História Ao primeiro som - Capítulo 5


Escrita por: ~

Postado
Categorias Naruto
Tags Colegial, Escolar, Hinata, Homossexualidade, Konoha, Konohana, Naruto, Romance, Sakura, Sasodei, Sasuke, Shikatema
Visualizações 13
Palavras 2.924
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Escolar, Romance e Novela, Universo Alternativo
Avisos: Álcool, Drogas, Heterossexualidade, Homossexualidade, Insinuação de sexo, Linguagem Imprópria, Nudez, Spoilers, Violência
Aviso legal
Alguns dos personagens encontrados nesta história e/ou universo não me pertencem, mas são de propriedade intelectual de seus respectivos autores. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos criada de fã e para fã sem comprometer a obra original.

Notas da Autora


Mais um cap pra vocês. Espero que gostem, boa leitura!

Capítulo 5 - O conserto


Fanfic / Fanfiction Ao primeiro som - Capítulo 5 - O conserto

Hinata

Faltava apenas algumas horas para o concerto, por isso, meu vestido e sapatos já estavam comigo. Ino estava mais empolgada que eu, tanto que ficou em minha casa durante a semana da apresentação. Kiba e Shino todos os dias vinham me visitar, adorava as visitas deles pois ver meus três melhores amigos reunidos assim me enchia de alegria. Kurenai, a regente do concerto e minha tutora de Shino e de Kiba, me fazia ir todos os dias ensaiar com a orquestra. Estava tudo perfeito.

Já com minha família as coisas estavam diferentes. Meu pai estava contente com meu desempenho, pela primeira vez em muito tempo senti ele ter orgulho de mim. Minha irmã estava receosa e arisca, passei os últimos dias perguntando para ela se estava tudo bem pois estava diferente, e nada. Neji estava animado e estranho também, a três dias o peguei com um vestido vinho em mãos, a julgar pelo manequim, devia ser de grife, por isso, deduzi que fosse para alguma modelo para uma seção de fotos. Olhei para Neji com um sorriso e pronta para questionar a finalidade daquele vestido, mas ele desviou o olhar e ruborizou, então resolvi ficar calada. Um primo de quinto grau havia vindo para ver a apresentação e estava hospedado em casa já fazia quatro dias, era uma excelente pessoa, sereno e bonito. Todos os dias, ao anoitecer, ele tocava flauta para mim na lareira e tomávamos chá quente, nem uma palavra era proferida e o som era calmante.

O salão de beleza que iriamos nos arrumar havia sido escolhido por Ino. Kiba tocaria violoncelo e Shino, harpa, por isso eles precisavam ir ao salão também, Kiba por precisar esconder a tatuagem do rosto com maquiagem e Shino por ter que fazer a sobrancelha e a barba.

Ino pediu uma maquiagem forte em todos os sentidos, o que realçava a beleza da loira, o cabelo estava cacheado e as unhas feitas, ela estava esplêndida. Minha maquiagem ficou linda, no olho, a sombra preta e máscara para cílios realçava meus olhos lilases, o batom era nude, e em meu cabelo preferi um coque para não me atrapalhar a tocar.

Voltamos para casa e subimos para meu quarto para nos trocar. Todos os homens usariam terno branco e gravata rosa claro, meu vestido era longo, rosa claro solto e muito confortável tirando o espartilho apertado que amassavam meus seios.

- Miga do céu, acho que não vai fechar – dizia Ino tentando puxar o zíper. – Devem ter medido errado seu busto.

- Vou pedir ajuda para o Kiba, então.

- Por que o Kiba? Pede para o Shino. – Dizia Ino nervosa. Ela tinha cravado na cabeça que tinha um lance entre eu e Kiba, mas ele era só meu amigo e do jeito que Shino era tímido, jamais aceitaria tocar em minhas costas. Revirei os olhos e fui em direção ao quarto da frente onde Kiba e Shino se trocavam, quando saí do meu quarto olhei para o lado e meu primo estava passando pelo corredor, minhas mãos seguravam o espartilho por trás e eu estava com um short aleatório de pijama. Ao me ver, Toneri virou o rosto rapidamente em direção à parede do corredor e eu me jogo para dentro do quarto onde Kiba e Shino estavam já vestidos, meu rosto ardia de vergonha e meu estômago que já estava mal, foi para o espaço. Mordi o lábio inferior envergonhada.

- Tudo bem, Hinata? - Disse Kiba já ao meu lado.

- Ahn... Kiba, tem como fechar para mim? – Gaguejei ainda com vergonha de Toneri.

- Claro. – Em questão de segundos, Kiba fechou o zíper, senti minha respiração falhar devido o aperto do meu seio. Agradeci, voltei para meu quarto e meu primo não estava mais no corredor.

