História Anything For We - Capítulo 5


Escrita por: ~

Postado
Categorias Cameron Dallas, Magcon
Exibições 152
Palavras 2.613
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Ação, Crossover, Festa, Romance e Novela
Avisos: Álcool, Heterossexualidade, Insinuação de sexo, Nudez, Sexo, Violência
Aviso legal
Os personagens encontrados nesta história são apenas alusões a pessoas reais e nenhuma das situações e personalidades aqui encontradas refletem a realidade, tratando-se esta obra, de uma ficção. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos, feita apenas de fã para fã sem o objetivo de denegrir ou violar as imagens dos artistas.

Notas da Autora


OLÁ OLÁ OLÁ
Demorei muito, eu sei, mas tenho uma boa notíciaaaa
EU ESTOU DE FÉRIAS
Vou atualizar com mais frequência e tal
Vamos ao cap o/

Capítulo 5 - Festinha.


Uma semana havia se passado desde do dia em que eu e as meninas entramos pro grupinho dos garotos. Amanhã seria meu aniversário e também o baile da formatura. Estava animada e triste ao mesmo tempo, aliás, eu iria sair da escola, terminar o colegial, não sei se estava pronta pra isso. 

Mentira, estava sim.  

Minha mãe e Gina ainda não tinham chego da viajem, dona Alana amou tanto NYC que até falou que vai se mudar pra lá, já que eu vou completar 18 anos, daria pra me virar. 

Pode uma coisa dessa? 

Eu e Cameron nos aproximamos muito essa semana. Todos os dias, praticamente, ele ia no meu trabalho no fim do expediente, me buscar e me levar pra casa.  

Nash. O caso de Nash é complicado, tem dia que ele ta todo amorzinho comigo, mas tem dia que ele lembra de tudo o que fiz pra ele e Cameron, e acaba ficando bravo, não dá atenção, dá algumas patadas, etc. Mas fora isso, ele está sendo um ótimo amigo, e se aproximou bastante de mim também. 

- Jess, tô falando com você, porra. – Jade fala, me dando um tapa na cabeça. 

- Que saco hein? Fala logo. – Falo, fazendo cara de brava e passando a mão no lugar em que ela acertou. 

- Eu estava falando que eu e o Matt estamos muito próximos. – Revirei os olhos. – Não revira os olhos pra mim! Continuando... Eu acho que ele vai me chamar  pro baile. 

- Ainda existe isso do garoto chamar a menina pra ir no baile? – Faço uma cara de nojo e continuo. – Porquê acha isso? 

- Não sei... Ele anda meio estranho esses últimos dois dias. Nunca tem tempo pra conversar comigo, ta sempre correndo pra lá e pra cá.. 

- Talvez ele tenha arrumado alguém melhor. – Murmurei, observando Jade ficar brava em um instante. 

- Será? Se aquele filho da puta me trocou por alguma vadia, ele vai se ver.. 

- Calma aí, vocês já se pegaram? – Interrompo-a, me sentando em minha cama. 

- Não, mas... Ah, porquê eu tô tendo esse chilique todo? Não era pra mim ficar preocupada com isso. – Ela diz, fechando os olhos e suspirando. 

- Você gosta dele. 

- O quê? 

- Você gosta dele, ué. Tá na cara Jade, nem adiantar negar que não; 

- Tá bom, talvez eu goste um pouquinho. Mas, só um pouquinho. 

- Me engana que eu gosto. – Falo rindo. 

- Vamos chamar as meninas? 

- Não posso. – Falo, torcendo a boca. – Daqui a pouco eu vou sair com o Cam. 

- Só sabe sair com ele agora. – Ela fala, bufando. – Onde vocês vão? 

- Não sei. – Falo rindo. – Ele me disse que é surpresa. 

- Hum, safadão. Usa camisinha, tá? – Ela fala, se levantando. 

- Vai se foder. – Falo, jogando uma almofada nela. 

- Você vai, e vai foder bem. – Ela gargalha, fechando a porta assim que eu ameaço jogar outra almofada. 

Dou uma conferida no meu celular e vejo que tinha uma mensagem de Jake. Que estranho. 

Oi Jess, tenho uma péssima notícia. A lanchonete faliu, fomos todos pro olho da rua :( 

Como assim? Fui despedida? 

O que aconteceu?. Mando pra Jake. 

Porra, agora que tudo estava correndo bem, me vem isso? E o pior, não poderia contar pra minha mãe, ou então, ela iria me obrigar a ir morar com ela, e deixar Seattle, era o que eu menos queria.  

Não sei muito bem, o chefe só me falou isso, ele vai acertar tudo pelo banco, não precisamos ir até lá. 

