História Apenas uma Fã - Capítulo 16


Escrita por: ~

Postado
Categorias Justin Bieber, One Direction
Personagens Harry Styles, Justin Bieber, Liam Payne, Louis Tomlinson, Niall Horan, Personagens Originais, Zayn Malik
Tags Cantor, Casamento, Família, Filhos, Harry Styles, Musica, Sexo
Exibições 368
Palavras 1.414
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Colegial, Crossover, Drama (Tragédia), Famí­lia, Festa, Ficção, Hentai, Policial, Romance e Novela, Shoujo (Romântico), Violência
Avisos: Álcool, Heterossexualidade, Insinuação de sexo, Intersexualidade (G!P), Linguagem Imprópria, Mutilação, Nudez, Sexo, Tortura, Violência
Aviso legal
Os personagens encontrados nesta história são apenas alusões a pessoas reais e nenhuma das situações e personalidades aqui encontradas refletem a realidade, tratando-se esta obra, de uma ficção. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos, feita apenas de fã para fã sem o objetivo de denegrir ou violar as imagens dos artistas.

Notas da Autora


boa leitura :)

Capítulo 16 - Dezesseis


Fanfic / Fanfiction Apenas uma Fã - Capítulo 16 - Dezesseis

P.o.v's Harry Styles

Eu acordei com o sol adentrando o local. Eu passei a mão do meu lado, e não senti o corpo de Emanuele, e automaticamente, abri os olhos, vendo a menina na ponta da cama, com um short preto e com a mesma blusa de mangas, e descoberta. Ela estava tão perto da ponta da cama, que se ela rolasse mais um pouco, caía da cama. Quando essa menina trocou de roupa? Eu dei uma última olhada nela, e me levantei. Peguei meu celular. Tinha algumas mensagens da minha mãe. Respondi a mesma e fui para o banheiro, onde fiz as minhas higienes matinais. Eu vesti as minhas roupas, e sai do quarto, dando uma última olhada na menina, que ainda dormi calmamente. Eu desci as escadas, e assim que eu me aproximei da porta da cozinha, e pude escutar um choro baixo, entrei no mesmo, vendo Noemi olhando algumas fotos antigas.

- Tá tudo bem aqui?-perguntei me sentando ao lado dela, que me encarou, e deu um sorriso.- O que aconteceu? 

Ela limpou as lágrimas, e encarou uma foto, que deveria ser da Manu. Uma menina de uns cinco anos de idade, ruiva, com Marias chiquinhas, e um sorriso no rosto, segurando um picolé ITU. A menina estava de mãos dadas com uma mulher, que deveria ser a Noemi, que olhava sorrindo fixamente para menina.

- A, Harry, eu deveria ter ficado com ela, cuidado dela, feito parte da vida dela, não deveria ter deixado o tempo passar, e querer recuperar tudo agora.-disse ela, guardando a foto, e pegando outra.- Sabe? Eu deveria ter sido uma mãe melhor, mas eu não fui, mas eu vou ser melhor, a partir de hoje.-disse ela sorrindo.- Eu só preciso começar a organizar o aniversário de dezoito anos dela.

Aniversário? Dezoito anos?

- Ela vai fazer dezoito anos?-perguntei a encarando, e ela assentiu.- Jesus, eu preciso comprar algo para ela.-disse me levantando, e ela também.- Quando é o aniversário dela?

- Daqui uma semana.-disse indo até a porta. UMA SEMANA?- Mas acalme-se Harry, a sua presença já e o suficiente para ela.

P.o.v's Emanuele Riachuelo

Eu acordei com o meu celular vibrando, peguei o mesmo, ainda sonolenta, e olhei a mensagem, era de Sabrina. Eu apenas ignorei, acabei de acordar, e nem os olhos estou conseguindo manter abertos. Eu me sentei na cama, e prendi os meus cabelos em um coque. Eu pus os meus pés para fora da cama, e me levantei. Caminhei até o meu roupeiro, onde peguei peças íntimas, e uma roupa,[1]. Eu caminhei para o banheiro, onde me enganei. O rosto levemente vermelho, e uma cara de fracassada e derrotada. Eu tentei sorri, mas não consegui. Eu abri a gaveta que tinha ali perto, e vi meu estilete, meu querido estilete. Eu não pensei duas vezes antes de passar o mesmo sobre a minha pele. O sangue começou a pingar, e a sensação de alívio tomou  conta do meu corpo. Eu escutei passos vindos do corredor, e imediatamente, eu encostei a porta.

- Manu?-era Harry.- Tá no banheiro?

Eu respirei fundo, e liguei o registro.

- Tô.-disse retirando a minha roupa.- Mas não demoro.-eu entrei debaixo da água, e deixei a mesma escorrer pelos meus cabelos. A água entrava em contato com os meus cortes feios a poucos minutos atrás, e ardia um pouco, mas nada que eu não posso aguentar. Eu terminei de tomar meu banho, e me vesti. Eu balancei meus cabelos, fazendo eles darem uma secada rápida. Eu passei um batom rosa, rímel, desodorante, perfume, e pronto, eu estava arrumada. Eu abri a porta, vendo Harry sentado na cama.- Bom dia.-disse me sentando na penteadeira.

