História Ao Contrário - Capítulo 38


Escrita por: ~

Postado
Categorias A Seleção
Personagens America Singer, Aspen Leger, Carter Woodwork, Lucy, Marlee Tames, Maxon Calix Schreave
Tags A Herdeira, Eadlyn Schreave, Kile Woodwork
Exibições 286
Palavras 3.142
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 16 ANOS
Gêneros: Comédia, Romance e Novela
Avisos: Álcool, Insinuação de sexo, Linguagem Imprópria
Aviso legal
Alguns dos personagens encontrados nesta história e/ou universo não me pertencem, mas são de propriedade intelectual de seus respectivos autores. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos criada de fã e para fã sem comprometer a obra original.

Notas da Autora


Volteiiiiii
Gente espero que o esteja bom de vdd!!!
Desculpa qualquer erro não revisei!!!!!!
E muitoooo obrigadaa pelo apoio e os comentários, eu estou respondendo!!!!!!
Vamos lá!!!!!!!!!!!!

Capítulo 38 - 2. Capítulo X: Envenenamento.


Fanfic / Fanfiction Ao Contrário - Capítulo 38 - 2. Capítulo X: Envenenamento.


2. Capítulo X: Envenenamento.

Eu fiquei bem depois da tontura no quarto. Eu estava certa, depois que eu comi eu melhorei. No dia seguinte, eu estava muito bem, bateu apenas uma dor de cabeça, mas acho que é normal quando você tem que governar um país. Mas hoje eu estava com um sono fora do normal e eu não queria levantar da cama e mesmo se eu quisesse, Kile não iria deixar.

-Tem certeza que você vai ficar bem? Eu posso adiar essa reunião.-Kile disse pela milionésima vez essa manhã.

-Não precisa Kile, vai para a reunião. Você ficou comigo amanhã toda e não aconteceu nada. O médico já me deu o remédio e agora é só descansar e sem falar que eu estou com as meninas.-ele ficou um minuto em silêncio pensando sobre o que eu falei, o meu problema foi pressão baixa, médico disse que foi muitas emoções para uma pessoa só. Ele tentou me levar para fazer um exame de sangue mas eu não deixei, eu não estou grávida, disso tenho certeza.

-Tudo bem, eu vou. Mas se você sentir algo diferente, qualquer coisa, você me avisa. Meninas qualquer coisa eu estou na sala de reunião, eu já vou avisar aos guardas.

-Para de ser exagerado Kile, eu estou bem, estou falando sério. Eu vou continuar a ler o meu livro.-eu disse apontando o livro no meu colo.- Quero saber se a mocinha fica bem no final, é uma drama. Se você não me amar, eu morro, bem assim a história.-Kile me deu um beijo na testa e disse que logo estaria de volta.

-Meninas cuidem da nossa Rainha.-quando o Kile saiu, June, a minha assistente e secretária, Kesha, minha mini estilista e ótima amiga, Gina, a que está me ajudando a tomar conta desse enorme castelo e Angeliny, começaram a falar.

Eu conversei com elas, depois eu voltei para o livro e não sei que horas eu dormi. Mas quando acordei eu estava sozinha no quarto, coitadas devem ter cansado de esperar eu acordar. Tirei o edredom de mim e esperei para levantar da cama, quando eu me senti melhor, levantei. Caminhei até o banheiro. Não estava pensando em tomar banho mas quando eu vi a enorme banheira de hidromassagem, eu só pensei, isso será ótimo para o meu corpo.

E acredite estava perfeito, acho que eu poderia ficar para sempre aqui, com as bolinhas que faziam massagem e cosquinha, o cheiro delicioso dos sais. Eu deitei a cabeça e comecei a relaxar.

-Eadlyn.-eu escutei a voz do Kile me chamando.-Eady está tomando banho?-eu tentei dizer algo mas eu não conseguia, eu me sentia fraca, a minha língua parecia pesada, meus olhos estavam pesados.-Eadlyn não tem graça, responde... Eu vou entrar....Eadlyn.

Eu só senti ele me puxando para fora da água e o vento gelado batendo no meu corpo, depois eu ouvi ele falando com uma mulher, não sei quem. Por que eu não estou conseguindo entender? Por que eu não consigo falar? O que está acontecendo comigo? E por que eu estou ficando com um sono fora do normal?

