História Ao renascer das Cinzas - Capítulo 2


Escrita por: ~

Postado
Categorias Padrinhos Mágicos
Exibições 26
Palavras 1.799
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Artes Marciais, Ecchi, Escolar, Famí­lia, Hentai, Romance e Novela, Shoujo (Romântico), Violência
Avisos: Heterossexualidade, Insinuação de sexo, Linguagem Imprópria, Nudez, Sadomasoquismo, Sexo
Aviso legal
Alguns dos personagens encontrados nesta história e/ou universo não me pertencem, mas são de propriedade intelectual de seus respectivos autores. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos criada de fã e para fã sem comprometer a obra original.

Notas do Autor


Peço desculpas pelos erros de portugues, mas espero que estendam o enredo e continuem lendo minhas fics, alem de que os alguns personagens da minha historia não me pertencem e sim o criador dos padrinhos magicos

Capítulo 2 - A chegada


Na manhã seguinte Timmy já estava acordado mas não tinha saído da cama ele ainda estava triste por causa da noite passada, não conseguia para de pensar no que deu errado para sua vida ter saído de um sonho mágico, para uma desgraçada realidade.

Timmy saiu do seu pensamento quando seu pai abre a porta de seu quarto.

Sr. Turne: Desculpe campeão, mas já esta na hora de ir, você tem que se preparar. Disse ele sentado na cama.

Timmy não saiu do lugar e não disse nenhuma palavra.

Ao ver o silencio de seu filho para ele, o pai de Timmy começa a ficar irritado e fala.

Sr. Turne: Pelo amor de deus Timmy se você acha que ficar com raiva de mim vai mudar alguma coisa, eu tentei fazer de tudo mais essa era a última opção que sobrou. Disse ele com raiva.

Timmy vendo a atitude de seu pai começa a ficar irritado e começa a gritar com ele.

Timmy: Fez de tudo! Fez de tudo você diz! Mas  o que eu vejo é que você não se importa comigo. Você e a Mamãe sai toda a noite e me deixam com uma baba que só me faz o mal e quando voltam todos sorridentes e alegres pagam aquela desgraçada uma fortuna nem fazem questão de vir ao meu quarto para saber se estou bem de verdade.

Sr. Turne: Baixe sua voz quando falar com seu pai mocinho. Disse ele

Timmy: Meu pai! Tudo bem! Eu vou me preparar para a próxima desgraça que me espera. Mas de uma coisa você fique sabendo ao chegar lá seja onde for, você deixa de ser meu pai. Disse ele batendo a porta.

A mãe de Timmy esta se dirigindo ao quarto do filho para saber o que era aquela gritaria mas é ignorada pelo filho que ia em direção ao banheiro, ela foi em direção ao quarto do Timmy e encontra o pai do mesmo paralisada pelas palavras do filho.

Nenhuma confusão ocorreu depois desse acontecido Timmy não trocou mais nenhuma palavra com seus pais ate entrar no carro, depois do banho  ele se vestiu com sua roupa normal e desceu para o café da manhã depois disso foi para seu quarto ajeitar sua mala de despedida, quando terminou ele a fechou mas antes de descer ficou olhando o aquário vazio antes habitado pelos seus antigos padrinhos fazendo o mesmo derramar uma ultima lagrima de saudade.

Depois de chorar sua ultima lagrima, ele fecho os olhos forçadamente fazendo um olhar de raiva e disse para se mesmo.

Timmy: Já chega! Já cansei de tristeza!Ja cansei de chorar! Chegou a ora de mudar deixar o passado de lado, ora de olhar para frente e alcançar meus objetivos mas antes uma ultima coisa disse ele pegando todos os seus bonezinhos rosas e seus brinquedos desceu as escada entrando na sala onde ficava a lareira que estava acesa.

Timmy: Ora de queimar as magoas do passado. Disse ele jogando todas as coisas na lareira.

Timmy: A partir de hoje o Timmy covarde, medroso, idiota, que dependia dos outros e era impopular morre sendo queimado por esse fogo e apartir dessas cinzas vou virar uma nova pessoa. Disse ele olhando seriamente para o fogo queimando suas coisas.

