História Apenas Uma Vítima (Chanbaek) - Capítulo 29


Escrita por: ~

Postado
Categorias EXO
Personagens Baekhyun, Chanyeol, Chen, D.O, Kai, Kris Wu, Lay, Lu Han, Personagens Originais, Sehun, Suho, Tao, Xiumin
Tags Assassinato, Baeksoo, Baekyeol, Chanbaek, Exo, Sadomasoquismo, Yaoi
Visualizações 671
Palavras 2.987
Terminada Sim
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Drama (Tragédia), Ficção, Fluffy, Lemon, Mistério, Policial, Romance e Novela, Shoujo (Romântico), Suspense, Violência, Yaoi
Avisos: Adultério, Álcool, Bissexualidade, Drogas, Estupro, Homossexualidade, Incesto, Insinuação de sexo, Linguagem Imprópria, Nudez, Sadomasoquismo, Sexo, Suicídio, Tortura, Violência
Aviso legal
Os personagens encontrados nesta história são apenas alusões a pessoas reais e nenhuma das situações e personalidades aqui encontradas refletem a realidade, tratando-se esta obra, de uma ficção. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos, feita apenas de fã para fã sem o objetivo de denegrir ou violar as imagens dos artistas.

Notas do Autor


Oiii
Eu amo tanto essa fanfic que é até difícil dizer que ela chegou ao fim, mas eu me diverti muito escrevendo ela, ri e chorei, e eu espero que vocês tenham amado tanto quanto eu.
Obrigada polos favoritos, pelos comentários, amo muito todos vocês.

Desculpa qualquer erro
Boa leitura

Capítulo 29 - Talvez, só tenhamos que amar mais


Fanfic / Fanfiction Apenas Uma Vítima (Chanbaek) - Capítulo 29 - Talvez, só tenhamos que amar mais

Baekhyun descansava calmamente no avião onde só se encontravam os dois, Chanyeol estava preocupado com o que fariam dali para frente. Não faria nada que prejudicaria Baek, então nada fora da lei.

O menor se remexeu no banco, estava tendo um pesadelo. O maior rapidamente começou a fazer carinho em suas orelhas.

- Channy, me ajuda. - Sussurrou então o Park decidiu acorda-lo.

- Bebê, acorda. - Balançou levemente o corpinho a sua frente que acordou assustado, chorando em seguida. - O que aconteceu? - Perguntou preocupado.

- Eles estavam me batendo. - Sussurrou sendo abafado pela pele do pescoço de Chanyeol.

- Calma, nada vai acontecer com você, eu vou cuidar de ti.

- Que horas vamos chegar Hyung? - Perguntou depois de um tempo abraçados.

- Vamos chegar lá 19 horas. - Respondeu bocejando, mas não consegui seguia dormir, estava preocupado.

ƦƦ

- O Baekhyun sumiu! - Grita Jongin quase quebrando a porta da casa de Kyungsoo, onde estava Luhan, Chen, Sehun ( Que acompanhou Luhan), obviamente o Kyung e Lay chegou junto com Kai.

- Que?! - Exclamaram em uníssono.

- Ele não está no hospital! - Informa Lay se sentando no sofá um tanto desesperado.

- Meu Baek! - Disse Luhan chorando, mas logo sendo a acalmado por Sehun.

- E o Chanyeol não está em casa, o Chen acabou de chegar com essa notícia também. - Falou Kyungsoo massageando as têmporas, estava nervoso, e para não quebrar algo se controlava imensamente.

- O que vamos fazer? - Perguntou Sehun preocupado com o amigo.

- Gente vocês não pensam no óbvio não? O Chanyeol fugiu com o Baekhyun! - Disse Lay fazendo todos quase se baterem de tão óbvio que estava.

- Mas para onde? - Questionou Luhan limpando as lágrimas.

- Vamos no aeroporto, provavelmente pegaram um vôo, conheço muito bem as coisas que Chanyeol faz e as empresas que contrata. - Sehun era o mais próximo de Chanyeol ali naquela sala, e conhecia muito bem a mente de Park.

- Pera, eu vou ligar para Junmyeon, Tao e Kris avisando para irem a gente. - Avisa Luhan meio desesperado.