Passo a mão no cabelo, tensa. Pensei em desmarcar com Cam, mas talvez sair com ele me ajude. Resolvo ir tomar um banho gelado, pra me acalmar um pouco, e logo que saio, pego uma muda de roupa, que continha uma blusinha preta de alça, uma calça jeans e roupas intimas. Me visto, e logo começo a passar meu querido e inseparável rímel. 

Ouço uma buzina e imagino ser Cameron, pego minha blusa de frio, e passo perfume, logo descendo as escadas, desligando as luzes. Abro a porta, encontrando Cameron encostado no carro, vestindo uma calça escura, uma camiseta vermelha e boné. 

- Oi Cam, vamos? – Falo, fechando a porta atrás de mim. 

- Tá gatinha. – Ele diz, rindo. 

- Você até que dá pro gasto. – Falo, fazendo cara de patricinha. 

- Metida. – Ele diz, rindo. – Vamos logo, quero te contar uma coisinha. 

- Eu também. 

▲▼▲ 

- Então Jess, preciso te contar uma coisa meio séria. – Cam fala, observando a vista de Seattle. 

Estávamos na cobertura de um prédio abandonado que Cameron tinha achado essa semana. E daqui de cima, dava um linda vista de metade da cidade de Seattle. 

- Pode dizer, Cam. – Falo, me escorando no pequeno "muro" que tinha, pra ninguém cair. 

- Eu estou milionário. – Ele fala sem enrolar.  

- Eu ganhei uma casa. – Falo rindo. – Conta outra Cam. 

- É sério Jess. – Ele diz, suspirando. Logo trato de tirar meu sorriso do rosto assim que percebo que era sério. 

- Como assim? 

- Bom, eu fiquei sabendo hoje mais cedo, meu pai me deixou uma herança milionária, e deixou as empresas que tinha no meu nome. – Ele engoliu em seco e continuou. – Eu nem sabia que ele era tão rico assim. 

- Que notícia ótima Cam! Mas, o seu pai ainda está vivo, não é? – Pergunto, preocupada. 

- Não... Mas não diga nada a respeito, não quero ver seu olhar de pena. – Ele fala, finalmente me olhando. – digamos que eu não tinha contato com ele, então não faz tanta diferença. 

- Não diga isso Cameron, ele é seu pai. – Falo, o olhando. 

- Você não conhecia ele Jess. – Ele da uma risada nasalada. 

- Certo, então... você agora é dono de uma rede de empresas inteira? – Pergunto, sorrindo. 

- Mais ou menos. – Faço uma cara de confusa e ele logo continua. – Eu vou precisar me casar com alguém pra poder liderar tudo. 

- Isso não é problema pra você, convenhamos.  

- Não mesmo. – Ele diz, sorrindo de lado. – Mas não quero levar qualquer uma pro altar. 

- Menos mal. – Olho em meu celular, vendo que era 2h da manhã. – Vamos ir embora? Tá ficando tarde, e manhã vai ser o baile. 

- Vamos. 

Descemos as escadas do prédio com a lanterna do celular ligada, e assim que chegamos na rua, entramos no carro. Logo, Cameron começou a dirigir em direção a minha casa, em silêncio. 

- Fui despedida. – Falo, olhando a janela. 

- O quê?  

- A lanchonete faliu, e eu e Jake acabamos no olho da rua. 

- E agora? – Ele pergunta, se virando rapidamente pra mim quando paramos em um sinal vermelho. 

- Eu estou me fazendo a mesmo pergunta, e o pior, minha mãe vai se mudar pra Nova Iorque, se eu contar pra ela, ela vai me obrigar a se mudar junto dela. – Falo, sentindo meus olhos se encherem de lágrimas.  

- Não se desespera, vamos dar um jeito. – Ele fala, sorrindo. Assinto, e assim seguimos pra minha casa. 

▲▼▲ 

Acordei no outro dia muito disposta. Afinal, era meu aniversário e finalmente o baile da formatura. 

Olhei em meu relógio e já eram quatro da tarde, eu dormi tudo isso? 

Peguei meu celular vendo umas trocentas ligações, da minha mãe, das meninas, dos meninos, e do meu pai. Resolvi retornar a da minha mãe em primeiro lugar. 

- JESSIE 

- Oi mãe. – Falo, rindo. 

- Parabéns meu amor, desculpa não estar ai com você. 

- Sem problemas mãe, logo irei te visitar. Obrigada por tudo. – Falo, indo em direção ao banheiro. 

- Daqui uns dias, alguns funcionários da empresa irão buscar minhas roupas, certo? 

- Certo, mãe. Tenho que desligar, te amo. – Desligo a chamada, e logo em seguida ligo para meu pai, que atende em dois toques. 

