História Apenas uma noite. - Capítulo 1


Escrita por: ~

Postado
Categorias Tokio Hotel
Personagens Bill Kaulitz, Tom Kaulitz
Tags Billxtom, Kaulitzcest, Sexo, Twc, Yaoi
Visualizações 82
Palavras 1.730
Terminada Sim
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Ficção, Musical (Songfic), Universo Alternativo, Yaoi
Avisos: Bissexualidade, Homossexualidade, Incesto, Linguagem Imprópria, Nudez, Sexo
Aviso legal
Os personagens encontrados nesta história são apenas alusões a pessoas reais e nenhuma das situações e personalidades aqui encontradas refletem a realidade, tratando-se esta obra, de uma ficção. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos, feita apenas de fã para fã sem o objetivo de denegrir ou violar as imagens dos artistas.

Notas da Autora


Essa fic é dedicada a uma amiga minha, que ficou me infernizando diga-se de passagem, JOLEANA! Te amo paiaça! Aproveite =}

Capítulo 1 - Capitulo único


E pra matar a tristeza

Só mesa de bar

Quero tomar todas

Vou me embriagar

Se eu pegar no sono

Me deite no chão

 

A musica ecoava pelo prédio fétido de esquina, ele via uma ou duas mulheres dançando, ou se arrastando pelo frio chão de cimento encardido pela poeira e o péssimo abito de não ser esfregado. Tom era um homem alto no auge dos seus 27 anos, pensara em sair um pouco, se divertir, e no meio da noite encontrar uma bela bunda para foder; primeiro ele foi até uma balada, aquela de musica eletrônica porém o perfume barato, e o vestido tubinho de todas as mulheres o enojava, era sempre o mesmo, belas bundas e um belo par de seios mas nunca se esforçava na cama parecia que o homem tinha que ser feliz em apenas ser o privilegiado de colocar os dedos dentro na vagina da mulher, ele estava cansado disso ele queria algo diferente, alguém diferente.

 

Garçom, eu sei

Eu estou enchendo o saco

Mas todo bebum fica chato

Valente, e tem toda a razão

 

Tom estava perdido em pensamentos quando aquele jovem rapaz entrou, a beleza exótica daquele homem fazia um estranho, porém belo contraste com o bar. Era no mínimo curioso que aquele jovem estava em um local como aquele, sua pele leitosa e brilhante ficava quase doentia com a iluminação precária do estabelecimento, seus olhos castanhos delineados por um forte delineador preto contrastava com o belo cabelo preto e suas ponta esbranquiçada, seu corpo emoldurado pelas roupas coladas que acentuavam suas belas curvas deixando com um corpo felino, sexy e muito fodível, sua boca, ah sua boca delineada com um leve brilho labial vermelho estava sendo deliciosamente lambida pela língua daquele homem deixando transparecer a bolinha prateada do piercing na língua.

 

Garçom, mas eu

Eu só quero chorar

Eu vou minha conta pagar

Por isso eu lhe peço atenção

Sem prestar muito atenção no que estava fazendo Tom se levantou da sua mesa pegou sua cerveja e se dirigiu até onde o jovem rapaz estava sentado e se pôs a conversar com o rapaz que ele descobriu que se chamava Bill e tinha o seus 18 anos de idade, que adorava musica e moda, para ser sincero Tom já estava se cansando da conversa e sem nem se importar com os bêbados que estavam no local pegou o pescoço de Bill com certa brutalidade e o beijou sendo retribuído de prontidão.

 

Saiba que o meu grande amor

Hoje vai se casar

Mandou uma carta pra me avisar

Deixou em pedaços meu coração

 

__Vem eu conheço um lugar- Disse Tom se levantando e guiando Bill para o carro.

 

Os dois entraram no carro e logo Tom foi dando partida. Bill estava com um sorrisinho malicioso desafivelou o cinto de segurança e levou sua mão ao pênis ainda encoberto pelo tecido grosso da calça jeans do mais velho, e começou acariciar por cima do tecido, quando sentiu que o pinto estava meia bomba, o moreno mais novo retira o pinto grosso e leva a boca fazendo o movimento de sucção.

