História Apaixonada Por Minha Leitora - Lia Jones - Capítulo 54


Escrita por: ~

Postado
Categorias Ariana Grande, Austin Mahone, Bea Miller (Beatrice Miller), Demi Lovato, Dylan O'Brien, Fifth Harmony, High School Musical, Logan Lerman, Selena Gomez, Shawn Mendes, Taylor Swift, Troye Sivan
Personagens Ally Brooke, Ariana Grande, Austin Mahone, Bea Miller, Camila Cabello, Demi Lovato, Dinah Jane Hansen, Dylan O'Brien, Lauren Jauregui, Logan Lerman, Normani Hamilton, Personagens Originais, Selena Gomez, Shawn Mendes, Taylor Swift, Troye Sivan
Tags Camren, Camren G!p, Camreng!p, Comedia, Fifth Harmony, Lauren G!p, Laureng!p, Norminah, Romance
Exibições 1.961
Palavras 3.271
Terminada Sim
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Ação, Aventura, Comédia, Crossover, Drama (Tragédia), Famí­lia, Hentai, Luta, Policial, Romance e Novela, Shoujo (Romântico), Shoujo-Ai, Suspense, Violência, Yaoi, Yuri
Avisos: Adultério, Álcool, Bissexualidade, Drogas, Heterossexualidade, Homossexualidade, Insinuação de sexo, Intersexualidade (G!P), Linguagem Imprópria, Nudez, Sadomasoquismo, Sexo, Tortura, Violência
Aviso legal
Os personagens encontrados nesta história são apenas alusões a pessoas reais e nenhuma das situações e personalidades aqui encontradas refletem a realidade, tratando-se esta obra, de uma ficção. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos, feita apenas de fã para fã sem o objetivo de denegrir ou violar as imagens dos artistas.

Notas da Autora


Novelinha da globo voltou hahaha

Eu estou mega cansada, estava em uma cliente e cheguei agora as 21:00.
Então se o cap ficou bosta, vocês me desculpam.

Boa Leitura! A foto é da cor do cabelo da Lauren.

Capítulo 54 - Camila quebrou o celular da namoradinha?


Fanfic / Fanfiction Apaixonada Por Minha Leitora - Lia Jones - Capítulo 54 - Camila quebrou o celular da namoradinha?

POV Camila

“ – Mila isso é loucura.” Mani me sacudia enquanto eu olhava para o além a procura de respostas.

“ -  Eu sei. Mas não tem como negar, está tudo provado aqui.” Mostrei o envelope que agora estava com as fotos guardadas.

“ – Mas e essa caixa? É da Lauren?”

“ – Isso eu vou ter que perguntar para ela.”

Guardei o envelope no fundo falso e coloquei a tábua de metal por cima, cobrindo o material vermelho. Como eu tinha rasgado o papelão que ficava por cima do fundo falso, qualquer um que abrisse a caixa conseguiria ver as fotos secretas.

Então joguei as revistas pornôs das loiras peitudas por cima e guardei o resto de utensílios que estavam dentro do papelão antes. Como eu estava dormindo no mesmo quarto que a Lauren, apenas coloquei a caixa no canto onde estava as minhas malas. Minha mala rosa ficou na frente, escondendo.

“ – E como você vai fazer isso sem ela desconfiar que a gente mexeu nas coisas dela?” Mani me acompanhou enquanto eu seguia para o cozinha.

“ – Eu ainda não sei, mas assim que ela chegar vou dar um jeito. Só me promete que não vai contar para a Dinah e nem para ninguém. A gente não sabe quem está envolvido nisso, e em quais lados eles estão.” Me virei para Mani.

“ – Tem razão. Agora que sabemos que o Michael traiu a mãe da Lauren não se pode mais confiar em nenhum Jauregui.”

“ – Eu não estou falando disso Mani. Eu não acho que a Lauren saiba desse fundo falso e eu não quero nem imaginar o que a Lauren seria se ela soubesse.” Suspirei jogando meu cabelo para trás.

