História Apenas não rebata - Capítulo 3


Escrita por: ~

Postado
Categorias Fullmetal Alchemist, Fullmetal Alchemist: Brotherhood
Personagens Alphonse Elric, Edward Elric, Ling Yao, Maes Hughes, Personagens Originais, Roy Mustang, Von Hohenheim, Winry Rockbell
Tags Baseball, Royed
Exibições 68
Palavras 1.194
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Colegial, Comédia, Crossover, Famí­lia, Fluffy, Romance e Novela, Shonen-Ai, Shoujo (Romântico), Universo Alternativo, Yaoi
Avisos: Heterossexualidade, Homossexualidade, Insinuação de sexo, Linguagem Imprópria
Aviso legal
Alguns dos personagens encontrados nesta história e/ou universo não me pertencem, mas são de propriedade intelectual de seus respectivos autores. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos criada de fã e para fã sem comprometer a obra original.

Notas da Autora


Ho hey
Desculpe pela demora, mas é que eu comecei outra fanfic e me esqueci da existência dessa kkkkkk Mas podem relaxar porque a outra já foi concluída.

Capítulo 3 - Eu vou entrar para o time e meu cabelo também - 50 de 50


Edward abriu os olhos e permaneceu deitado, apenas observando a beleza resplandecente do teto e refletindo sobre a vida.

Está tudo uma grande merda!

A vida de Edward Elric estava uma grande merda, essa era opinião do mesmo e não iria mudá-la tão cedo. Como se não bastasse ser obrigado a morar com Hohenheim, ainda tinha brigado com o irmão por culpa dele e daquele imbecil do Roy Mustang.  O garoto até havia pensado em se desculpar, mas começou a se lembrar de cada detalhe da situação e então recordou que a culpa era de quem? Roy Mustang, só poderia ser. Antes mesmo de o teste começar, aquele técnico de meia tigela criticou sua altura, sendo que ele nem se quer havia aberto a boca. Depois ele ainda veio com aquela história de mandá-lo cortar o cabelo. Qual o problema de ter cabelo comprido? Ainda por cima, seus fios estavam perfeitamente trançados, logo não o atrapalharia em absolutamente nada. Quem deve desculpas por abusar da autoridade de treinador é apenas uma pessoa, afinal, acabou de provar quem é o único culpado. Para Edward, essa pose de técnico durão era apenas uma maneira para disfarçar sua incompetência. Mustang deveria ser demitido, isso resolveria todos os problemas. Bem, ele teve a experiência de treinar com esse, mas só fato de deixá-lo ir já mostrava que ele não entendia tanto sobre o esporte quanto um bom técnico deveria. Outro treinador não deixaria um lançador do nível de Edward Elric escapar, é completamente impossível haver outro alguém tão estúpido quanto aquele bastardo na cidade, no país, no planeta Terra, no universo, no...

Mas por que raios estava pensando naquele maldito de seu “ex-possível futuro técnico”? Acabou de acordar, deve ter coisas melhores para fazer.

Olhou na direção da cama de Alphonse, que ainda dormia. Que horas seriam? Ou eles estavam atrasados, ou ainda era cedo demais. Buscou por seu celular na cômoda, checando o horário assim que o encontrou (e com a luminosidade no máximo, sentia seus olhos queimarem um pouco, transformando-se em pedras de carvão aos poucos). Cinco e quarenta da manhã, não estavam nem um pouco atrasados. Apenas cinco e quarenta da manhã. O que leva uma pessoa a acordar às cinco e quarenta da manhã? Ou melhor, o que leva alguém a ficar filosofando sobre as merdas que acontecem sem sua vida às cinco e quarenta da manhã? Apenas melhore, Edward. Aja como uma pessoa normal ao menos uma vez e volte a dormir, pois você ainda tem uma hora e vinte minutos de sono, não desperdice tal preciosidade pensando em um filho da mãe qualquer.

XX XX XX XX XX

XX XX XX XX XX

Apesar da turbulência da noite passada, os jovens Elric já estavam se entendendo normalmente.

Os dois irmãos caminhavam até o colégio. Como no dia anterior, o pai oferecera uma carona e esta foi recusada mais uma vez. Pobre Hohenheim, ele só queria gastar gasolina com seus filhos... E pobre Alphonse também. Haja criatividade para inventar tantas desculpas para mascarar a má vontade do irmão mais velho.

