História Apaixonada Por Minha Leitora - Lia Jones - Capítulo 7


Escrita por: ~

Postado
Categorias Ariana Grande, Austin Mahone, Bea Miller (Beatrice Miller), Demi Lovato, Dylan O'Brien, Fifth Harmony, High School Musical, Logan Lerman, Selena Gomez, Shawn Mendes, Taylor Swift, Troye Sivan
Personagens Ally Brooke, Ariana Grande, Austin Mahone, Bea Miller, Camila Cabello, Demi Lovato, Dinah Jane Hansen, Dylan O'Brien, Lauren Jauregui, Logan Lerman, Normani Hamilton, Personagens Originais, Selena Gomez, Shawn Mendes, Taylor Swift, Troye Sivan
Tags Camren, Camren G!p, Camreng!p, Comedia, Fifth Harmony, Lauren G!p, Laureng!p, Norminah, Romance
Exibições 1.890
Palavras 1.434
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Ação, Aventura, Comédia, Crossover, Drama (Tragédia), Famí­lia, Hentai, Luta, Policial, Romance e Novela, Shoujo (Romântico), Shoujo-Ai, Suspense, Violência, Yaoi, Yuri
Avisos: Adultério, Álcool, Bissexualidade, Drogas, Heterossexualidade, Homossexualidade, Insinuação de sexo, Intersexualidade (G!P), Linguagem Imprópria, Nudez, Sadomasoquismo, Sexo, Tortura, Violência
Aviso legal
Os personagens encontrados nesta história são apenas alusões a pessoas reais e nenhuma das situações e personalidades aqui encontradas refletem a realidade, tratando-se esta obra, de uma ficção. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos, feita apenas de fã para fã sem o objetivo de denegrir ou violar as imagens dos artistas.

Notas da Autora


Olá Camrenzinhas (os), estou aqui a esse horário, cansada, atualizando para vocês, porque... porque eu sou trouxa :D
Espero que gostem!
Boa leitura...

Capítulo 7 - Ally, a nova Cabello


Fanfic / Fanfiction Apaixonada Por Minha Leitora - Lia Jones - Capítulo 7 - Ally, a nova Cabello

Depois de molhar o vestido de estampa brega da minha mãe, me afastei um pouco para olhar em seu rosto, minha mãe sempre foi descuidada em relação a vaidade, leves rugas se encontravam em volta dos seus olhos castanhos e seu óculos de leitura havia aumentado mais alguns graus, sempre insistia para ela comprar uma lente ou fazer uma cirurgia mas eu tinha que puxar a teimosia de algum dos meus pais, e minha mãe era teimosa, Deus, como era.

“ – Mi hija, que saudade de você. Essa sua separação com o Xau lhe fez muito bem.” Ela sorria e segurava meu rosto.

“ – Mãe, é Shawn, tem que prender a respiração para pronunciar direito.” Corrigi o jeito que ela falou o nome do meu ex marido.

“ – Ah, Camila, se eu quiser eu chamo ele até de Chão.” Minha mãe deu de ombro.

Revirei os olhos quando Normani e a senhorita Sinu começaram a rir e entrei na casa, esperando elas se cumprimentarem. Eu não entedia essa rixa de quase todo mundo que conheço relacionado ao Shawn, ele era um talentoso advogado, bonito e talvez até metido, mas isso nunca foi razão para essas hostilidades.

“ – Xodózinho, que risadas são essas atrapalhando minha novela mexicana?”

Ouvi a voz de Alejandro, meu pai e virei para onde vinha o som correndo na direção do grande homem em seu casaco de lã preto e uma calça de terno marrom. Pendurei em seu pescoço e enchi ele de beijos.

“ – Camila, meu docinho.” Ela sorria enquanto eu babava em seu rosto cheirando a loção pós barba.

Diferente de mama, Ale era bem cuidadoso, as vezes sinto que puxei ele nisto, seus cabelos negros estavam sempre jogados para trás e seus cílios enormes deixava ele sempre juvenil e animado.

“ – Papa, que saudade.” Me segurei para não chorar novamente.

Ficar solitária em cidade grande é muito ruim, mas ficar em cidade grande sem sua família por perto para visitar era pior ainda. O máximo que conseguia ver eles era uma vez por ano e olha lá. Com isso, toda vez que partia para Cuba me permitia aproveitar bastante com a companhia deles.

“ – Você está linda meu bebê.” Ele falou repetindo os gestos da minha mãe, segurando meu rosto.

Alejandro sempre foi carinhoso com todas suas filhas, havia dias em que ele me chamava por apelidos carinhosos diversos cerca de cinco vezes por dia. Não vou mentir, eu adorava esta atenção, sempre fui a mais mimada da família.

“ – Obrigada Papi. Onde Sofi está? Fiquei de avisar se eu viria mesmo para o aniversário dela, mas pensei em fazer uma surpresa.”

“ – Ela saiu com as amigas dela agora a pouco, foram ao shopping comprar uns vestidos para a festa de amanhã.”

“ – Tudo bem então, eu espero ela chegar.”

“ – Sua prima está morando aqui.” Ele falou quando eu me soltei de seu corpo e ajeitei minha saia.

“ – A Ally está aqui?” Perguntei super animada.

“ – Sim, ela foi expulsa da casa dos seus pais no México e Sinu não achou certo deixa-la morar com os pais do namorado dela. Então meio que adotamos ela.”

“ – Meu deus, por que a titia Patrícia expulsou ela de casa?” Segurei a mão do meu pai e arrastei ele até a sala.

