História Apenas parem - Capítulo 1


Escrita por: ~

Postado
Categorias Bleach, Vocaloid
Tags Bleach, Bullying, Hitsukarin, Karin, Nãobullying, Toushirou, Vocaloid
Visualizações 65
Palavras 2.016
Terminada Não
LIVRE PARA TODOS OS PÚBLICOS
Gêneros: Colegial, Comédia, Crossover, Drama (Tragédia), Escolar, Romance e Novela, Saga
Avisos: Violência
Aviso legal
Alguns dos personagens encontrados nesta história e/ou universo não me pertencem, mas são de propriedade intelectual de seus respectivos autores. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos criada de fã e para fã sem comprometer a obra original.

Notas da Autora


Oieee! Gente, essa é uma fanfic contra o bullying que eu decidi fazer quando lembrei de uma amiga minha que sofreu bullying no 4º ano, vamos criar um pseudônimo (nome falso) pra ela: Maria Júlia, enfim, uma garota chegou a criar um grupo no WhatsApp chamado "FORA MARIA JÚLIA" e colocou nele todas as pessoas da sala, foram poucas as pessoas que saíram e eles usavam esse grupo para falar mal da Maria Júlia. Mas ela foi forte e conseguiu nem dar atenção pra isso, e foi ficar com quem gostava dela de verdade. Estava sem fazer nada e de repente lembrei dela, e foi por isso que resolvi fazer essa fanfic, espero que gostem ^-^!!
Kissus de laranja 💖💖💖💖💖

Capítulo 1 - Começo de tudo


Toushirou On

Eu tinha acabado de me mudar e ia entrar numa escola chamada Chuugakou, parecia ser uma boa escola, mas todos os dias, eu ia com uma touca cinza pra lá. Meus colegas de classe ficavam falando que era tumblr e que eu ficava legal de touca, fiquei feliz por ninguém saber que eu só usava aquilo por ter albinismo. Eu achei que poderia ficar assim pra sempre e ninguém ia desconfiar. Eu devia saber que nada era pra sempre. Fomos pra aula de Educação Física e o jogo hoje era queimada. Eu abaixei pra amarrar meu tênis, e de repente, todos começaram a rir de alguma coisa. "Não deve ser de mim" foi o que eu pensei na hora, até que uma garota chamada IA jogou a bola na minha cara e gritou

-Ô VELHO, ACHO MELHOR VOCÊ PINTAR O CABELO, TÁ BRANCO, A PINTURA DEVE TER DESGASTADO!- e isso só fez com que todos rissem mais, quando me virei, vi meu "amigo" Aizen jogando a touca cinza pro alto, rindo da minha cara.

-UOU UOU UOU UOU UOU, QUE PALHAÇADA É ESSA?- a professora de Educação Física gritou, colocando uma mão sobre o meu ombro, pude ouvir um grupo de populares, Megurine Luka, Hatsune Miku e Kagamine Rin cochichando algo entre elas

-Olha só que bonitinho, o bebê precisa que a professora o defenda, tadinho...- foi o que a Megurine disse, fazendo com que as outras duas rissem. Eu nunca me senti tão humilhado em toda a minha vida, como eu odiava ter nascido assim. Eu poderia ter nascido moreno, ruivo, mas não, Toushirou Hitsugaya tem que ser albino!

-Não precisa disso professora, eu sei me virar.- eu disse, claramente mentindo, por que fui correndo e chorando muito até o banheiro, onde me tranquei.

-Ô velho chorão, sai da jaula!- o Kaito gritou, da porta

-SAI DO BANHEIRO E SEJA UM HOMEM, SEU VELHO!- foi a vez da Yukari gritar

-Hahahahaha, o bebêzinho tá chorando, que fofinho, dá até vontade de apertar!- o Aizen disse, eles conseguiam ouvir eu chorando, mesmo com a porta trancada

-Ele é patético!- a Kagamine disse

-Hahaha, totalmente idiota! Ninguém se importa com o velho!- a Hatsune comentou

-Bebê chorão!- o Aizen disse

-Bebê chorão, bebê chorão, bebê chorão!- várias pessoas repetiram

-Por que você não some? Essa escola não é lugar pra você, deveria procurar uma escola pra velhos que não tiveram a oportunidade de estudar!- Kaito comentou, fazendo Kaiko, sua gêmea, quase chorar de tanto rir. Finalmente tocou o sinal para que todos voltassem pra aula, eu arrumei meu material e fiquei no banheiro até que já pudesse sair da escola, o que fez com que eu ganhasse dois apelidos novos: loira do banheiro e velho do banheiro. Maravilha. Cheguei em casa sem a menor vontade de voltar pra escola amanhã, eu queria realmente deitar na cama e nunca mais levantar. 

-Toushirou, vem cá, como foi na escola hoje?- minha mãe (N/Autora: ainda é a Megumi) se sentou ao meu lado na cama. Não quero contar a ela, não preciso de mais um motivo pra ser chamado de bebê, e também não quero preocupar ela, ela teve que trabalhar muito pra me colocar nessa escola, e já passa stress demais no trabalho pra eu dar outra coisa pra ela resolver.

