História Apaixonada Por Minha Leitora - Lia Jones - Capítulo 1


Escrita por: ~

Postado
Categorias Ariana Grande, Austin Mahone, Bea Miller (Beatrice Miller), Demi Lovato, Dylan O'Brien, Fifth Harmony, High School Musical, Logan Lerman, Selena Gomez, Shawn Mendes, Taylor Swift, Troye Sivan
Personagens Ally Brooke, Ariana Grande, Austin Mahone, Bea Miller, Camila Cabello, Demi Lovato, Dinah Jane Hansen, Dylan O'Brien, Lauren Jauregui, Logan Lerman, Normani Hamilton, Personagens Originais, Selena Gomez, Shawn Mendes, Taylor Swift, Troye Sivan
Tags Camren, Camren G!p, Camreng!p, Comedia, Fifth Harmony, Lauren G!p, Laureng!p, Norminah, Romance
Exibições 2.955
Palavras 2.129
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Ação, Aventura, Comédia, Crossover, Drama (Tragédia), Famí­lia, Hentai, Luta, Policial, Romance e Novela, Shoujo (Romântico), Shoujo-Ai, Suspense, Violência, Yaoi, Yuri
Avisos: Adultério, Álcool, Bissexualidade, Drogas, Heterossexualidade, Homossexualidade, Insinuação de sexo, Intersexualidade (G!P), Linguagem Imprópria, Nudez, Sadomasoquismo, Sexo, Tortura, Violência
Aviso legal
Os personagens encontrados nesta história são apenas alusões a pessoas reais e nenhuma das situações e personalidades aqui encontradas refletem a realidade, tratando-se esta obra, de uma ficção. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos, feita apenas de fã para fã sem o objetivo de denegrir ou violar as imagens dos artistas.

Notas da Autora


Gente essa é minha primeira fic, espero que gostem, se puderem comentar o que acharam me ajudaria muito, se eu ver que não agradou, irei remover :D Boa leitura.

Capítulo 1 - Prólogo


Fanfic / Fanfiction Apaixonada Por Minha Leitora - Lia Jones - Capítulo 1 - Prólogo

P.O.V Camila

Um pássaro azul cantando, folhas laranjas caindo de grandes árvores, uma rua cercada de casas de dois e três andares, um passeio deserto, sem movimento algum exceto é claro pelos lindos pássaros azuis, eu já mencionei eles? Céus como estou entediada.

Observava todo este cenário da grande janela do meu escritório, passava a maior parte do meu dia nesta sala, e na outra menor parte eu dormia ou comia, minha vida estava um tremendo tédio e isto se repetia dia após dia desde que meu marido, quer dizer, ex marido, me deixou por uma loira oxigenada qualquer.

Ele era o homem perfeito, cabelos castanhos, sorriso simpático, rico, musculoso e com estilo. Tudo que uma mulher de vinte dois anos queria, e bom eu consegui, namorei o Shawn por dois anos, e no terceiro eu o pedi em casamento, exatamente, eu tive que fazer o pedido, na época eu não entendia o porque de não fazer, éramos felizes, românticos e jovens, mas quando casamos no civil tudo mudou.

Shawn não parava em casa, era do trabalho para festas, das festas para a cama e assim se repetia. Quando ousei chamar ele para jantar fora, ganhei um belo bolo esperando ele sozinha no restaurante italiano que tanto amo.

No final de um ano de casamento, nossa relação estava mais morta que festas funerárias, quando ele me contou que queria divorcio pois achou a verdadeira mulher da vida dele, eu não vou mentir, por mais que o nosso romance estivesse acabado eu me chateei, estava em uma boa zona de conforto e gostava muito dele.

Shawn podia não estar presente fisicamente mas tudo que precisava ele me fornecia e isto me ajudou a terminar minha faculdade de letras e concluir o segundo livro da minha trilogia erótica. O único problema é que quando ele pediu divorcio, tudo se foi, não só ele como também meus amigos que arrumei por sempre acompanhar Shawn nos seus clubes de golf e poker.

Hoje eu estou com vinte cinco anos e minha vida social não existe mais, passo praticamente doze horas por dia escrevendo novidades para apimentar relações em meu blog e terminando meu livro de romance erótico que nem sucesso faz, sinceramente não sei como não parei com isto tudo, sei que é meu sonho, mas não há como viver assim para sempre.

Senti minha perna ser pressionada e olhei para baixo encontrando Eva apoiando na minha canela para se espreguiçar, ela é uma gatinha cinza tão preguiçosa que as vezes até me esqueço que ela também vive nesta casa. Agachei e a peguei no colo, dando o carinho da tarde que ela já estava tão acostumada.

Quando meu ex marido perguntou o que eu queria dele para que eu assinasse o divorcio, eu pensei em todos os momentos bons que passamos e por ficar muito feliz que ele me respeitou e contou a verdade para mim que havia outra, ao invés de me trair, eu acabei sendo bem boazinha com ele e escolhi levar apenas meu violão e minha gata.