-Calma Eady, por favor, já estamos chegando.-Kile me apertava com força enquanto corria. Eu estava enrolada em um tecido fofo, deve ser o meu roupão. Pelo menos a sua voz eu sei diferenciar e foi com ele dizendo que tudo ficaria bem, que eu me entreguei ao sono.

***

Acordei em um quarto todo branco. Olhei para o lado e encontrei o Kile sem o terno, todo descabelado e com a cabeça baixa, sentado em um sofá.

-Eu estou bem.-eu disse e ele levantou o rosto, e meu coração apertou com que eu vi. Ele estava com a cara horrível, seu olhos estavam triste, seu rosto estava inchado, ele havia chorado, dava para ver.

-Eady.-ele não falou mais nada, apenas me abraçou. Eu sussurrava que estava bem mas ele apenas me abraçava.-Quando eu te vi naquela banheira eu pensei que você estava morta. E quando eu percebi que não estava, meu coração deu um pulo, mas quando eu cheguei e os médicos te pegaram e depois uma enfermeira disse que você estava muito fraca e o seu coração estava tão, tão devagar. Eadlyn eu pensei que te perderia, te perderia para sempre. Eadlyn eu nunca me senti tão sozinho na minha vida.-eu senti a sua dor na voz.
Eu dei um pequeno sorriso para ele, ele estava tão triste e eu me sentia culpada, eu estava desacordada mas ele estava sozinho, sem ninguém para o ajudar, vendo a sua mulher morrer. Eu respirei fundo.

-Eu estou bem, não é fácil me derrubar.-eu disse sorrindo mas o Kile não riu.-Me dê um beijo.-eu pedi e logo depois eu estava sentindo os seus lábios no meio. Paramos quando escutamos alguém pigarrear.

-Fico feliz de ver a senhora melhor.-o doutor disse e eu assenti.

-Doutor você disse que iria me dizer o que a Eadlyn teve quando ela acordasse, agora ela está aqui, o que aconteceu?

-Bom, fizemos muitos exames e antes quero dizer que o seu sistema imunológico é bem forte, senhora. Acho que sem uma boa alimentação, as suas atividades físicas e o seu bem-estar a senhora não estaria aqui para dizer, que o seu corpo lutou contra uma toxina e venceu.

-O que o senhor quer dizer?-Kile perguntou.

-Tentaram envenenar a Rainha. E o veneno não era fraco, era um dos mais fortes que eu conheço, para matar sem perceber que era um veneno e só descobrir depois de que a senhora tivesse morta.-eu percebi que o médico estava desconfortável.

-Kile?! -eu perguntei quando ele caiu para trás.-Kile você está bem?-ele apenas assentiu. Ele sentou no meu lado e me abraçou.

-Eu sei que vocês são importantes, sãos os Reis de Illéia, e claro que tem inimigos, mas vocês tem algum inimigo próximo de vocês, que poderia facilmente matar a Rainha?

-Eu vou matar a Angeliny.-Kile disse com uma raiva fora do normal.

-Acho que sim.-o Doutor falou.

Logo depois Angeliny entrou no quarto, ela estava com a sua roupa de empregada e o seu rosto estava vermelho de choro.

-Eadlyn, meu Deus eu fiquei tão preocupada.-ela disse e veio na minha direção mas o Kile entrou na sua frente.

-Não se aproxime dela.-Kile disse com raiva.

-O que? Por que?-Angeliny deu um passo para trás e olhou para mim.

-Você sabe o porque. Você tentou envenenar a Eadlyn. Você achou que matando ela, eu um dia olharia para você? É isso que passou pela sua cabeça de doente? Garota eu tenho pena de você.

-Kile eu não sei do que você está falando. Eu nunca iria envenenar a Eadlyn. Eu sei, eu sei que eu errei com vocês. E eu me arrependo. Vocês seguiram em frente. Eu também segui. Mas eu juro por tudo, pela minha vida, eu não sei do que vocês estão falando.-Angeliny parecia nervosa, mas uma parte do meu cérebro estava se perguntando, e se ela tiver dizendo a verdade? Eu sei, tudo que ela me fez e eu ainda a defendendo, mas antes de acusarmos alguém precisamos de provas e é uma coisa que não temos.

