História Apenas uma Fã - Capítulo 6


Escrita por: ~

Postado
Categorias Justin Bieber, One Direction, Zayn Malik
Personagens Harry Styles, Justin Bieber, Personagens Originais
Tags Casamento, Família, Filhos, Harry Styles, One Direction, Sexo, Traição
Visualizações 1.492
Palavras 1.048
Terminada Sim
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Colegial, Crossover, Drama (Tragédia), Famí­lia, Ficção, Policial, Romance e Novela, Saga, Shoujo (Romântico), Violência
Avisos: Álcool, Heterossexualidade, Insinuação de sexo, Linguagem Imprópria, Mutilação, Nudez, Sexo, Tortura, Violência
Aviso legal
Os personagens encontrados nesta história são apenas alusões a pessoas reais e nenhuma das situações e personalidades aqui encontradas refletem a realidade, tratando-se esta obra, de uma ficção. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos, feita apenas de fã para fã sem o objetivo de denegrir ou violar as imagens dos artistas.

Notas do Autor


Então meus bebês, trouxe para vocês mais um capítulo; espero que gostem. 😊

Capítulo 6 - Capítulo VI


Fanfic / Fanfiction Apenas uma Fã - Capítulo 6 - Capítulo VI

Capítulo VI 

LIAM

Estava terminando de arrumar tudo. Noemi e Emanuele estavam chagando daqui a pouco. Os meninos estavam aqui, iriamos fazer uma surpresa para Emanuele, como ela gosta muito do One Direction, nada melhor do que os cinco cantando, dentro do novo quarto dela.

Harry estava inquieto; estava andando de um lado para o outro, como ele conversava com ela todos os dias, seria a primeira vez que eles se veriam, e ele estava uma pilha de nervos. Harry e Louis estavam segurando os violões.

Eu escutei o barulho da porta sendo aberta, e logo depois vozes. Eram as vozes do meu pai e de Noemi, e bem no fundo, uma voz feminina mais suave, deve ser a Emanuele.

—  Eles chegaram, tudo está certo, né? - perguntei os encarando, eles assentiram —  Ótimo. Harry você vai estar atrás da sacada, e assim que ela abri a porta, e a gente começar a cantar, aí você entra.

—  Tem certeza disso Liam? Estou preocupado. - pronunciou ele, deixando estampada a sua cara de preocupação —  Eles tão mais próximos, alguém me socorre, por favor.

—  Tenho. Agora vai, Styles! - disse o empurrando —  Todos em seus devidos lugares, por favor.

MANU

Minha mãe e Charles estavam me mostrando tudo, me encontro maravilhada com tudo.

As paredes brancas com prata, algo muito chique. Estamos subindo as escadas, e pude notar nas paredes, que tem fotos minhas e do Liam quando menores. Eu estava ansiosa, mistura de medo com ansiedade estavam percorrendo as veias do meu corpo. Chegamos em um corredor, e neste corredor todas as paredes são caramelo com dourado. No final do corredor tem uma porta em tom rosa indo para o lilás, olhei para minha mãe, e ela disse um: ''Vai, estou ansiosa, tanto quanto você''.

Criei coragem e caminhei até a porta em passos inseguros, assim que parei na mesma, pus a mão na maçaneta, e logo a girei. Assim que a porta se abriu, eu quase caí para trás. Senti as minhas pernas bambas, sem reação para dá um passo a frente ou um passo para trás, e os meus olhos também se encherem de lágrimas. Uau!

—  HELLO, EMANUELE. - gritaram os quatro presentes no quarto.

Eles contaram até três, e começaram a cantar e tocar History. Eu senti lágrimas já formadas escorrerem pelos meus olhos; olhei para a sacada, e vi um ser de cabelos cacheados entrando no quarto.

Eu dei um largo sorriso, involuntariamente, comecei a cantar com eles, que sorriram para mim. Eu senti uma mão em meu ombro, era minha mãe. Eles continuaram cantando, enquanto eu estava tendo pequenos ataques. Assim que acabaram, eles colocaram os violões em cima da cama de casal, que na parede de trás tinha a foto do último álbum deles juntos. O primeiro e vir falar comigo foi Liam.