“ – Ela seria no mínimo uma psicopata com escrizofênia.”

“ – Por isso mesmo que nem quero pensar nessa hipótese.”

Cheguei na cozinha do apartamento e me assustei com a bagunça que estava. As meninas realmente não se davam bem em morar sozinhas. Todo o apartamento estava uma bagunça.

Catei uns guardanapos no chão e joguei no lixo. Peguei uma vassoura e entreguei para Mani, que me olhou com uma cara feia.

“ – O que quer que eu faça com isso?” Ela perguntou segurando a vassoura.

“ – Ah sério Normani? Por que você não pega essa vassoura e voa por aí?” Me irritei.

“ – Eu vou é enfiar essa vassoura nessa sua bunda. Me respeita latina.” Mani semicerrou os olhos e eu ri.

Graças aos céus que eu tinha ela para me ajudar a relaxar minha mente. Toda essa história do Troy, tão mal resolvida estava me deixando louca. Eu só queria ir atrás desse filha da puta e o obrigar a me explicar tudo isso.

Eu já nem sabia quem eu era para ele? Por que raios eu estava naquela folha da família Jauregui? O que eu tinha haver com isso, merda?

E aqui estou eu pensando nisso de novo...

Me posicionei em frente a pia e comecei a lavar os pratos já que Normani teve a decência de varrer o apartamento. Quando menos percebi, já tínhamos limpado todo o lugar e jogado o perfume da Lauren envolta, já que outro tipo de cheiro ela tinha alergia.

“ – Fizemos um bom trabalho.” Sorri olhando tudo limpo.

“ – Você pode ser uma ótima faxineira.” Mani bateu nas minhas costas.

“ – E você não se livra, Kordei.”

“ – Claro que me livro. Literalmente livro, por que eu já tenho o trabalho de editar livros. É você quem está desempregada.” Minha amiga balançou os cabelos.

“ – Joga na cara dura mesmo.”

Mani iria rebater alguma resposta, quando escutamos um toque de celular diferente dos nossos. Seguimos o som e encontramos um celular caindo aos pedaços enfiado no meio do sofá.

“ – Credo. Algum mendigo perdeu o celular aqui.” Normani pegou o aparelho com nojo.

“ – Que marca é isso?” Perguntei com o cenho franzido.

“ – afowegnagjwg.” Mani imitou um guaxinim morrendo

“ – Eu não entendi nada do que você disse.” Ri alto.

“ – E eu lá sei falar japonês?” Mani mostrou a marca com a escrita complexa do japonês.

O toque do celular ainda tocava alto e quando eu tirei da mão dela para ler o nome, me interessei na mesma hora.

Ariana Grande

Olhei com um sorriso diabólico para a minha amiga e ela me imitou na mesma hora, mesmo sem saber do que se tratava.

“ – Está pensando o mesmo que eu?” Perguntei com uma voz sombria.

“ – Não. Mas eu estou dentro se for para trolar alguém.”

“ – Céus...você não cansa de ser farofeira não?” Ri da sua animação para fazer arte.

“ – Eu nasci assim Camila. Está nas minhas veias, que nem samba.”

“ – Você sam..” Iria perguntar se Normani sambava mas ela me interrompeu tirando o celular da minha mão.

“ – Se a gente ficar conversando a ligação vai cair.”

Dito isso minha amiga atendeu. Esperei alguns segundos para ver o que ela falava mas Mani só parecia ouvir o que a tal de Ariana dizia pela outra linha.

“ – Ah, então você está de rolo com a dona Lauren?” Mani gritou. “ – Que bonito em rapariga!”

Tampei minha boca para não rir do escândalo que Normani estava arrumando e comecei a pular para indicar a ela que eu queria ouvir o que a rapariga estava falando.

