História Apenas um pequeno sociopata - Capítulo 19


Escrita por: ~

Postado
Categorias Gravity Falls
Personagens Bill Cipher, Dipper Pines, Mabel Pines, Soos Ramirez, Stanford "Ford" Pines, Stanley "Stan" Pines
Tags Billdip, Billxdipper, Bipper, Dipperxbill, Gravity Falls, Mabwill, Yaoi
Visualizações 401
Palavras 1.415
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Colegial, Drama (Tragédia), Escolar, Famí­lia, Lemon, Romance e Novela, Shoujo (Romântico), Universo Alternativo, Yaoi
Avisos: Álcool, Estupro, Heterossexualidade, Homossexualidade, Insinuação de sexo, Linguagem Imprópria, Tortura, Violência
Aviso legal
Alguns dos personagens encontrados nesta história e/ou universo não me pertencem, mas são de propriedade intelectual de seus respectivos autores. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos criada de fã e para fã sem comprometer a obra original.

Notas do Autor


Demorei
Demorei sim
Demorei pra caralho
Desculpa k
Mas então ne gente
Entao
Tá aí o capítulo
E tipo
Aah
Aah é, eu to fazendo um imagine do namjoon (meu utt)
Por que eu tava mto afim de ler um e não achava um bom, então decidi fazer KKKkk
O link tá nas notas finais, por favor, dêem uma checada ♡
Eu não quero abandonar :")
Mandei pras army todu kkj
Enfim
Aproveite o capitulo

Capítulo 19 - "Estranha"


  Acordei.

Me senti com tonturas incrivelmente fortes, além de uma dor do inferno na minha cintura, mas que merda, o que aconteceu? eu só vejo o claro.

- Ah meu Deus, ainda bem que você acordou! - poucos segundos depois, já conseguia sentir algo macio entorno de mim, provavelmente eu estava deitado em alguma cama. Olhei para os lados, era branco. - Não está se sentindo bem? - então, eu finalmente encaro a pessoa no qual não deixava de falar comigo.

- Dipper. - o olhei confuso.

- Você é um idiota! - ele grita, do nada. Parecia estar bem irritado...

- Como assim...? - perguntei, dando um gemido de dor no mesmo instante que o mesmo iria me responder, parecia ficar preocupado quando eu o fazia.

- ... Você não se lembra? - Ele também pareceu bem confuso quando eu disse aquilo... Mas, se lembrar do que, exatamente?

- Se lembrar do que? - Me levantei, sentindo algo molhado escapar de uma parte da minha cintura, que estava realmente doendo.

Era sangue.

- ... - Eu encarava com dor e surpresa, meu líquido avermelhado cair na cama como gotas da água. E então, encarei Dipper de forma extremamente suspeita. - O que aconteceu comigo?

- Isso é preocupante... Você realmente não se lembra? - Ele me pergunta, sem desgrudar seus olhos dos meus.

- Eu saí de casa por algum motivo, e vi com a Mabel machucada... Após isso, nada...

- ... Ah, que droga, não interessa! - ele me abraçou, consegui sentir minha ferida ser apertado por causa disso, me controlo para não aumentar a voz diante daquilo, e obviamente, ele percebe na hora. - Ah, me desculpa mesmo! - ele rapidamente me solta, novamente com aquele ar preocupado.

Tive mais tempo para reparar nos detalhes que tinham no quanto onde eu estava habitado.

É. Com certeza eu estava no hospital.

- Dipper, como eu cheguei aqui? - perguntei, derrepente, tomando conta de que um de seus pulsos estava enfaichado, aparentemente, com algo molhado por dentro. - O que aconteceu com seu pulso?

- Não é Nada, está tudo bem...

Eu olhei por alguns momentos para meus joelhos fixamente, voltando a encara-lo em seguida.

- Onde está a Mabel? - Pergunto.

- Está no outro quarto, tem uma médica dando alguns ... Ah, nada Não, esquece.

- ... - Obviamente, não deu para não estranhar o seu tipo de comportamento, mas eu não podia obriga-lo a contar o que realmente aconteceu, não é? - Por que não está com ela? - perguntei com uma expressão sem seriedade.

- Você estava desmaiado... Pensei que você estivesse pior. - ele diz, com um olhar e um tom arrependido.

- Não leve isso como uma bronca. - Eu ja aviso. - eu estou bem, mas a Mabel deve estar um pouco sozinha la, não acha melhor ficar com ela em vez de comigo? - pergunto, o encarando. - ela ainda é sua irmã, apesar de tudo.

- Tem certeza...? - Ele perguntou, meio hesitante de fazer o que eu pedia.

- Não se preocupe. - sorri. - Caso precise de ajuda, você será o primeiro que irei chamar.

Após isso, ele sorriu junto a mim, não sabia se foi pelo fato de eu te-lo feito, ou se ele ficou feliz. Ou talvez, quem sabe, os dois.

- Eu vou ir la, apenas para ver se ela está bem, tá? - ele avisa, já se levantando - e então, vou voltar pra cá!

- Estarei esperando. - respondi, sem desfazer o sorriso nos lábios.

Consegui ter a vista detalhada dele sair em prantos da sala, indo rapidamente para a direita, com um olhar concentrado.

