História Apenas um Serial Killer - Capítulo 1


Escrita por: ~

Postado
Categorias Ailee, Bangtan Boys (BTS), F(x), Jay Park, Sistar
Personagens Amber Liu, Jay Park, Soyou, Suga
Tags Bts, Jay Park, Serial Killer, Sistar, Terror, Yaoi
Exibições 41
Palavras 1.073
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Ação, Crossover, Drama (Tragédia), Famí­lia, Hentai, Luta, Musical (Songfic), Romance e Novela, Suspense, Terror e Horror, Violência, Yaoi
Avisos: Álcool, Canibalismo, Cross-dresser, Drogas, Estupro, Insinuação de sexo, Linguagem Imprópria, Mutilação, Nudez, Sadomasoquismo, Sexo, Suicídio, Tortura, Violência
Aviso legal
Os personagens encontrados nesta história são apenas alusões a pessoas reais e nenhuma das situações e personalidades aqui encontradas refletem a realidade, tratando-se esta obra, de uma ficção. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos, feita apenas de fã para fã sem o objetivo de denegrir ou violar as imagens dos artistas.

Notas do Autor


Olá seres liendos da minha life♡
Haha o primeiro Cap ta meio Zzz pois é o início apenas. Mas a partir do 2/3 irá começar a ficar mais animado okay?Okay ^^

Capítulo 1 - Vingança


Fanfic / Fanfiction Apenas um Serial Killer - Capítulo 1 - Vingança

                  》 CHICAGO - E.U.A
                       Dia 24 de Outubro de 1992

   Park Jaebeom  um menininho de  5 anos de idade que morava juntamente à sua mãe divorciada desde seu 1 ano de idade. Um menino completamente feliz, sorridente e um amor com todos...
                   Mas em um certo dia ele estava no quintal dos fundos de sua casa brincando como sempre fazia, e sua mãe na cozinha fazendo seu lanche, leite com biscoitos, até que ouço  alguns barulhos estranhos vindo de lá de dentro, e decido entrar para ver o que estava havendo.  Quando chego na porta da cozinha vejo um homem alto e moreno indo para cima de minha mãe com uma faca acertando em seu peito fazendo com que a mesma caísse no chão. Mas mesmo sendo um menino acabo agindo por impulso e vejo que os talheres estavam todos esparramados pelo chão, alcanço uma faca e fui sorrateiramente até aquele homem que vasculhava cada centímetro da cozinha, e o acertando pelas costas uma  vez, quando o homem mesmo ensanguentado saía pela porta dos fundos me encarando fui correndo abraçar minha mãe.
                -Mamãe você vai ficar bem?   Promete não me abandonar? *abraçado à ela chorando*
  -Meu pequeno... *falava ela com uma voz baixa e meiga que só ela tinha e passando sua mão em meus cabelos escuros* a mamãe promete que vai cuidar de você está...b-bem? T-te A-Amo, s-se c-cuida...
  - Também te amo m-mamãe *chorando e à abraçando com força já sem vida* e-eu p-prometo que vou caçar ele, por todo lugar
                     Alguns minutos depois disso a vizinha apareceu em casa com o barulho e ligou para a polícia, fizeram tudo lá e levaram minha mamãe embora para um carro preto, e logo depois uma mulher loira veio e me abraçou e me levou para outro carro, dizendo que iria cuidar de mim, e que eu teria muitos amiguinhos. Mas não queria aquilo, eu só queria achar aquele homem que tirou minha mãe de mim.
      