“ – E-eu? Claro que não! Cadê a Lauren? Por que não me avisou que você não era a Lauren?” Uma voz fina falou gaguejando.

“ – Falei porra nenhuma. Quem tem que falar aqui é você. Pode começar.” Normani gritou.

“ – Eu não vou falar nada. Quem é você?”

“ – Eu sou a secretária da Lauren. Ela me emprestou o celular.”

Abri a boca preocupada com o que isso tudo iria repercutir para a Verônica, a verdadeira secretária da Lauren. Mani tampou o telefone e sussurrou para mim.

“ – A Verônica já é fodida mesmo.” Deu de ombros e voltou a atenção para o aparelho.

“ – Escuta aqui então secretária, se não me passar para a sua chefa, vou fazer questão de mandar a Laur te demitir.”

“ – Laur é o caralho sua rapariga. Quem te deu permissão para ter essa intimidade com a minha mulher? Está achando que a Lauren está solteira, é? Ela está muito bem comprometida. E quem está falando é a mulher dela.” Mani bateu na minha mão, quando terminei de gritar com a tal Ariana.

“ – E se a dona da Lauren ver que você está ligando para ela de novo, eu e a dona vamos ir até o inferno para puxar seus cabelos. Está ouvindo piranha? Ou peixes não tem ouvido?” Mani começou a rir mas eu fiz gestos para ela parar.

Essa piada foi horrível.

“ – D-dona da Lauren? Está falando da Camila?”

“ – Ela mesmo. E é dona sim por que a Lauren é a cachorrinha dela.”

“ – A Lauren sabe que estão falando isso dela? Deve ser brincadeira.”

“ – Brincadeira vai ser minha mão que vai voar na sua cara. Além de ser cachorrinha da Camila é minha também.” Mani avisou com o telefone na mão.

Me irritei por minha amiga insinuar que a Lauren estava ficando com nós duas e puxei o celular da mão dela. Bom, pelo menos eu tentei. Agora conseguir é outra história.

“ – Mani! Me dá esse celular! Você não é dona da Lauren porra nenhuma.”

“ – Agora eu sou! Não vou soltar esse celular.”

Em plenos vinte e cinco anos, eu estava fazendo cabo de guerra com o celular velho da minha namorada com a minha editora chefe. Quanta maturidade Camila. Sinu estaria orgulhosa.

Puxei o celular com mais força gritando que ela não era dona coisa nenhuma e assim que terminei de gritar a porta da sala é aberta e Dinah aparece gritando, assustando tanto eu quanto Normani.

Mani que iria cair de susto, usou o celular como apoio e acabou quebrando o aparelho ao meio. Me deixando segurando uma parte e ela outra. Abri a minha boca o máximo que pude e olhei atônica para ela.

“ – Mani!” Gritei.

“ – Ops.” Ela sorriu amarelo, escondendo a outra parte do telefone.

“ – O que está acontecendo aqui meninas?” Dinah perguntou enquanto se aproximava.

Ignoramos a presença dela e nos concentramos em como consertaríamos o celular velho da Lauren. Peguei a outra parte com a Mani e juntei, com esperança de um milagre acontecer e as peças se juntarem.

“ – Talvez a gente possa passar fita crepe.” Dei ideia, preocupada.

“ – Fita crepe Camila? Sério?”

“ – Não briga comigo, se você não fosse tão gorda não teria quebrado o telefone.”

“ – Eu quebrado o telefone? Mas eu não fiz nada.” Mani colocou a mão no peito. “ – Isso Camilinha, é um exemplo de produtos da china. Não devemos comprar nunca.”

“ – Vocês vão me ignorar mesmo?” Dinah perguntou com uma voz triste. Ela ainda não sabia o que estava acontecendo.

“ – Dinah!” Gritei tendo uma ideia.

“ – Meu nome é lindo né gente.” DJ sorriu jogando os cabelos para o lado.

“ – Exibida.” Revirei os olhos.