Como eu não tenho muito tempo para compor minhas músicas ou sequer tocar algo, ele fica dentro do meu closet pegando poeira, já Eva eu não duvido que pegue poeira também, ela chega a ficar deitada por dez horas seguidas, as vezes a cutuco para saber se esta viva.

" – E então Eva, o que fazemos agora?"

Perguntei olhando para sua pelagem de três cores variando entre o branco, cinza e o preto. Bem que minha tia avisou que eu viraria uma daquelas velhas que criam centenas de gatos e janta sopa com os pelos deles. Mas eu não era assim antes de casar, eu juro.

Deixei Eva no chão quando ouvi minha campainha tocando e andei pelo corredor até a grande porta de madeira da entrada, abri encontrando uma morena de cabelos curtos, seu sorriso estava me dando inveja por eu estar na maior depressão que preferi analisar suas roupas. Uma saia preta justa batendo nos joelhos e uma camisa de botões branca com um blaser roxo claro em uma das suas mãos.

" – Normani o que faz aqui?" Perguntei indignada para ela. " – São exatamente quatro horas da tarde, não devia estar trabalhando?" Revirei os olhos quando ela se espremeu para passar pela a porta que eu insistia em fechar.

Não que eu não goste da Normani, mas ela exagera da nossa amizade, ela sabe que é a única amiga que tenho desde que todos se foram junto com o Shawn e as vezes ela abusa disto fazendo o que quiser pois tem a certeza de que não irei reprimi-la.

Ela entrou e caminhou até minha sala, se jogando no sofá branco em formato de L e colocando suas pernas na mesinha de vidro do centro, pegou o controle da minha televisão de plasma e ligou, fazendo o ambiente se encher com o som de um reality show clichê da américa.

Sou cubana e ela sabia que eu detestava estes realitys, mas mesmo assim ela me provocava ao máximo nisto. Andei em passos largos até chegar a sua frente e tomei o controle da sua mão, desligando a tv e cruzando os braços.

" – Camila! Eu estava vendo as gostosas das Kardashians. Por que desligou?" Ela perguntou emburrada assim como eu.

" – Por que? Você não está no direito de me perguntar nada, quero saber o que está fazendo aqui."

" – Você abriu a porta, não lembra?" Ela debochou e tentou pegar o controle de mim.

" – Só porque eu abri não quer dizer que te convidei para entrar." Gritei já sem paciência.

Ela se encolheu e fez um bico que me derreteu de dó, eu não devia ter gritado com ela, mas ela me provocou, não tive culpa. Sentei ao seu lado e a puxei para um abraço.

" – Mani me desculpa, não fica assim eu não queria ter gritado." Ela fungou perto do meu pescoço e me senti pior ainda.

" – Você assustou até a pobre Eva."

Olhei para os lados procurando por minha gatinha e encontrei ela nos olhando curiosa, ela realmente deve ter se assustado para andar até aqui. Me apertei mais contra Normani e suspirei já imaginando o que teria que fazer para que ela não continuasse emburrada.

" – Eu vou lançar mais dois capítulos hoje então." Sugeri já cansada de ter que escrever dois capítulos do meu livro.

" – Faria isso por mim Mila?" Normani levantou o rosto e não encontrei nenhum resquício que ela estivesse chorando ou magoada ainda.

Que Falsa.

Revirei os olhos e acenei positivamente, Normani tomou o controle da minha mão e ligou a tv novamente, batendo palmas toda vez que uma das Kardashians aparecia com um vestido que faltava pouco mostrar o útero. Levantei do sofá e acompanhei Eva até meu escritório deixando Mani na sala.

Normani Kordei era minha melhor amiga e minha editora, seus pais eram donos da grande editora Kordei e ela não pensou duas vezes antes de aceitar a proposta deles de ela comandar todo o lugar enquanto eles viajavam para o hawaii e passavam o resto das suas vidas pulando de ilha em ilha. É um bom jeito de se envelhecer com seu marido.

Conheci Normani quando espalhei os manuscritos do meu primeiro livro e na época ela estava passando por um relacionamento inteiramente seco e sem graça, quando leu o primeiro capitulo e descobriu os poderes do sadomasoquismo, quis testar com seu namorado na hora, pena que ela não entendeu que as vezes o dominante tem que pegar leve. Ela levou um processo dos pais do seu namorado e faltou pouco ser presa por agressão, já que o idiota não assumiu que tinha consentido com as brincadeiras.

Resumindo, nós duas agora somos solteironas traumatizadas com as idiotices que pessoas do gênero masculino podem causar. Ela raramente me visitava em dias de semana e estranhei ela tocando a campainha a essa hora em plena quinta – feira. Pelo o visto ela só queria me convencer a escrever mais capítulos.

