História Apaixonada Por Minha Leitora - Lia Jones - Capítulo 15


Escrita por: ~

Postado
Categorias Ariana Grande, Austin Mahone, Bea Miller (Beatrice Miller), Demi Lovato, Dylan O'Brien, Fifth Harmony, High School Musical, Logan Lerman, Selena Gomez, Shawn Mendes, Taylor Swift, Troye Sivan
Personagens Ally Brooke, Ariana Grande, Austin Mahone, Bea Miller, Camila Cabello, Demi Lovato, Dinah Jane Hansen, Dylan O'Brien, Lauren Jauregui, Logan Lerman, Normani Hamilton, Personagens Originais, Selena Gomez, Shawn Mendes, Taylor Swift, Troye Sivan
Tags Camren, Camren G!p, Camreng!p, Comedia, Fifth Harmony, Lauren G!p, Laureng!p, Norminah, Romance
Exibições 1.980
Palavras 1.655
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Ação, Aventura, Comédia, Crossover, Drama (Tragédia), Famí­lia, Hentai, Luta, Policial, Romance e Novela, Shoujo (Romântico), Shoujo-Ai, Suspense, Violência, Yaoi, Yuri
Avisos: Adultério, Álcool, Bissexualidade, Drogas, Heterossexualidade, Homossexualidade, Insinuação de sexo, Intersexualidade (G!P), Linguagem Imprópria, Nudez, Sadomasoquismo, Sexo, Tortura, Violência
Aviso legal
Os personagens encontrados nesta história são apenas alusões a pessoas reais e nenhuma das situações e personalidades aqui encontradas refletem a realidade, tratando-se esta obra, de uma ficção. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos, feita apenas de fã para fã sem o objetivo de denegrir ou violar as imagens dos artistas.

Notas da Autora


Oi meus amores, nem demorei não é?

Sei que já queriam o hot da Lauren e da Camila logo de cara, mas (eu pelo menos), gosto muito de ler uma fanfic que tem uma história em cima. E essa aqui vai ter tudo bem trabalhado, não achem que eu coloco certas referencias só por colocar. :D


Boa Leitura!

Capítulo 15 - Feliz Aniversário Sofi ! (Camila nem um pouco desastrada)


Fanfic / Fanfiction Apaixonada Por Minha Leitora - Lia Jones - Capítulo 15 - Feliz Aniversário Sofi ! (Camila nem um pouco desastrada)

Acordei sentindo uma perna forçando contra minha barriga e empurrei seja lá quem for a dona dessa perna. Segundos depois, ouvi um grito abafado ao meu lado. Abri os olhos e encontrei Mani com a mão na cabeça e uma careta de dor, eu sem querer havia empurrado ela com muita força e seu corpo se chocou contra a estante da televisão.

“ – Eu vou te bater tanto sua vaca.” Ela sussurrou para não acordar as meninas e eu engoli seco quando ela se levantou e caminhou até a mim.

“ – Mani, não foi por querer.” Me levantei também e pulei o corpo da minha irmã que dormia tranquilamente, abrindo a porta do quarto e correndo para a cozinha, novamente fugindo da Normani.

Desci o último degrau da escada e entrei na cozinha, me escondendo atrás da minha mãe, que fazia panquecas tranquilamente. Normani chegou em seguida, com um chinelo preto na mão.

“ – Meninas, parem. Vão me derrubar, estou fazendo o café de vocês.” Mama ria e separava minha amiga de mim com a frigideira ainda na mão.

“ – Tia Sinu, fala para a sua filha parar de me maltratar.” Mani pediu com um bico nos lábios eu semicerrei os olhos para ela.

“ – Sua falsa, foi você que começou a me chutar.” Me defendi e minha mãe nos olhava sem entender nada.

“ – Meninas, coloquem uma roupa decente e parem de brigar. E pelo amor de Deus Camila, você já está com vinte e cinco anos.” Minha mãe brigou comigo e eu bufei, pegando uma bolacha em um pote transparente em cima da mesa.

“ – Você é uma falsa Normani, agora minha mãe acha que eu sou a vilã da história.” Falei enquanto subíamos a escada para colocar uma roupa.