- Não. Amor, vamos primeiro atrás do Baekhyun, depois você avisa a eles, está bem? Não podemos levar muita gente. - Sehun puxou seu híbrido para um abraço, mas foi interrompido pela mão do mesmo em seu abdômen.

- Se eles não forem eu não vou, é melhor vocês irem e eu vou ir depois com os meus amigos. Me liguem para avisar onde o Baek está. - Pegou seu casaco e saiu em direção a casa de Junmyeon, já ligando para o Tao ir para lá também.

- Eu vou junto com o Luhan para ajudar o Myeon, não vai ser fácil para ele. - Disse Lay também saindo atrás de Lu.

- Vou avisar para o Xiu ir com a gente ok? - Perguntou Chen para os que restavam na sala: Kyungsoo, Kai e Sehun.

- Chame-o, ele será de grande ajuda, já que conhece a maioria dos países como a palma da mão. - Respondeu Sehun, se levantando.

- Por favor, só me deem licença um minuto. - Kyungsoo, que até agora estava calado, avisou a todos.

- M-mas temos que ir logo. - Interviu JongDae.

- AGORA! - Gritou fazendo todos irem para a garagem, menos JongIn que permanecia perplexo encarando Kyung.

- Soo? Você está bem? - Se aproximou do menor recebendo um olhar triste e choroso em sua direção. - O que foi Soo? - Foi correndo abraço-lo e o mesmo desabou.

- JongIn, eu não estou conseguindo lidar como isso. - Admitiu entre soluços.

- Calma, vai ficar tudo bem. - Acariciou os cabelos do outro, que saiu do abraço desesperado andando na sala.

- Eu não consigo viver sem o Baek. - Sussurrava, mas logo foi parado por um beijo, que resistiu mas não por muito tempo.

Um beijo que, por incrível que pareça, nunca sentiu antes.

- Você tem à mim. - Kai sorriu e ganhou um sorriso em resposta.

ƦƦ

- Como você conheceu o Luhan? - Perguntou Chen a Sehun para passar o tempo.

- Bom... É meio engraçado. - Riu e começou a falar. - A história real, é que eu esbarrei em Luhan na rua e derrubei meu café nele, ele ficou com raivinha, mas assim que me viu ficou de boca aberta e pediu desculpas. Então o chamei para tomar um café, e pediu para pelo menos eu comprar uma roupa para ele ir a escola, eu comprei e ele foi normalmente. Luhan não gosta dessa versão então diz que só esbarrei nele pediu desculpas e foi embora. - Explicou e logo depois Kyungsoo e Kai chegaram.

Os dois sorriam tímidos. E Kyung já não aparentava ter chorado.

- Vamos rápido. - Kyung apressou o passo tirando o sorriso do rosto.

No caminho mal conversaram com o clima tenso no carro. Pegaram o Minseok perto do aeroporto, chegando lá já era 14 horas.

- Vamos para a empresa do Jung. - Todos seguiram Sehun, que indicava o caminho.

- Oh Sehun! O que faz aqui? - Perguntou o empresário assim que sua sala foi invadida.

- O Chanyeol pegou que vôo, que horas e para onde?! - Minseok bateu a mão na mesa sem muito tempo para cumprimentos.

- E-u... Eu não sei o horário, mas foram para Los Angeles. - Se encolheu na cadeira olhando para as expressões ameaçadores dos invasores.

- Ele estava acompanhado de quem? - Pronunciou Kyungsoo, passando na frente dos mais altos.

- U-uma criaturinha, um híbrido! - Afirmou se levantando pronto para sair da sala.

- Eu quero um vôo para Los Angeles agora, Jung! - Sehun parou o mesmo ainda na porta.

- Só em um jato particular.

- O que for, nós pagamos. - Disse Kai, olhando para Kyungsoo que concordou, afinal JongIn não tinha dinheiro para pagar, só o Do.

ƦƦ

A primeira coisa que Chanyeol e Baekhyun fizeram em Los Angeles foi ir ao hospital.

Byun ficou lá até meia-noite, se recuperando e Park ao seu lado. O médico disse que o mesmo já estaria bem melhor de manhã, e que é para ter cuidado com movimentos bruscos se não os machucados podem abrir.

E agora o maior esperava Baek terminar de fazer os curativos.

- Channy! - Escutou seu híbrido lhe chamar, ele estava com curativos grandes na cauda, testa e perna.