Sua mente sai dos seus pensamentos quando ouve sua mão chamando para ir ao aeroporto para começar a viagem em direção ao seu avó por parte de mão que nunca tinha conhecido e que iria ser seu responsável a partir de agora.

Quebra de tempo

Timmy e sua Mãe já estavam em Monaco na cidade do pai dela, e Timmy passou a viagem inteira olhando para o nada sem dizer nenhuma palavra. Sua mãe estranhou, pois  nunca tinham visto o filho ficar tanto tempo sem falar uma única palavra e principalmente andar sem seu bonezinho rosa.

Sra. Turne: Vire a direita na próxima rua nos estamos quase chegando. Disse ela falando com o taxista.

Ao virar onde ela tinha indicado Timmy se depararam com uma casa gigantesca onde se podia ver um quintal monstruoso pelos portões.

Timmy surpreso pela visão sussurrou.

Timmy: Nossa! Sussurra ele impressionado pela vista da casa.

Mas Timmy não percebeu que sua mãe havia ouvido seu sussurro e disse.

Sra. Turne: Esta impressionado com a casa do seu avô Timmy. Disse ela sorrindo para o filho.

Timmy fica ainda mais surpreso pelo que sua mãe havia dito.

Timmy: Mas como? Pergunta ele surpreso.

Sra. Turne: Hora Timmy! Como você acha que sua mãe conhece tantas pessoas importantes se seu avô não fosse rico. (N/A: Essa parte é do episodio que a mãe do Timmy o persegue por todo o globo querendo passar um tempo com ele.)

Timmy: mas porque ele não ajudou a senhora com os problemas financeiros? Pergunta ele.

Sra. Turne: Isso é por dois motivos, primeiro ele é uma pessoa muito rígida ele acredita que uma pessoa somente chega ao topo se esforçando por si mesma e segundo ele odeia seu pai tanto que seu pai que ele não quis que eu e seu pai nos casássemos.

O taxi chega ao portão toca o interfone e se identificam depois de alguns minutos o portão se abre e o carro entra indo em direção a porta da mansão.

Ao chegarem La se deparam com duas filas a direita de empregadas e a esquerda de mordomos e uma pessoa no meio das filas que tinha uma aparência velha mais tinha uma aura de poder envolta dele.

O carro para em frente a escada da entrada, a Sra. Turne sai do carro e manda Timmy sair também, ambos sobem as escadas e ficam de frente a pessoa de idade na porta.

Sra. Turne: Como vai o senhor papai. Disse ela de forma seria.

Turne Avó: Indo bem, mas parece que aquele macaco não esta cuidando bem de você se me pediu para cuidar do meu neto. Disse ele de forma seria.

Sra. Turne: Papai você não prometeu que não falaríamos disso mais. Disse ela seria.

Turne Avô: Tudo bem querida. Disse ele dando um suspiro.

Turne avô: Então onde está o meu neto? Pergunta ele

Sra. Turne: Ele está aqui. O nome dele é Timmy. Disse ela apontando para o filho que estava a seu lado.

Timmy da um passo a frente e olha com a testa franzida para a pessoa que se denominava seu avô.

Turne avô: Interessante. Gostei do olhar dele minha querida diferente do macaco ele exala um olhar de confiança e poder como o meu. Disse ele sorrindo.

Turne avô: Muito bem! Peguem a bagagem dele e levem ao quarto que preparei. Disse o velho para os empregados que cumpriram as ordens.

Sra. Turne se vira para o filho e fala.

Sra. Turne: Tudo bem filho agora você esta nas mão do seu avô, ele é uma pessoa rígida mas se você fizer as coisas certas você pode se dar bem com ele. Disse ela empurrando Timmy na direção do pai e indo em direção ao carro.

O Turne avô pega no ombro do neto e manda o mesmo se despedir de sua mãe.

Sra. Turne: Tchau Timmy cuide-se. Disse ela segurando as lagrimas e acenando.