“ – Não tenho culpa se com esse meu rostinho angelical, todos pensam que eu sou uma santa.” Ela imitou uma asa com seus braços.

“ – Santa que nem a minha prima, só se for.” Ri e entrei no meu quarto, achando as meninas já vestidas, guardando os colchonetes e as caixas de pizza da noite de ontem.

“ – O que tem eu?” Ally perguntou fazendo eu e Normani rirmos.

“ – Você está linda hoje! Bom dia.” Inventei qualquer coisa e beijei sua bochecha, repetindo o ato com minha irmã.

“ – Bom dia e feliz aniversário, minha irmãzinha. Eu ainda vou puxar muito a sua orelha então não pense que só porque o relógio está passando rápido para você, eu vou te deixar fazer o que quiser.” Pisquei para Sofi quando nos afastamos do abraço.

“ – Então Kaki, sobre puxar a orelha...” Sofi deu um sorriso sapeca e eu já comecei a me preocupar.

“ – O que você aprontou?”

“ – Eu e o Tro...” Sofi foi interrompida com a porta do meu quarto sendo escancarada pelo o meu pai, que estava com um sorriso enorme nos lábios, mas que sumiu quando percebeu que Normani e eu ainda estávamos de roupa intima.

“ – Me desculpe meninas, Sinu me pediu para vir chama-las para o café e eu não imaginei que vocês ainda estariam sem roupas.” Ale falou envergonhado.

“ – Tudo bem pai, já estamos descendo.” Avisei e ele fechou a porta com o rosto corado.

“ – Seu pai é um amor.” Mani riu enquanto vestia uma blusa branca de renda e um short jeans.

“ – Ele é sim. Sofi, estamos atrasadas para a decoração da sua festa, depois a gente conversa.” Dei outro beijo na bochecha da minha irmã e corri para o armário, procurando algo para usar.

Depois de vestir uma regata preta com estampa do Star Wars e um short da cor salmão. Calcei uma sandália e fiz um coque frouxo em meu longo cabelo, aproveitando a ajuda de Ally, que se ofereceu para fazer uma maquiagem em mim.

“ – Você ficou tão linda depois de se divorciar.” Minha prima comentou depois que terminamos.

Passei um braço por seu ombro e desci com ela até a cozinha.

“ – Vocês falando assim me faz achar que eu estava um bagaço durante o tempo em que estive com ele.” Sorri sem graça.

“ – Não é isso Camila, eu quero dizer em tudo, você está mais alegre, querendo participar das coisas, se aventurar. Não sei se foi o Shawn ou seu sonho em ser escritora, que te abitolou dentro daquela casa em Los Angeles, mas fico feliz que está voltando a ser aquela Camila extrovertida que todas amamos.”

“ – Eu não sei o que dizer Allycat.” Parei assim que chegamos na cozinha e dei um abraço nela.

“ – Já estou sentindo sua falta, antes mesmo de você ir.” Ela falou abafado contra meu pescoço.

“ Eu vou ficar com ciúmes disso aí.” Minha amiga chata falou de boca cheia, apontado dois dedos para a gente.

“ – Pois que fique!” Me separei de Ally e sentei ao lado de Sofi na mesa, pegando um prato com duas panquecas e me servindo do suco de laranja.

“ – Abusada.” Ouvi Mani sussurrar e resolvi provocar.

“ –O que foi que disse? Late mais alto, que daqui de cima eu não te escuto.” Cruzei as pernas e joguei meu cabelo para o lado.

“ – Tia Sinu, eu vou matar sua filha.” 

“ – Vou ter que chamar sua atenção de novo Karla?” Minha mãe olhou para mim e eu revirei os olhos.

“ – Deixa elas Xodozinho, Camila vai embora amanhã, temos que aproveitar até as teimosias da nossa filha.” Papa sorriu e beijou minha testa, quando levantou para pegar uma colher.

Depois de passar esse tempo com minha família, repleto de provocações e risos, Ale chamou a gente para ajudar ele na decoração, Mani e eu ficamos com os balões, Sofi com as flores que seriam espalhadas em lugares específicos da casa, Mama ficou com a parte da comida e Ally e meu pai sobraram com os foguetes e a organização da piscina já que a mesma poderia ser usada pelos convidados.