- Meu gatinho, vamos para casa. - Abraçou o menor e colocou o boné em sua cabeça.

- O médico disse que eu tenho que trocar esses curativos duas vezes por dia. - Informou ajeitando o boné, e entrando no carro que tinham alugado logo no aeroporto.

- Bebê, vamos ficar aqui até você se recuperar, precisamos voltar para Coréia para eu arrumar algumas coisas da casa e dos carros, conseguir mais dinheiro, e nos registrarmos como cidades americanos, ok? - Explicou Chanyeol calmamente fazendo o menos apenas balançar a cabeça concordando com o olhar triste.

- E os meus amigos Channy? - Perguntou Baek preocupado, seus amigos já devem saber que sumiu.

- Vamos ligar para todos assim que chegarmos no hotel. - Respondeu pensando em que hotel ficar, não conhecia muito de Los Angeles. Então foi para a zona turística da cidade, lá provavelmente teria algum hotel.

Foram para o primeiro hotel que viram, era 3 estrelas, mas só queriam deitar na cama e se abraçar, não importa se era um hotel chique ou não.

Pegaram uma suíte no último andar.

- Nossa Channy! Aqui é lindo! - Comentou o híbrido, colocando sua mala em cima da cama. Era simples, mas com um clima tão bom. Era tudo com vidros nas paredes onde ficariam janelas, e a banheira ficava em uma quina, onde os vidros eram com película para quem está fora não ver, era simplesmente lindo.

- Vamos deitar Baek, dormir um pouco e depois ligamos para eles está bem? - Chanyeol olhou o relógio e já era 2 da manhã.

- Eu só vou ligar para o Myeon, já pode dormir. - Pegou o telefone que tinha no quarto e discou o telefone de Junmyeon que já sabia de cabeça.

- Alô? - Ouviu uma voz chorosa na outra linha.

- Hyung, por que está triste? - Perguntou preocupado.

- Baekhyun!?... Pelos céus!..É você? - Varias vozes falando ao mesmo tempo, que identificou ser Tao, Luhan e Lay. - Fiquem quietos, deixe-me ouvir o garoto! - Brigou Junmyeon fazendo Byun rir. - Onde você está Baekkie? Você quer matar a gente?

- Desculpe Hyung. - Respondeu triste, odeia deixar as pessoas mal. - Eu tive que fugir com o Chanyeol, foi a minha única esperança.

- Eu sei, eu sei, bebê. Nós vamos para aí, onde está?

- Los Angeles.

- Os meninos devem estar indo, vamos chegar amanhã, ok? - Junmyeon se segurava para não chorar, não queria assustar seu bebê.

- Quem está vindo?

- Kyungsoo, Chen, Jongin, Sehun e Xiumin, pelo o que eu sei! - Respondeu Luhan, gritando para Baekhyun ouvir.

- Oh! Está bem, avise a eles onde estamos. - Desligou o telefone.

ƦƦ

Luhan, Tao, Kris, Junmyeon e Lay estavam quase chorando de alegria, os ômegas que eram mais frágeis já derramavam lágrimas.

- Amor, não acredito que era o Baek! - Myeon foi correndo abraçar o namorado, Yixing.

- Calma, pequeno, eu sabia que eles estavam bem. - Lay consolou seu híbrido fazendo carinho em suas orelhas.

Kris simplesmente abraçou Tao que não conseguia falar pela emoção, eles chegaram ao ponto de pensar que seu amigo havia morrido.

Luhan estava, por incrível que pareça, sorrindo, se sentia feliz, e não chorava de felicidade igual os demais, seu coração foi acalmado, se fosse morrer morreria sorrindo.

Lay já tinha ligado para JongIn avisando da notícia e ouviu suspiros aliviados.

ƦƦ

O sol ainda não tinha nascido quando Baekhyun levantou, indo para geladeira que tinha no quarto, pegar algo para comer. Comeu uma maçã, e foi até Park, subindo em seu colo. Chanyeol dormia calmamente, com a abdômen virado para cima, os braços soltos na cama, e os cabelos bagunçados.

Assim que o menor subiu no colo alheio sentiu algo entre suas pernas, logo percebendo o que era aquilo, afinal não era mais tão inocente assim. Então se deitou em cima do maior, era tão leve que o mesmo apenas o abraçou e continuou dormindo.

