História Além Do Que Os Olhos Vêem - Capítulo 12


Escrita por: ~ e ~AK46S2

Postado
Categorias Bangtan Boys (BTS)
Personagens J-hope, Jimin, Jin, Jungkook, Personagens Originais, Rap Monster, Suga, V
Tags Drama, Revelaçao, Romance
Visualizações 55
Palavras 1.546
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 16 ANOS
Gêneros: Colegial, Escolar, Famí­lia, Romance e Novela

Aviso legal
Os personagens encontrados nesta história são apenas alusões a pessoas reais e nenhuma das situações e personalidades aqui encontradas refletem a realidade, tratando-se esta obra, de uma ficção. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos, feita apenas de fã para fã sem o objetivo de denegrir ou violar as imagens dos artistas.

Notas do Autor


Mais um como o prometido........Boa leitura!

Capítulo 12 - Uma Noite Louca......


Fanfic / Fanfiction Além Do Que Os Olhos Vêem - Capítulo 12 - Uma Noite Louca......

Quando chego na Dark, todos da turma já estão lá, se alongando e preparando. Me ponho ao lado de Minho e faço o mesmo. Logo Yang entra na sala com seu irritante ar de superioridade. 

- Olá - ela nos comprimenta.

Ela começa a passear pela turma, com seus olhos quase fechados, nos observando, avaliando.

Depois de algumas e ela volta pra frente da turma, chamando nossa atenção.

- Creio que todos saibam - ela fala formalmente - que fizeram teste para o grande torneio das 'Coréias.

Alguns alunos começam a murmurar baixinho, tornando a atmosfera do lugar meio tensa. Solto um suspiro e espero Yang continuar.

- Haverá jurados - ela continua - programas de TV e câmeras obviamente, muitas câmeras.

Metade dos alunos sussurra entusiasmados e outra metade meio que se assusta. Eu fico calma, esperando.

- Serão três apresentações e terão que se dedicar. Pra resumir, o futuro da Dark está em suas mãos. Se não é capaz disso, sugiro que se retire.

Concentro - me em minha respiração, contando os segundos. Depois de uns poucos, quatro alunos se retiram silenciosamente da sala.

Me pego imaginado a reação dos pais e amigos desses alunos, a tristeza, o pesar e até mesmo a decepção. Se fosse em outros tempos eu me abalaria e desistiria, mas eu mudei muito e agora não era qualquer coisa ou situação pra me derrubar.

- Faremos uma apresentação com todos os alunos  - Yang fala, tirando - me de meus devaneios - um dueto e um solo.

Ela era fria e calculista e havia continuado seu pequeno "discurso" como se ninguém houvesse se retirado.

- O solo decidirá tudo e tenho o prazer em dizer que quem o apresentará é Cassie Morris.

Todos murmuram e cochicham, provavelmente sobre mim, mas mantenho - me neutra. Ninguém ali influenciaria minhas emoções ou o meu desempenho.

- Lisa, inicie os exercícios - ela bate uma palma.

Uma professora e ótima dançarina, vai até a frente da sala e inicia alguns passos.

- Repitam - ela ordena.

      ¤                  ¤                  ¤

Vou pra minha casa me trocar assim que somos dispensados. Abro a porta, sendo recebida por meu pai. Corro até ele o abraçando e afundo meu rosto em seu peito, começando a chorar. Meu pai era um bálsamo pra mim naquele momento, ele sempre foi presente e normalmente quando estava mal, ele era a primeira pessoa que eu recorria.

- Como ele está? - pergunta, acariciando suavemente minhas costas.

- Ninguém sabe e ele ainda estava desacordado quando saí do hospital, hoje mais cedo - explico controlando - me.

- E você vai voltar pra lá? 

- Eu preciso - falo calmamente - Eu posso?

- Mas é claro, Cass......faça o que precisar - ele fala sorrindo.

Beijo suavemente sua bochecha e subo correndo até meu quarto. Escolho uma calça jeans e um moletom preto, visto um tênis preto e arrumo algumas outras coisas em minha mochila. Desco as escadas correndo, pulando de três em três degraus.

- Vou indo - falo indo até a porta.

- Tchau filha - escuto meu pai gritar.

Com a maior calma, eu dirijo até o hospital. Uma recepcionista não me deixa passar e quando estou prestes a armar um barraco, Solji e Kwan aparecem.

- Deixe ela passar - Kwan fala educadamente - Ela é acompanhante.

- Só estou te deixando fazer isso porque amanhã é sábado - Solji fala reprovadora, mas sorrindo levemente.

- Podem ir e descansem. Não é nenhum sacrifício pra mim - falo tranquila.

Eles se viram saindo do hospital de mãos dadas e eu começo a andar até o quarto de Jimin, não antes de olhar feio pra recepcionista.

Fico observando Jimin pela janela de vidro antes de entrar. Ele era tão lindo com seus cabelos negros contrastando com a pele branca e os óculos escuros que nunca deixavam seu rosto. Gostaria de poder ver seus olhos algum dia. 

Coloquei a mão na maçaneta, já com os batimentos acelerados. Eu ficava nervosa só em estar no mesmo ambiente que ele. Abro a porta vendo - o sobressaltar, largo minha mochila no chão e vou até sua cama.

- Oi - beijo sua bochecha e me sento na cama, feliz por vê - lo melhor.

- Oi, como você está? - pergunta parecendo aliviado.

- Eu acho que eu devia perguntar isso - levanto minhas sobrancelhas.

- Sim senhorita - fala brincando - estou estável e parei de vomitar. 

- Isso é ótimo - sorrio feliz e aliviada.