Ino já estava vestida com um vestido roxo escuro que chegava a cerca de dois palmos acima do joelho, nele, tinha um corte na lateral que subia até o quadril, onde tiras impediam que o vestido abrisse, o decote era suficiente para notar que a loira estava sem a calcinha. Estava muito sexy.

- Nossa. – Disse eu aprovando o visual da loira.

- Eu sei, bem. – disse Ino ponto a mão esquerda na cintura. – Sexy sendo vulgar.

- Vai alguém hoje em especial? – Perguntei.

- Lembra aquele dia que a gente foi no bar verde? – A imagem do loiro dos olhos azuis e as sensações que senti vieram como uma martelada na minha cabeça. Afastei os pensamentos.

- Sim, sim, lembro. – Disse já colocando o vestido rosa.

- Então, lembra que fiquei com o ruivo mistério?

- Hurrum.

- Ele é meu mais novo contatinho, querida. E ele vai hoje tocar para a escola dele no conserto.

- Como não me disse antes?

- Ele não me disse, xuxu. Ele só me convidou para ir ao conserto. Mas ontem estava lendo aqueles papéis que estavam em cima da sua mesa e vi que Gaara Saabakumo ia ser flautista da Areia.

- Ah sim.

- Nossa, Hina, você está linda. Olha a foto! – Disse Ino tirando uma foto surpresa. Devo ter saído uma lástima. Ouvimos barulho de batidas na porta, autorizei que entrasse e era Toneri. Senti meu rosto arder abruptamente, lembrando da cena do corredor.

- Está linda, Hinata.

- Obrigada. – Gaguejei sentindo meu rosto em chamas. Ele estendeu a mão e eu a peguei.

- Vamos, ou vamos chegar atrasados. – Entrelacei meu braço direito no esquerdo dele. Ino, Toneri e eu descemos para a sala, encontrei meu pai, minha irmã e meus amigos me esperando. Ao ver a limosine, senti minha respiração falhar e minhas pernas bambearem. Toneri que estava com o braço entrelaçado no meu, o soltou e segurou minha cintura com ums mão prensando meu corpo contra o seu me impedindo de cair.

- Pode ficar tranquila, em quanto eu estiver aqui com você, não vou te deixar cair. – Disse Toneri com um sorriso que me transmitia confiança.

Naruto

Faltavam três horas para a maldita apresentação que o poha do Asuma queria que fossemos. Ha dois dias mandaram no grupo o porquê dele querer tanto nossa presença no concerto, a namoradinha dele, Kurenai, seria a regente, certamente ele estava querendo fazer bonito pra ela. Saco! Ao menos iria ver Gaara tocar.

Escolhi uma camisa social cinza de manga comprida, calsa jeans escura, tênis cinza e coloquei o chapéu mais social q tinha, era um fedora preto. Aquele seria o mais social que eu conseguiria sem a Temari. Quando eu, Gaara, Temari e Kankuro morávamos juntos, era ela quem nos vestia para ocasiões especiais.

Peguei o celular e tinha três ligações perdidas de Sai. Peguei as chaves e afaguei a cabeça de Kyuubi.

- Volto já, migona.

No carro estavam Sasuke que vestia camisa social azul escura com dois botões abertos, um colar com o brasão de sua família, calsa jeans e tênis, Sai, que usava camisa social branca, calsa e sapato social, Sakura, que usava um vestido curto vermelho, que tinha um corte na lateral revelando a cor da pele da cintura, e Itachi, irmão mais velho de Sasuke que ia dirigindo o carro, trajava uma blusa branca embaixo de terno preto, uma bermuda jeans, tênis branco e boina cinza xadrez. Aquele cara sempre foi minha inspiração, até no modo de se vestir ele é mito.

- Olha lá o Sai, parece até gente. - debochei.

- Pesquisei o tipo de roupa que se vai para um conserto musical e deu isso. - Disse Sai inesprecivo como sempre.

- Não liga para o Naruto, Sai, você está muito elegante. - disse Sakura -É assim que se veste para um conserto seus merdas.

Eu e Sasuke reviramos os olhos, Sakura pisou no meu pé com seu salto alto. Itachi colocou Guns para tocar no som e fomos escutando os solos de Soul de casa até Suna, onde ocorreria o concerto.

Hinata

Após uma hora de viajem chegamos à Sunagakure. Graças ao ar condicionado do carro, eu não derreti em suor. Kiba só sabia brigar com Ino, ou melhor, Ino só sabia brigar com Kiba. Eu e Toneri fomos conversando até o local da apresentação, ele contava piadas e tentava desviar minha atenção da apresentação. Neji havia ido em seu carro, disse que daria carona para alguns amigos. Shino estava apenas observando as discussões de Kiba e Ino, minha irmã estava conversando com Konohamaru, seu amigo o qual meu pai desaprovava constantemente. Meu pai estava em um canto no carro digitando no celular com a cara fechada, certamente por causa de Hanabi e Konohamaru.

