História Apocalipse - Capítulo 35


Escrita por: ~ e ~MzSavelo

Postado
Categorias Orange Is the New Black
Personagens Alex Vause, Personagens Originais, Piper Chapman
Visualizações 122
Palavras 1.373
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Ação, Aventura, Ficção, Ficção Científica, Romance e Novela, Suspense, Terror e Horror
Avisos: Álcool, Bissexualidade, Drogas, Homossexualidade, Violência
Aviso legal
Alguns dos personagens encontrados nesta história e/ou universo não me pertencem, mas são de propriedade intelectual de seus respectivos autores. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos criada de fã e para fã sem comprometer a obra original.

Notas do Autor


Chegamos ;)
E aproveitem

Capítulo 35 - A vacina


Fanfic / Fanfiction Apocalipse - Capítulo 35 - A vacina

Haviam se passado cinco dias, desde que chegaram a universidade. Piper e Lorna não saiam do laboratório. Lorna lembrava a Polly, pra Piper. E ela sentia tantas saudades da melhor amiga. De vez em quando, ficava limpando lágrimas, em um cantinho. Estava fazendo aquilo, por eles. Sua família e amigos. Mas, nos últimos dias, algo havia mudado. Ela tentava ignorar ao máximo, aquele sentimento. Lorna percebia que a Piper ficava distante dali, em alguns momentos. Mas, ficava totalmente sem jeito, de perguntar. Temia, por não saber da história dela. Então, a deixava quieta quando estava no cantinho, olhando pra parede.

Nicky e Alex, começaram um treinamento. A loira estava se adaptando, com sua nova condição. Não podiam forçar o braço esquerdo. Lorna estava bem atenta, aos exercícios que faziam. Estavam trabalhando a destreza do direito. Ele seria o principal, agora. Até que Nicky pudesse, colocar um gancho. E ela não tirava, aquela ideia da cabeça.

Além de se exercitar, as duas exploravam o lugar. Entraram em todas as salas. Foram até o terraço. Conhecendo. Encontraram uma dispensa cheia. E na sala do zelador, uma arma pra Nicky. Uma serra elétrica. Sem que Piper e Lorna soubessem, elas saíram. Nicky treinou com zumbis de verdade. E ela se saiu muito bem. As duas descobriram, que tinham uma afinidade, enorme. Estavam bem próximas. Conversavam sobre tudo.

- E ela era chatinha, assim?

- Era. Ficamos batendo boca, por vários dias. - Alex disse rindo, ao contar, a pedido da Nicky, sobre sua história com a Piper. Z estava deitado em seu colo.

- Sabe o que acabei de ver, aqui? - A outra disse, olhando pro calendário. - Porra! Em quatro dias é o Natal. - Arregalou os olhos pra Alex. Ela também se surpreendeu, ao parar pra pensar. Em outra época, estaria indo pra Seattle.

- Bem que podíamos fazer algo. - Alex disse pensativa.

- Também, acho. Uma ceia.

- Ótimo! Comida, nós temos. Pipes me disse que terminariam logo com a vacina. Temos tempo o suficiente.

- Você acredita, nessa vacina?

- Acredito, sim. - Alex a encarou séria.

- Se funcionar isso acaba, cara. - Sorriu. - Eu estava pensando, em contatarmos, os amigos da Piper em Connecticut. Assim que ela testar. Faremos isso público. Aí, nem precisaremos fugir do gás. Eles virão nos buscar. O que acha?

- É uma ótima ideia!

- Ela deve saber, algum e-mail e tal. - Alex assentiu. - Internet e computador, nós temos. - Voltou a encarar o calendário.

Com o computador da Nicky, elas tiveram notícias do mundo, naqueles dias. Nada havia melhorado. Coreia ameaçou atacar a Rússia. Mas, nada havia se concretizado, ainda. Seattle continuava bem. Mas, eles estavam dificultando a entrada das pessoas. Alex não conseguiu mais, falar com sua mãe. O sinal estava, muito fraco.

- Colocaremos uma árvore? - Voltaram ao assunto Natal.

- Seria legal. - Alex deixou Z na cadeira e foi olhar pela janela.

- Mas, onde vamos encontrar um pinheiro, por aqui? - Nicky se aproximou dela.

- Sei lá. Olha aquela árvore pequena, ali. - Apontou. - Podemos usa-la. O que importa é a intenção, não é?

- Sim. E minha intenção, é dar um presente pra Lorna. Que tal, a lojinha ali na outra rua?

- Você vai lá? - Perguntou distraída. Queria dar algo a Piper, também.

- Nós iremos. - Tocou seu ombro. - Se eu for, você vai ter que ir comigo. - Alex a encarou, e ela sorriu.

- Eu acho que preciso, também. - A morena piscou.

- Iremos na surdina, né?

- Sim. Faremos uma surpresa. - Sorriu empolgada.

- Se a Lorna descobrir, essas nossas saidinhas, ela me mata. - Confessou. - Mas, fechou. Entendeu, pulguento? - Se dirigiu a Z, que estava parado a seus pés. - Bico fechado.

- Já disse, pra não chama-lo, assim. - Alex o pegou no colo, o cheirando.

