História Apaixonada Por Minha Leitora - Lia Jones - Capítulo 5


Escrita por: ~

Postado
Categorias Ariana Grande, Austin Mahone, Bea Miller (Beatrice Miller), Demi Lovato, Dylan O'Brien, Fifth Harmony, High School Musical, Logan Lerman, Selena Gomez, Shawn Mendes, Taylor Swift, Troye Sivan
Personagens Ally Brooke, Ariana Grande, Austin Mahone, Bea Miller, Camila Cabello, Demi Lovato, Dinah Jane Hansen, Dylan O'Brien, Lauren Jauregui, Logan Lerman, Normani Hamilton, Personagens Originais, Selena Gomez, Shawn Mendes, Taylor Swift, Troye Sivan
Tags Camren, Camren G!p, Camreng!p, Comedia, Fifth Harmony, Lauren G!p, Laureng!p, Norminah, Romance
Visualizações 4.384
Palavras 1.335
Terminada Sim
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Ação, Aventura, Comédia, Crossover, Drama (Tragédia), Famí­lia, Hentai, Luta, Policial, Romance e Novela, Shoujo (Romântico), Shoujo-Ai, Suspense, Violência, Yaoi, Yuri
Avisos: Adultério, Álcool, Bissexualidade, Drogas, Heterossexualidade, Homossexualidade, Insinuação de sexo, Intersexualidade (G!P), Linguagem Imprópria, Nudez, Sadomasoquismo, Sexo, Tortura, Violência
Aviso legal
Os personagens encontrados nesta história são apenas alusões a pessoas reais e nenhuma das situações e personalidades aqui encontradas refletem a realidade, tratando-se esta obra, de uma ficção. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos, feita apenas de fã para fã sem o objetivo de denegrir ou violar as imagens dos artistas.

Notas do Autor


E aí, Camrenzinhas (os)! Estou amando o quanto essa fanfic foi bem reconhecida rápido :D Espero que continuem firmes e preparadas para os tiros que ainda estarão por vir.

Boa leitura! :D

Capítulo 5 - Todo mundo odeia a Normani


Fanfic / Fanfiction Apaixonada Por Minha Leitora - Lia Jones - Capítulo 5 - Todo mundo odeia a Normani

Meu celular não parava de tocar e isso me acordou do meu longo cochilo, ou melhor dizendo, meu sono. Eu não acredito que comprei uma cama box de dois mil dólares para dormir no sofá. Procurei por ele com a visão ainda embaçada e atendi no último toque da Lana del rey.

“ – Alo?” Falei sem ter visto o nome de quem me ligou.

“ – Mila, enfiou esse celular nessa sua bunda gigante foi é ? Te liguei umas trinta vezes e nada de você atender.” Normani gritava comigo pela a outra linha e apesar de eu estar grogue pelo o sono, afastei o celular do ouvido.

“ – Mani, eu estou bem, eu...”

Assim que iria avisar que eu cai no sono, um barulho enorme de gritos e gemidos eróticos saiu da minha televisão de plasma, interrompendo minha fala e fazendo Normani repetir a palavra “Não acredito” diversas vezes pela linha.

Eu havia me esquecido que minha televisão ficou ligada enquanto dormia, e acho que por me mexer demais durante a noite, o controle mudou do programa de alienígenas para os canais eróticos que eu tinha pedido na minha assinatura da Tv. O que foi? Eu precisava de ideias para escrever no meu blog.

“ – N- Normani, espera aí. Deixa eu só...” Falei desconcertada enquanto tentava abaixar o volume da orgia que estava acontecendo a minha frente.

“ – Sua safada, além de não me convidar, ainda nem espera para fazermos isso em Cuba.” Ela brigava comigo revoltada.

“ – Mani, não! Que horror, não é o que está pensando.”

Apertei o botão de volume com tanta força que o controle escorregou da minha mão e caiu no chão, quando agachei para pegar, meu joelho bateu na mesinha do centro da sala e eu gemi de dor, som que não passou despercebido pelo o telefone em que Normani ouvia atenta.

“ – É Safada sim, estou ouvindo seus gemidos e dos seus amiguinhos, não ouse mentir para mim.”

Peguei o controle, porém as pilhas haviam se separado do material e nenhum botão dele estava funcionando, a cena do filme começou a ficar quieta e olhei para a tela percebendo que eles iriam passar para a posição de penetração anal.

Céus.

Corri para a tomada e puxei o cabo com força fazendo o silencio reinar de novo no ambiente. Olhei para o meu telefone e coloquei no ouvido, ignorando os risos de minha amiga e tentando convence-la de que era apenas um pornô que eu estava assistindo, eu tive que falar isso, caso contrário ela não me deixaria.

“ – Okay, agora que eu sei que estava aproveitando sua noite para tirar o atraso com seus dedinhos, eu vou falar o porque de eu ter te  ligado umas trinta vezes.” Normani agora falava calmamente.

“ – Vai me zoar por isso o resto da vida não é?” Perguntei suspirando.

“ – Claro que vou! Voltando ao assunto, eu consegui comprar nossas passagens.”

“ – Que bom Mani.”

“ – Nem tão bom assim.” Ouvi ela arrastar um cadeira para sentar.

