História Apenas Uma Vítima (Chanbaek) - Capítulo 18


Escrita por: ~

Postado
Categorias EXO
Personagens Baekhyun, Chanyeol, Chen, D.O, Kai, Kris Wu, Lay, Lu Han, Personagens Originais, Sehun, Suho, Tao, Xiumin
Tags Assassinato, Baeksoo, Baekyeol, Chanbaek, Exo, Sadomasoquismo, Yaoi
Visualizações 661
Palavras 1.140
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Drama (Tragédia), Ficção, Fluffy, Lemon, Mistério, Policial, Romance e Novela, Shoujo (Romântico), Suspense, Violência, Yaoi
Avisos: Adultério, Álcool, Bissexualidade, Drogas, Estupro, Homossexualidade, Incesto, Insinuação de sexo, Linguagem Imprópria, Nudez, Sadomasoquismo, Sexo, Suicídio, Tortura, Violência
Aviso legal
Os personagens encontrados nesta história são apenas alusões a pessoas reais e nenhuma das situações e personalidades aqui encontradas refletem a realidade, tratando-se esta obra, de uma ficção. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos, feita apenas de fã para fã sem o objetivo de denegrir ou violar as imagens dos artistas.

Notas do Autor


Oiii
É... Desculpa a demora está sendo uma semana corrido, as provas vão começar, então eu talvez suma de novo está semana, mas quando começar as feiras eu sou toda de vocês ❤❤
Espero que gostem
Desculpe qualquer erro
Boa leitura

Capítulo 18 - Bonequinho


Fanfic / Fanfiction Apenas Uma Vítima (Chanbaek) - Capítulo 18 - Bonequinho


No caminho Byun reconhecia o lugar, não tinha certeza, mas sentia que já tinha ido ali.

Chegaram na casa de Chanyeol, aquela na qual Park estava na noite que achou Baekhyun.

- Onde estamos? - Pergunta o híbrido confuso, não sabia que aquela casa era de Chanyeol.

- Na minha casa - Respondeu o mais velho, puxando o menor para entrar, estava um tanto empoeirado, pois não ia lá faz tempo, mas não queria levar Baek para a casa onde sofreu tanto.

- Que fofa Channy! - Sorriu ao ver o lugar pequeno e bem decorado, dá para perceber que Chanyeol tem bom gosto, as suas duas casas são perfeitamente decoradas.

- Obrigado - Falou feliz com a animação do menor.

- Vamos ver um filme ou jogar algum jogo? - O híbrido se sentou no sofá.

- Vamos ver um filme, eu limpo tudo aqui, e você faz uma pipoca pode ser? - Pergunta Chanyeol se direcionando a cozinha que era separada da sala por uma bancada.

- Ok - Baek se levantou e foi em direção ao fogão, enquanto Park pegou um pano e tirou rapidamente o pó dos móveis e depois preparou a TV e o filme.

- Channy! - Chamou Baek.

- Fale bebê - Correu até a cozinha para ajudar o menor

- Me ajuda, e-eu queimei meu dedo - Diz com os olhos lacrimejando. Rapidamente se dirigiu até Baek e o puxou até a pia molhando o dedo do mesmo com água fria.

- Está melhor? - Pergunta depois de passar um remédio.

- Sim, obrigado Chanyeol - Disse sorrindo, agora que tinha percebido que o maior o chamou de bebê.

- Você queimou o dedo mas pelo a pipoca está ótima - Diz comendo uma da panela.

- Eu fazia quando os amigos do meu irmão iam lá para casa, então acabei pegando o jeito - Abre a boca para o maior colocar a pipoca na mesma, e assim é feito.

- Vamos? - Diz se referindo a ver o filme.

- Claro - Os dois foram para sala, se sentaram no sofá e começaram a assistir.

Park logo abraçou Baek pelos ombros o puxando mais para perto, de vez em quando trocavam olhares.

Chanyeol já não aguentava ficar mais um minuto sem beijar o menor. Então só aguardava o momento certo, para não assustar Baekhyun. Park sabe muito bem que ele não tem muita experiência com essas coisas, só beijou duas pessoas na vida.

Assim que o filme chegou ao fim, Baekhyun se levantou e levou a tigela de pipoca para pia.

- Bebê - Chamou Chanyeol.

- F-fale - Disse corado por causa do apelido.

- Você fica tão lindo corado - Sorriu bobo e colocou o rosto do menor entre suas mãos.

