História Após a aula - Capítulo 1


Escrita por: ~

Postado
Categorias Naruto
Personagens Karin, Sasuke Uchiha
Tags Hentai, Romance, Sasukarin
Visualizações 103
Palavras 2.640
Terminada Sim
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Colegial, Ecchi, Escolar, Hentai, Shoujo (Romântico)
Avisos: Adultério, Insinuação de sexo, Linguagem Imprópria, Nudez, Sexo
Aviso legal
Alguns dos personagens encontrados nesta história e/ou universo não me pertencem, mas são de propriedade intelectual de seus respectivos autores. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos criada de fã e para fã sem comprometer a obra original.

Notas do Autor


Olá Raah-chan, aqui está seu hentai postado exclusivamente para vc, isso pq provavelmente vc será a unica a ler essa one-shot mesmo XD hauhauahuahua espero que esteja do seu agrado >///<

Capítulo 1 - Capítulo Único - A Garota


Fanfic / Fanfiction Após a aula - Capítulo 1 - Capítulo Único - A Garota

Apesar do cansaço eu sei que não vou dormir mais então me levanto e vou jogar vídeo game, Naruto deve estar online, ele é extremamente viciado nisso, posso aproveitar para conversar com ele e me distrair... Algumas horas se passaram, eu e Naruto conversávamos e jogávamos ao mesmo tempo e antes que pudéssemos perceber já estava na hora de irmos para o colégio, eu vou até o banheiro pra me arrumar e me deparo com a minha cara de morto, pareço um zumbi, mas não é pra menos já que não dormi absolutamente nada.

Por estar muito cansado eu sento no fundo da sala assim que chego, por sorte não sou muito popular então no máximo quem pode atrapalhar meu descanso é o Naruto, dito e feito, o imbecil já chega gritando na sala a minha procura como se fizesse anos que não nos vemos.

- Iae Sasuke, como está o cara que mais gosta de perder pra mim nos vídeo games?... Caramba seu rosto tá horrível... – Ele diz após ver o estado em que eu me encontro por não ter dormido. – Você devia descansar um pouco, tente dormir de noite ao invés de ficar jogando a madrugada toda. – Ele diz balançando a cabeça negativamente e fazendo piada.

Se eu não estivesse tão cansado bateria na cara desse imprestável sem dó, afinal como ele consegue ter tanta vitalidade sem dormir nada? Provavelmente seja porque ele não tem nada pra se preocupar.

- E como estão as coisas com a Sakura? – Ele pergunta.

- Falando em preocupações – Eu respondo baixo, de forma quase inaudível. Sakura é minha namorada, um relacionamento que vai de mal a pior.

- Cara se está tão ruim assim porque vocês não terminam de uma vez? –Ele me confuso.

Eu estou pronto para levantar e brigar com ele por achar que as coisas são simples assim quando de repente eu vejo ELA chegando, eu não se quem é, nossa sala é grande e recente, poucas pessoas se conhecem aqui dentro, mas toda vez que ela chega eu não consigo deixar de olhar pra ela, é como se eu ficasse petrificado. Todas às vezes percebo que ela também me olha, às vezes com um olhar perceptível que mistura curiosidade e desejo, outras vezes ela apenas me fita confusa.

Sem perceber eu acabei a encarando por tempo demais, o suficiente para Naruto perceber que se tratava dela o meu momento “fora do ar”.

- Você tem sorte que sua namorada não estuda aqui, ela com certeza te mataria se visse o que você acabou de fazer. Você não devia olhar tanto pra ela se não vai nem ao menos dizer um oi. – Naruto diz meio que me repreendendo. – Até eu fiquei com ciúmes dela de tanto que você ficou secando ela kkkk. – Dessa vez ele disse fazendo piada.

- Cala boca seu idiota. Senta logo ai que a aula vai começar. – Falo pra ele percebendo que o professor já está na sala.

- Hoje não cara, tem uma loirinha da nossa sala que tô de olho então vou sentar perto dela, quem sabe eu não consigo algo kkkk. – Naruto diz com um olhar extremamente malicioso. – Mas não se preocupe graças a isso você vai ter seu dia de sorte.

