava por ar e ele já não conseguia achar oxigênio nenhum. Seu peito parecia estar sendo prensado, como se estivessem socando aquela região sem cessar, começando a deixá-lo desesperado e o fazendo escorregar pela parede do banheiro miúdo para se sentar no chão; seu estômago pareceu girar.

Minseok sempre tinha sido tão compreensível, tão fiel ao dizer que estaria ali sempre, dando apoio e se mantendo por perto sempre que possível. Eram íntimos e compartilhavam tantos segredos. Chanyeol não queria acreditar que estava perdendo a única pessoa que realmente acreditou que ficaria com ele acima de qualquer coisa.

Seus olhos marejaram enquanto digitava freneticamente no celular.

 

Chanyeol:

Desculpe atrapalhar você

Não vou mais tomar seu tempo

 

E então desinstalou o aplicativo por onde conversava com o mais velho. Não estava pensando muito, estava apenas triste demais e queria dar ao outro o que ele queria. Menos de seus chiliques, de suas súplicas, de seus pedidos de socorro.

Seu corpo tremia e não demorou muito para que se apoiasse na privada, abrindo a tampa com força e colocando o pouco que seu estômago tinha para fora.

Estava sozinho mais uma vez.


Notas Finais


Talvez eu tenha deixado o tema bem ruinzinho, queria ter feito algo maior, mas vou ser franca, foi um desafio TENTAR escrever sobre ansiedade, porque o negócio é bem mais tenso do que parece.

Até a prox~~ xx


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...