História •Apenas Uma Pessoa Diferente•(Vkook/Taekook) - Capítulo 18


Escrita por: ~

Postado
Categorias Bangtan Boys (BTS), EXO
Personagens Baekhyun, Chen, J-hope, Jimin, Jin, Jungkook, Personagens Originais, Rap Monster, Suga, V
Tags Amizade, Banda, Brigas, Confusões, maluco, Marrento, Namjin, Taekook, Vkook, Yoonmin
Visualizações 340
Palavras 1.066
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Comédia, Crossover, Drama (Tragédia), Escolar, Festa, Lemon, Musical (Songfic), Romance e Novela, Violência, Yaoi
Avisos: Álcool, Bissexualidade, Drogas, Homossexualidade, Linguagem Imprópria, Violência
Aviso legal
Os personagens encontrados nesta história são apenas alusões a pessoas reais e nenhuma das situações e personalidades aqui encontradas refletem a realidade, tratando-se esta obra, de uma ficção. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos, feita apenas de fã para fã sem o objetivo de denegrir ou violar as imagens dos artistas.

Notas do Autor


Oolazin peoples 👋

Tudo bom?

Eu sou uma pessoa de bom coração e vou postar de novo :)

Aah, eu queria agradecer aos 101 favoritos e os 103 comentários estou muito feliz, por isso fiz essa cap como capítulo de agradecimento :)))

E vamos para mais um capítulo de AUPD ❤🌸

Capítulo 18 - • Capítulo 16•


Pov's Taehyung

Como alguém pode ser tão lindo? Olho para o pequeno encrenqueiro na minha frente e em seguida olho pra sua boca que toda vez que a vejo tenho vontade de beijar. E quando estamos à centímetros de nos beijarmos,algum filho da puta grita.

— E assim que vão limpar essa sujeira? - fala a diretora. Oh mulherzinha demoníaca,tinha que aparecer logo agora.

— Foi ele que tentou me agarrar diretora, não posso ficar aqui sozinho com ele. - fala se fingindo de inocente, olho pra ele e sorrio, eu também sei brincar moreno.

— Eu te agarrei? Você que se jogou em cima de mim garoto. - falo indignado, além de cantar super bem também sou um ótimo ator, ou melhor, sou ótimo em tudo o que faço. - Você sabe né diretora ele não é o primeiro que tenta fazer isso. - me refiro a briga que teve entre um garoto e uma garota por minha causa um tempo atrás, e essa garota era a louca da Sookye.  O moreno mostra o dedo do meio para mim  e eu solto um beijo no ar pra ele.

— Vocês dois irão limpar isso o mais rápido possível e eu vou ficar por aqui para garantir que ninguém agarre ninguém. - não falei que essa mulher é demoníaca? Pena que tem um pequeno demônio ao meu lado também.

— Se é pra ficar aqui, pode tratar de ir pegando uma vassoura e ir limpar o chão. Ninguém vai ficar sem trabalhar. - um demônio adorável.

— Eu sou a diretora dessa escola eu não vou receber ordens de um aluno. - responde a diretora furiosa já, o moreno não tem medo de ser expulso, eu acho.

— Então também não vai ficar aqui atrapalhando nosso serviço, que inclui se agarrar também. -  tenho que segurar o riso, esse menino é maluco. - Você escolhe, ou fica e ajuda ou pode cair fora.

— Você não pode falar assim comigo, tá querendo ser expulso mocinho? - agora a coisa vai ficar séria. Resolvo me intrometer.

— O more... Jungkook está certo se você ficar aqui vai atrapalhar, peça a um dos funcionários para nos supervisionar. Garanto que não vamos nos agarrar. - falo antes que aconteça uma briga entre esses dois.

— Eu tenho trabalho a fazer por isso eu vou. Mas estou de olho em vocês. - fala é vai embora.

— Por que você tem que ser tão teimoso? Quer ir expulso seu louco?