“ – Mila, me ajuda aqui.” Mani pediu segurando uma bexiga cheia.

“ – O que foi?” Perguntei indo até ela quando me desiquilibrei por tropeçar na torneira que Papa enchia a piscina junto com Ally.

A consequência foi um desastre, cai em cima de alguns balões e mesmo sendo magra como sou, consegui estourar sete deles, que assustou minha pobre prima, que por um problema na gestação, tinha os ouvidos mais sensíveis. Mas não foi só isso, o filhotinho que arranjei para a Sofi começou a latir pelos barulhos e toda a surpresa foi embora quando minha irmã apareceu curiosa por todos esses barulhos.

“ – Que latidos são esses?” Sofia perguntou se aproximando da porta onde estava o filhote.

“ – Parabéns Mila. Da próxima vez tenta levantar o pé.” Normani me ajudou a levantar e eu fiz uma cara de choro por ter estragado a surpresa.

“ – Sofi, fecha os olhos.” Suspirei já sabendo que teria que mostrar para ela o presente agora e não mais tarde.

Ela fez o que eu pedi sorrindo e eu abri o quarto de jardinagem. Até minha mãe saiu da cozinha para presenciar. Assim que abri a porta, o pequeno cachorro correu e pulou na primeira pessoa que ele viu, o que no caso era minha irmã. 

Graças a Deus que ele não tinha tamanho para derrubar alguém, caso contrário Sofi nem andaria neste aniversário, algo no corpo desse filhote me diz que ele vai crescer muito.

“  - Kaki, um filhotinho!” Minha irmã falava extremamente feliz. “ – Ela é tão linda. Eu sempre quis uma cadelinha.” Sofia apertava tanto o cachorro que comecei a me preocupar.

“ – É fêmea? Eu pensei que era macho.” Falei depois de receber o abraço da minha irmã.

“ – Como que você não percebeu que ela não tinha uma torneirinha?” Ally perguntou rindo e acariciando o filhote, e todos repetiram a pergunta para mim.

“ – Nossa, me desculpem se eu não fico olhando para as genitálias dos cachorros.”

“ – Só dos cachorros que você não olha mesmo!” Normani riu e eu me segurei para não bater nela.

Não foi como se eu tivesse pedido para ver o pênis da Lauren aquele dia, ela que me enviou a foto por conta própria.

O incidente dos balões adiantou o horário que eu daria o presente para minha irmã, mas isso não foi um problema, ela adorou o filhotinho e disse que daria um nome a ela ainda hoje. Apesar de não ser o filhote que eu queria, eu fiquei contente por os dois estarem se divertindo juntos, afinal, temos que dar chance a todos.

Terminei de encher com Mani todos os balões roxos que Papa comprou e agora estávamos juntando eles em forma de um portal para colocar na mesa de comida que ficaria no quintal, perto da piscina.

O tempo passou rápido e quando percebemos toda a decoração estava pronta. Balões roxos nas paredes brancas, flores diversas jogadas em certos cantos da casa e do quintal, a grande piscina retangular totalmente cheia com uma água cristalina. E as comidas caseiras da minha mãe já estava na mesa junto com três grandes tortas de doce, só faltava os docinhos.

Segui Normani para a cozinha aproveitando que tinha algumas dúzias de brigadeiro em cima da mesa e pegamos dois para em seguida correr até a sala, só não roubamos mais porque levamos um tapa na mão, que foi dado pela Mama.

“ – Faltou as músicas.” Mani lembrou com a boca suja de chocolate.

“ – Tem razão, vai colocando que eu vou subir para trocar de roupa. Daqui a pouco os convidados chegam.”

“ – Não demora, eu também tenho que me trocar.”

Concordei e enfiei o ultimo docinho na minha boca, subindo para meu quarto a procura de algo que me deixe mais linda e diferente das minhas primas de Cuba, já que as lojas daqui não acompanhavam o que a moda dizia.

Estar bem vestida é algo essencial para uma mulher que se diz ter classe e que vive na Califórnia.


Notas Finais


Esses convidados chegando...Sinto cheiro de treta no próximo capítulo!


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...