- Baek... Huum... Você está em cima... - Comentou Park acordando o menor que se remexia em cima de seu corpo e em sua ereção.

- Channy... - Gemeu por estar sendo acordado e está foi a gota da água para Chanyeol que não estava conseguindo dormir pelo prazer que o menor estava provocando.

Pegou-o no colo e levou até o banheiro, enchendo a banheira, o sol estava para nascer mas o céu ainda estava negro e estrelado.

Rapidamente tirou suas roupas e o menor entendeu o recado fazendo o mesmo.

- M-mas, Chanyeol, o médico disse que eu não posso fazer movimentos bruscos. - Falou antes de entrar, com um tanto de medo de seus machucados piorarem.

- Calma, baby, vou ser carinhoso. - Puxou o menor para um beijo, os molhando quase por inteiro.

Prensou Baekhyun contra as paredes de vidro, batendo sua mão contra a mesma para não gemer alto quando seus membros se tocaram, já o híbrido ronronou baixo, e mordeu o ombro de Chanyeol.

As mãos de Park passeavam pelo corpo alheio, causando arrepio na pele do menor.

O sol começara a nascer e bater contra os corpos quentes do dois, os beijos não cessavam praticamente, estavam loucos por mais contato.

Chanyeol desceu seus lábios pelos pescoço do menor e se segurou para não marca-lo já que ainda estava frágil, se segurava para não bater, para deixar ainda mais roxa a pele de seu baby.

- Pode gemer, bebê, ninguém vai escutar. - Sabia muito bem que Baek estava com vergonha então começou uma masturbação lenta para acalma-lo.

- C-Chanyeol! - Quase gritou quando seu interior foi invadida pelo membro de Park.

Os movimentos começaram e a água começara a cair da banheira, o sol surgia no céu, era um cenário tão perfeito, que aquele simples momento parecia o melhor da vida de Park.

O menor arranhou as costas alheias com suas unhas finas, e Chanyeol só desfrutou daquela dor soltando um arfar enquanto curvava a cabeça para trás.

As sensações dominavam o quarto, aquele momento era único, um prazer incomparável.

Os dois chegaram ao ápice juntamente com o sol que invadiu o céu por completo.

- Eu sinto tanta falta disso bebê. - Declarou fazendo carrinho no rosto de Baek arrancando um sorriso do mesmo.

Os dois estavam cansados e ofegantes, se secaram é voltaram a dormir em seguida.

Assim que acordaram telefonaram para Suho novamente, pedindo para o mesmo avisar a Chen o endereço onde estavam.

- Baekhyun, sua mãe não foi presa, ela fugiu. - Comentou Junmyeon na outra linha.

- M-mas ela não vai me achar, estou em outro país. - Disse tentando parecer seguro.

- Só estou dizendo para não sair de perto do Channy entendeu? - Myeon se preocupava tanto que fazia Byun sorrir bobo. - Nos chegamos aí amanhã.

- Está bem, beijos. - Se despediu e foi até Chanyeol que recebia o café da manhã na porta do quarto.- Obrigada. - Agradeceu a moça e voltou para dentro do quarto com a comida em mãos.

- Eu trouxe um presente para você, baby. - Disse Chanyeol se levantando animado e indo até sua mala.

- O que é? - Perguntou animado, tomando seu leite.

- Abra! - Entregou um pacote rosa todo enfeitado com bolinhas azuis.

Assim que abriu tinham roupas femininas, uma blusa de manga comprida rosa bebê, uma saia azul clara, com uma gargantilha escrito "baby boy" também azul.

Baekhyun se apaixonou, mas estava com vergonha de falar, afinal não podia usar, era roupa de mulher.

- E-eu amei Channy, mas é roupa de mulher, vão me olhar estranho. - Respondeu triste, deixando cair lágrimas nas roupas novas.

- Ei! Não fique triste com isso, use o que te faça bem bebê, e eu só estou te dando isso, que eu já te peguei várias vezes se referindo a si mesmo no feminino. - Fez carinho no bochecha do menor a beijando em seguida.

- Mas eu quero ser um menino ainda. - Fez um bico triste.

- As roupas que você usa, ou o jeito que se chama não muda seu gênero. - Park sabia muito bem o sofrimento que o menor já passou com preconceito, e tentava livra-lo desses pensamento aos poucos.