Ficamos em silêncio e eu definitivamente não conseguia pensar em nada pra falar, até que ele se pronunciou.

- Me desculpe por hoje mais cedo - fala envergonhado - Não sei o que deu em mim. Eu.......

- Shhhh...... - interrompo, o impedindo de continuar - Eu sempre vou estar aqui.

Ele sorriu agradecido e apertou minhas mãos.

- Como foi seu ensaio? -  ele me perguntou curioso.

Ou Jimin fingia, ou gostava de mim o suficiente para realmente se interessar. Resolvi confiar mais na segunda opção.

- Alguns desistiram, mas se depender de mim, a Dark ficará no topo.

Eu queria mesmo era ter ficado aqui, com Jimin. Faria tudo pelo meu melhor amigo. Ele se ajeitou na cama e nós começamos a conversar e rir bastante. Ele era o melhor tipo de pessoa, o tipo que podia falar dos assuntos mais aleatórios. Ou talvez fosse porque eu falava com Park Jimin e não com qualquer pessoa.

Mesmo no meu interior e na minha mente e eu não gostando muito, nós até nos alto - titulamos melhores amigos.

- Sabe...... - falo receosa.

- Fale - ele murmura curioso.

- Eu gostaria muito se você....... deixa pra lá - desisto com medo de ele se irritar.

- Você sabe que pode me pedir qualquer coisa, não é? Então o faça - ele fala carinhosamente.

- Me deixa ver seus olhos? - pergunto de cabeça baixa, evitando olha - lo.

- Cassie.....- fala desconfortável - Ninguém nunca viu meus olhos.

- Por favor -  súplico - Prometo que ninguém vai saber.

Ele parece pensar bem no que fazer e eu somente espero, pacientemente.

- Ook - ele fala e eu logo comemoro - Mas só se me deixar te ver.

Concordo sem hesitar mesmo não sabendo como ele me veria. Me ajoelho na cama em sua frente e coloco as mãos na armação de seus óculos, dando tempo pra ele me parar caso queira.

Retiro lentamente os óculos mas Jimin se mantém de olhos fechados, impedindo-me de vê - los.

- Oh Jiminie - falo acariciando seu rosto - abra esses olhinhos perfeitos.

Então ele os abre. E na minha opinião são os mais lindos que já vi. A maior parte de suas orbes estava coberta por um branco leitoso, mas eu ainda podia enchergar um pouco do castanho que um dia os dominou.

- São perfeitos - murmuro hipnotizada.

- Que mentirosa - ele fala rindo, começando a corar.

Dou um tapinha em sua bochecha, rindo levemente.

- Minha vez - ele sorri, alegre.

Ele aproxima suas mãos de mim, colocando - as no topo da minha cabeça e bagunçando meus cabelos.

- Ei - falo gargalhando.

- Desculpe - ele sorri travesso.

Ele continua o caminho com suas mãos, passando pela minha testa, pálpebras, nariz e bochechas. Coro violentamente quando ele passa, suavemente, seus dedos pelos meus lábios.

- Você está corando - ele sorri torto.

- Não - me apresso em negar.

- Eu senti seu rosto esquentando - ele atesta rindo.

Desisto de negar, eu não chegaria a lugar nenhum. Senti suas mãos descendo para o meu pescoço e me arrepiei, gargalhando quando ele fez cócegas.

- Ei - exclamo rindo.

- Oh você sente cócegas, que fofinha - ele fala encantado.

       ¤                 ¤                ¤

Eu e Jimin, devido ao tédio, resolvemos sair para fazer algo fora do quarto. Podíamos fazer isso? Não, é claro, mas não dávamos a mínima.

Decidimos ir à uma máquina de doces, um andar a baixo do nosso. Ele podia  comer isso? Não e nós também não dávamos a mínima.

Corremos e rimos baixinho até que encontramos a bendita máquina. Pegamos alguns doces e nos sentamos no chão, comendo e conversando.

- Uma paixão? - pergunta, continuando com nosso jogo de perguntas.

- Estrelas - sorrio suavemente - E você?

- Cassie Morris - fala brincalhão.

- Rá! Rá! Melhor beijo? - pergunto descontraída.

Eu realmente queria ouvir a resposta pra essa, principalmente quando ele corou.

- Pode parecer louco - fala envergonhado - Mas eu nunca beijei alguém antes.

Eu estava em choque. Foi uma surpresa mas também uma alegria descobrir isso. Ele era a criatura mais pura que eu já havia conhecido. Simplesmente cativante.

- Sou um retardado - murmura cabisbaixo, mas bem humorado.

- Não, não - nego veemente - Você é puro e isso é incrível.

Uma enfermeira nos encontra, ao virar o corredor. Ponho o último pacote de chocolate no bolso da calça e corro com Jimin até o elevador.

- Estamos ferrados - aperto o botão do sétimo andar. Vamos o mais rápido o possível para o quarto e ajudo Jimin a se deitar, segundos depois a enfermeira aparece.

- Você não tem juízo? - ela pergunta pra Jimin, zangada - Você não pode comer essas coisas!

- Eu posso comer o que eu quiser - ele retruca, prendendo o riso.

- Crianças - ele sai, batendo a porta.

Eu e Jimin caímos na gargalhada.

- Crianças - ele imita a voz da enfermeira, me fazendo rir mais.

Caminho até a cama dele e entrego o chocolate que guardei.

- Você é louca - ele fala rindo.

Nos deitamos juntos na cama e ele beija meus cabelos enquanto eu ligo a TV, para distrair - nos até que pegássemos no sono.






Notas Finais


Esses dois aprontam né? Lindos......
Um dos maiores capítulos.....u.u
Bjssss Xuxu's....


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...