História Ao Seu Lado - Capítulo 3


Escrita por: ~

Postado
Categorias Como Eu Era Antes de Você, Naruto
Exibições 269
Palavras 2.090
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 16 ANOS
Gêneros: Crossover, Drama (Tragédia), Famí­lia, Romance e Novela, Shoujo (Romântico), Universo Alternativo
Avisos: Álcool, Drogas, Insinuação de sexo
Aviso legal
Alguns dos personagens encontrados nesta história e/ou universo não me pertencem, mas são de propriedade intelectual de seus respectivos autores. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos criada de fã e para fã sem comprometer a obra original.

Capítulo 3 - Confirmação


– olha, a melhor coisa a se fazer nesse momento, é ficar calmo, Sasuke – Naruto disse tentando ao menos deixá-lo mais calmo. Sasuke o olhou de canto e depois para Sakura e Gaara que o olhavam de olhos arregalados, nem mesmo podiam se mexer. – claro que pra isso tem que ter uma explicação obvia.

– é cara! Não vamos nos desesperar – Gaara falou, se levatando e indo até o amigo, tentando ficar calmo. Eles sempre foram amigos, desde a infancia, não queria que nada de ruim acontecesse com seu amigo.

Ele levaria essa culpa nas costas também, pois ajudou a fazer a brincadeira na outra faculdade que nem mesmo saiu correta. Várias pessoas ficaram doentes, outras machucadas, mas depois de um mês, a maioria estava em casa, menos Sasuke e Sakura, ambos levaram queimaduras graves, e ninguém conseguia entender o movito daquilo.

– não vamos nos desesperar? Não é você que não está sentindo completamente nada. Eu quero sentir pelo menos dor nas minhas pernas. E se eu não for mais andar?

– credo Sasuke! – Sakura falou mais alto que poderia, chamando atenção dos três homens – quero dizer. Você não precisa ficar desesperado. Você acha que se fosse algo mais sério, as médicas já não teriam visto. Deve ser apenas uma coisa pasageira, não deveria levar para um lado tão sério desse porte.

– eu não tô conseguindo pensar numa forma boa, com isso na minha cabeça.

– você não tem esperança no seu coração – Sakura perguntou ficando mais séria, e Sasuke olhou pras suas pernas – tenho certeza que vai ficar tudo bem – ela disse e Gaara voltou para seu lado, sentando em sua cama.

*

Quando a noite caiu, Sasuke recebeu a visita da sua família completa, Mikoto, Fugaku e Itachi, seus pais e irmão. Claro que ele contou o que tinha acontecido com a doutora e logo Fugaku deu um pulo querendo saber de mais coisas sobre isso, não queria que seu filho ficasse numa cama pra sempre. Quando a médica voltou no quarto, ela explicou que os exames já tinha sido encaminhados e que na manhã estariam prontos.

– é, sendo assim só podemos aguardar, esperar até amanhã. – Fugaku disse olhando pra Sasuke de cima – eu ainda não entendo qual foi o motivo que te levou a fazer esse tipo de brincadeira.

– querido, não vamos falar disso agora, tá bom.

– mas é o que temos que fazer. Por quantas vezes eu disse que você tinha que crescer, tinha que amadurecer, você tem que pensar nas coisas que estão vindo pro seu futuro? A faculdade não é um lugar pra brincar.

– eu já sei disso – Sasuke reclamou cruzando os braços – obrigado por vir até aqui me lembrar disso – revirou os olhos e Fugaku fechou sua boca. Estava chocado com o que tinha acontecido, mas ainda era pai de Sasuke e estava preocupado com sua recuperação.

– agora é só esperar – assim que Itachi terminou sua frase, uma voz soou avisandoa todos que o horario de visita tinha acabado. – até mais irmãozinho.

– hm – resmungou mais uma vez. Fugaku acenou com a cabeça logo saindo do quarto, e Mikoto também depois de da um beijo em seu filho. – até amanhã mãe.

– até amanhã filho – pegou sua bolsa no canto da cama e virou para Sakura que assistia a cena com um sorriso no rosto. – e você, durma com os anjos – disse indo até ela e beijando sua cabeça. Mikoto tinha ficado amiga de Sakura no periodo que Sasuke estava desacordado. Ela sempre vinha vê-lo e Sakura dizia smepre que a qualquer momento ele acordaria e estaria tudo bem, e depois de dias, aconteceu exatamente como ela dizia. – sua mãe veio hoje?

– sim, dona Mikoto, obrigada por perguntar – e além de positiva, Sakura era educada e gentil. Uma menina perfeita aos seus olhos.