“ – Sou mesmo.”

“ – Preciso de um favor.” Segurei os braços dela, já pronta para implorar.

“ – Tá. Dez reais.”

“ – É sério Dinah, é importante.” Ela assentiu. “ – Preciso que você leve a Lauren para o shopping e a convença a comprar um celular.”

“ – Você está sonhando Camila. Sabe quanto tempo eu pelejo para fazer a Lauren comprar um celular novo?” Neguei. “ – Muito tempo minha cara, muito tempo.”

“ – Mas que merda!” Bufei me afastando.

“ – DJ, o que eu vou te falar aqui, tem que morrer aqui.” Mani se aproximou da namorada.

“ – Já falou em morte, já acho sinistro.” Dinah franziu o cenho.

“ – A Camila quebrou o celular da Lauren.”

“ – Eu o que?” Gritei. “ – Sua rapariga.” Corri para distribuir tapas na minha amiga falsa.

“ – Calada Camila, você tem que assumir. É feio negar a verdade a si mesmo.”

“ – Camila, eu não estou acreditando. Que coisa feia, ficar quebrando os celulares chineses das pessoas.” Dinah balançou a cabeça em negação.

Revirei os olhos e cruzei os braços. Eu odiava quando a Normani jogava a culpa para mim, e por pior que pareça, as pessoas sempre acreditavam nela.

“ – Eu tive uma ideia.” Mani bateu palmas.

“ – Não conte comigo.” Falei irritada.

“ – Não estava contando mesmo.” Ela deu de ombros e sua namoradinha riu.

Filhas da...

“ – Vai ser assim...”

POV Lauren

Verônica acabou de sair da minha sala. Havia pedido um café para ela e por um milagre ela trouxe sem reclamar e sem colocar a boca no meu copo. Eu acho.

Meu expediente já tinha chegado ao fim e eu estava esperando a Dinah que ficou de buscar meu celular que de alguma maneira eu tinha esquecido no apartamento. Aquele celular é meu xodó. Faz sete anos que estou com ele.

Comprei por um site chinês e fico muito orgulhosa dele não ter estragado até hoje. Eu não tinha aquelas frescuras de sempre comprar o celular do ano e esfregar isso na cara de todo mundo, não, eu era muito simples em aparelhos eletrônicos.

Terminei de desligar todos os equipamentos e sai da minha sala, encontrando Troye e Bea, que conversavam tranquilamente no corredor. Eu acabei tendo uma má ideia sobre o Troye, mas estava bem enganada. Ele tem sido um garoto ótimo, e nossos clientes gostaram muito dele.

Comecei a pensar no que eu ainda tinha que preparar ainda hoje. Queria impressionar Camila e fazer o pedido de namoro em um lugar totalmente diferente dos que os antigos namorados dela estavam acostumados a levar minha latina.

E foi nesses pensamentos que senti um baque contra minha virilha que me fez gritar na mesma hora, com todo o meu pulmão.

Porra...perdi minhas bolas...

Cai no chão em posição fetal. Eu tentava ao máximo me balançar para fazer a dor das minhas bolas amassadas passarem, mas estava insuportável.

Céus...como dói.

Comecei a chorar de dor e logo minha irmã apareceu não sei de onde para me ajudar. Ela segurava o riso e se não fosse minha dor, bateria nela agora mesmo. Aposto que foi ela quem me jogou algo.

“ – Você está surda agora Jauregui?” Dinah perguntou rindo.

“ – Você estava me chamando?” Perguntei com a voz baixa.

“ – Fiquei uns cinco minutos te chamando, estava pensando em que?”

“ – C-camila.” Falei com dificuldade.

“ – Camila te ferrou então.”

“ – Vai se ferrar Dinah.” Bufei. “ – Você saiu lá da nossa casa para vir jogar objetos no meu pau? É inveja? É isso? Você queria ter um e como não teve, está tentando quebrar os dos outros.”

