História Apenas um Beijo... - Capítulo 6


Escrita por: ~

Postado
Categorias Tokyo Ghoul
Personagens Juuzou Suzuya
Tags Juuzou, Juuzou Suzuya, Suzuya, Tia Nath, Tokyo Ghoul
Exibições 76
Palavras 1.242
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Colegial, Drama (Tragédia), Ecchi, Hentai, Luta, Romance e Novela, Seinen, Suspense, Terror e Horror, Universo Alternativo, Violência
Avisos: Álcool, Canibalismo, Drogas, Heterossexualidade, Insinuação de sexo, Linguagem Imprópria, Mutilação, Nudez, Sadomasoquismo, Sexo, Spoilers, Tortura, Violência
Aviso legal
Alguns dos personagens encontrados nesta história e/ou universo não me pertencem, mas são de propriedade intelectual de seus respectivos autores. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos criada de fã e para fã sem comprometer a obra original.

Notas da Autora


Retornei garotada <3 agora as fics de Tokyo ghoul voltarão ao seu ritmo normal, só demorei pq estava passando por um período complicado e vou aproveitar e deixar aqui um convite para quem é fã de Hunter x Hunter, eu comecei uma nova fic focada nesse fandom (sem personagens originais, pq vcs me conhecem <3) Link notas finais <3

Capítulo 6 - Vislumbrando Oportunidades


Fanfic / Fanfiction Apenas um Beijo... - Capítulo 6 - Vislumbrando Oportunidades

Kurona Yasuhisa

 

Não entendo o que acabou de acontecer... Verdadeiramente é algo que está além dos meus limites intelectuais tentar compreender uma criatura que é simplesmente movida pela irracionalidade...

Em um primeiro momento Juuzou desapareceu sob minhas vistas e eu pensei que ele havia se afogado...

Em um segundo momento, quem estava se afogando era eu! E em um terceiro momento ele estava me machucando, falando coisas sem nexo e por incrível que pareça...

 

Ele me salvou de me afogar por tentar salva-lo...

 

Não compreendo isso, não consigo entender o porquê de esse homem agir tão indiferentemente mesmo a um instante assim... E outra coisa... Como que eu me cortei com as facas dele? Em um primeiro instante duvidei da voracidade de suas palavras, mas bastou um segundo olhar em sua face distorcionada para perceber que Juuzou falava a verdade...

 

Então por que me senti tão indefesa ante a presença dele?!

 

Eu dou-lhe as costas, mas percebo seu olhar lascivo rente ao meu corpo através de um suspiro vindo do  mesmo... Posso afirmar que logo ao virar o rosto e perceber o olhar de Juuzou eu não conhecia esse sentimento tão estranho de medo mesclado com algumas pitadas de temor e receio... Teoricamente são o conteúdo do mesmo pacote, mas não...

 

Suzuya estava me encarando da mesma maneira que uma cobra encara a um coelho antes de lhe dar um bote e o engolir inteiro...

 

Reúno todas minhas forças e saio dali, afinal, simplesmente não faz sentido essa minha interpretação de reações alheias e talvez por obra do medo eu esteja apenas me precipitando... Talvez eu esteja assustada pelo fato de quase ter me afogado, ou intimidada pela presença do rapaz de olhos tão vermelhos e psicóticos e um sorriso tão insano estar bem a minha frente...

 

Eu estou agindo como um garotinha idiota...

 

                Logo ao me dar por conta dessa condição psicológica eu saio e deixo o lunático falando sozinho... Independentemente de ele ser ou não um insano eu tenho todas as condições de lutar contra ele e apenas fui pega desprevenida pelo corte na perna e pela reação irracional do lunático de apertar a  minha ferida para provar um maldito ponto de vista que só fazia sentido na cabeça dele!

Todavia, ainda tenho que voltar para o alojamento e ouvir as reclamações da minha irmã Nashiro... Este dia está simplesmente saindo pior do que as expectativas permitiriam para qualquer mortal!

Sigo em frente tomando o rumo até o alojamento mesmo estando encharcada e agradeço por já estar anoitecendo, assim fica mais fácil ignorar os conhecidos que encontro em meio ao caminho, pois não quero ter que dar explicações sobre o motivo de eu estar retornando para meu alojamento completamente molhada e com sangue brotando de um corte em minha coxa.

Qual não foi minha surpresa ao chegar e me deparar com o alojamento vazio... Em um impulso tomo o celular que estava em um dos bolsos da minha mochila e vejo nada mais nada menos do que sete ligações perdidas da minha irmã...

 

Nashiro... Onde você se meteu?!