__MEU DEUS! Você é uma putinha, hein?-Disse Tom enquanto dava um tapa na bunda arrebitada do menor que rebolava enquanto chupava a rola do barbudo.

 

Tom dirigia o mais rápido que conseguia, mas era meio complicado se concentrar com aquela boca aveludada em seu mastro e ouvindo o menor gemer baixinho enquanto bombeava 3 dedos dentro do seu cuzinho. As duras penas Tom conseguiu chegar ao motel “Brilhantina”, falou qualquer coisa para o atendente e foi para o estacionamento e logo correu para o quarto que havia pedido.

Os dois morenos estavam entrelaçados ainda no corredor, quando Tom meio sem folego pediu para que o menor parasse para que pudesse abrir a porta. Assim que os dois entraram dentro do quarto Bill se ajoelhou e retirou totalmente a calça do menor e começou a mamar o mastro do mais velho.

__Meu Deus eu poderia gozar só com essa boquinha, mas nós dois sabemos que isso acabaria com a noite não é mesmo pequeno Bill? Não podemos deixar que isso aconteça, não é mesmo? Não, afinal tem um certo buraquinho guloso essa noite. Diga-me Bill o seu cuzinho está piscando? Ele está piscando pela minha rola?

Tom perguntava enquanto o menor ainda chupava gemendo com as palavras do outro.

__Anda Bill eu não fiz uma pergunta retórica!-Disse Tom enquanto agarrava os cabelos do outro e ouvindo um leve pop da boca soltando o pau ereto.

__Sim Tom! Sim, eu estou excitado, quero seu pau dentro de mim, o quero me fodendo como se não houvesse amanhã, quero que ele fode meu cuzinho.

Sem muitas palavras o menor voltou ao seu trabalho que estava realizando antes de ser interrompido pelo barbudo.

_Chega! Eu ainda quero me enterrar dentro de você- Disse Tom parando e olhando para baixo e observando a bela face suada do menor, seus lábios vermelhos e inchados ligando uma fina linha de saliva entre sua glande e a boca denunciando o ato sexual que estava realizando- Quero que tire a roupa... Lentamente, como uma boa putinha que sei que você é.

Assim como foi pedido, Tom foi até a cama retirando a única pesa de roupa que estava em seu corpo e jogando em um canto qualquer do criado mundo, o homem de 27 anos se sentou na cama com o seu pênis orgulhosamente batendo um pouco abaixo de seu umbigo.

Assim que o homem mais velho estava confortavelmente deitado, Bill começou a retirar as peças de roupa uma por uma, a jaqueta, blusa, cinto, calça e por ultimo a cueca branca que acentuava a leve mancha do pré-gozo e seu pau totalmente ereto.

__Mas olha que safadinho, já está querendo gozar. Mas a gente ainda nem começou direito Bill.- Tom falava enquanto se masturbava.- Vem cá. Mas vem direito, você é uma cadelinha gulosa e tão acha como tal.

Bill submissamente se pôs de quatro e começou a “caminhar” para cama mordendo o lábio e olhando para a bela rola que estava a poucos metros de distancia.

__Será que eu vou poder fazer o que eu quiser com o brinquedo favorito do meu dono?- Perguntou Bill Subindo na cama e se sentando no abdômen de Tom, perto demais do membro do outro, sabendo disso o moreninho começou a esfregar a sua bunda na glande do rapaz ganhando um gemido sôfrego do mais velho.

__Não me provoca pirralho! E não sou igual os pirralhinhos que você deu essa bunda e encheu seu cu de porra com uma única bombada no seu rabo! Eu vou de foder até o seu cuzinho ficar todo vermelho e inchado de tanto eu enfiar a minha rola em você, e sabe o que é melhor? Você vai implorar pelo meu pau a noite inteira, vai ficar todo doloridinho mais vai implorar pelo meu pau fodendo esse seu buraquinho sujo. –Disse Tom agarrando ao pescoço do menor sem machuca-lo.