“ – Ai que nojo. Claro que não. Isso que aconteceu foi culpa sua, fiquei te chamando para você pegar o celular e quando joguei para você ele estranhamente acertou seu membro. Foi algo do destino.”

Ela fez uma voz de mistérios e eu semicerrei os olhos. Eu devo estar merecendo muito para sofrer isso. Suspirando eu me forcei a me levantar. Dinah me ajudou e quando a dor foi melhorando eu perguntei a ela.

“ – Cadê meu celular?”

“ – Hmm...Ah, aqui.” Ela catou uns troços de peças quebradas no chão. “ – Nossa Lauren!”

Dinah gritou colocando a mão na boca, assustada. Analisei o que ela segurava e quando percebi o que era, meu coração se apertou. Meu celular, meu querido celular estava quebrado.

“ – Quem quebrou?” Perguntei pegando as peças dela.

“ – Foi seu pau ué? Não viu que acertou em cheio?” Ela apontou para a minha virilha. “ – Sabe, estou até preocupada com a Camila, você pode quebrar a garota com essa anaconda de pedra.”

“ – Você está de brincadeira não é?” Falei ainda não acreditando.

“ – Não, por que faria isso?” Dinah tirou o aparelho quebrado da minha mão e jogou fora no lixo. “ – Seu pau é poderoso Jauregui. Tome cuidado.”

Mas que merda...Isso tinha que estar acontecendo comigo mesmo? Justo agora? Se eu fosse comprar outro celular chinês demoraria no mínimo dois meses.

“ – O que eu faço?” Mexi nos meus cabelos, já nervosa.

“ – Vamos no shopping, compramos um celular novo, de uma marca que seja fácil de falar e aproveitamos e damos um trato nesse seu visual, o que acha?”

“ – Não, não e não.”

“ – Sim para tudo.” Dinah me puxou para fora da empresa. “ – Ou você acha que está dando o close certo com esse cabelo sem tinta e essa sobrancelha para fazer?”

“ – A Camila não reclamou.” Sussurrei.

Dinah praticamente me jogou no banco de trás do carro alugado das meninas. A gente estava usando ele já que as garotas ficariam mais é no nosso apartamento.

“ – A Camila não é nada sua para reclamar.”

“ – Não por muito tempo. Sabe que vou fazer o pedido hoje ainda.” Avisei mexendo no rádio para achar uma música boa.

“ – Sério? Até que enfim ouviu a sua irmã. E vai levar ela aonde?” Dinah bateu na minha mão quando eu achei uma estação Country no rádio.

“ – É surpresa e eu sei que se eu contar para você, você conta para a Mani e ela conta para a Camila.” Olhei para a janela, já que não podia colocar músicas do meu gosto.

“ – Tem razão. Espero que saiba o que está fazendo.”

“ – Eu sei.” Suspirei feliz só de imaginar a felicidade da minha latina quando ver minha surpresa.

[...]

Chegamos no shopping uns minutos depois. O engarrafamento estava difícil então não estranhei a demora. Andamos correndo pelas lojas por estar quase no horário de fechar e assim que encontramos um lugar que vendia telefones, Dinah me empurrou para dentro.

“ – Olá meninas, em que posso ajudar?” Uma linda mulher perguntou enquanto se aproximava da gente.

Ela tinha cabelos em um tom bem preto e seios incríveis que eram vistos pela metade pelo decote enorme do seu vestido. Um outra mulher mais baixa e vesga mas linda do mesmo jeito apareceu. Elas pareciam irmãs.

“ – Eu quero um celular chinês.” Falei receosa.

“ – Chinês?” Elas riram e minha irmã também.

“ – Sinto muito senhorita, só vendemos produtos da Apple.”

“ – Espera. Está é uma loja de iphones?” Perguntei especificamente para a minha irmã.

“ – Eu avisei que seria um celular de fácil pronunciação. Tem coisa mais fácil que falar que iphone? Não, não tem.”