—  Emanuele, você é muito mais bonita é fofa pessoalmente. - disse ele, eu não conseguia falar nada —  Não vai dizer nada, huh?

—  Posso te dar um abraço? - perguntei rindo – de nervoso, óbvio –, e com as lágrimas escorrendo pelo meu rosto.

Liam não respondeu, apenas me abraçou. Por cima dos ombros dele, eu pude ver Zayn, Naill e Louis se aproximando, e logo se junto a nós dois, em um abraço coletivo.

Harry estava encostado na parede e olhava a cena. Mesmo estando naquele momento com os meninos, eu estava fitando os olhos verdes do cacheado. Ele me deu um sorriso e se aproximou. Os meninos me soltaram, e encararam o meu rosto. Eles eram muito mais perfeitos de perto.

—  Será que agora, eu posso dá um abraço nesta ruiva, huh? - perguntou Harry sorrindo. Ah, é agora que eu morro! Quê sorriso, Senhor. —  Posso, Manu?

—  Claro! - disse e abri os braços. Harry se aproximou, e me pegou no colo, fazendo com que as minhas pernas rodeassem a sua cintura.

Como eu esperei por esse abraço. Harry estava me apertando contra seu corpo, e eu podia sentir o seu coração contra o meus seios. Meus olhos estavam cheios de lágrimas, e as mesmas estavam encharcando a blusa dele. Eu me afastei de seu corpo, mas não desci do seu colo. Encarei seus olhos verdes, e dei um sorriso, e ele retribuiu. —  Você é muito mais bonito pessoalmente. - disse, e logo em seguida pude sentir as minhas bochechas queimarem de vergonha.

Ele sorriu, e me abraçou mais uma vez.

—  Você também ruivinha, você também. - disse ele, perto do meu ouvido.

(...)

Já estava há noite, eu estava no banheiro do meu novo quarto, que e todo decorado com lilás e verde água.

Um lindo sorriso estava presente no meu rosto. Me olhava no espelho. Sorriso, uma coisa que eu não via a tanto tempo, ainda mais um verdadeiro. Eu me vesti, um shorts de pano preto, com uma blusa de mangas longas, com o número 92 na frente.

Saí de dentro do banheiro, e me dei de cara com uma vista linda. O céu de Londres estava estrelado, com uma lua cheia. Caminhei em direção a sacada, onde sentei na cadeira que ali tinha. Escutei a porta do quarto sendo aberta, e a figura de Liam aparecendo com uma bandeja no quarto.

—  Seu jantar, mocinha. - disse colocando a bandeja em cima do criado mudo —  Não desceu para jantar, ficamos preocupados; lhe garanto que você perdeu uma comida ótima. - disse ele se sentando ao meu lado, com um pequeno sorriso em seus lábios bem desenhados —  Por que está de blusa de frio? Está calor.

Droga! Ele tem razão.

—  No Brasil, onde eu morava, fazia frio a noite então eu me acostumei. - disse puxando as mangas da blusa —  É muito obrigada por trazer a minha comida, não precisava, não estou com fome, por isso não desci.

Ele levantou uma sobrancelha, e direcionou o seu olhar para as mangas da blusa. O meu olhar imediatamente foi para o mesmo, estava sangrando. Burra, como você é burra Emanuele! Os cortes haviam sidos feitos antes de sair do banheiro; não eram de tristeza, e sim de felicidade.

Bem, eu realmente passei a me cortar por todos motivos, sejam eles felicidade, raiva, tristeza, é etc.

—  Sues pulsos estão sangrando por que? - perguntou ele.

Não quero falar, cheguei aqui não tem nem 24 horas, e pelo visto, eu já arrumei problemas.


Notas Finais


O capítulo foi curtinho, eu sei, mas em minhas defesa eu alego quê: estava muito ansiosa para poder postar este capítulo, e que eu não aguentaria esperar até amanhã. 😊
Espero que vocês gostem, é ah, me digam o que vocês estão achando da história.

//beijo meus xuxus. 💕


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...