— Porque eu nasci assim é não posso mudar, e se eu for expulso é bom que eu voltar para o Brasil. - quando ele falou isso eu congelei, ele não pode voltar para o Brasil, só faz uns dias que o conheço mas só de pensar que nunca mais irei vê-lo algo em mim se entristece e não gosta nem de pensar nessa ideia.

— Você não pode voltar para casa. - falei mais pra mim do que pra ele.

— E por que não? - pergunta erguendo o queixo e é impossível não sorrir, ele é tão marrento e isso me encanta. Estou parecendo um bobo apaixonado dizendo essas bobagens, prometo  que vou parar.

— Porque aqui você tem o amigo mais lindo e divertido que poderia ter. - respondo sorrindo.

— E quem disse que eu não tenho  amigos lindos e divertidos no Brasil?

— Você não faz o tipo que é amigo das pessoas, é quase impossível alguém te suportar por muito tempo. - menti só pra ver ele com raiva, adoro irrita-lo, só que ao invés dele me bater ou me xiguar como sempre faz ele fecha a cara e fala com frieza.

— Sabe também é impossível te suportar, então me deixa em paz. - pega uma vassoura e vai esfregar o chão, acho que ele se irritou pra valer dessa vez.

— Moreno. - chamo e ele não respondeu. - Me desculpa. - continuou calado, acho que o magoei e agora me sinto o maior idiota na face da terra por ter feito isso.

— Ei eu tava brincando, você é o garoto mais incrível que já conheci. - ele continuou me ignorando. Resolvi deixar ele pensando e peguei uma esponja e fui lavar as mesas. Depois de horas sem falar nada, terminamos de limpar tudo, vou até ele novamente. Estamos todos molhados, com os cabelos bagunçados, a roupa suja e mesmo assim ele continua lindo.

— Vamos, eu vou te deixar em casa.

— Não precisa eu tenho pernas. - respondeu grossa como sempre, mas dessa vez tinha uma frieza na sua voz.

— Ei me desculpa, eu só falei aquilo para te irritar. É impossível alguém não gostar de você. - me aproximo dele é coloco uma mexinha do seu cabelo bagunçado atrás da orelha.

— Não, você está certo, eu não tinha amigos lá e nem queria ter amigos aqui. Eu sou o anti-social que não gosta de ninguém e que ninguém gosta de mim. Só que você é os outros idiotas não largam do meu pé. - falou com uma voz fraca,acho que é a primeira vez que o vejo assim tão frágil.

— Nos gostamos de você, até demais, não vamos te largar. Me perdoa por eu ter falado essa besteira. Agora vamos que eu vou te deixar em casa. - termino de falar e ouço um barulho estranho, acho que foi um trovão.

— Não podemos ir agora, eu tô com fome. Ouviu minha barriga? - fala rindo de si própria.

— Esse barulho foi sua barriga? - pergunto assustado o barulho foi muito alto.

— Não foi da escola de samba que acabou em frente a escola. - revirou os olhos, enfim ele voltou ao normal. - Faz horas que estou sem comer. - tiro o celular do bolso e tinha várias mensagens dos meninos perguntando onde eu estava ou se eu tinha levado alguma suspensão, não respondi nenhuma. Quando olhei a hora já eram 2:27 da tarde, as aulas acabam ao meio dia, nós demoramos demais por aqui.

— A cantina já está fechada, vamos pra alguma lanchonete.

— Você vai me deixar em casa aí a gente pede umas quatro pizzas e come per lá. - sorrio.

— E ainda reclama quando eu te chamo de gordo. - ele mostra o dedo do meio e murmura um 'imbecil', passo o braço pelo seu ombro e saímos da escola que estava vazia,só restava nós e o porteiro.

E assim fomos pra casa dele, só que o único problema é que também é a casa da louca da Sookye.



Notas Finais


O que acharam?

Poxa tae porque falou aquilo pro kookie... Ele é frágil!

Kookie gosta de comer hein ksks

o Jungkook já morou no Brasil? Comoassim?

Xauzin


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...