“ – Iphone...uma palavra tão linda.” A mulher vesga falou com um tom maravilhado.

“ – Não, eu não vou comprar um iphone. Esquece.”

Assim que falei isso, as duas irmãs fizeram uma cara indignada e trouxeram uma tabela enorme para me convencer a comprar por causa dos inúmeros benefícios do telefone.

Eu não tive outra escolha, e para eu não perder meu tempo, acabei escolhendo o que Dinah dizia ser o mais antigo. Mas mesmo eu não conhecendo sobre esse telefone, as risadas que as irmãs deram, não pareceu concordar com a fala da minha irmã.

“ – Obrigada por nos escolher, esperamos que tenha boas experiências com o celular.” Elas falaram em uníssono quando terminei de passar o cartão.

“ – Tudo bem. Qual o nome de vocês?”

“ – Simone e o dela é Simaria.” A vesga linda falou primeiro.

“ – Prazer conhecer.” Dinah falou charmosamente e me tirou da loja.

“ – Elas parecem cantoras não é? Tipo, de country.” Falei animada.

“ – Claro que não. Elas parecem é as Kardashians isso sim.”

“ – Até parece. Mas então, onde vamos agora?” Perguntei quando paramos no meio do shopping.

“ – Ao melhor cabelereiro de São Francisco.”  Dinah apontou para uma barbearia ao lado.

“ – E como sabe que é o melhor?”

“ – Porque está escrito naquela plaquinha.” Olhei para a plaquinha e concordei.

Entramos no estabelecimento e uma mulher de meia idade veio nos atender. Como ela não parecia com uma cantora das músicas que eu gosto, nem me preocupei em saber o seu nome.

Apenas me sentei na cadeira que ela indicou. Dinah explicou corretamente o que queria que ela fizesse no meu cabelo e depois da mulher concordar, apenas observei seus movimentos para pegar tintas.

E aqui vamos nós...

[...]

“ – Eu não acredito.” Dinah gritou rindo. “ – Lauren, você está linda, parece outra pessoa.”

“ – Que exagero.” Revirei os olhos mas quando me virei para olhar no espelho me impressionei.

Eu realmente estava diferente. Meu cabelo antes estava em um tom tão castanho por perder a tinta, que parecia que eu tinha dezoito anos. Agora eu era morena de novo, e eu meu ar misterioso e sexy que as garotas falavam que eu tinha estava de volta.

Minha sobrancelha estava desenhada perfeitamente e isso dava um realce para os meus olhos. É...caramba, eu não estava nada mal. Aliás, eu estava até feliz que também tinha mudado.

Camila poderia ficar satisfeita e isso me ajudaria a conquistar ela quando eu pedir ela em namoro, além de que, se ela mudou de visual para me deixar louca, eu também tinha esse direito.

“ – Você está pensando na Camila de novo não é?” Dinah perguntou.

“ – N-não, por que?” Disfarcei.

“ – Eu te chamei três vezes.”

“ – E-eu estava pensando no meu cabelo antigo, só isso. Me desculpa.” Mexi no meu cabelo até deixar ele de um jeito bagunçado mas sexy.

“ – Hm, sei.” Ela deu de ombros. “ – Vamos então, você precisa pegar sua garota para fazer o pedido que até o papa deve estar esperando.”

Pagamos a senhora e saímos do shopping em direção ao estacionamento. Assim que entrei no carro, direcionei uma pergunta para a minha irmã.

“ – Acha que a Camila vai aceitar?”

“ – Claro que vai. Eu não sei qual de vocês é mais trouxa uma pela outra.” Dinah riu e eu também.

Felizmente ou infelizmente era eu...


Notas Finais


Erros já sabem. Próximo capitulo a Lauren vai explicar a caixa preta.

Capitulo em homenagem a Flavinha que faz 18tão hoje! Parabéns!


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...