História Apaixonada Por Minha Leitora - Lia Jones - Capítulo 16


Escrita por: ~

Postado
Categorias Ariana Grande, Austin Mahone, Bea Miller (Beatrice Miller), Demi Lovato, Dylan O'Brien, Fifth Harmony, High School Musical, Logan Lerman, Selena Gomez, Shawn Mendes, Taylor Swift, Troye Sivan
Personagens Ally Brooke, Ariana Grande, Austin Mahone, Bea Miller, Camila Cabello, Demi Lovato, Dinah Jane Hansen, Dylan O'Brien, Lauren Jauregui, Logan Lerman, Normani Hamilton, Personagens Originais, Selena Gomez, Shawn Mendes, Taylor Swift, Troye Sivan
Tags Camren, Camren G!p, Camreng!p, Comedia, Fifth Harmony, Lauren G!p, Laureng!p, Norminah, Romance
Exibições 2.085
Palavras 2.899
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Ação, Aventura, Comédia, Crossover, Drama (Tragédia), Famí­lia, Hentai, Luta, Policial, Romance e Novela, Shoujo (Romântico), Shoujo-Ai, Suspense, Violência, Yaoi, Yuri
Avisos: Adultério, Álcool, Bissexualidade, Drogas, Heterossexualidade, Homossexualidade, Insinuação de sexo, Intersexualidade (G!P), Linguagem Imprópria, Nudez, Sadomasoquismo, Sexo, Tortura, Violência
Aviso legal
Os personagens encontrados nesta história são apenas alusões a pessoas reais e nenhuma das situações e personalidades aqui encontradas refletem a realidade, tratando-se esta obra, de uma ficção. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos, feita apenas de fã para fã sem o objetivo de denegrir ou violar as imagens dos artistas.

Notas da Autora


Demorei mas voltei, e com um capítulo grande só para verem como eu amo vocês S2

Espero que façam bom uso e que ele possa satisfazer essa fome de caps!

Boa leitura, as fotos, são das roupas que eles estão vestindo :D

Capítulo 16 - Camila mais louca que a Lady Gaga


Fanfic / Fanfiction Apaixonada Por Minha Leitora - Lia Jones - Capítulo 16 - Camila mais louca que a Lady Gaga

Tomei um banho rápido e enquanto esfregava o creme hidratante em minhas pernas, me lembrei que comprei um vestido branco com alças em Los Angeles. Era de tecido fino, mas modelava o corpo perfeitamente acima da cintura, não precisando usar sutiã. Vai ser perfeito pois a vendedora me garantiu que era a última moda da cidade.

Abri o guarda-roupa do meu quarto ainda nua e procurei por ele nos cabides. Estava torcendo para ter trazido na viagem. Consegui achar o vestido no ultimo cabide preso e sorri admirada pela beleza dele.

Vesti o material com dificuldade pela pressão que os elásticos exerciam, mas era preciso isso para que o mesmo moldasse todas minhas curvas, e graças a Deus eu estava em boa forma.

Calcei meu salto alto preto da marca Louis Vuitton, passei meu perfume doce e aproveitando a maquiagem a prova d’agua que Ally passou em mim, apenas removi o coque e deixei as cascatas de cabelo descerem por meus ombros.

Olhei no espelho o resultado e sussurrei gostosa para o meu reflexo. Segurei na ponta do longo vestido e subi um pouco para não atrapalhar meus passos. Desci pelas escadas e encontrei Normani na mesma hora, que parou e abriu a boca com a mão no peito.

“ – Isso tudo é para quem, já que a Lauren não vai estar aqui ?” Ela riu e entrou no quarto, me deixando sem chance de rebater.

Eu não estava querendo conquistar ninguém, eu tinha sérios problemas. Quando me mudei para Los Angeles, comecei a fazer terapia com um psicólogo para resolver a minha auto estima, ele me explicou que por sofrer muito bullying na adolescência acabei me preocupando demasiadamente em estar sempre bonita. Mas ele não achou um problema muito grave, e não se importou em tentar resolver.