Que rápido. 

- Parabéns minha filha, tudo de bom pra você. – Sorrio em ouvir sua voz. 

- Muito obrigada pai, quando vem me visitar? – Pergunto, sorrindo. 

- Em breve meu amor, estou com tantas saudades. – Ele fala. – Tenho que desligar agora, o dever me chama! 

- tudo bem, até mais, te amo. – Desligo a chamada e logo resolvo tomar um banho. 

Depois de mais ou menos 1 hora no banho, se depilando, cantando, lavando o cabelo, etc. Resolvo sair, ligo para as meninas e todas me desejam "feliz aniversário", combino com elas pra gente se encontrar na escola, onde seria o baile. 

Depois de um tempo sem fazer nada, resolvo ir até uma lanchonete que tinha perto de minha casa. Chegando lá, sento em uma mesa e começo a mexer em meu celular, em coisas aleatórias. 

- O que vai querer moça? – Desvio minha atenção para a garçonete que estava em minha frente. 

- Quero um frappuccino de chocolate, e um muffin de baunilha. – Sorrio de lado, e vejo a moça assentir e se distanciar. 

Ouço um barulho de vozes perto da porta e olho em direção a mesma, vendo um mini bando de animais entrarem correndo.  

Brincadeira, era só os meninos mesmo. 

- Olha quem está aqui, a pequenina Jessie que não atende as nossas ligações. – Nash diz, fazendo cara de triste.  

- Desculpa galera, estava meio ocupada. – Levanto rindo, e logo cumprimento Nash, Taylor e Matt com um abraço. 

- Deixa eu adivinhar... ocupada dormindo? - Taylor fala, rindo. 

- Acertou. - Reviro os olhos, rindo logo em seguida. 

- Mandei um textinho pra Jess, e ela nem me respondeu, hashtag magoado. – Matt fala, secando lágrimas imaginárias e fazendo uma hashtag no ar. 

- Desculpa, eu vou te responder. Muito obrigada pelo textinho. – Falo, apertando as bochechas dele. 

- Vão querer alguma coisa? – A garçonete vem com meu pedido e logo anota o dos meninos. 

- A festa está de pé Jess? – Taylor pergunta, com os olhos no celular. 

- Com certeza. – Falo, sorrindo. 

- Adivinha quem chamou a Jade pra ir no baile Jess. - Nash fala, segurando o riso. 

- Deixa eu ver... Matt? – Pergunto rindo. 

- Cala a boca Nash, eu ia contar. – Matt murmura enquanto dá um peteleco na cabeça de Nash. 

- Fica bravinho não Matt, de qualquer jeito a Jess ia saber mesmo. – Tay fala, dando de ombros. 

- Eu apoio esse casal. – Falo, rindo. 

- Eu também. – Nash fala, e faço um high-five com ele. 

- Meninos, preciso ir pra casa me arrumar, vejo vocês na escola mais tarde. – Falo, me despedindo deles. 

▲▼▲ 

Já estou saindo de casa <3 

Mando para Cam, que tinha me perguntado onde estava. Me olho no espelho e até que eu estou bonitinha. Estou vestindo um vestido preto de alça, super básico, com um tênis branco e algumas pulseiras. Bem básico, mas confortável. Minha maquiagem se resume em rímel e um batom nude. 

Me espera que eu vou te buscar. 

Resolvo ir para fora de casa, o esperar lá. Apago as luzes e tranco tudo, e logo vejo o carro dele parando em frente de casa. 

- Tá linda em. – Ele grita de dentro do carro. 

Balanço a cabeça rindo, e logo abro a porta do carro, me sentando no banco. 

- Você tá um gatinho. – Dou um beijo na bochecha dele e logo seguimos para a escola. 

Assim que chegamos, vimos algumas pessoas sentadas no gramado, indignados. Olho para Cam e ele dá de ombros, como se não soubesse de nada. 

- Não vai ter mais baile galera. – Matt chega, abraçado de Jade. 

- Porquê? – Pergunto, lançando um olhar malicioso para Jade. 

- O diretor pegou alguém colocando vodka no ponche. – Taylor chega, balançando a cabeça negativamente. 

- Que merda. – Cam murmura. 

- Avisa todo mundo pra ir pra balada onde a gente ia depois do baile então, vamos comemorar lá. – Falo, me animando. 

 - Boa ideia. – Jade fala, sorrindo. 

- Okay, vem me ajudar Matt. ­– Taylor fala, saindo de perto de nós, seguido de Matt. 

- Vamos então? Encontramos o resto do pessoal lá. – Cam fala, dando meia volta no carro. 

