História Apaixonada Por Minha Leitora - Lia Jones - Capítulo 3


Escrita por: ~

Postado
Categorias Ariana Grande, Austin Mahone, Bea Miller (Beatrice Miller), Demi Lovato, Dylan O'Brien, Fifth Harmony, High School Musical, Logan Lerman, Selena Gomez, Shawn Mendes, Taylor Swift, Troye Sivan
Personagens Ally Brooke, Ariana Grande, Austin Mahone, Bea Miller, Camila Cabello, Demi Lovato, Dinah Jane Hansen, Dylan O'Brien, Lauren Jauregui, Logan Lerman, Normani Hamilton, Personagens Originais, Selena Gomez, Shawn Mendes, Taylor Swift, Troye Sivan
Tags Camren, Camren G!p, Camreng!p, Comedia, Fifth Harmony, Lauren G!p, Laureng!p, Norminah, Romance
Exibições 2.116
Palavras 891
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Ação, Aventura, Comédia, Crossover, Drama (Tragédia), Famí­lia, Hentai, Luta, Policial, Romance e Novela, Shoujo (Romântico), Shoujo-Ai, Suspense, Violência, Yaoi, Yuri
Avisos: Adultério, Álcool, Bissexualidade, Drogas, Heterossexualidade, Homossexualidade, Insinuação de sexo, Intersexualidade (G!P), Linguagem Imprópria, Nudez, Sadomasoquismo, Sexo, Tortura, Violência
Aviso legal
Os personagens encontrados nesta história são apenas alusões a pessoas reais e nenhuma das situações e personalidades aqui encontradas refletem a realidade, tratando-se esta obra, de uma ficção. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos, feita apenas de fã para fã sem o objetivo de denegrir ou violar as imagens dos artistas.

Notas da Autora


Não sejam tímidos, comentem :D

Capítulo 3 - Aniversário da pequena Cabello


Fanfic / Fanfiction Apaixonada Por Minha Leitora - Lia Jones - Capítulo 3 - Aniversário da pequena Cabello

Depois de tomar um ar, sai do escritório indo em direção para a cozinha e abri a geladeira quando cheguei, procurando algo para me acalmar, eu não devia mas quando li as mensagens minha mente idiota imaginou eu e o tal LernJergui nas posições das fotos que ele comentou e isso me excitou.

Olhei para a jarra de vidro com água gelada e fiz um som nasal negando, algo forte me faria muito bem, eu nunca fui mulher de fazer o que aquele pervertido incitou. Eu sempre tive namoros simples com meus companheiros, beijos, carinhos e as vezes sexo mas só na posição clássica.

Eu sou o tipo de pessoa que segue aquele ditado de faça o que eu digo mas não faça o que faço. Eu podia narrar cenas de sexo incríveis, com sadomasoquismo e orgias, podia dar conselhos ótimos para animar seu parceiro, mas eu em relações amorosas era uma chatice, eu sabia disso mas eu nunca tive uma vontade de mudar, zona de conforto novamente.

Fechei a geladeira e fui até meu armário de bebidas, armário este que só é aberto quando meu pai vem me visitar ou quando Normani briga com algum cara que ela está gostando. Peguei uma garrafa de whisky e coloquei ela no balcão, pegando um copo largo de tamanho médio e me servindo da bebida em seguida.

Bebi um gole e suspirei quando o liquido queimou minha garganta, fazia muito tempo também que eu não bebia. Bebi o resto da bebida em um gole só e iniciei uma série de tossidos em seguida. Austin correu ao meu encontro e começou a bater em minhas costas, o que só me deixava mais desconfortável por ele ter uma mão pesada.

“ – Senhorita Camila, está tudo bem?” Ele perguntou preocupado olhando para meu rosto possivelmente vermelho.

“ – Sim, eu só exagerei na bebida.” Falei apontando para a garrafa.

Ele correu para pegar um copo de agua para mim e aceitei bebendo tudo de uma vez para tirar a queimação da minha garganta. Eu sou muito fraca, meu Deus.

“ – Está na minha hora, tem certeza de que está melhor?” Ele ainda estava preocupado.

“ – Sim Austin, pode se retirar, obrigada.” Abracei ele e me despedi com um sorriso forçado.

Ler os comentários de meu leitor tarado me fez cair a ficha de que eu era um caso perdido em relações sexuais, deve ser por isso que escrevo tão bem esse tipo de coisa, se eu realmente fizesse estas coisas, passaria o dia transando e não sentada em uma cadeira em frente á um computador.

Sai de meus pensamentos depressivos com o toque de Lana de Rey preenchendo o ambiente, parando para pensar, esse toque só piorou minha situação. Peguei meu iphone no escritório e li o nome Sofi na tela antes de atender.

“ – Queria estar morta!” Falei voltando para a sala e me sentando no sofá, descendo a parte do meu vestido que subiu.

“ – Ainda está ouvindo Lana de Rey, Kaki?" Sofi perguntou já triste por mim.

“ – Sempre, você sabe que eu tenho insônia e ela me ajuda a dormir.” Sofi riu e eu a acompanhei.

Uma vez meu celular ficou por baixo de mim enquanto dormia e eu acabei sem querer marcando uma música da Lana como toque de telefone. Fiquei com tanta preguiça de mudar que acabou por ficar essa mesmo.

“ – Liguei para saber como minha irmãzona está.” Ouvi um barulho no fundo e imaginei que ela estivesse tomando banho.

“ – Estou bem, era só isso mesmo?” Duvidei já sabendo a resposta.

“ – Claro que não. Meu aniversário está chegando e eu sei que California fica muito longe de Cuba, mas eu queria muito que você me visitasse Kaki, você é minha convidada especial, se vier vai ganhar o primeiro pedaço do bolo.” Ela falava tudo muito animada

“ – Está me chantageando com comida para que eu não rejeite o pedido?” Questionei sorrindo.

“ – Claro, sei que doce é o seu fraco.”

“ – E bananas também.” Acrescentei animada só de pensar em uma boa banana madura.

“ – Exatamente, você vem?”

Sofi Cabello é minha única irmã, filha de Sinuhe Cabello e Alejandro Cabello, ela é o meu xodó, faço tudo por essa garota desde que ela nasceu e é claro desde que morava em Cuba, quando me mudei tudo se complicou, mas sempre ligava para ela nos feriados e em alguns fins de semana, assim aproveitava para falar com meus pais.

Estava morrendo de saudades deles e de Sofi, com seu aniversário chegando seria uma boa ideia ir para poder vê-los. Mas seu aniversário seria neste domingo e eu ainda tinha que publicar alguns artigos em meu blog e terminar alguns capítulos para entregar a Normani.

Eu poderia ir no natal e até mesmo encontrar minhas tias e tios, se bem que eles me vendo divorciada e com uma gata, irão dizer que não tenho mais futuro e que passarei minha vida comendo comida com pelos.

“ – Kaki, ainda está ai?” Minha irmã perguntou vendo que até agora não a respondi.

“ – Sim estou. Bom Sofi, eu ficarei de te dar a resposta tudo bem?”

“ – Tudo, mas vê se vem, estamos morrendo de saudades. Beijo Kaki, te amo.” Ela falou animada.

“ – Também te amo minha irmãzinha. Mande um beijo para os nossos pais.” Sorri e desliguei a chamada.



Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...