Cheguei na sala e o som de Beyoncé foi ouvido por mim, Mani não perdeu chance em por as musicas dela nas reuniões familiares. Eu tinha demorado um pouco enquanto tomava banho e alguns convidados já haviam chegado.

Tentei ir a cozinha sem ser vista pelas minhas tias, mas foi em vão.

Parabéns por vestir a roupa mais chamativa da festa Camila, vai ser difícil de você não ser observada.

Pensei comigo mesmo enquanto minhas tias loiras, Sara e Joanna se aproximavam, imaginei que elas estivessem combinado o ano inteiro de vir com a mesma cor de vestido no aniversário da minha irmã, por que não havia lógica esta coincidência.

“ – Camila Cabello, é você mesmo meu amor?” Sara perguntou com sua voz irritantemente fina.

Seu vestido verde escuro destacava as joias falsas em seu pescoço e braço. Eu sabia que era falso pois eu conheço muito bem minha família e se não fosse por minha mudança para Califórnia e o emprego que Papa ganhou, estaríamos falidos assim como todos os outros familiares.

“ – Sim titia, sou eu.” Fingi um sorriso e correspondi o abraço das duas.

“ – Está muito diferente minha sobrinha, aposto que jogou fora aquela gata peluda e arrumou um bom partido. Ele que comprou esse vestido lindo para você?” Tia Joanna perguntou com a voz ofegante por seu vestido apertar todas suas gorduras.

Eu detestava o conceito dos meus parentes de que devia arrumar um homem, me casar e viver para satisfazer o mesmo. Não via um futuro feliz em uma relação de interesse, em que uma mulher usava o marido para ganhar as coisas e o homem usava a esposa para transar, fazer comida e lavar suas roupas. Suspirei me esforçando para não fazer meus pais passarem vergonha, Papa sempre implorou para que eu ignorasse minhas tias.

“ – Eu ainda estou com a Eva, minha gata. E sobre um bom partido, já estou de olho em um.” Menti fazendo o sorriso delas aumentarem.

“ – Que bom meu amor, vamos dar feliz aniversário para a sua irmã. Quer vir conosco? Podemos conversar sobre uns cowboys que estão de turismo aqui na nossa cidade.” Ela abanou seu rosto e eu quase, quase revirei meus olhos de tédio.

“ – Eu tenho que encontrar as filhas de vocês para cumprimentar elas, fica para a próxima.” Me despedi e fui em direção a varanda, evitando contato com outras pessoas.

A maioria das minhas primas sempre foram mortas de inveja por eu ter nascido com pais tão carinhosos e com essa beleza natural minha. E eu nunca perdia chance de mostrar o quão bem eu fiquei desde que virei californiana, e não vai ser hoje que perderia. Procurei por uma loira e uma morena e assim que varri o olhar para perto da piscina, encontrei as duas rindo e conversando em suas vestes de cor clara.

“ – Olá Taylor. Olá Lucy.” Dei meu melhor sorriso e desfilei com meu vestido até chegar perto delas.

Elas me olharam e pura inveja e raiva faiscavam dos seus olhos. Eu queria fotografar o rosto delas e anexar em um quadro para ver todo dia assim que acordar.

“ – Olá Karla.” Elas falaram em uníssono e com desgosto.

“ – Como vocês estão? Ainda trabalhando de garçonetes naquele restaurante de terceira classe?” Fiz um semblante triste e sorri depois.

“ – Escuta aqui sua patricinha idiota!” Taylor apontou um dedo para meu rosto e eu arqueei a sobrancelha.

“ – É, escuta aqui!” Lucy imitou os gestos e a fala da prima.

“ – Eu não vou deixar você falar assim da gente, se não fosse pelo o seu maridinho, quer dizer, ex marido. Já que nenhum americano consegue aquentar você.” Elas riram e eu apertei meu punho. “ – Se não fosse por ele, você estaria no mesmo lugar que a gente, só que pior, estaria limpando bosta nas privadas, por que isso é o que você faz de melhor.”