A casa estava mais decorativa, acho que a Ally morando aqui deu uma alegria bem notável. Todos os móveis eram de cor escura, na sala de estar continha um conjunto de sofá branco com três partes. Uma placa de madeira parafusada em toda a extensão da parede em frente aos sofás, com uma televisão enorme no meio da placa.

Havia alguns vasos de quase um metro com plantas espalhados perto da porta de vidro que ficava na sala mas que levava até o quintal de casa. Quadros do romantismo em lugares específicos da parede e na mesinha do centro, um cavalo com um cowboy em cima, típico da minha prima.

Me sentei com meu pai em um dos sofás e cruzei as pernas esperando ele me contar a história da Ally.

“ – Pode começar.” Incentivei Alejandro.

“ – Você sabe que sua tia Patrícia é bastante rígida com religião certo?” Ele me perguntou sorrindo.

Tia Patrícia, mãe de Ally, sempre fora bem religiosa, desde nova obrigava meus pais a levarem eu e Sofi para as catedrais de Cuba sempre que visitava a gente nos fins de semana. Minha mãe como o amor de pessoa que é sempre aceitava e nos levava.

“ – Sim, eu me lembro.”

“ – Pois bem, Patrícia tinha o objetivo de matricular a Ally em uma escola de freiras para ela fazer o colegial por lá e depois que acabar, estudar teologia para seguir o caminho de freira. Acompanhando o padre Marcelo o mais respeitado do México.”

Caramba, eu não esperava que a mãe da minha prima seria capaz de obrigar a própria filha a seguir algo que não agradaria nunca a pobre Ally.

“ – No começo deu certo, mas no último ano da escola, Ally conheceu um menino loiro de olhos claros, o nome dele é Troy. Eles se apaixonaram e viveram este amor em segredo dos pais dela, já que os do garoto aceitavam sem problema. Quando a Patrícia decidiu ver como Ally estava nas aulas, ela descobriu que a filha mais faltava do que ia, no dia seguinte, seguiu sigilosamente os passos de Ally e encontrou o esconderijo em que ela e o Troy iam para namorar durante a aula.”

Eu não devia mas eu comecei a rir pensando na cara de espanto da titia Patrícia ao ver sua filha aos beijos com um loirinho em pleno horário de aula. Meu pai deu uma risada e continuou a história.

“ – Ela proibiu sua filha de sair com o Troy, mas Ally fugiu de casa e se encontrou com o seu namorado de novo, quando a Patrícia descobriu novamente outra rebeldia de sua querida filha, expulsou ela de casa e sem onde morar Ally telefonou para Sinu, implorando para ficar aqui até terminar a faculdade de nutrição que ela sempre sonhou.”

“ – Realmente ela sempre gostou disso.”

Falei lembrando do dia em que Ally me avisou quantas calorias havia uma banana e quais benefícios ela possuía.

“ – Sabe que sempre admirei sua prima por ser estudiosa e batalhadora, então permiti ela dividir a casa conosco, seu namorado a visita toda semana. Quando ela cursar a faculdade, os dois vão arrumar um emprego em Dallas e morar juntos.”

“ – Que bom, espero que a titia perceba o erro que está cometendo.”

“ – Eu também espero, detesto ficar brigada com a louca da minha mãe.”

A voz melodiosa de Ally soou pelo portal da sala e olhei para ela, encontrando – a de short jeans, com uma blusa listrada que definia seu corpo. Ela estava linda, bem diferente desde a ultima vez que a vi. Seu cabelo estava grande e formava uma franjinha que cobria sua testa. Mesmo com mais de dezoito parecia uma pequena garotinha por ser tão baixinha.

Levantei e deixei meu pai para poder abraça-la e girar seu corpo no ar.

“ – Allyson! Como você está linda.” Deixei ela no chão e rimos uma da outra.

“ – Digo a mesma coisa Mila. Como está lá na cidade dos sonhos. Chegou a ver o Justin Timberlake? Minha virgem Maria, ele é tão bonito.”

Ally juntou as palmas da mão e olhou para o céu. Ela sai da igreja mas a igreja não sai dela.

“ – Não cheguei a ver nenhum cantor, exceto atores, como Tom Cruise e Liam Neeson. Lindos e incríveis como nos filmes.”

Ela suspirou extasiada só de pensar e eu sorri por seu jeito, Normani chegou rindo com minha mama, e assim que viu minha prima, fez a mesma coisa que eu e a girou no ar, não é culpa nossa que a pequena Ally era tão fofa que dava vontade de guardar em um pote.

“ – Meninas, Ale e eu vamos preparar o almoço, por que não mostra onde elas irão dormir, Ally?” Minha mãe pediu para minha prima e meu pai olhou para mama com uma cara de cachorro abandonado.

“ – Mas xodozinho, eu estava vendo minha novela favorita.”

“ – Falou certo Ale. Estava, no verbo passado. Levante daí e me ajude a cortar a carne.”

Ela ordenou indo para a cozinha e meu pai desligou a televisão com feições triste no rosto. Pobre papa, sorri feliz por poder estar aqui com eles.

“ – Venham meninas.” Minha prima nos chamou animada e subimos as escadas rumo aos quartos com a mesma empolgação, nem parecia que eramos tão velhas.


Notas Finais


Pessoal, que tal uma mini maratona? Eu sou muito boazinha né :D
Mentira, é porque eu quero que a Lauren taradex entre logo na fic :d


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...