- Al. – o irmão o chamou, querendo falar alguma coisa - Eu vou entrar para o time.

Os olhos do mais novo se arregalaram, ele estava totalmente incrédulo. Edward mudou de ideia de um dia para outro e está dando o braço a torcer? Pegue as crianças e corra para os abrigos, o céu está caindo.

- Então você vai cortar o cabelo? – Alphonse perguntou esperançoso

- Ficou doido? Nunca que eu vou cortar meu cabelo, nós já falamos sobre o estilo.

Alarme falso! Já pode soltar as crianças, o céu continua em ordem.

- Você tem e eu, não. – lembrou o que o irmão havia dito sobre seus estilos, o sentido mandou um abraço para esse diálogo – E o que você vai fazer, Edward, o estiloso?

- Não brinque com isso, Al, estilo é uma coisa muito séria. – Edward alertou, parecendo um narcisista metrossexual - Eu só vou dar um jeito de ele me aceitar sem tirar um dedo do meu cabelo.

- Boa sorte, ele não parece ser do tipo dá o braço a torcer tão fácil. – o mais novo observou - Nisso ele parece até alguém que eu conheço...

- Ei, Al! Não me compara com aquele treinador de merda! Não tem nada a ver!

- Calma, eu não disse nada.

- Acho bom. – bufou e logo retornou ao que queria falar - Agora, mudando de assunto, hoje você ao treino depois da aula, não é?

- Vou.

- Tenta segurar o Mustang, só enrola com ele depois que o treino acabar.

- Você não vai fazer outro barraco, vai?

- Não é minha intenção, mas se me atacar eu vou atacar.

- Ok, eu te ajudo. – Alphonse tomou sua decisão - Só tenta não comprar outra briga com ele, agora que eu estou no time não quero me envolver em problemas.

- Tá certo, eu vou tentar. – aceitou a condição do irmão - Mas não prometo nada.

- Bem, já é um começo.

Um pequeno passo para um Edward, mas um grande passo a paz mundial.

XX XX XX XX XX

XX XX XX XX XX

- Então era por isso que o Alphonse não largava do meu pé.

Essa fora a conclusão que Roy teve ao ver seu “ex-futuro pitcher”.

Alphonse já havia feito a parte dele, tudo o que restava para o Elric mais jovem era observar e torcer para não acabar em mais um barraco.

- Cinquenta arremessos. – cruzando os braços, Edward começou a falar sua proposta, indo direto ao ponto, uma vez que nem queria saber de conversar com Mustang - Se você não conseguir rebater nenhum, vai ter que me aceitar no time junto com meu cabelo.

- E se eu rebater algum? – o moreno quis saber, arqueando a sobrancelha esquerda e coçando um pouco o queijo

- Isso não vai acontecer. – o loiro parecia convencido que iria vencer, mesmo que cinquenta acertos para cinquenta tentativas seja um número improvável - Pode escolher o que quiser.

- Se eu rebater um arremesso você vem para o time, mas eu mesmo vou raspar sua cabeça.

Edward passou a mãos por toda a extensão de seu cabelo. Será que era mesmo uma boa ideia? De qualquer maneira, recuar não era uma opção.

- Aceito.

- Justo hoje que eu queria sair mais cedo. – Mustang se lamentou, naquele mesmo momento deveria haver uma mulher enfurecida na porta de um restaurante - Vamos logo com isso.

Os três pegaram os equipamentos e foram para suas respectivas posições, logo iniciando “a prova de fogo”. Edward arremessou a primeira bola, que fora apanhada por Alphonse. A cena se repetiu com a segunda bola, com a terceira, com a quarta, a quinta, a sexta, a sétima, a oitava... A quadragésima nona.

Restava apenas um arremesso, Edward sentia o doce sabor da vitória derretendo em sua boca. Finalmente, lançou bola de número cinquenta, sorrindo triunfantemente. Observa-a voar pelo campo e...

Ser rebatida por Roy Mustang?

- Amanhã eu vou trazer a máquina, aproveita a última noite com seu cabelo.


Notas Finais


Alguém faz uma montagem com o Ed e o Saitama? Agradecida :3
Beijinhos de luz :*


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...