Os três voltaram pro refeitório. Estavam cozinhando rosbife. E já havia ficado pronto. Foram chamar as outras duas, no laboratório.

- Meninas, vamos almoçar? - Perguntou, Nicky para as duas mulheres, super ocupadas.

- Podem ir, iremos mais tarde. - Disse, Lorna.

- Piper, vamos. Você não tomou café hoje. - Alex disse, recebendo só um olhar e nada mais. - Okay... Lorna, quando ela desmaiar de fome, me avisa, por favor. -Piper revirou os olhos e Lorna sorriu.

A loira adorava, todo aquele cuidado e preocupação, por parte da Alex. Não era nada diferente, do que tinha por ela. Mas, sempre ficava sorrindo, que nem boba, quando a morena demonstrava. Era inevitável. As coisas entre elas, ficavam cada vez mais sérias. Adorava acordar com o beijinho, que ela dava em seu pescoço, toda manhã. E talvez, ela fosse o motivo da indecisão, que se apossou de seus pensamentos. Antes, estava mais que decidida, agora ficava temendo aquilo.

Alex e Nicky foram para a cozinha, acompanhadas do Z. Começaram a almoçar o rosbife, acompanhado de batata frita. Tagarelaram bobagens. Quando terminaram de comer, conferiram Lorna e Piper. Estavam da mesma forma. Então, começariam os preparativos pra ceia de Natal. Encontraram enfeites, no depósito. Escolheram uma sala afastada, para organizar tudo. Escolheram também, os que pratos fariam.

Logo, estavam no terraço, monitorando a lojinha, onde iriam. Não haviam tantos zumbis. Conseguiriam ir e voltar, tranquilamente, se fossem rápidas e silenciosas. Desceram, planejando jogar cartas. E lá estavam, em um clima ameno, conversa vai conversa vem, até que escutaram um grito.

- Ahhhhh. - Imediatamente, Alex reconheceu sendo da Piper. Saiu em disparada, com a primeira arma que encontrou no caminho pro laboratório, um taco.

Ao chegar lá, viu a loira chorando e Lorna sorrindo.

- O que está acontecendo aqui? - Alex perguntou, preocupada e intrigada com a situação.

- Conseguimos! - Lorna disse com euforia.

- Conseguimos! - Dessa vez, foi a Piper qu disse, com o rostinho vermelho, pelas lágrimas e o sorriso mais encantador possível.

- O que porra tá acontecendo? - Nicky chegou, logo depois.

- Nicky, amor, conseguimos.

- Conseguiram o quê, mulher? Pera... Não acredito. - Sorriu e Lorna se jogou nos seus braços. - Eita, vai com calma. - Brincou.

Alex se aproximou da Piper, que a olhava sorridente, com os olhos brilhantes. Abraçou a morena, com intensidade. Fechou os olhos, deixando sua cabeça apoiada no ombro dela. Inspirou seu perfume. Se sentia tão bem ali. Sentia paz. Suspirou.

- Eu consegui refazer. Tenho uma nova chance. - Sorriu, ainda de olhos fechados. Nenhuma das duas, perceberam Nicky e Lorna, deixando-as a sós. - Pode ser, que tenha acabado esse inferno, meu amor. - Disse tranquilamente. Estava tão feliz. Beijou o pescoço da Alex.

- Amor, é? - Alex sorriu. Só aí, Piper percebeu que a havia chamado de amor. Suas bochechas queimaram. Ficou vermelhinha. Alex de afastou um pouco pra encara-la.

- Ai Alex, não estraga o momento. - Ela se afastou completamente, encerrando o abraço de vez.

- Estou muito feliz, por você, meu AMOR. - Disse, pegando-a pelo braço, e tascando um beijo, de tirar o fôlego. Quando deram uma pausa. Sorriram, olhando ao redor, procurando por Lorna e Nicky.

- Você as viu, sair? - Piper perguntou, estranhando.

- Não. Não vejo mais nada, quando estou com você. - Galanteou, beijando seu queixo.

Piper sentiu uma dorzinha no coração, ao olha-la nos olhos. O medo e a indecisão lhe invadiram. Seu sorriso se fechou e ela se afastou. Se arrependeu, logo depois. Alex ia perguntar, o que aconteceu.

- O que houve? - Voltou a se aproximar da loira.

- Nada. - Deu um meio sorriso. - É... Saudade. Deles. - Não era bem, mentira. Voltou a encarar Alex, tocando em seu rosto.

- Tem certeza? Você ficou estranha, de repente.

- Não, Al. Tudo bem.

- A Nicky deu a ideia, de contatarmos os seus colegas em Connecticut. Pra contar da sua vacina. O que você acha?

- A gente consegue? - Se interessou. - Como?

- Você não tem nenhuma forma, de falar com eles?

- Não. Não tenho. Perdi meu celular, com o contato da Doutora Wright. Mas... - Pensou um pouco. - Talvez, aqui na faculdade tenha. - Sorriu esperançosa. Aquela era uma nova perspectiva. Alex assentiu.


Notas Finais


Comentem pessoal
Beijokas :D
Até o próximo ;)


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...