-Se você não sabe, deixa que te relembro. Você tem inveja da Eadlyn, não por ter se casado comigo mas por ela ser quem é. Inteligente, bonita e decidida, uma coisa que você não é. Então você viu uma oportunidade de ficar comigo já que com a Eadlyn em vida você não compete com ela. Então você deve ter colocado veneno na sua comida ou na sua bebida, para a matar.

-Kile -Angeliny respirou fundo e nessa hora ela já estava em prantos. Ela olhou para mim.- Eadlyn, eu sei que você deve estar me odiando. Mas eu nunca iria fazer isso. Eu sei que nessa história eu sou amante.

-Não você não é.-Kile disse.

-E todo mundo sabe disso. Então porque eu iria querer te matar envenenada, a minha senhora que é a minha responsabilidade, para todos suspeitarem de mim, como o senhor. Você pode me achar burra mas eu não sou.-Angeliny olhou para o Kile.

-Então você confirma que quer matar a Eadlyn?

-Não!- Angeliny gritou e respirou fundo.-Eu sei que o nosso passado é triste mas antes de eu ter algo com você Kile, eu era amiga da Eadlyn e eu nunca mataria alguém. Eu posso ser uma traíra mas eu não sou uma assassina. E como eu disse eu não me importo mas com vocês, eu conheci um guarda e eu estou muito feliz com ele. Eu segui em frente.

-Você está presa Angeliny.-Kile disse sério.-Guardas. Prendam-a.

Os guardas entraram logo que o Kile os chamou e cada um segurou o braço da Angeliny, ela começou a se debater e a chorar.

-Kile.-eu o chamei, ele se virou para mim mas eu não continuei a dizer que era errado a acusar alguém sem prova. Seu rosto estava sério, e os seus olhos estavam decididos e tenho certeza que a sua cabeça a via como a culpada e nada nesse momento iria o fazer mudar de ideia. Então eu fiquei calada enquanto os guardas a levavam para a prisão.

Logo que Angeliny saiu o Doutor Tyson voltou.

-Mejestades descobrimos mais sobre o veneno.

-Sim, diga.-Kile falou nervoso.

-O veneno é uma toxina chamada botulínica provoca o botulismo, uma doença fatal se não for tratada imediatamente. Esta toxina causa paralisia muscular, o que leva à paralisia do sistema respiratório e, consequentemente, à morte. Ele é típico da Europa.  Ele não é usado em alimentos pois ele não se dissolve bem. E a vítima iria perceber o sabor e não iria se alimentar. Ele é usado em objetos, materiais, ele é usado pelo contato da vítima com o objeto infectado. Eu ja mandei uma perícia para o quarto das Majestade para vermos se encontramos algo suspeito.

-Sim, se encontrarem algo me conte imediatamente.

-Sim Majestade.-e o doutor saiu e ficamos sozinhos.

-Kile você tem que se acalmar. Você sabe que não podemos prender ninguém sem provas.

-Eadlyn você sabe que foi ela.

-A Rainha é minha filha. Se você não sair da minha frente agora....-eu escutei os berros da minha mãe. Eu olhei "acusamente" para o Kile.

-Eu precisei ligar Eadlyn, você estava morrendo. Eu estava assustado. Precisamos da nossa família.

-O que você fez com a minha filha?-minha mãe entrou gritando no quarto e empurrou o Kile.-Se algo acontecesse a minha menina eu nunca iria o perdoar.

-Mãe!-eu gritei e ela olhou para mim.

-Filha como você está? Nós pegamos o jatinho o mais rápido possível.

-Eu estou bem, mãe.

-Sério? Por que eu pensei que você estava morrendo. Nós não trouxemos nem as nossas roupas.-eu sorri e olhei para a Josie. Estavam todos dentro do enorme quarto de hospital.

-Eu estou bem. Kile que é um exagero, nada que vocês precisam se preocupar.

-O que você fez com ela para ela estar aqui? Olha você pode ser o Rei de Illéia, mas se você magoar a minha filha de novo, eu vou...
-Mãe.

-Calma aí Eadlyn seu marido precisa ouvir umas boas verdades.