                    DIA 13 DE MARÇO DE 1997
           》Orfanato

                  Eu já morava em um orfanato a 5 anos, e sempre saía crianças e entravam crianças. As mulheres que cuidavam dela me chamavam de capetinha, pois desdo dia que eu entrei lá,fiz da vida de todos um inferno. ~acho que deve ser por isso que nunca fui adotado~ Não tinha muitos amigos lá, acho que só tinha uma amiga que entrou lá no mesmo dia que eu à Kang Ji Hyun. Ela me tratava igual minha mãe, sempre que fazia algo ela conversava comigo e me ajudava. Mas teve uma vez que eu quase a perdi. Um casal Japonês decidiu querer adota-lá, mas eu não queria a perder, então decide dar um jeito de fazer eles irem embora e não a levarem de mim. Minha ideia havia até que dado certo, o problema foi que o homem caíu e cortou a cabeça. Mas desde então nunca mais o vi.
                     Minha amiga disse que iria me ajudar a procurar aquele homem, e todos os dias depois do Colégio eu e ela saíamos pela cidade a procura dele, mas nós nunca o achamos. E aquilo me deixava completamente furioso, aonde aquele homem repugnante poderia estar? Mas não iria desistir de acha-lo, eu irei procura-lo por todo canto.
                Alguns anos já aviam se passados e eu ainda não tinha notícias dele. Mas em compensação no dia seguinte seria meu aniversário e eu iria fazer 15 anos, tinha tudo para ser um bom dia bom, até que fomos avisados que o orfanato seria fechado e alguns  e que  alguns de nós iria para a  Coréia do sul, México e Brasil, àquilo me deixou muito irritado, se aqui eu já não achava aquele homem quem dera estando longe?  E não queria me separar dela, mas por sorte acabamos tendo que ir para a Coréia do Sul.
              Nós iríamos viajar no dia do meu aniversário, então já fomos arrumar as malas e conversamos bastante sobre o que faríamos. No dia seguinte logo cedo, uma vã venho ao orfanato para nos buscar para irmos ao aeroporto, e assim que chegamos lá o nosso vôo estava chegando então decidimos andar um pouco e quando estávamos indo pegar algo para comer um homem esbarra em mim, e quando o olho por relance vejo que era aquela homem.
  - Será que é ele? *dizia ela me olhando*
  - Acho que não, ele não era corcunda e nem manco.
                      Alguns minutos depois o nosso avião já tinha chegado, fomos entrar e procurar nossos acentos. Assim que achamos nos sentamos e vi aquele homem de novo e o mesmo sentou na poltrona do outro lado do corredor do meu lado, olhei fixamente a ele e me segurei para não fazer nada. Fui a viagem inteira o observando, não deixava escapar nem um piscar de olhos dele. Logo que o avião pousou me despedi da Soyou e disse para ela me avisar aonde era o orfanato que depois eu iria para lá. Assim que o homem passou por mim comecei a segui-lo discretamente por todo o canto naquela cidade nova, marquei todos os lugares que ele foi naquele dia, e por fim o hotel na qual ele estava ospedado, ao cair da tarde fui até o orfanato é guardei minhas coisas junto com as anotações.
               No dia seguinte assim que o sol nasceu me levantei e fui até a porta do Hotel em que ele estava e fiquei lá o esperando mais ou menos umas 3 horas. Quando avistei ele saindo dela indo rumo a uma cafeteira ao lado do Hotel, segui ele até lá e me sentei na mesa atrás dele, ele ficou lá por uns 20 minutos e depois saiu e eu fui atrás,  andamos um pouco, ele pegou o metrô para um bairro vizinho Namsan, ele andou um monte, visitou bastante pontos turísticos e por fim foi à uma joalheria, fiquei no lado de fora o olhando pelo vidro.
                Não dava para ver direito oque estava havendo lá dentro, mas  o que eu pude ver foi que esse homem entregou ao joalheiro um lindo medalhão de prata em formato de coraçõe. Eles conversaram um pouco e o homem saiu da loja e foi para o banco. Logo depois ele voltou para o metrô rumo à Gangnam novamente e ele foi para o hotel e eu ao orfanato...

    》Até a próxima  ㅇ.ㅇ


Notas Finais


Oe de novo pessoas... E ae oque acharam dessa partinha? Aceito tudo visse.
Me perdoem pelos erros fiquei com preguiça de terminar de corrigi-Los hahaha mas tirando isso fiz de ♡ tirei essa ideia loca aí por conta desse negócios de palhaços aqui no Brasil 》 socorro 《 mas né... Bye, segunda-feira eu volto^^


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...