__Então me mostre do que é capaz... Velho!-Disse Bill com um sorrisinho malicioso.

__Eu vou te mostrar quem é o velho!

 

Virando o menor de cima Tom começou a beijar o pescoço branco do menor e descendo pelo abdômen parando para circular o umbigo com a língua. Quando Tom chegou ao pinto ereto do menor, ao invés de chupa-lo como o moreninho esperava Tom o virou bruscamente deixando que sua bunda arrebitada estivesse, literalmente, na cara do Tom que estava causando pequenos espasmos de prazer com a sua barba roçando a pele quente da bunda.

 

__Separa a bunda puta!-Disse Tom dando um sonoro tapa que logo ganhou a cor avermelhada.

Sem se quer excitar Bill levou suas mãos para bunda separando dando a Tom a visão do seu buraquinho piscando de tesão.

__Olha só, alguém está com vontade hoje. - Disse Tom levando seus dedos até anus e enfiando um dedo ganhando um leve arquear da coluna do menor- Ainda não, esse é o seu castigo por ter me chamado de velho.

Bill choramingou um pouco mas nada disse, mas assim que sentiu um hálito quente em seu cu e sentiu a língua experiente de Tom saboreando em um maravilhoso beijo grego, Bill não conseguiu e soltou um sonoro ‘OH”

 

Ficaram nessa brincadeira por mais ou menos uma hora, Bill já não aguentava de tanto tesão, ele precisava sentir o maior dentro de si.

__Oh Tom, por favor me fode! Eu não aguento mais, eu preciso de você.

 

Tom que estava com 3 dedos dentro cuzinho aveludado do menor, retirou levemente apreciando o canal se contrair e quase se fechar por completo. Tom saiu rapidamente da cama foi em direção a cômoda pegar o lubrificante e passando uma generosa camada do gel em sua pica.

__Preparado Bill?- Perguntou o maior com a cabeça do seu pau apontando para a entrada do cu rosado do menor.

__SÓ ENFIA ESSA PORRA LOGO!- Disse Bill impaciente e se levantando para beijar o rapaz de forma ardente- Por favor. - Finalizou com um sorrisinho sapeca.

Sem mais vontade de continuar a aquela brincadeira das preliminares Tom enfiou o se pau de uma vez.

__PORRA! Que delicia de pau, fode gostoso Tom, bem gostoso... Isso mesmo- Bill divagava enquanto sentia o pau do Tom ir e vir dentro de si.

Apesar de estar gostoso aquela posição era um pouco desconfortável para si, suas pernas já estavam dormentes de ficar no ombro de Tom, que mesmo ajoelhado era muito alto. Então com um pouco de persuasão ele se colocou de quatro, suas mãos abrindo sua bunda enquanto Tom o fodia sem piedade, quase fazendo a cama ranger. Mas o auge da noite foi quando Bill fizera tão se sentar enquanto ele galopava em seu pau pulsante quase rouco de tanto gemer com aquela foda.

 

__Bill eu vou gozar!- Declarou Tom.

__Goza Tom, goza dentro.- Após essa frase Tom soltou um urro e liberou sua porra dentro do canal do menor.

__Caramba isso foi bom- Disse Tom se deitando no lado cama com seu peito subindo e descendo com a sua respiração descompassada.

Sem dizer nada Bill se virou e pegou o pau, agora mole, e começou a chupar, limpando e saboreando a porra que estava nele. Bill enquanto chupava sentia uma leve linha escorrer do seu buraco maltratado e inchado chegando até a suas bolas e se “perdendo” no lençol bege da cama daquele motel.

 

Fim. 


Notas Finais


Musica em itálico: Graçom Reginaldo Rossi.


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...