-Mãe!-eu gritei e ela olhou para mim.-Kile me salvou. Eu estava com umas tonteiras e hoje de manhã eu fiquei na cama, eu estava sozinha no quarto e fui tomar um banho de banheira, mas eu estava muito cansada, não conseguia falar, nem abrir os olhos e se o Kile não tivesse aparecido para me ver, eu sinceramente não sei o que teria acontecido comigo. Mãe, eu poderia ter morrido.-minha mãe começou a chorar e quando eu vi eu também estava chorando. Nos abraçamos e depois sentir os braços pequenos da minha irmã.

Alguém tentou me matar. Alguém tentou me matar.

Depois que todos vieram me abraçar, e tomaram cuidado com os fios que me conectavam os aparelhos. Eu acho que eles perceberam que eu e o Kile nos acertamos. Kile não saiu de perto de mim e não parou de segurar a minha mão enquanto falava que eu fui envenenada mas eu não o deixei acusar a Angeliny.

-Ainda não sabemos quem foi, pode ser alguém do palácio ou não.-eu disse.-Agora por favor vocês podem ir descansar, são três horas da manhã.

-Filha você quer que eu fique com você?-minha mãe perguntou.

-Eu fico com ela, Dona Marlee.-eu sorri, até o Rei precisa conquistar a sogra.

-Tudo bem mãe, Kile fica, vá descansar.

Depois que todos se despediram, conversamos um pouco, Kile colocou uma cadeira próxima a minha cama e ficamos assim.

Acordei e o Kile continuava segurando a minha mão e ele estava dormindo com a cabeça na cama. Passei a mão na sua cabeça e ele acordou. Depois de tomar café. O Doutor voltou.

-Descobrimos o que infectou a senhora.-meu coração começou a bater mais rápido.-Foi esse livro.

Doutor Tyson estava com o livro que eu estava ontem à noite e antes ontem lendo. Ele estava de luva, com o seu jaleco e máscara.  Mas eu não sei quem me deu esse livro.

-Eadlyn quem te deu esse livro?-Kile perguntou.

-Eu não sei. Eu recebi de uma fã, tinha uma carta fofa, era de uma criança dizendo que era seu livro preferido. Então eu peguei para ler. Como eu iria saber que estava envenenado?

-Senhor ainda tem mais. Encontramos na última folha do último capítulo, escrito a mão um recado para a Rainha, e acho que não era de uma criança.

Doutor nos mostrou uma caligrafia bonita e elegante e eu sabia que era de uma mulher. E eu fiquei com raiva de não ler a última página do livro, se eu lesse nada disso teria acontecido. E a letra da carta da criança não era igual a essa. Kile pegou o papel que uma enfermeira nos entregou, era a carta redigida da última folha do livro, só que não contaminada.

Querida Eadlyn, espero que você esteja em um lugar muito bom agora. É meio irônico eu escrever uma carta que você nunca irá ler. Mas acho necessário já que você está morta. Por favor, não me culpe por isso. A culpa é exclusivamente sua. Poderia falar que é dente por dente, ou olho por olho, mas prefiro dizer que foi tapa por tapa. A única diferença é que eu caí em pé e você, caiu de baixo de uma cova.

Adeus querida e nos vemos no inferno.

-Que merda é essa?-Kile gritou para ninguém.-Eadlyn o que é isso?

-Como é o final do livro? Alguém sabe?-eu perguntei para ninguém precisamente, mas tinha bastante gente na sala, enfermeiros, médicos, guardas e tio Aspen com o Maxon e o meu pai.

-Eu li esse livro faz muito tempo. Doce morte é um livro antigo. Eu não lembro de tudo mas eu sei que a principal morre no final e o seu marido entra em uma depressão profunda por não saber o que a matou. Mas nós descobrimos que o médico sabia que ela era envenenada já fazia anos, com os venenos mais fracos para ela morrer lentamente.-a enfermeira disse.

-Esse livro é horrível.--Kile falou.

-É porque é para descobrimos o que ela tem. E tem a história de amor deles que é lindo antes dele se casarem e a vida deles se tornarem um inferno. É muito bonito mas é triste.-a enfermeira continuou.