“ – Presta atenção sua vadia oxigenada, quem vai limpar fezes é você se falar desse jeito com a Camila assim de novo. Acha que é a bonitona só porque tem dois metros e olhos azuis? Se enxerga, eu vejo no seu twitter seus desabafos das traições dos seus namorados. A prima de vocês está aonde está não é por homem algum é por ter cérebro no lugar de onde vocês só tem merda. E se abrirem a boca novamente para falar da minha amiga, eu meto esse salto de cinco mil dólares na cara de vocês.”

Normani, minha heroína apareceu, em sua capa do batman, mentira, ela não estava com uma capa, mas seu vestido preto longo, me fez imaginar ela assim. Sorri confiante pelas suas palavras e apertei sua mão.

Taylor e Lucy se encolherem diante da ameaça e a loira me lançou um olhar mortal antes de se pronunciar.

“ – Isto não vai ficar assim Karla.” Ela bateu os pés e se afastou a encontro da titia Sara e Joanna, junto com Lucy.

“ – Eu não sei como agradecer Mani.” Dei um abraço nela e rimos.

“ – Essa sua família é terrível.”

“ – Nem me fale.”

“ – Fique longe de outras primas, eu vou buscar a Allyson, tente não se meter em encrenca.” Mani acenou e entrou para dentro da casa.

E magicamente, a palavra encrenca invocou o demônio em pessoa. Troy Bolton pulou em minha frente com seu sorriso branco e sua franja fora de moda, isso tudo para combinar com sua jaqueta de couro com pelos de algum animal envolta do seu pescoço.

“ – Você está um pecado.” Ele molhou os lábios olhando para meu corpo.

Deus me dê paciência.

“ – O que está fazendo aqui?” Perguntei com um braço na minha cintura.

“ – Ah, que droga. Sofi ainda não te contou...” Ele fez um suspiro dramático e eu franzi o cenho.

“ – Me contou o que?”

“ – Que a gente está na...”

“ – Olha a aniversariante chegando!” Sofi gritou durante a fala de Troy e se enfiou no meio de nós dois.

“ – Que bom que apareceu Sofi, estávamos falando de você agora mesmo.” Olhei desconfiada para ela e ela engasgou.

“ – S-sério? Vai ter que ficar para depois porque o Papa está chamando todos para cumprimentar os Jauregui’s.” Ela falou rápido e puxou a minha mão e a de Troy.

Se eu conheço Sofia Cabello eu sabia que ela estava aprontando uma, e das grandes. Mas isso eu descobriria mais tarde, assim que conhecer e agradecer pessoalmente ao senhor Jauregui.

Entrei na sala e me afastei de Sofi e do demônio Bolton, vendo toda minha família e convidados, reunidos em uma rodinha, meu pai estava escorado na parede, com seu charmoso terno preto, segurando uma taça de vidro e uma colher.

“ – Senhoras e senhores, clamo pela atenção de vocês, para que possam conhecer a família que vem me dando tantas chances desde que pude conhecer cada um deles.” Ale bateu a colher na taça de vidro e todos se calaram.

“ – Michael Jauregui.”

Meu pai avisou quando um homem gordo com uma barba engraçada e olhos miúdos apareceu no portal da sala. Ele trajava um terno cinza com uma camisa rosa e apesar de ser acima do peso, ele não chegava a ser feio, seu rosto me lembrava muito alguém, mas não identifico quem.

“ – Olá á todos.” Michael disse, dando um abraço em meu pai e beijando a mão da minha mãe formosamente.

Todos responderam seu cumprimento inclusive eu e em seguida o senhor Jauregui se sentou em um banco, perto da roda de pessoas. Iria ir até ele para agradecer quando ouço o barulho da taça do papai sendo batida novamente.

“ – Dinah Jauregui.”

Após o nome anunciado, uma alta mulher, loira com traços fortes, entrou pelo o mesmo lugar de Michael, sua pele era de um moreno claro e seu sorriso simpático me deixou encantada para conhece-la.

Ela usava um vestido curto branco, com uma jaqueta de couro na cor salmão, cobrindo apenas seus ombros, deixando á mostra uma parte de seus seios, pelo decote exuberante.