- Claro, vamos Jade, a gente te dá uma carona. – Falo, abrindo a porta pra ela entrar. 

- Certo. 

Fomos a caminho da balada em que íamos quando acabasse o baile para comemorarmos meus 18 anos. O caminho foi bem rápido, tínhamos escolhido uma baladinha "perto". 

Quando chegamos lá, metade da escola já tinha chegado. Olhei espantada para Cameron que só balançou a cabeça e riu.  

- JESSIE!  

- Fala Ky, ta linda. – Falo, dando um abraço nela e rindo. 

- Você ta gostosa, vai acabar enlouquecendo o Dallas desse jeito. – Ela fala rindo. 

- Cala a boca. – Rio. – O pessoal já chegou?  

- Já sim, estão lá no fundo. – Ela diz, cumprimentando Jade e Cam. 

- Vamos pra lá Jade. – Falo, puxando ela comigo. 

- A aniversariante chegou galera! – Ouço Carter gritar e sorrio em direção á eles. 

- Oi meus amores, cadê meus presentes? – Fecho os olhos e abro os braços, rindo. 

- Tá aqui o meu. – Sinto uma lambida na bochecha e rapidamente abro os olhos, vendo Gilinsky rindo na minha frente. 

- Nojento. – Falo, limpando a minha bochecha.  

- VOCÊ TEM QUE DAR ESSA LAMBIDA EM OUTRO LUGAR GILINSKY. – Arregalo os olhos assim que ouço a voz de Jack J. 

- Ta bêbado? – Pergunto, baixinho para Gilinsky, que assente. 

- Cadê a Kylie? – Nash pergunta. 

- Tô aqui meus fãs. – Ela chega me abraçando. 

- Vou ir dançar, alguém vem comigo? – Pergunto e vejo Mary e Soph levantarem. 

Fomos em direção ao bar primeiro e bebemos dois shots de tequila, cada uma. Assim que terminamos, fomos em direção a pista de dança, que tocava alguma música eletrônica aleatória. Começamos a pular no meio do pessoal e logo estávamos rindo junto com um grupinho que tinha se formado. A música trocou e começou a tocar Work da Rihanna, gritei junto de Soph, ela amava essa música.  

Começamos a dançar juntas, incluindo Mary no meio. Bebi algumas bebidas dos copos de pessoas que eu nem conhecia, mas pouco me importava. Eu só queria aproveitar a festa.  

- Vou ir no banheiro. – Grito no ouvido de Soph, que assente. 

Vou em direção ao banheiro, e assim que chego no corredor que dava até ele, me sinto um pouco tonta. Opa, o efeito das bebidas está vindo á tona. Rio um pouco, e entro no banheiro feminino. Faço minhas necessidades dentro de uma das cabines, e lavo meu rosto na pia, tentando amenizar a tontura. E olha que deu certo. 

Vou em direção ao andar de cima da balada, encontrando somente algumas pessoas por lá. Avistei um sofá e fui me sentar lá, mas acabei por perceber que Cam também estava sentado. 

- Oi Cam. – Falo, me sentando e fechando os olhos. 

- Oi Jess. – Ele fala. 

Nada me vem na cabeça para começar uma conversa digna. Eu estava tonta, mas sabia de tudo que estava fazendo, absolutamente tudo. 

- Você ta muito gostosa com esse vestido. – Ouço ele sussurar e abro os olhos, vendo ele com a boca seca e tampando os olhos com a mão. 

- Você tá bêbado, não é? – Pergunto, rindo fraco. 

- Talvez esteja. – Ele fala abrindo os olhos. – Vem cá. – Bate a mão direita em suas coxas, em um sinal pra mim sentar nelas. 

Me levantei e logo sentei em seu colo, colocando uma perna de cada lado em sua cintura, fazendo assim, meu vestido subir um pouco. 

Que merda eu estava fazendo? 

- É errado. – Falo, fechando os olhos e abaixando a cabeça para observá-lo. 

- O errado é sempre mais gostoso, não? – Ele abre um sorriso sapeca e puxa minha nuca mais pra perto. Nossos lábios estavam roçando, sentir a respiração dele tão perto estava me deixando anestesiada. 

- Cam.. – Suspiro. 

- Fica quieta.. – Ele cola nossos lábios.


Notas Finais


Foi issoooooo
e esse beijo deles hein???? no que será que vai dar hein????
Bom, a roupa dela vai estar no link ali embaixo
Leitoras fantasmas, apareçam o/
Comentem muuuuuito ai, pra mim ficar bem feliz e fazer outro cap bem grandão pra vcs
BEIJOSSSS

https://i.imgur.com/JA9XkEv.jpg (Roupa dela)


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...