Desfiz o sorriso.

O que tinha acontecido, exatamente?

Okay, vamos por partes sobre o que eu lembro.

Eu estava em casa... Dipper me chamou, eu fui pra algum lugar que eu não consigo me lembrar onde, mas consegui ver ele e Mabel, ela estava bem machucada, parecia que tinha acabado de sair de uma briga

Eu...

Eu...?

Como assim?

O que eu fiz? Por que não consigo lembrar?

Minha cabeça dói...

A todo momento que eu tento me forçar a lembrar de algo, mesmo nos minimos detalhes, eu simplesmente não consigo, e ela começa a doer muito.

Mesmo assim... Se Dipper não quer me contar, quer dizer que é algo grave? Ou...

Espera, meu irmão sabe que eu estou aqui?

Ah, caramba, eu estou mais encrencado do qie pensei.

A porta abriu.

Rapidamente olhei de forma curiosa, me surpreendendo.

Era uma garota

- ... - fiquei quieto por alguns momentos, para dar a chance para mim mesmo fe reconhece-la, mas nada a fazia ser familiar pra mim. - Quem é você? - a seriedade já tomava conta do meu olhar.

- Ah... - Seus cabelos eram um pouco compridos e lisos, totalmente negros, sua pele Branca era incrivelmente única. - Ah... Foi mal, eu não ... Argh! Esqueça. - ela veio até mim, apressada. - Era pra ser uma surpresa, mas deixa pra la, eu deveria ter sido mais discreta.

- Quem é você? - perguntei, forçando mais o olhar. - Por que fala comigo desse jeito? Eu não te conheço.

- Ah, você me conhece sim, Bill. - E então, ela da um sorriso doce, movendo sua mao para perto do meu rosto, eu acabo nem a percebendo com a intensidade de seu olhar sobre mim.

Senti a mesma pausar sua mão sobre minha testa.

Demorou, mas eu finalmente havia lembrado.

Obviamente, me deu um arrepio pelo corpo todo, eu havia me assustado bastante com aquilo, afinal, era uma grande surpresa.

- ... - Comecei então, a encara-la com a mesma intensidade que mesma olhava para mim, conseguindo de modo óbvio, notar seu doce sorriso, que simplesmente aumentou com esse gesto meu. - E... Espera...

- Wowiie, o meu anjinho finalmente lembrou? - ela perguntou, brincalhona.

Eu ainda não podia acreditar.

Era realmente ela?!

- Stella?


. . .


- Bill, espera. - Ele firma sua mão com a minha, me impedindo de andar, e me encarou bem curioso.

- O que houve?

- ...

Ele me aproximou, escondeu as mãos no bolso do sobretudo, abaixando o olhar.

- Não é hora para falar disso... É que.. Eu sei que sou uma criança ainda pra você, e você merece a melhor pessoa do mundo pra te fazer feliz e tal. - Ele comeca a explicar com um sorriso triste. - Então me desculpa.

- ... Pelo que? - perguntei.

- ...

- Dipper?

- Eu acho que estou gostando de você.

Nessa hora, não soube muito bem o que sentir. Era uma pequena mistura de surpresa com medo, eu não sabia o que falar a respeito disso.

- ... - Fiquei em silêncio por alguns momentos, o observando apenas com a cabeça baixa. - Como assim? Tem certeza?

- Acho que sim. - Ele responde, sem mover um músculo.

- O seu " Acho que sim " Não me convence, Dipper. - Respondi.

- Então... Que tal um " tenho certeza " ? - Ele levanta o rosto para mim, suas bochechas estavam realmente avermelhadas.

- ...

- Desculpe, eu precisava falar, eu não tava aguentando ter isso preso só pra mim. - ele diz.

- Dipper. - o chamei.

- Não, não se preocupe, não preciso de uma resposta... Pelo menos, ainda não. - ele diz

- Não, é que... Você sabe, por mais que... eu tenha mudado um pouco graças a você, eu ainda não sei muito sobre esses tipos de sentimento de amor ou algo assim. - respondi, tentando me justificar. - E por isso, eu não sei o que falar pra você agora..

Ele apenas me encarou.

- ... Eu tive uma ideia. - Ele se aproximou alguns passos. - Daqui a alguns dias, provavelmente uma semana... Eu vou te perguntar algo. - Ele me encara fixamente. - Quando eu perguntar, você terá que ser o mais sincero comigo. Entedeu?

- Mas...

- Não importa se você for insensível ou algo assim, o que você quiser falar, você irá falar. Sem pensar em substituir palavras ou significados, sem se preocupar, você não vai poupar nada! - Suas palavras eram tão... Firmes, me surpreendiam bastante, até.

- ...

- Anda, vai, diz que vai fazer isso.

- Bem... - comecei. - Já que isso vai te fazer se sentir seguro, ou algo assim... Tudo bem, eu o farei.

Ele sorri.

Acho que era isso mesmo que eu queria.

  Ver seu sorriso.


Notas Finais


Comentários são fodas
Comente
Isso aí
Ah, tá aqui aquele imagine:
https://spiritfanfics.com/historia/perfeito-ate-demais-9934005
Dêem uma olhadinha
Ate o prox capítulo mores


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...