- Trouxe sua flauta ? - perguntei a Toneri com o estômago revirando.

- Está na bolsa. - Ele tirou uma flauta doce de dentro da bolsa. -Quer ouvir? - Acenei positivamente. E então ele começou a tocar, Ino rapidamente parou de gritar, Hanabi recostou a cabeça no ombro de Konohamaru, meu pai largou o celular e fechou os olhos. Todos estavam prestando atenção no som e eu estava levemente mais relaxada, mas não o suficiente.

Chegando em Sunagakure fomos até o palco e era tudo realmente perfeito em concordância com as fotos, era um gramado com bancos de madeira e flores em tons de marrom bege e branco.

Faltava apenas mais uma universidade para que Konohagakure se apresentasse, meu pai foi sentar com Toneri e Ino me deixando com apenas meus amigos. Eu estava sem ar, a única coisa que me acalmava era a presença do belo piano madeirado que eu iria usar naquela noite, Kiba estava agitado e Shino estava sereno como sempre. De repente senti uma mão em meu ombro, olhei por reflexo e vi Neji.

- Está tudo bem.- Disse Neji me abraçando. - Vamos tomar um chá? – Acenei positivamente. Fomos até uma lanchonete próxima e Neji me pagou um chá de maracujá. Ao longe vi alguns amigos de sala conversando.

- Neji, tenho que cumprimentar uns amigos. Quer me acompanhar? – Ele deu de ombros e me seguiu. Chegando na roda todos me saldaram e elogiaram minha aparência.

- Pessoal esse é meu primo... – Olhei na direção que Neji estava, mas ele não estava mais ali. – Ué, mas ele estava...

- Quem Hina? – Disse Tenten.

- Ahn, meu primo, mas ele não está mais aqui. Devo ter perdido ele no caminho. Aliás, belo vestido, Tenten. – Tenten usava um belo vestido longo na cor vinho.

- Obrigada, ganhei de uma pessoa muito especial. – Disse ela com um sorriso fofo e bochechas coradas.

- Acho que já está na hora de irmos. – Disse Frea.

- Tudo bem então. Vejo vocês mais tarde. – Procurei por Neji e não o encontrei, já desistindo fui para os bastidores.

- Konoha é o próximo, gente. - Disse Kurenai. A ideia de mim na frente do palco me deixou tonta, Kiba me pôs sentada em um banco.

- Vou trazer água com açúcar, tudo bem? - Acenei que sim e minutos depois estava Kiba com um copo com água. - Vai se sentir melhor. - Tomei a água e inspirei fundo. Já me sentia melhor. - Talvez não seja uma boa hora, mas fiz um presente pra você. - como em reflexo meus olhos voltaram para os de Kiba, ele mordia o lábio inferior e devido a aproximação pude notar como Kiba era bonito sem a tatuagem vermelha em seu rosto. Sorri de felicidade por ver a pulseira de macramé lilás e branca que ele amarrara em meu braço. Quando ele deu o último nó, senti uma corrente de calma percorrer meu corpo.

- É linda. - Não pude conter o sorriso. O abracei e ele retribuiu me apertando mais.

- Não deveria estar nervosa - Disse ele depositando um beijo em minha testa. - Você é ótima no que faz e deu o seu melhor por essa música, se der errado vai ser pelo seu nervosismo - Kiba encaixou seu polegar e indicador em meu queixo levantando minha cabeça de forma que eu olhasse em seus olhos. - Não deixe que isso te atrapalhe, ok ?

- Ok. - disse eu em um fio de voz. Então eu sorri de volta, era incrível como Kiba conseguiu me levantar tão rápido.

- Kiba, Hinata, já vamos entrar. - Disse Shino se aproximando. Rocei o polegar na pulseira, e aquilo me transmitiu confiança. Eu, Kiba e Shino fomos andando até o palco. Estava tudo escuro e havia luz apenas na platéia, fui lentamente até o piano onde me sentei no banco. Meus dedos deslizavam pelas teclas e lembrei da pulseira de Kiba, sorri e fechei os olhos me preparando para o acender das luzes.

Naruto

Chegamos em Suna meia hora para o início do concerto. Procuramos o auditório e lá estava Asuma na porta com um cigarro na boca para não perder o costume. Assinamos a lista e fomos para o gramado, procuramos nosso acento e Sakura teve um colapso nervoso ao ver uma loira a três fileiras à nossa frente com o mesmo vestido que ela, não pude conter a risada.

- Aquela vadia da Ino. - Dizia Sakura entre os dentes.