-Foi tudo ótimo.- respondi

-Sério? Ah, que bom! Mal entrou na escola e já está tudo ótimo, e isso é maravilhoso! Vamos comer sushi pra comemorar!- ela disse, animada. Mal sabe ela que foi tudo do ruim ao pior. Mas eu realmente não podia contar. Eu vesti uma blusa azul e uma calça jeans. Fora da escola não aconteceria nada, certo?

Errado. Terrívelmente errado. Kaito, Gakupo e Len queriam me importunar fora da escola também. Arrumaram meu número de telefone e começaram a mandar mensagens. Num grupo chamado... "Fora bebê chorão albino"

WhatsApp do Toushirou on

Kaito: Fala aí, loira do banheiro!

Len: E aí, bebezinho? Como se sente sendo um lixo?

Gakupo: É como um homem invisível, ninguém enxerga ele, hahaha, inútil!

Kaito: Um toque: nos bloqueia ou sai desse grupo e a gente te pega na saída amanhã, vai ser chuva de pancada. Quero ver o azulzinho sinalizando que você leu cada uma das mensagens, e vai ter que ler uma por uma, porque se te perguntarmos algo e você não responder, já sabe: chuva de pancada. Vou adicionar todos do nosso ano pra cima, é melhor se preparar, velho!

Toushirou: Apenas façam o que quiserem

Kaito adicionou Kaiko

Kaito adicionou Yukari

Kaito adicionou SeeU

Kaito adicionou Megurine

Kaito adicionou Hatsune

Kaito adicionou Aizen 

Kaito adicionou Kagamine

Kaito adicionou Gin

Kaito: Por enquanto é só, mas não pense que só vai ter isso de gente no grupo, estou apenas com preguiça de adicionar o resto, já pode desligar o celular... por enquanto

WhatsApp do Toushirou off

-Hey, Toushirou, o que houve? Você está bem? Tá com uma cara estranha... não quer comer sushi?- minha mãe perguntou

-Não mãe, não é isso, estou apenas... com sono...- menti

-Ah, ok! Sabe que pode me contar qualquer coisa, certo?-

-Claro.-

-Bom assim! Olha, chegamos!- ela disse, animada, me puxando até uma mesa. Na mesa da frente, tinha uma garota de cabelos médios e negros, presos num rabo de cavalo, e olhos ônix, conversando animadamente com uma outra garota de cabelos curtos e também negros, mas de olhos violeta. Nós comemos sushi e depois fomos direto pra casa, quando chegamos, eu me joguei na cama e dormi o dia todo. Afinal, amanhã seria outro dia, talvez essa tenha sido só a típica zuera com o novato, fazem apenas duas semanas que entrei na escola. Espero que seja isso...

{Quebra de tempo}

Acordei sem a menor disposição pra ir pra aula, até pensei em fingir estar doente, mas nunca fui bom com mentiras e a minha mãe ser praticamente uma agente do FBI não facilita muito as coisas. Tive que ir pra escola de qualquer jeito, tentei botar na cabeça que era uma brincadeira, mas assim que cheguei na escola, chegou aquele grupinho de garotas, a Rin, a Luka e a Miku e jogaram refrigerante em mim, sujando o uniforme inteiro, depois disso, eu perdi o controle e acabei batendo na Luka, e isso só piorou as coisas, porque a Miku não deixou passar.

-O chorão resolveu revidar, foi? Batendo em mulheres? Olhe pra isso meninas, temos um monstro na nossa escola!- Miku riu

-Hahahaha, boa Miku! Vamos embora, não devemos perder nosso tempo com esse pedaço de lixo- a Rin disse, convencida, e foi embora com as outras duas, cheguei na sala mais cedo, pra evitar qualquer outra piadinha de mau gosto, o que deu muito errado, assim que abri a porta, um saco de farinha caiu em mim, logo depois, dois ovos é uma garrafa aberta cheia de leite me acertaram, e Kaito estava sentado em uma mesa, rolando de rir com o Len

-Hahahahaha, farinha com refrigerante? Hahahahahahah, estranha combinação, não acha Len?- o Kaito riu.

-Bolo de bebê chorão acompanhado de refirgerante, compre já pra sua festinha de aniversário!- o Len fez piada. 

-Hahahaha, vocês não sabem zoar mesmo!- a Miki disse, chegando por trás -Não sabem que pra fazer direito, precisa ter...- de repente, um balde d'água caiu em mim, me deixando totalmente encharcado -Hihihi, água? Agora sim, o pacote completo!- 

-Hahahahaha, socorro, é o monstro da neve! É o Pé Grande!- a SeeU disse, fazendo Miki, Len e Kaito rirem. Depois disso, fui correndo pro banheiro de novo, mais um dia trancado nesse banheiro horrível, que maravilha! Eu sou totalmente patético. Nem pra ser zoado eu presto, saio correndo chorando. Bebê chorão, é o que eu sou, eles estão certos, eu me odeio. Como vou voltar pra casa agora? O que eu vou dizer pra minha mãe? Contar a verdade está fora de cogitação, vou dizer que teve algum tipo de guerra de comida na escola, como sempre, cheguei, falei com a minha mãe, tomei banho, me troquei, botei minhas roupas sujas de comida pra lavar e fui dormir. 