“ – E aí pessoal?” Ela acenou e riu envergonhada por tantas pessoas a olhando.

Tão fofa e Linda.

Imagino que Dinah seja a filha que papai comentou, que era de personalidade forte e idêntica ao do pai, caminhei lentamente até eles e no meio do caminho ouço mais uma vez a taça de papai batendo, olhei para o portal curiosa por o senhor Michael ter tido mais uma filha.

“ – Michelle Jauregui.”

Meus olhos procuravam por qualquer indicio dessa tal Michelle e depois de longos segundos, uma invocação aconteceu. Eu não acredito que alguém falou a palavra mágica de novo.

“ – Halooo!” Uma morena de olhos verdes brilhantes apareceu, com uma mão no bolso e a outra acenando, seu sorriso lindo e sedutor fez algumas meninas assobiarem e eu me irritei mais ainda.

Ela usava uma blusa vermelha tendo por cima da blusa uma jaqueta preta jeans com uma parte de couro nos braços, uma calça jeans da mesma cor e um tênis All Star. Tão diferente da primeira vez que a encontrei.

Se não bastasse o demônio Bolton, agora também havia o diabo Lauren.

Eu não acredito que essa machista idiota intrometeu na minha festa só para me atormentar e ainda roubou o lugar da Michelle. Ah mais ela vai se ver comigo.

“ – Lauren! Saia daí!” Gritei para ela no meio da multidão e todos me olharam espantados.

Eles deviam estar espantados era com uma intrusa no lugar da filha do senhor Jauregui e não comigo.

“ – Camila meu anjo, você está linda.” Ela sorriu mais ainda quando me viu e eu me irritei por seu apelido carinhoso que ela com certeza usava com todas.

“ – Saia da casa dos meus pais, está atrapalhando uma apresentação importante, aposto que assustou a pobre Michelle com esse seu jeito machista.” Procurei envolta da Lauren por alguma mulher que eu possa identificar como a Michelle e nada.

“ – Camila, eu sou a Mi...” Ela me tocou no meio da frase e eu não me controlei.

“ – Eu avisei que não era para se aproximar de mim!” Segurei a barra do meu vestido e peguei a taça da mão do meu pai, chocando o vidro contra as costas dela, fazendo ela cair no chão em meio aos cacos.

Todos dentro da sala gritaram e eu ignorei partindo para cima da mulher que vem me atormentado tanto. Por que ela tinha que complicar a minha vida, por que ela não sumia e me deixava em paz?

Iniciei uma sequência de socos e tapas, variando entre o rosto dela e sua barriga. Lauren tentava segurar meus braços mas eu aumentava a força e ela parava de me impedir para se defender.

“ – Eu vou te mostrar o quão bonito é uma mistura de roxo com verde!” Gritei em cima dela, erguendo meu punho para fazer um olho roxo em seu rosto.

Lauren fechou os olhos e quando a adrenalina em mim abaixou meu punho, algo me impediu, segurando meu braço. Olhei para cima e encontrei Dinah. Por que a irmã da Michelle estava protegendo a Lauren?

“ – Saí daí sua idiota, eu quero ver sangue.” Alguém no meio das pessoas gritou.

“ – O que eu perdi?” A voz da minha amiga foi ouvida por todos, já que um silencio havia se formado.

“ – Ai meu Jesus Cristo!” Ally gritou vendo o estado de Lauren, embaixo de mim, meus cabelos bagunçados, e Dinah me segurando a todo custo, enquanto Lauren tentava se levantar, mas minhas pernas a impedia.

“ – Solta minha amiga Beyonce do Paraguai!” Mani gritou e levantou seu vestido, andando até onde nós estávamos.

“ – Beyonce do Paraguai? Olha para você Rihanna made in China.”

Dinah franziu o cenho e me soltou para ficar de frente a Normani. Péssima ideia pois minha amiga puxou o cabelo da loira e as duas iniciaram uma briga igual a minha com Lauren.