- Bom dia.-disse se aproximando. Harry depositou um beijo no meu pescoço, fazendo meu corpo se arrepiar.- Cheirosa hein?!-disse ele, que se sentou ao meu lado na penteadeira.- Então benzinho, o que deseja fazer?

Eu dividi os meus cabelos, e encarei Harry pelo espelho.

- O que acha, de passarmos o dia com a sua mãe e sua irmã?-perguntei, vendo ele sorri, e depois o sorriso sumir.- O que foi baby?-e novamente ele sorriu.

- Já pensou em dá uma segunda chance para sua mãe?-eu o encarei, e voltei a fazer os dedinhos no meu cabelo.- É sério Emanuele, a sua mãe realmente se sente mal por não ter vivido junto a você, ela se arrepende. Só para você imaginar, eu vi ela chorando com fotos suas de quando era criança, mas ao mesmo tempo sorria. Sabe por que?-eu o encarei, e vi que ele estava sério.- Porque ela te ama, igual a mim.-disse ele, e eu sorri.

O meu sorriso aumentou, e ele escondeu o rosto, percebendo o que tinha dito.

- O que foi que você disse Edward?-perguntei o encarando.

- Eu?-se fez de sonso.- Não disse nada Riachuelo.-ele beijou o topo da minha cabeça.

- Admita Harry, você disse primeiro.-disse dando um leve beijo nele, ele sorriu. Eu terminei de fazer o meu cabelo, e me levantei. Será mesmo que a minha mãe que mudar? Será mesmo que ela se arrepende de tudo o que me fez? Será mesmo que eu tenho que perdoá-la?. A minha cabeça estava uma bagunça. Harry pegou no meu pulso, e me puxo, me fazendo sentar em seu colo.- Poderia por gentileza soltar os meus pulsos?-perguntei tentando driblar a dor.

Ele me encarou, e me beijou.

- Por que deveria solta-lá?-perguntou dando beijos no meu pescoço.- Me de um ótimo motivo Emanuele, quero que me convença.-disse ele. Ele estava apertando os meus pulsos, e eu podia sentir que eles estava a um ponto de sangrar.

Eu dei um gemido baixo, e excitante para Harry, no momento em que ele deu uma mordida no lóbulo da minha orelha.

- É sério Harry, por favor, me solta, está me machucando.-está frase saiu mais como um gemido. Ele soltou os meus pulsos e me encarou, e logo em seguida desceu as mangas da minha blusa, revelando os meus cortes. Eu pude ver a tristeza em seu olhar.

Ele suspirou e me encarou.

- A quanto tempo faz isso?-ele foi extremamente objetivo. Eu não respondi, apenas desviei o olhar. Harry levantou a minha cabeça, e me olhou bem nos meus olhos, como se pudesse ler a minha alma.- A quanto tempo faz isso?-tornou a perguntar.

Eu suspirei, e o encarei.

- Há uns bons anos.-disse ele me encarou novamente.- Acho que desde dos meus quatorze anos.-ele me olhou surpreso, e suspirou. Encostou as nossas testa. Harry passou as mãos dele pela minha cintura, e puxou o meu corpo contra o dele.

- Por que faz e fez isso?-perguntou ele, fechando os olhos, e passando levemente a sua mão pela minha coluna vertebral.- Me diga Emanuele, por que? Por que se feri?

- Por vários motivos.-disse fechando os olhos também.- Nunca tive uma família presente, amigos verdadeiros, ninguém, sempre foi só eu.-eu suspirei, e ele me apertou novamente.- Então eu fazia isso, pois me deixava calma, e fiz isso hoje, pois estava me sentindo uma fraca,e inútil, fiz para ficar bem comigo mesma.-disse, deixando algumas lágrimas escorrerem pelo meu rosto.

- Por que não buscou ajuda?-perguntou ele, e eu dei uma risada.- Por que está rindo? Estou falando sério.

- Para que? Dizerem que era apenas frescura de menina rica e mimada, que eu só estava tentando chamar a atenção?! Não eu não queria, e não quero isso para mim, eu só preciso de um tempo para pensar sozinha, no meu canto, preciso organizar tudo dentro da minha cabeça. Eu só preciso de tempo.

- Já ficou alguma vez sem se cortar?-perguntou ele, e eu assenti.- Quantos meses ou dias?

Eu suspirei, separando a minha testa da dele.

- Trinta dias.-ele me encarou.- Fazer o que? Foi o tempo que eu consegui ficar sem me feri, e esses trintas dias, foram os que eu fiquei aqui.-disse me levantando.- Agora vamos mudar de assunto, não íamos passar o dia com a sua mãe e irmã?-disse estendo a minha mão.

Ele deu uma última olhada em mim,  pegou na minha mão.

- Eu sempre estarei aqui, conte comigo para tudo.-disse colando os nossos corpos.- Eu e você vamos consegui passar por cima disso, entendeu?-eu apenas assenti.- Eu preciso de total confiança, então, sempre que tiver uma recaída, me conte, eu vou precisar saber de tudo.-e novamente eu assenti.

Harry me abraçou, apertando o meu corpo. Eu estava bem, ele estava me passando a segurança que eu não tinha a muito tempo.

Continua... 

 


Notas Finais




Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...