História Aos Olhos da Noite - Capítulo 8


Escrita por: ~

Postado
Categorias Carmilla
Personagens Carmilla, Laura
Tags Carmilla
Exibições 136
Palavras 765
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Aventura, Famí­lia, Fantasia, Luta, Magia, Mistério, Orange, Romance e Novela, Shoujo (Romântico), Shoujo-Ai, Sobrenatural, Suspense, Violência, Yuri
Avisos: Álcool, Canibalismo, Homossexualidade, Insinuação de sexo, Linguagem Imprópria, Sexo
Aviso legal
Alguns dos personagens encontrados nesta história e/ou universo não me pertencem, mas são de propriedade intelectual de seus respectivos autores. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos criada de fã e para fã sem comprometer a obra original.

Notas da Autora


Oier pessoas, um capítulo para vocês coisas foas.
Uma exelente leitura :3

Capítulo 8 - Uma Sombra, Com Uma Sombra dentro


Fanfic / Fanfiction Aos Olhos da Noite - Capítulo 8 - Uma Sombra, Com Uma Sombra dentro

-Eu sempre amei esse poema - Veio uma voz do vão, entre as prateleiras. Me virei num pulo. Lá estava Carmilla. Escondidas nas sombras. Senti vontade de a abraçar. Mas me controlei. - Bom te ver Cupcake.

-O que está fazendo aqui? Como entrou aqui? Você está bem? - Eu disparei o mais baixo que pude. Ela riu debochada.

-Sim. Estou muito bem. Apenas vim… Me distrair um pouco. Afinal… Sua trupe de neandertais está atrás de mim. Você deveria ter ficado com eles. Afinal… Sou perigosa.

-Eu… - Eu engasguei com as palavras - Eu não acho que você seja realmente, culpada por tudo isso. Mas, não sei como provar isso - Ela me estudou com aqueles olhos negros. - Me ajude a provar que eles estão errados, e que você não é realmente esse… Monstro.

-Mas eu sou um monstro. - Ela sorriu me mostrando os dentes - Eu matei e estraçalhei  muitas pessoas - Ela me sorriu ameaçadora e se aproximou de mim. Peguei o livro em cima da mesa, e bati em sua cabeça com ele.

-Pare com isso. Se fosse tão ruim, não tentaria me salvar. Me ajude logo. Mê dê um dica do que fazer, de como te ajudar - Ela me encarava feio, massageando a cabeça.

-Você está apenas olhando pelo ponto de partida. Procure o ponto de chegada - Ela disse, e percebendo minha cara de confusão, bufou - Você está apenas olhando a lista de estudantes transferidos. Estudantes que saíram da Universidade, mas nunca olhou a lista de estudantes daqui, que realmente entraram, em outras universidades.

-Estudantes que realmente foram transferidos. - Ela concordou com um sorriso afetado. - Até porque… A lista de estudantes transferidos… Só esse ano, já ultrapassou a de três ou quatro anos juntos.

-Exatamente. Eu não sou a coisa que estripa eles. Eu sou a coisa…

-Que limpa toda a sujeira do campus…- Completei. Ela sorriu e fez uma reverência - Espera. Se você limpa a sujeira… Tem mais alguém fazendo sujeira?

Ela ficou séria e me encarou murmurando um“Sim”.

-Você sabe o que é? - Eu perguntei excitante.

-Não. Apenas sei, que o que está bagunçando o campus… Não é… Humano. Tampouco, apenas mais um vampiro. Quer dizer… Não sei. Tem sido difícil seguir pistas, quando você é um alvo - Ela ergueu uma sobrancelha.

-Ok. Tente pensar em algo que eu posso fazer para te - Meu celular começou a vibrar. Danny estava me ligando. Ignorei. Uma enxurrada de mensagens de LaF e Danny apareceram no meu celular. Elas estavam vindo para a biblioteca. Carmilla me olhou com calma.

-“A última coisa escrita está numa carreira de garranchos em caracteres élficos: eles estão chegando. Não há mais nada.” Hey Frodo… Eles estão chegando. - Ela falou baixo e me sorriu.

-Eu não sei o porque… Mas vou te ajudar. Eu te coloquei nisso, e vou ajudar a sair. - Eu disse séria. Ela me devolveu o sorriso mais fofo do mundo, e virou a cabeça. Dava pra ouvir passos apressados. - É melhor você ir. Não quero que te encontrem.

-Tome cuidado. Mantenha-se sempre alerta. - Ela se virou, mas parou e me encarou - Mais uma coisa - Ela me puxou pela cintura e me beijou. Não era um beijo tipo selinho, ou uma coisa tranquila. Pelo contrário. Eu senti a boca dela na minha. Eu me senti retribuindo o beijo. A língua dela passando por meus lábios e pedindo passagem. Segurei a nuca dela com força e retribui o beijo. Ela me soltou dando uma rápida mordida em meu lábio e sumindo nas sombras. Eu fiquei ali. Parada. Olhando o espaço entre as prateleiras. Até que a ficha caiu, peguei o livro que havia batido nela, abri e me sentei na cadeira. Tentei me focar em uma linha, quando Danny chegou correndo no corredor. Ergui a cabeça, da forma mais inocente possível.

Claro. Ouvi um sermão, sobre não olhar meu celular e tudo o mais. Evitei olhar nos olhos dela. Não queria mentir, mas como explicar o que aconteceu. E bem… Nós tínhamos algo. Mas desde de que contei sobre Carmilla… Por mais perto que estivéssemos perto. Estávamos … Nos afastamos. E aquilo me deixava com inúmeros pensamentos. Não estive com Danny, tempo suficiente para realmente conhecê-lá. O mesmo sobre Carmilla. O que eu sabia? Que ela era uma vampira, que matava sem piedade, e fazia alunos desaparecer. Droga. O que eu estava pensando, Carmilla não era assim, e eu precisava provar. Decidi trabalhar nas transferências assim que ficasse sozinha, ou com alguém que não ficasse bisbilhotando.


Notas Finais


Obrigada a quem leu até aqui. Espero que tenham gostado.
Até o próximo capitulo ~que sai daqui a pouco~ :3


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...