- Calma Sakura, conhece aquela mulher? - Dizia Sai afagando o ombro da rosada.

- Sim, fizemos aula de música juntas. Éramos três amigas, eu, Ino e Hi... - De repente sinto algo me socar nas costas, olho para trás e era Temari, que saudade sentia daquela mulher e a julgar pelo soco estava forte como nunca. A abracei e perguntei por Gaara e Kankuro.

- Gaara já vai se apresentar, e Kankuro está sentado logo à frente. - Disse Temari com um belo sorriso que esbanjava orgulho. - Olá Sakura, Sasuke, Itachi, Sai. - Todos devolveram o cumprimentos à Temari e fomos nos sentar. Como U.S era a anfitriã do evento, ela iria começar.

Gaara estava no lado esquerdo do palco com uma flauta transversal em mão e sua roupa tinha tons de bege e marrom. A música durou cerca de vinte e cinco minutos, e os aplausos estalavam pela grande platéia, olhei para o lado Sakura e Itachi choravam, Sai estava inexpressivo como sempre e Sasuke mexia no celular. O intervalo foi de dez minutos, o que deu tempo de eu e Sasuke irmos à cafeteria. No caminho, ouviamos alguns cochichos femininos a nosso respeito, nos divertiamos sorrindo para algumas e piscando para outras. Na cafeteria vi uma imagem que fez meu coração chegar na boca. Uma menina de vestido rosa claro e cabelo preto azulado estava parada tomando chá. Era a menina que deu o fora no Kankuro, a seu lado estava alguém de quem não queria ver nem pintado de ouro. Neji Hyuuga estava parado colocando delicadamente uma mecha de cabelo solta da moça, atrás da orelha dela.

- Vamos em outra lanchonete.- Disse eu ao Sasuke

- Por que?

- Neji. - Sasuke fechou o senho. Um misto de raiva e dor tomou meu peito, então eu dei um passo furioso para frente apertando os punhos.

- Calma aí Naruto, o lugar não é muito propício para uma briga e você sabe. - Disse Sasuke segurando meu braço. Mordi o lábio inferior e inspirei.

- Tudo bem então.

Fomos para outro café, compramos pães doces, uma porção de macarrão e voltamos para nossos acentos, a próxima apresentação seria de Kini.

...

Tomei um susto com um empurrão de Sakura.

- O que foi, sua ogra?

- Você dormiu, baka! - Disse Sakura com uma expressão assustadora. Olhei em volta e realmente, U.Ki já havia terminado sua apresentação. Cocei a nuca e soltei uma gargalhada. – U.K já vai começar. Temos que fazer um trabalho sobre essa apresentação, não vou fazer isso tudo sozinha. – Sai estava inexpressivo com o olhar perdido. Me aproximei tentando escapar da bronca de Sakura.

- Tá pensando em que? – Perguntei ao Sai.

- HM? Nada, só estou olhando aquela loira ali, a que Sakura estava chingando. Ela é bonita, né não? – Disse Sai. Antes que pudesse responder, Sakura deu um soco na cabeça de Sai. E depois na minha.

- Não elogie aquela vaca! – Gritou Sakura entre dentes para Sai. Eu olhei para a rosada sem entender.

- Eu nem elogiei a garota. Qual é seu problema?

- Você me deixou conversando sozinha, seu merda. – Cocei a cabeça onde ela havia acertado tentando aliviar a dor. A discussão havia chamado atenção das pessoas ao redor, inclusive da loira gata.

- Testuda?- Disse a loira se levantando do assento. Só então que reparei que ela estava usando o mesmo vestido que Sakura.

- Porca! – As duas se encaravam com ódio no olhar. Eu e Sai aproveitamos para fugir da rosada enfurecida, mas Sasuke nos barrou e nos fez sentar.

- Conserto, trabalho, Asuma, passar de semestre.

Sentamos nas cadeiras, Sakura e a loira se sentaram logo em seguida. Por fim tudo ficou em silêncio para o início do espetáculo e as luzes se acenderam, as cores eram em tons de branco e rosa claro. A música começou, um menino de cabelo castanho tocava o violoncelo que sobressaia. Após cinco minutos o palco ficou escuro e as luzes que iluminavam a plateia mudou para um tom mais escuro, uma luz iluminou um piano e atrás dele estava uma mulher que rapidamente identifiquei, era a menina que estava com o Nejinojinho. Era ela quem iria solar? Não sabia que estudava em U.K. e muito menos que fazia música. Senti um gelo percorrer a espinha e me ajeitei no banco. Ela tocava muito bem e o solo do piano me arrepiava até os cabelos da nuca. Era tudo lindo, a música, o local, o piano e aquela mulher.


Notas Finais


Bom, espero que gostem, peço que favoritem e comentem a fic. Um abraço e até a próxima.


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...