-Só me confirmar uma coisa. O autor era da Croácia, não é?-eu perguntei e a enfermeira achava que sim. 

-Eu sei quem tentou me matar.-todos ficaram em silêncio.-Charlotte a Rainha da Croácia.

***

Só tinha se passado uma semana, mas o castelo estava um inferno. Quer dizer, todos me tratavam como se fosse quebrar a qualquer momento, eu não fazia nada, exatamente nada. Minha mãe e a Madrinha junto com a Gina cuidava do castelo. Kile pegou todas as minhas tarefas para fazer e se eu pensasse em ir ao meu escritório, já que depois de dois dias no hospital eu recebi alta, Kile imediatamente saia de onde estivesse para me levar de volta para o quarto. 

E guardas, eu estou com cinco guardas atrás de mim. As meninas mais duas enfermeiras estão comigo no quarto. Nenna e Brigit tentaram voltar imediatamente mas eu não deixei, elas tem que aproveitar o Chase, o tempo que elas podem. Não estar na hora delas voltarem para a casa. Angeliny saiu da prisão, eu pedi desculpas mas o Kile nem a olhou no rosto. Kile tentou mandar ela embora, mas eu não deixei. Angeliny vai continuar, ela vai me ver feliz com o Kile. Ela pode não ser mais a minha companhia principal mas ela irá continuar no castelo. E o Kile mandou que o Aspen providenciasse o melhor soldado para cuidar de mim e agora o Capitão Erick fica atrás da minha porta. Confesso que não gostei mas eu não disse nada, se eu dissesse algo para o Kile. Ele iria pensar que o Erick é um assassino que quer me matar e vai manda-lo embora, e o único problema do Erick é ele olhar de forma inadequada para mim.

-Eadlyn você está bem?-Kile perguntou pela décima vez, sim eu contei, desde o momento que essa reunião começou.

Estávamos todos na sala do conselho, todos os ministros, duques, meus pais, Maxon, America. Para saber o que iremos fazer com a Croácia já que a sua Rainha tentou matar a Rainha de Illéia.

-Sim, estou bem Kile.-eu disse e ele apertou a minha mão que estava grudada na dele. Agora eu estou sentado ao seu lado direito.

-Eu continuo com a minha posição, nós iremos atacar a Croácia. Nós vamos começar uma guerra, foi eles que nos atacaram primeiro. Eles tentaram matar a minha mulher.

O pior que duas ou três pessoas estavam contra começar uma guerra. Minha Dinda era uma delas. O resto estava junto com o Kile. Nós éramos mais fortes que a Croácia então iríamos ganhar, não precisávamos nos preocupar.

Eu sei que foi eles que começaram a guerra, eles tentaram matar uma Rainha. Mas eu não consigo aceitar que muitos irão morrer porque a Croácia tem uma Rainha burra e não só eles irão morrer, sempre tem baixa no lado vitorioso, ninguém é imortal. E Illéia está bem, eles ficaram abalado com aquele jornal que o Kile tinha uma amante mas politicamente estão todos felizes com as mudanças que estamos fazendo e eles não precisam se preocupar com uma guerra.

-Eadlyn seu povo se soubesse que tentaram envenenar a sua Rainha, a Rainha que eles escolheram, amam e protegem. Tenho certeza que iriam fazer uma fila para lutar por você.-eu sorri com o que General Leger falou. 

Mas eu não posso fazer isso, não com o meu povo. Eles fizeram muito por mim. Me juntaram com o Kile. Estão me fazendo feliz mesmo nessas circunstâncias, eu não posso deixar mulheres se preocuparem se seus maridos, filhos, irmãos, pais vão voltar da guerra. Eu não vou deixar.

Eu tenho uma ideia melhor que começar uma guerra.
 


Notas Finais


Sinceramente espero que vcs tenham gostado!!!!
Então alguém acertou que foi a Charlotte??
Bom eu quero saber a opinião de vcs, se vcs fossem Rei e Rainha vcs começariam uma guerra?
Estão a favor ou contra o Kile e a Eadlyn?
Beijinhos e até o próximo!!!!
P.S: Acho que o próximo vamos ter uma visita de todas as selecionadas, quero saber quem está com saudade da Alanna??? kkkkkkkkkkkkk


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...