 

 

 

~~~~ Apenas Um Beijo ~~~~

 

 

 

Juuzou Suzuya

 

Hoje foi no mínimo um dia estranho e eu estou extremamente a fim de esquecer de todas essas bizarrices que ocorreram em apenas uma mísera tarde, como? Apenas dando umas voltas pela cidade, afinal, a noite é uma criança e eu sei de um local que vende uns licores surpreendentes! Tão açucarados e doces quanto sua mãe e tão alcoólicos quanto meus pensamentos nesse exato momento!

Afinal... Ainda não entendi a razão para aquela garota pensar que poderia me salvar de qualquer coisa... Decerto Kurona deve ser alguma classe de idiota, uma garotinha a mais com quem jogar e descartar depois... E que me permitiria testar minhas teorias sobre a “paixão” mais a fundo, afinal...

 

Se ela não tivesse alguma classe de interesse em mim duvido e muito que ela tivesse tentado me salvar sabendo que eu sou maior do que ela e que poderia a arrastar para o fundo do lago se eu estivesse de fato me afogando!

 

Não tardo muito a chegar ao local onde planejava ir, um boteco pé sujo com frequentadores suspeitos e mal falados, traficantes, drogados, velhos ociosos com o passado suspeito e toda classe de refugo social frequentavam esse lugar e claro que para eles eu era apenas um adolescente problemático que volta e meia sai de casa para tomar uns drinks escondidos dos pais... Eles achavam isso divertido e certa vez um deles inclusive tentou me molestar agarrando minha bunda e dizendo...

— O que a bonequinha faz aqui sozinha?

 Eu apenas sorri... E por algum motivo, desde que ameacei o velho traficante decrépito com uma garrafa quebrada de cerveja rente ao pescoço nunca mais ninguém me molestou e pude comprar minhas doses de bebida em paz antes de sumir na noite...

Mas como é a força do hábito eu  continuo aparecendo por aqui e ás vezes eu como alguns petiscos dessa taberna decadente, afinal eles fazem um bolo de chocolate ótimo! Além de continuar comprando meus licores, doses e garrafas de cerveja... Sou maior de idade mesmo não parecendo, mas de verdade isso nunca fez muita diferença... Apenas quero desfrutar de uma bebida enquanto observo a cidade em pontos altos aleatórios, alguns edifícios, morros, casas, ou o que mais vier a minha frente...

 

Mas claro que nos momentos mais inoportunos comprar algo de briga também tem seu valor, especialmente se quem começa não é você! O que torna as coisas muito mais interessantes...

 

Mas não pretendo me delongar nisso, o que posso dizer é que quatro elementos já foram mandados por mim para o colo do capeta... E um deles era um ghoul, o que tornou as coisas ainda mais interessantes! Mas o que eu não esperava nessa pacata madrugada de terça feira era ver um rosto conhecido entre os frequentadores do boteco pé sujo, sendo que eu apenas estava lá para tomar um licor antes de sair e aproveitar a noite...

 

Nashiro...

 

E eu achava que era só Kurona quem tinha problemas... Mas pelo visto a gêmea da garota dos cabelos negros não me viu recostado em meio a face obscura do balcão de bebidas e claro que uma jovenzinha como ela iria chamar a atenção dos bêbados do local... Eu pensei que o único motivo que a impulsionaria a ir a tal local é que ela estivesse lá para comprar brigas a princípio, mas logo me lembrei que isso era meio fora do padrão para garota, Nashiro estava desprovida de qualquer classe de arma para um embate direto e havia outra coisa naquele momento  em sua fisionomia delicada que me chamou a atenção... Ela estava ofegante... Suor brotava em sua testa e seu nervosismo era aparente até mesmo para leigos...

 

 E era óbvio que ela estava fugindo de alguém, ou alguma coisa...

 

Pelo visto o que passou em sua cabeça era que ali seria um bom lugar para se ocultar de o que quer que seja que a estivesse perseguindo. Mas claro que essa idéia foi apartada no mesmo momento em que vários homens bêbados, mal intencionados e pervertidos começaram a acuá-la em todas as direções... Nashiro saiu do bar as presas e eu senti-me movido pela curiosidade e pelo senso de oportunidade a ir atrás dela...

 

O que quer que estivesse perseguindo Nashiro poderia ser-me útil... Algo me dizia que Kurona ficaria me devendo uma depois dessa e provavelmente seu frágil e educado coração também...


Notas Finais


https://spiritfanfics.com/historia/minha-presa-7119339

Hasta luego meus aprendizes <3 comentem o que acharam do cap e se forem fãs de HXH confiram minha nova fic <3

(Tô sem paciência, se tiver erros eu arrumo amanhã, buenas noches <3)


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...