História Apenas uma noite (Jikook ABO) - Capítulo 4


Escrita por: ~

Postado
Categorias Bangtan Boys (BTS)
Personagens J-hope, Jimin, Jin, Jungkook, Personagens Originais, Rap Monster, Suga, V
Tags Abo, Jikook
Exibições 139
Palavras 1.092
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Drama (Tragédia), Lemon, Romance e Novela, Shonen-Ai, Yaoi
Avisos: Gravidez Masculina (MPreg), Homossexualidade, Insinuação de sexo, Linguagem Imprópria, Nudez, Sexo
Aviso legal
Os personagens encontrados nesta história são apenas alusões a pessoas reais e nenhuma das situações e personalidades aqui encontradas refletem a realidade, tratando-se esta obra, de uma ficção. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos, feita apenas de fã para fã sem o objetivo de denegrir ou violar as imagens dos artistas.

Capítulo 4 - 4


—Chim Chim, o que foi? Porque está chorando?—Perguntei preocupado.

— Por nada.—Respondeu.

—Ninguém chora por nada Jimin.—Falei.

—Eu só...só estou triste pela Hyuna, como a namorada dela tratou a tadinha —Respondeu/mentiu.

—Tudo bem não querer falar não vou pressionar você—Disse.

Puxei ele para um abraço. Quando ele notou estar em meus braços se ajeitou no meu peito.

É uma sensação boa tê-lo aqui tão próximo de mim, chega a dar para sentir o cheiro do meu filhote, era adocicado e tinha um toque de menta, tão bom.
Quando nos soltamos, sentamos novamente e quando nossos pedidos, uma coca e um hambúrguer pra mim e um pedaço de torta de maçã e uma fanta para Jimin, chegaram Jimin quase pulou nos lanches.

—Calma Jimin, pequeno a, comida não vai fugir. —Falei rindo.

Terminamos de comer e voltamos para o quarto do hospital.

—Então...já decidiram o que será de nossas vidas daqui para frente seus velhotes?—Perguntei levando um beliscão de Jimin q só me fez dar risada.

—Sim, senhor Jeon respondão, Jimin irá ficar em nossa casa para que vocês possam se conhecer melhor, e infelizmente pequeno Jimin, você não poderá mais ir para escola pro seu bem e pelo bem do bebê. —Falou minha mãe.

Não fiquei tão surpreso, só triste por Jimin não poder ir mais a escola, ele parece gostar do inferno.

—Mas eu posso ir pra escola, me sinto bem—Falou Jimin desesperado.

—Mas pode não estar bem amanhã, pode estar enjoado ou com desejos. Imagina ter desejos dentro da escola, meu bebê? Não terá ninguém para sacia-los pequeno.—falou a mãe do ômega.

—Tá mãe—Respondeu tristonho

Passaram-se os dias e Jimin foi morar lá em casa.

Nós estávamos dormindo no mesmo quarto em camas separadas.

Particularmente...ELE É MUITO DESASTRADO,

—JIMIN VOCÊ QUEBROU O CONTROLE DÁ TV?—Gritei e ouvi risos do andar de cima.

—Eu?não—Gritou de volta e riu.

Isso só pode ser brincadeira

          ~ding dong

Ouvi a campainha tocar e fui atender.

Quando abri a porta lá estavam eles

—Eai viado?—perguntou Hoseok já entrando.

—De boa—Respondi vendo Jin e Nam entrarem logo atrás.

—Isso é jeito de entrar na casa dos outros Hoseok?-Falou Jin dando um pescotapa no Hope.—Desculpa por ele Jungkook,mas não foi pra pedir desculpa que viemos aqui, onde está o ômega?

—Lá em cima pera ai ...JIMIN DESCE AQUI!—Gritei/pedi para Jimin.

Ele desceu de pijama,nem pra se trocar Park Jimin.

—Porque você tá de pijama Jimin?—perguntei.

—Eu não vou mais pra escola posso ficar de pijama o quanto quiser—Falou olhando pra cozinha meio triste.

—Bem esses são meus amigos: Jin, Namjoom e Hoseok, eles vieram te conhecer e saber se eu ainda não tinha te matado—Falei.

—Tá oi ....PERA AI...AINDA?!—Gritou e deu risada.

—Ele não vai te matar se não ele já teria tentado, mas bem eu sou Seokjin, mas pode me chamar de Jin ou de omma sei que já nos vimos mas não nos conhecemos direito—Falou o rosado.