Timmy retorna o aceno da sua mãe que vê saindo pelo portão no carro.

Timmy vê sua mãe indo embora pelo portão da casa e imaginando que nunca mais a veria novamente.

Turne avô: Muito bem Timmy é hora de entrar.

Ambos vão em direção a porta que se fecha quando passam.

Autor: Então como será a vida de Timmy com seu avó.

To be continue...(Leiam as notas finais para saber do próximo episodio.)

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

Autor: Brincadeira do autor. Não fiquem com raiva foi só para quebrar o clima de suspense.

3 anos depois

3 anos se passaram depois que Timmy havia se mudado para casa de seu avô materno.

Era um dia normal como qualquer outro na Dimisdale High School todos os alunos se dirigiam ao retorno das aulas para o inicio do ano letivo, todos os colegas de Timmy continuaram juntos apesar de agora nem todas as aulas eram juntas  mas a primeira aula, por sorte, todos tinham juntos.

Os nerds da sala estavam conversando sobre jogos, enquanto os góticos estavam calados, mas os populares eram o que estavam fazendo o maior barulho.

Tad: Então Chad como vai os negócios do seu pai?

Chad: Não muito bem. Depois que essa nova empresa de tecnologia foi criada os negócios da empresa do meu pai vão de mal a pior.

Tad: Sei como é, meu pai também vive se reclamando pela casa que sua empresa perdeu mais um cliente valioso para essa empresa.

Trixie: Ah! Pelo amor de Deus! Que empresa é essa que tanto se reclamam? Disse ela com raiva por ser deixada de lado.

Veronica: Hora! Trixie você não ouvi falar da empresa multinacional Ttec.

A conversa foi parada quando o sino do inicio da aula tocou e a professora entrou na sala.

Professora: Bom dia! Alunos, meu nome é Carla e serei a professora responsável pela sala e antes de iniciarmos a aula temos dois novos alunos transferidos do esterior para nossa escola esse ano.

Professora: Entrem! Disse ela olhando para a porta.

Todos os alunos olharam para a porta quando entrou primeiramente uma menina que parecia que tinha cerca de 14 anos ela a tinha cabelos azulados lisos e compridos que chegavam no meio das costas, ela tinha um rosto que parecia de boneca e um corpo que dava inveja a todas as garotas na classe e com isso fazendo todos os homens prestarem atenção nela mas essa atenção é mudada quando entra pela porta o segundo aluno que era um garoto alto mas não muito, seu rosto não era visível  pois o mesmo estava usando um casaco branco folgado com capuz levantado cobrindo seu rosto deixando visível somente sua boca.

A atenção que os alunos novos estavam recebendo foi tirada quando a professora falou.

Professora: Bem turma o nome do seu novo colega é .... Antes que a professora disse-se o nome do aluno novo ela é interrompida pelo mesmo.

Aluno de capuz: Desculpe interromper professora mais eu mesmo me apresento! Ola a todos vocês podem me chamar de T. Disse ele com uma voz seria e um pouco grave alem de levantar um pouco a cabeça fazendo com que seu olho que era azul mais bem forte, deixassem as meninas intimidadas, apaixonadas e excitadas  alem de ao ouvirem a voz dele começaram a sonhar novamente.

Aluna nova: E eu me chamo Lucíle, prazer em conhecer todos vocês. Disse ela de maneira meiga e carinhosa fazendo todos os rapazes babarem por ela.

To be continue.... (agora sim é o fim, e não deixe de acompanhar a fic e ler as considerações finais para mais spoiles do próximo capitulo)


Notas Finais


Obrigado a todos que leem as minhas fic, fico honrado, agradecido e determinado por lerem as minhas historias. posso custar a posta um novo capitulo mas lhes garanto que cedo ou tarde vou termina-las e sempre aceito sugestões para melhorar a historia. Agora deixem seus comentário pois o que me incentiva a escrever é a opinião de vocês. Agora vamos a que todos esperam...
Proximo cap: Francis sai voando.


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...