“ – Camila saí de cima de mim!” Lauren me olhou com a raiva estampada em seu rosto e observei que eu fiz alguns cortes ao lado da sua sobrancelha grossa.

“ – Cala a boca que eu não terminei com você.”

Me levantei e esperei a morena fazer o mesmo, quando ela pensou que meus ataques acabaram eu empurrei ela e agarrei em seus cabelos. Eles eram tão macios, ótimos para puxar.

“ – Porra Camila, isso dói!” Lauren tentava me empurrar e nesse empurra empurra, não sei como, paramos no quintal.

“ – Isso é por você ter estragado minha viagem e minha vida!” Gritei e voltei a socar seu corpo.

Eu estava louca, mais louca que a Lady Gaga no clipe Perfect Ilusion, eu queria ver sangue saindo dessa idiota, era o mínimo que ela merecia. Lauren me empurrou e eu me segurei nela trazendo a gente para a beira da piscina.

“ – Como ousa falar mal da minha diva?”

 Ouvimos os gritos de Normani e em seguida ela e a pobre Dinah aparecendo aos tapas, a jaqueta da loira tinha caído e seus seios ficaram mais amostra ainda, deixando a briga interessante de se ver.

Elas vieram se empurrando e quando a piscina ficou perto de mais, Dinah escorregou, puxando Mani com ela. Causando o tombo das duas dentro da água. Ri com isso e me distrai de Lauren, que se aproveitou e virou nossos corpos, me empurrando para dentro da piscina.

Fui mais esperta e rodeei seu corpo com minhas pernas, infelizmente tive que sarrar em seu membro, mas foi preciso para driblar seu empurrão e fazer ela cair na água no meu lugar.

“ – Há!” Ri dela retirando o cabelo molhado do rosto.

Iria fazer minha dança da vitória quando viro para o lado e vejo uma loira oxigenada de olhos azuis com as mãos prontas para me empurrar, tentei desviar mas fui lenta e segundos depois senti meu corpo molhando e afundando na piscina dos meus pais.

Que ódio da Taylor.

Voltei para superfície tossindo e me desesperei quando uma Lauren com um olhar mortal se aproximou nadando até mim. Ela agarrou minha cintura e me puxou até a borda onde continha degraus submergidos, em que ela sentou e me colocou em seu colo.

Gemi baixo quando nossas intimidades se chocaram por baixo da água e suas mãos apertaram forte minha cintura. Causando arrepios prazerosos por toda minha coluna e deixando um rastro de excitação em minha vagina.

“ – Você bruta, me espancando me deixou com tanta tesão.” Ela sussurrou com sua voz rouca e eu confirmei sua fala quando sua ereção se moveu lentamente contra minha calcinha, por baixo do vestido.

“ – Lauren, não!” Tentei me livrar de seu aperto, mas seus olhos me encarando, deixando claro como ela queria o meu corpo, como ela sonhava com isso...me deixaram imóvel.

“ – Porra! Tão gostosa nesse vestido, olha esses seios.” Ela moveu nossos corpos fazendo meus peitos se esfregarem em seu tronco, arrancando gemidos meus e dela.

Meu vestido era branco e com tecido fino, e quando molhou por eu não estar de sutiã, deixou o bico dos meus peitos visíveis e Lauren se esfregando assim em mim, falando tais putarias, só piorou meu estado. Eu queria rasgar nossas roupas e ter um sexo brutal aqui mesmo nessa piscina com todos nos olhando.

Como ela pode querer transar comigo depois da surra que dei nela, ou melhor, como eu queria transar com ela depois de tudo que ela fez para mim? Céus eu devo ser bipolar.

Sai dos meus desejos eróticos com Lauren quando a voz da minha mãe foi gritada do lado de fora da piscina.

“ – Karla Camila Cabello. Você está muito encrencada!”


Notas Finais


Não foi dessa vez... Mas eu sinto o cheiro de couro chegando em!

Se puderem comentar sobre o que acharam ajudaria muitoooo S2
E obrigada aos que comentam e favoritam, saber que minhas loucas ideias agrada alguém é muito gratificante :D


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...