—Eu sou Namjoom, mas pode me chamar de Nam ou appa como preferir.—Falou o loiro ligando a TV no botão dá mesma.

—Eu sou o Hoseok,mas pode me chamar de Hope ou Jhope—Falou se jogando no sofá.

—Eu sou Jimin—Falou corado...tão lindinho....OQ VC TÁ PENSANDO JEON JUNGKOOK.

—Jimin,pode pegar água pra nos pequeno?—Perguntei sentando ao lado dos meninos no sofá.

—Posso—Falou andando até a cozinha e se duvidar eu estava babando meu GD que raba.
Desviei o olhar

—Como tá indo com o Tae, Hoseok?—Perguntei

         Pov Hoseok

—Nada bem, a gente vive brigando pq ele vive dizendo q falta algo no nosso relacionamento.—Respondi

—Será que ele não quer um filhote?—Perguntou Jin.

—Somos dois alfas, isso é impossível Jin.—Respondi meio triste

—AISH—Ouvimos um grito e o sim de algo se quebrando vindo dá cozinha.

—KOOK—Gritou Jimin com uma voizinha fofa.

—Lá se vai mais um copo ...JÁ TO INDO—Gritou—Podem esperar um minutinho

Passou-se alguns segundos e meu celular tocou.

Olhei a tela e era o Tae confesso que tive vontade de ignorar mas atendi.

Ligação on*

—Hope, sabe aquele beco perto de casa, vai pra ele, AGORA! - falou Tae e ao fundo dava para ouvir um chorinho.

—O que  tá acontecendo ai TaeTae? —Perguntei.

—Só vem logo—Gritou e desligou

  Ligação off*

—Gente vou ter que ir o Tae tá precisando de mim—Falei correndo até a porta

Nunca corri tanto na minha vida. Chegando lá vi uma cena um tanto fofa,um tanto triste e um tanto estranha.

Tae estava abraçado a um híbrido de gato, aparentemente filhote por ser tão pequeno, todo marcado, com roupas rasgadas e sujo.

Ele era, particularmente, fofo. Seus cabelos pretos se destacavam por causa de sua pelé absurdamente branca, as orelhas e o rabinho, também pretos, o deixavam mais fofo ainda, suas bochechas e seus lábios eram gordinhos e os olhos eram grandes e atentos.

—Tae quem é ele?—Perguntei me aproximando.

—Não sei, encontrei ele aqui e não tive coragem de deixá-lo mas também não consigo pegá-lo no colo—Falou Tae.

Só agora notei q aquele serzinho estava tão agarrado ao MEU namorado que o Tae nem conseguia levantar.

Peguei o pequeno no colo, com um pouco de dificuldade pois ele não queria largar o Tae, e fui com ele e Tae até a nossa, minha e de Tae, casa.

Demos banho no pequeno, colocamos uma roupa nele que ficaram enormes e o demos ursinhos para ele brincar para então começar o interrogatório.

—Como se chama?—Perguntou Tae ao mais novo.

—Yo-Yoongi—Respondeu/gaguejou em um fio de voz.

—Quantos anos tem?

—O Yoongi não sabe—ele falava em terceira pessoas que fofo, mas como ele não sabia a própria idade.

—Onde você mora?

—No porão do mercado—Respondeu rapidamente.

—Porque você mora lá—Perguntei.

—Por que o Yoongi vai ser vendido—Respondeu

Pera ai...ele ia ser vendido no mercado negro? Por isso privavam ele de saber a própria idade? Mas porque de bateram nele a ponto de marcar? Porque abandonaram ele?

Tantas perguntas nenhuma resposta.

—Tudo bem,você n vai mais ser vendido, tá bem, pequeno—Falou Tae.

—Mas se o Yoongi não for vendido eles vão bater no Yoongi—Falou desesperado e começou a tremer.

—Você já tem a gente Yoon—Tae o confortou.

Ele se acalmou e pulou no meu colo.

Levamos ele até a cozinha e deixamos ele explorá-la. Logo ele se interessou por algo. Abriu o armário de vidro onde guardavamos os temperos, logo pegou o pote de açúcar e trouxe até nós.

—Yoongi pode comer?- Perguntou com uma carinha fofa.

—Só um pouquinho—Falei vendo ele colocar a mão dentro do pote.

—Suga—Falamos eu e o Tae juntos sentando na mesa com Yoongi no colo de Tae, saboreando seu delicioso açúcar.



Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...