- E-eu vou usar. - Se levantou pronto para ir ao banheiro trocar de roupa, mas alguém bateu na porta. - Entre! - Gritou um tanto triste, já que queria experimentar logo.

- Meu deus! Baekhyun! - Só viu JongIn e Kyungsoo correndo até si e lhe abraçando.

- Eu fiquei tão preocupado! - Exclamou JongIn.

- Você está bem? O que aconteceu? - Perguntou Kyungsoo examinando o corpo do menor.

- Eu estou bem, Hyungs. - Respondeu rindo do desespero dos dois.

- Dá próxima vez que você sumir assim, senhor Park Chanyeol... - Começou Sehun indo até o amigo e o abraçando.

- Nos avise. - Completou Chen sorrindo em reve-lo.

- Você tem ideia o quanto foi desesperador saber que vocês sumiram? - Comentou Xiumin abraçando Baek.

Sairam a tarde inteira para conhecer a cidade e esperar a vinda de Lay, Sehun, Luhan, Myeon, Tao e Kris.

Os dias passaram rápido para todos, foi praticamente uma fuga da realidade. Em duas semanas de todos reunidos decidiram pegar uma van e viajar pelo USA.

Foram realmente momentos que não se deve esquecer, guardados para trazer felicidade.

- Baekhyun. - Foi chamado por Chanyeol, até a ponta de um penhasco que dava a vista para o mar, estavam sozinhos já que todos estavam em volta da fogueira, e a única que iluminava era a lua e a lanterna que estava na mão do menor.

- O que foi amor? - Perguntou sorrindo ao vê-lo sorrir.

- Aceita se casar comigo? - Ajoelhou e estendeu um anel prateado, sem caixinha ou muitos detalhes.

- Claro que sim! - Respondeu quase pulando de alegria e se abaixou para beijar Park.

- É com você que quero passar o resto da minha vida.

A viagem infelizmente acabou exatamente no aniversário de Baekhyun, completava 18 anos finalmente.

Kyungsoo e JongIn namoravam agora, Lay e Junmyeon praticamente casados, Luhan e Sehun sempre brigavam, mas com um só beijo faziam as pazes, Xiumin acabou fazendo amizade rápido com todos, e já tinha um caso com Chen há muito tempo, Tao e Kris se amavam tanto, que eram praticamente o casal perfeito.

E Baekhyun e Chanyeol, nem se tem palavras para explicar a necessidade que um tem do outro.

Agora todos na Coréia, Chanyeol já tinha resolvido todos os problemas e iriam voltar para o Estados Unidos à noite. Mas para o híbrido matar a saudades de seu velho bairro foi até o parque que tinha no mesmo.

- Com licença, meu jovem. - Ouviu uma voz envelhecida e logo se virou e viu que era uma velhinha, com um capuz marrom cobrindo o rosto, roupas surradas segurando uma lata. - Por favor me de algo para comer, ou dinheiro.

- Oh! Claro, venho comigo. - Pegou na mão da velha senhora e a levou para comer.

- És um menino maravilhoso, agradeço. - Disse entregando um colar feito com um fio preto que o único enfeite era uma pedra vermelha. - Tome, em forma de agradecimento.

- Eu que agradeço. - Colocou o presente no pescoço e foram, então, ao restaurante mais próximo.

- Por que está nas ruas?

- Ah, eu fui uma pessoa muito ruim. - Respondeu ainda sem tirar o capuz.

- Não acredito. Como alguém tão simpática como a senhora pode ter feito algo de ruim?

- Eu me arrependo. - Continuou. - Mas eu estar aqui, com você, já recompensa o tempo que passei na rua lindinho.

- Se eu pudesse lhe dava uma casa. - Comentou sorrindo e conversaram ate a idosa terminar a refeição.

- Tchau, meu gatinho Baekhyun. - Fez um breve carinho nas bochechas alheias fazendo o mais novo se surpreender, estava disfarçado e nem falara seu nome, como ela sabia?

- Baekhyun, finalmente te achei! - Era Chanyeol que beijou a bochecha de Baekhyun que continuava pasmo e encarou a velhinha. - Quem é?

- Eu receio que tenho que ir. - Disse a senhora indo embora.

- Quem era bebê? - Perguntou para o menor.

- A-a minha mãe.


Notas Finais


Obrigada por tudo
Até uma próxima fic


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...