Acordei, fui pra escola tão motivado quanto o cara que pintou a bandeira do Japão (fez uma bola vermelha num pano branco e disse "Tá lindo!") e já na entrada, Aizen e Gin vieram me encher o saco

-Fala monstro chorão! Geralmente, seria horrível te ver, não gosto de estudar com um monstro velho e chorão, mas é que hoje, eu e meu colega Gin esquecemos o dinheiro do almoço, você vai nos ajudar, certo?- ele perguntou

-Por que eu ajudaria vocês?- perguntei

-Ah, boa pergunta... ótima pergunta aliás... e a resposta é: porque senão, a gente faz isso!- o Aizen me empurrou e ficou me chutando enquanto o Gin pegava o dinheiro do meu bolso

-Hahaha, bom saber que sempre podemos contar com você, amigo!- o Aizen zombou e eles foram embora. Ótimo, agora, além de monstro, velho, bebê chorão e loira do banheiro, agora eu sou um banco ambulante também. Quer maneira melhor de começar o dia na escola? Novamente, eu não assisti a aula e fiquei no banheiro, mas na hora do intervalo o zelador foi limpar o banheiro, então eu tive que sair. Tentei ficar o mais distante possível dos outros alunos, pra evitar mais zoações. Pensa que funcionou? É claro que não! Dessa vez, Gakupo, Len e Mikuo (irmão gêmeo da Miku) vieram tirar uma com a minha cara, e não estavam sozinhos! Eles estavam junto com o Kenpatchi, o cara mais forte da escola. Todo mundo tem medo dele, ele não é amigo de ninguém, como é que eles trouxeram ele até aqui sem nem apanhar?

-E aí bebê chorão? Que cara é essa? Ah, você já conhece ele, o Kenpatchi, ele é gente fina... quer dizer, desde que você pague o preço certo, o que convenhamos, não é uma coisa que você pode.- o Len riu

-Kenpatchi, não seja rude, cumprimente o nosso amiguinho!- o Kaito disse, o Kenpatchi pegou a minha mão, me ergueu e me tacou no chão. Só eu achava que isso era coisa de filme?

-Eu sou Zaraki Kenpatchi- ele disse, e foi embora

-Hahahaha, ele é um amor não é? Ele te tacou no chão com a maior facilidade, acho que ele gostou de você!- o Gakupo fez piada 

-Hahahahahahahaha, ai ai caras, quando vocês é a minha irmã disseram que esse cara era ainda mais ridículo do que aquela garotinha a... Momo! Eu não botei muita fé não, mas agora... hahahahaha, mas não se sinta tão mal camarada, minha irmã só fala de você lá em casa!- o Mikuo disse e botou a mão na minha cabeça -Agora, não vou mentir, ela não fala muito bem de você  não! Vive dizendo que você é a piada da escola e coisas assim! Espero que possa rir desse jeito novamente algum dia, tchau e tenha um péssimo dia!- ele disse, e foi conversar com o Luki (irmão gêmeo da Luka... os pais dela e pais da Miku não são muito criativos...). Essa "brincadeira" já chegou até as outras salas, já chega, isso tem que parar! Vou falar com a diretora, não tem outro jeito. Fui até a diretoria e bati na porta

-Entre! Está aberta.- ela disse, e eu entrei

-Com licença diretora, mas alguns garotos estão fazendo brincadeiras comigo que eu realmente detesto, como me dar apelidos estranhos e coisa do tipo.- depois que eu disse isso, ela largou os papéis que estava lendo e me olhou, com um sorriso calmo. Finalmente, isso vai se resolver e tudo vai acabar.

-Escuta garoto... como você deve saber, essa é a escola mais cara do Japão, com um ensino ótimo, tem sorte de estar numa escola dessas, ignore essas brincadeirinhas e aproveite!- ela disse -Se era só isso que tinha pra dizer, pode ir embora.-

"NÃO DÁ PRA IGNORAR, QUER DIZER, NÃO ACHO QUE FARINHA E OVOS SEJA ALGO AGRADÁVEL DE SE TER NO CORPO!" Foi o que tive vontade de dizer, mas aquela maldita falta de coragem não me permitiu, então, eu apenas me retirei e aceitei que não seria tão fácil assim.


Notas Finais


Oieeeeee! Gostaram do capítulo? Fiz realmente com a intenção de mostrar o que uma pessoa que sofre bullying nas escolas passa e o que ela pensa, espero que tenha atingido minha meta ^-^!
Não sei quando sai o próximo, desculpa T^T
Kissus de jujuba 💖💖💖💖💖


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...