“ – Como assim? Algo deu errado?”

“ – Mais ou menos, o que aconteceu é que, infelizmente...” Minha amiga fez um ar de mistério e eu revirei os olhos.

“ – Para de fazer drama, você sabe que minha paciência é pouca.”

“ – Nossa que chata! É que só tinha passagem para sábado as nove horas, ai eu comprei, por que obvio que eu não compraria amanhã...” Normani continuou a falar mas minha mente ainda estava pensando no horário da viagem.

“ – Mani, repete o que acabou de falar.” Me levantei e fui ao meu quarto.

“ – Que você é uma chata?” Ela riu e eu bufei.

“ – Não sua idiota, o horário da viagem.” Abri a porta do closet e retirei minha toalha, para em seguida por meu celular no viva voz e tirar minha roupa.

“ – Sábado, ás nove horas.” Ela repetiu devagar.

“ – Mani, sábado é hoje!” Gritei com ela, mas foi com intenção de ela me ouvir já que o celular estava jogado na cama.

“ – Não precisa gritar, eu sei que dia é hoje, existe calendário virtual sabia?”

“ – Que horas são?” Questionei preocupada.

“ – Sete e meia.”

Que droga, eu dormi muito, e ainda no sofá, minha pele do meu lindo rosto deve estar toda amassada. Se o avião partia de Los Angeles ás nove horas, eu devia estar lá no mínimo ás oito e meia, eu tinha exatamente uma hora para me arrumar, pegar a Normani e estar dentro do aeroporto.

“ – Que droga, vamos nos atrasar. Você já está pronta?”

“ – Eu passei no útero com a cabeça erguida por que eu nasci pronta baby.”

Me permiti rir e admirar Normani por seu jeito.

“ – Te pego daqui a pouco.”

“ – Estarei esperando.”

A chamada desligou automaticamente e eu corri nua para minha suíte, derramei os sais perfumados na minha banheira, entrei assim que a água chegou perto de transbordar e me esfreguei com uma leve rapidez, apesar de estar atrasada eu não queria machucar meu corpo.

Terminei meu banho não relaxante e me sequei com minha toalha felpuda, quando lembrei que ainda não havia feito minhas malas. Enrolei o tecido em meu corpo e caminhei até meu armário. Minhas malas rosas de viagens sempre ficavam em cima dele.

Por eu não ser tão alta, tive uma dificuldade enorme para alcança-las, mas quando agarrei o material e puxei, ela caiu em cima de mim me fazendo cair e gritar de dor.

Ouvi passos correndo e subindo as escadas e em poucos segundos uma batida na minha porta.

“ – Senhorita Camila, está tudo bem? Ouvi seus gritos.” Que droga, era o Austin, ele não pode me ver de toalha.

“ – Estou bem Austin, saí daqui.” Gritei nervosa.

Eu detesto quando faço as coisas apressadas e parece que o destino olha para mim pela a janela da minha vida e fala, ah olha só, a Camila está com pressa. Vamos fode-la? Vamoooos.

“ – Que ódio”

Me levantei do chão e coloquei a mala em cima da cama, peguei todas minhas roupas bonitas e de marca, apesar de todas serem assim, e guardei de um jeito bem organizado nela. Depois de colocar meus cremes e toalhas, além de peças intimas, fechei e fui atrás de uma roupa para eu usar.

Escolhi uma saia apertada branca que dava exatamente na altura dos meus joelhos, uma blusa cropped de mangas longas na cor amarela, que definia todo meu corpo e calcei meus saltos brancos. Passei meu creme corporal em seguida minha maquiagem e desci para a sala levando minha mala pesada junto. Encontrei Austin dando comida para Eva e aproveitei que eles já estavam juntinhos para dar a notícia para os dois.

“ – Eva e Austin, vou viajar esse final de semana para ir ao aniversário da minha irmã. Voltarei por volta de segunda se tudo der certo. Tudo bem para você cuidar da Eva?” Perguntei a ultima parte olhando para meu mordomo.

“ – Mas senhorita Camila, não é minha especialidade cuidar de gatos.” Ele falou receoso de que eu gritasse com ele novamente.

“ – Austin...” Massageei minhas têmporas e respirei fundo antes de abrir os olhos e encontrar seu rosto amedrontado.

“ – Quem manda aqui?” Questionei me agachando e acariciando o pelo da minha gatinha.

“ – A senhorita.” Austin me respondeu com a voz falha e depois de me despedir de Eva, olhei para ele, sorri e me retirei da sala, indo na direção de onde guardava meu carro.

Apertei o botão vermelho do controle da porta da minha garagem e assim que ela subiu, um conversível importado de cor rosa escuro apareceu brilhando pelas luzes solares que entravam na garagem branca.

Sorri para meu lindo carro e deixei de lado meu estresse, colocando delicadamente minha mala no banco de trás e entrando para colocar a chave na ignição, fazendo seu motor ranger e seus pneus se moverem me fazendo entrar na rua calma do meu bairro. Apertei o botão do controle da garagem e acelerei para o Brooklin, onde Normani morava.


Notas Finais


Atualizar hoje ou amanhã... Eis a questão...


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...