As horas se passaram rápido enquanto usava de minha imaginação para narrar um sexo bastante bruto entre o James e a Megan, personagens estes do meu terceiro livro. Quando enfim terminei, joguei meu peso para trás na cadeira giratória e suspirei cansada, esses capítulos haviam tido alguns dramas e narrar certas partes me levou tempo.

Olhei para o relógio e me assustei quando já marcava oito da noite, corri até a sala e não achei Normani, passei correndo por os corredores e entrei em cada quarto da minha casa procurando minha amiga desnaturada. Percebi os miados repetidos de Eva que só acontecia quando ela estava pedindo comida e me lembrei da cozinha, eu ainda não havia olhado lá.

Cruzei a sala e entrei na cozinha encontrando Mani revirando a geladeira para achar alguma comida gostosa, me aproximei do balcão e sentei em um dos bancos esperando ela notar minha presença. Quando ela bateu a porta e se virou, pude ver ela pular para trás e por uma mão no peito.

" – Ai garota, que susto." Ela suspirou

" – Ninguém mandou fazer arte." Semicerrei os olhos na sua direção.

" – Não estava fazendo arte, eu descobri o porque de você ser magra, não tem nada de bom nessa geladeira." Normani bufou e se sentou em frente a mim.

" – Eu terminei os capítulos, já enviei para o seu e-mail." Falei ignorando o quão abusada ela era.

" – Que bom, vamos pedir uma pizza para comemorar." Ela bateu no balcão animada.

" – Eu peço e você paga." Ordenei me levantando e indo até a sala antes de ela reclamar.

Depois de meia hora decidindo com Mani se pegaríamos metade doce e metade salgada, ela me obrigou a pedir de calabresa. Mani detestava pizza de doce, não sei porque. Enquanto esperávamos o entregador de pizza chegar, escolhemos um filme da minha grande variedade de CD'S que ficavam espalhados dentro de uma caixa de sapato. Eu sou descuidada sim, culpe meus pais.

" – Eu quero este!" Mani me entregou um CD com uma foto de uma menina e dois homens ao lado dela.

" – Eclipse? Você já viu isso umas quinhentas vezes Mani." Reclamei com um bico na cara. " – Eu até já decorei as falas deles."

" – Para de enrolar e coloca para rodar." Ela me empurrou para o aparelho de ler DVD e eu coloquei o filme emburrada.

Ouvi a campainha tocando e peguei o dinheiro com Mani para pagar o entregador, peguei a pizza e o refrigerante e deixei a caixa que cheirava muito bem, na mesinha do centro. Torci para que Normani não comesse a pizza tudo enquanto servia os refrigerantes.

Sentei ao seu lado lhe entregando um grande copo e peguei um pedaço de pizza, depois de duas mordidas, me impressionei por não precisar brigar com Mani por escolher calabresa ao invés de chocolate, estava realmente maravilhoso.

No meio do filme chegou a parte em que eu sabia de cor, o filme já havia dado pequenas travadas duas vezes até agora, e tive que aguentar Mani reclamando sobre minha falta de cuidados com CD's, eu não tinha culpa se a Eva empurrava a caixa de madrugada pensando que havia ratos dentro, e isso acabava arranhando os mesmos.

" – Bela...não é você, sou eu." Imitei o lobisomem e senti Normani me empurrar.

Assim que ela me empurrou o filme travou e faltou pouco ela me bater, me afastei dela rapidamente e tirei o CD limpando com a blusa e colocando novamente, mas ficou pior, agora nem imagem estava aparecendo. Me virei para minha amiga que tinha um bico nos lábios e franzi os lábios chateada também.

" – Eu sinto muito, não vai funcionar de novo." Joguei o CD ao lado da caixa e me agachei procurando outro filme igual. " – Que tal Crepúsculo?"

" – Não Mila, eu queria Eclipse." Ela cruzou os braços.

" – Querer não é poder."

Ela me lançou um olhar assassino e eu engoli seco.

" – Tudo bem, vou baixar na internet." Me levantei.

" – Não precisa, já está tarde. Vou voltar para a minha casa, amanhã cedo tenho que publicar seus capítulos. Obrigada pela a pizza." Ela ajeitou sua saia e pegou seu blaser.

" – Eu que agradeço por passar o fim da tarde comigo e com Eva. Vocês são tudo o que tenho aqui em Los Angeles." Confessei segurando a barra da minha camisa e Normani veio me abraçar sorrindo.

" – Eu sei que me ama Mila."

" – Nem um pouco abusada." Revirei os olhos.

Levei Normani até sua Range Rover estacionada frente a minha porta e acenei enquanto ela acelerava se afastando.

Olhei para a entrada e encontrei Eva escorada no batente, como sempre, curiosa.

" – É Eva, agora somos só você e eu." Suspirei voltando a minha solidão entediante. 



Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...