- O-obrigada - Respondeu abaixando o olhar.

- Você se referiu a si mesmo no feminino? - Perguntou surpreso.

- Oh! Desculpe - Se afastou com medo de Chanyeol brigar consigo.

- Não, não se desculpe, é lindo te ver assim - Puxou Byun para si novamente, beijando sua testa.

- Eu não percebi, m-mas eu gostei - Falou confuso, percebeu agora que se sentia mais confortável referindo-se a si mesmo no feminino.

- Depois eu vou te mostrar uma coisa, pequeno - Abraçou o mesmo enquanto fazia carinho em seus cabelos.

- Channy - Chamou a atenção do maior. Que olhou para si - Me beija - Pediu encarando os lábios de Park.

Então o mais velho apenas puxou o menor para um beijo sem falar mais nenhuma palavra, aquela boca rosinha e bem desenhada o provocava a cada instante.

Foi um beijo calmo e carinhoso, um beijo que Chanyeol nunca receberá, sempre era algo quente e prazeroso, tanto que estava meio perdido.

- Channy - Fala Baek ao fim do beijo - Você já se apaixonou?

- Sim... Duas vezes - Responde abaixando o olhar.

- Por quem?

- Aquele meu amigo, que eu já contei a história, e... E por você - Assim que termina de falar um sorriso brota nos lábios de Baek um sorriso que mal cabia em seu rosto.

- Chanyeol, eu estou cegamente apaixonado por você - Passou os braços pelo pescoço do maior, ficando na ponta do pé.

Os rostos estavam cada vez mais próximos, as respirações se chocavam e os olhos se fechavam, só queriam aproveitar aquela sensação momentânea, era uma das melhores, então finalmente os lábios se tocaram, o lábio seco do mais velho com os doces e molhados de Baek.

Um beijo tão fofo e carinhoso, algo tão bom.

Chanyeol já não estava aguentando mais queria empurrar Baek para cima da bancada, marcar seu corpo branquinho, mas não podia, pois provavelmente aquele Kyungsoo iria perceber, ou até os empregados da casa.

Então separaram o beijo, e ficaram abraçados, com Baek olhando por cima do ombro de Park, onde poderia ver a janela.

Então uma senhora passou, ela era tão familiar para Baek, ela encarava a Janela, tentando reconhecer quem estava ao outro lado.

Até que Baekhyun a reconheceu, sua mãe, era sua mãe, aquela mulher que o mal tratadou por anos, fingindo ter a família perfeita, o escondendo por ser uma aberração.

- C-Channy - falou com medo.

- O que foi bebê? - Perguntou o maior preocupado, separando o abraço.

- A minha, minha mãe - Apontava para a senhora com um olhar fervendo do outro lado da janela.

- Por que tanto medo? - Pergunta confuso.

- E-ela me fez tão mal - Não conseguiu conter o choro.

- Calma, não vou deixar ela fazer nada com você - Beijou a testa do menor e levou para o quarto, deixando a senhora Byun furiosa ir embora.

- Ela vai me achar de novo, ela vai me esconder - Falava sem parar com as mãos na cabeça, sentado na cama.

- Fique calmo, eu estou aqui - Se ajoelhou na frente do menor, acariciando suas pernas. Então o híbrido lhe encarou, com o rosto inchado.

- Eu não quero ser um boneco, Channy - Explicou logo recebendo um abraço do mesmo.

No outro lado da rua a senhora Byun, morrendo de fúria.

- Aquele moleque, ele acabou com a minha vida sumindo daquele jeito, e agora ele está com um homem? Ele só me trás desgosto - Fala sozinha indo em direção a sua casa que não era muito longe - Eu protegi ele dos xingamento dos outros, não o deixava sair, dava comida, banho, casa, o que mais ele quer?

Assim que entra se depara com o seu "amigo" ainda sentado na cama.

- O que você está fazendo aqui Junheo? Já não disse para ir embora? - Diz com raiva.

- Não, você disse para te esperar aqui - Responde confuso.

- Tanto faz, some daqui, antes que eu pegue todo o dinheiro que te dei de volta - Antes mesmo de terminar a frase Junheo já estava fora de seu quarto.

- Que saber? Eu vou fazer o que deveria ter feito desde do início, vou vender aquele híbrido nojento, nem sei porque não fiz isso antes - Pega rapidamente o telefone e liga para um conhecido.


Notas Finais


Obrigada por lerem
Tchau tchau


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...