– até amanhã – deu um beijo na cabeça dela e também saiu do quarto.

Sakura suspirou se acomodando na cama, olhou pro lado vendo Sasuke admirar a janela que ficou aberta, tinha algumas estrelas brilhando no céu, sorriu.

– eu também gosto de observar as estrelas – ela disse, chamando atenção do Sasuke que virou o rosto pra ver ela levantar com esforço, seus braços ainda estavam enfaixados, mas não pareciam doer tanto assim – eu as acho lindas.

– você deve achar tudo lindo – resmungou virando o rosto, Sakura parou na frente da janela.

– porque não aproveita a vista? É tão bonita.

– porque eu prefiro pensar no que me espera amanhã. – cruzou os braços fazendo bico, olhando pras suas pernas – eu tenho medo de ouvir que não vou mais andar.

– isso não vai acontecer – falou e Sasuke olhou pra ela. Sakura deu as costas pra janela sentando na cama dele.

– como tem tanta certeza?

– eu acredito em você, e sei que não vai ser essa brincadeira de mal gosto que irá te empatar de andar, de jogar futebol, de sair com os amigos. – Sasuke olhou de novo pras suas pernas – você tem que acreditar em si mesmo.

– você sempre é assim, irritante?

– sou.

– porque você está aqui mesmo? – perguntou irritado e Sakura riu, ele bufou, sempre espantava as pessoas que não queria perto sendo grosso. – eu nem conheço você.

– eu sei que não. Sou invisivel pra você mesmo, não é? Sempre fui. Acontece que se eu não tivesse naquela festa, eu estaria muito bem agora.

– foi porque quis.

– fui porque você me convidou – ele riu de canto.

– convidei pra ser gentil.

– sempre achei que fosse gentil, como todo mundo pensa.

– gosto de fazer as pessoas acharem que sou legal.

– pra depois maltratá-las mesmo quando ela são legais com você – Sasuke ficou sério – não quero culpar você, mas a culpa de você está deitado nessa cama e eu quase sem poder mexer meus braços é sua e dos seus amigos. Fazer esse tipo de brincadeira não é legal. E tudo que aconteceu foi o destino lhe devolvendo na mesma moeda.

– não quero ouvir suas acusações.

– eu sei. Ninguem gosta de ser acusado, ou de ouvir a verdade. – ela levantou e Sasuke bufou de novo, não queria mais discutir.

– que bom que sabe – ele a olhou de canto de olho, vendo ela sentar na cama e ajeitar o lençol com cuidado em seu corpo – aposto que ninguem disse pra você que está parecendo uma morta viva desse jeito.

– eu não sou a única – ele virou o rosto todo pra olhar pra ela. Sakura riu de lado e girou seu corpo de cara pra parede – boa noite Sasuke.

– hm – fez careta imitando ela e deitou na cama.

*

Quando amanhaceu, Sasuke foi o primeiro a acordar sentindo o sol bater na sua cara. Não gostava quando era acordado daquele jeito, mas naquele hospital era um saco só. Sentou na cama puxando seu corpo pra trás e olhou pro lado, vendo Sakura só se remexer na cama e virar de barriga pra cima ela tinha acordado tambem.

Voltou a olhar pras suas pernas e uma dor veio no seu coração, não queria perder os movimentos gostava tanto de andar de correr, e jogar bolsa e outras coisas pra perder suas pernas daquele jeito. E foi pensando assim que ele realmente se arrependeu de ter tirando uma brincadeira desse tamanho com a outra faculdade. Nem devia ter pensado nisso pra falar a verdade.

– bom dia? – Sakura disse sentando na cama e Sasuke olhou pra ela – não fique com essa cara, tudo vai dar certo.

– começou cedo a encher o saco – Sakura riu.

– pense como quiser – após dizer isso, a porta foi aberta de novo, e por lá passou Naruto e atrás dele Gaara com um sorriso no rosto – Gaara!

– Sakurita, voltei com seu bolo preferido – disse todo animado indo até sua cama e sentando ao lado – também trouxe suco de cereja que você gosta, come logo antes da enfermeira chegar e dizer que você não pode comer isso.

– obrigada, que Deus lhe pague.

– aceito seu pagamento também. – Sakura olhou pra ele de um jeito diferente e isso todo mundo do quarto percebeu, principalmente Sasuke que virou o rosto olhando pra Naruto que também estava olhando pro casal – não que eu espere algo de você.

– sei – ela riu de novo chegando perto dele só pra lhe dar um beijo na bochecha – pra você de presente.

– pagou tudo que eu trouxe pra você.

– chega de doces por hoje – Naruto disse olhando pra Sasuke agora – como se sente?

– eu não sinto nada, nadinha nada.

– isso vai mudar – Gaara falou abrindo a garrafa de suco pra Sakura – você não vai ficar assim não. Isso nem devia tá acontecendo.

– se fosse algo sério Sasuke, eles tinham visto isso com todos os exames que fizeram em você.

– eu disse isso pra ele – Sakura comentou, chamando atenção de Sasuke – mas ele não me ouve.

– ele não ouve ninguem, vamos falar assim – Naruto sentou na cama lhe dando uma sacola pequena de papel, Sasuke pegou a contra gosto olhando pra Sakura e Gaara do outro lado, eles pareciam um casal de namorados.
Irritantes.

*

Mais tarde, Sasuke recebeu a visita de sua mãe novamente, e junto com ela, Itachi.

– quanto mais gente melhor – Naruto disse sentado perto da janela, todo mundo estava esperando os resultados.

– onde está Karin? – Sasuke perguntou a Naruto que deu de ombros.

– bom dia – a médica entrou no quarto novamente, deixando todos ainda mais tensos.

– bom dia doutora – Mikoto se levantou, ao lado dela estava Mebuki que teve a oportunidade de ir visitar sua filha e encontrar a tão famosa senhora Uchiha.

– sei que estão todos muito ansiosos, e trago uma boa, e uma má noticia.

– pode falar logo? – Sasuke disse, ele estava vermelho e desesperado, claro, para uma pessoa que estava quase parar perder os movimentos das pernas, era desse jeito que tinha que se sentir.

– claro, senhor rapidinho – brincou e ninguém riu – bom, a boa noticia é que você não está paraplegico, meu jovem – todo mundo deu um suspiro de aliviu, mas Sasuke continou olhando pra ela – e a ruim, é que você perdeu apenas a sensibilidade por causa da quentura.

– o que isso quer dizer?

– quer dizer que por algum tempo, você não vai poder andar.

– o que? – Sasuke ficou paralizado, assim como o resto da sua família. Ele não podia ficar “um tempo” sem andar. Ele tinha que andar, correr para jogar no time da faculdade. definitivamente, ele não podia ficar sem andar.

– tenho certeza que com o acompanhamento certo, você vai ficar melhor, é apenas uma questão de tempo – a médica disse um pouco culpada pela expressão tristonha que Sasuke mostrava.

Claro, ela era uma médica já devia ter se acostumado com esse tipo de noticia devia ser comum, mas a cada família era um rosto diferente, um problema diferente, e aquela ali na sua frente estava chocada.

– não tem outra saída? – Naruto perguntou, ficando de pé. – tem que ter outra solução.

– ele pode fazer terapia. É a melhor forma de todo esse... – ficou em silêncio sabendo que se repetisse, alguém explodiria – voltar.

– por favor saiam todos – Sasuke disse e todos o olharam. Mikoto encarou seu filho por alguns segundos, mas logo pegou sua bolsa, entendia que seu filho teria que ficar sozinho apenas um pouco para assimilar o que estava acontecendo em sua vida. Mas também não sairia do hospital, ficaria ali até ele decidir que queria vê-la. – eu pedi pra que todos saiam.

Naruto levantou da cadeira, engoliu a seco saindo logo depois. Gaara fez a mesma coisa, passou seu olhar de Sasuke pra Sakura e beijou sua testa, saindo logo em seguida. Sasuke piscou algumas vezes e olhou para Sakura do outro lado da cama.

– eu pedi pra todo mundo sair.

– olha pra minha cara. Eu não posso sair. Esse também é meu quarto.

– foda-se, quero que saia.

– os incomodados que se retire. – Fez bico e Sasuke a olhou.

– eu não posso sair, eu não posso andar. Sera que você não ouviu o que a medica disse?

– ela disse que você passaria um tempo, que isso não seria pra sempre, sera que você não ouviu?

Sasuke bufou, fechou seus olhos deitando na cama. Aquilo não podia esta acontecendo com ele. Ele sempre foi um homem de pose séria, popular na escola, agora na faculdade. Estrela do time de futebol. Ele era um exemplo para os outros meninos, apesar de ter sua fama de gentil quando era meio esquentado quando as pessoas não faziam algo que ele queria.

E seus amigos, como ficariam depois disso, e Karin? Onde estava no momento? Possivelmente correndo para lhe ver, pois a essa hora, todo mundo já sabia do seu estado.

Ele não estava paraplégico. Mas ficaria em andar por tempos.

Até onde ele conseguiria agüentar?

Notas Finais


E AGORA QUEM FICARIA AO SEU LADO?


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...