Nessa hora ele sai correndo de perto de mim e eu percebo que a tal garota está em pé na frente da sala procurando um lugar pra se sentar, do meu lado aparentemente tem o último lugar vazio da sala toda, isso seria azar ou sorte? Ela então se senta ao meu lado e eu fico imóvel durante grande parte do tempo sem saber o que fazer, ela parece concentrada na aula, mas consigo perceber que ela também está se segurando para não olhar para o lado. Eu decido prestar atenção na aula e deixar pra me preocupar com isso depois, é então que um bilhete de papel cai sobre minha mesa com um “Oi” escrito e perguntando qual o meu nome, quando olho por lado vejo que ela está a me olhar com um lindo sorriso no rosto, eu paraliso por alguns instantes para apreciar aquela linda imagem e só volto a mim quando ela pede para que eu responda.

Passamos as 3 primeiras aulas conversando através de bilhetes e nos dávamos muito bem, descobri que ela tinha conhecimento da minha namorada porque já nos viu juntos e esperava que o namoro não atrapalhasse a amizade que acabamos de criar. Eu na verdade não me importava, eu estava me divertindo mais com aquela garota cujo o nome eu tinha acabado de descobrir que é Karin, do que com a minha namorada nos últimos meses.

Um pouco antes de a aula acabar e podermos ir pra casa ela pergunta se quero ir a um lugar com ela.

 - E que lugar é esse? Eu até vou mas não posso demorar muito caso contrário minha namorada me mata kkkk. – Digo fazendo piada pra descontrair.

- Não se preocupe, é um lugar que eu sempre quis ir mas nunca tive ninguém para ir comigo, não vamos demorar eu juro. – Ela me responde com um sorriso como se estivesse tramando algo.

Quando chegamos ao tal local eu vejo que é o parque que eles chamam de “Parque do Hokage”, é que quando o 1º Hokage fundou a vila ele abriu seu próprio quintal para que as pessoas usassem de parque, por isso o nome.

- Você nunca tinha achado ninguém para vir ao parque com você, é isso? – Pergunto meio confuso.

- Não, ao parque eu venho sempre, mesmo sozinha, aonde eu realmente quero ir é lá. – Ela então aponta para uma velha cabana que fica no fim do parque cercada por muros. – Eu sempre quis ir até a velha cabana, pra ver como é por dentro dela. – Ela diz com um sorriso infantil nacara.

Eu já conhecia a velha cabana de longe também, nunca tinha entrado, mas sei para que as pessoas vão até ela, mas decidi não contar isso para Karin pra não estragar o sonho dela. Nos então chegamos aos muros, já eram uma 5 horas da tarde e o parque já tinha fechado, tínhamos que pular o muro e torcer para não sermos pegos. Ela diz que vai primeiro e pede minha ajuda, eu apoio o pé dela com as minhas mãos e de uma forma inocente ponho minha mão na sua bunda para dar impulso a ela, de alguma forma parece que ela gostou quando fiz isso, e eu também gostei.

Pulo o muro com facilidade e quando vejo já estamos no topo da casa, infelizmente ela estava toda trancada e não tínhamos como abri-la sem fazer barulho, decidimos ficar por ali mesmo na sacada vendo o por do sol.

O silencio então é quebrado pela suave voz da Karin.

- Porque você nunca foi falar comigo se ficava me olhando tanto? – Ela pergunta

- Eu realmente não sei, mas eu ficava admirado toda vez que você chegava na sala, as vezes era meio instintivo ficar olhando para você. – Eu respondo observando o sol se por no horizonte com um semblante meio pensativo, sabia que essas coisas não deveriam ser ditas por um homem que namora a outra garota.

Antes que eu pudesse perceber Karin estava no meu colo, ela pulou de uma forma tão rápida que eu até demorei pra perceber, ela me fitava com um olhar sedutor, cheio de desejo e com um sorriso no rosto. Isso me deixava louco, eu não iria conseguir me segurar numa situação como aquela, eu nem ao menos queria me segurar, mas deixei que ela desse o primeiro passo pra ter certeza de que era o que eu estava pensando. Ela então aproxima nossos rostos, eu estou com uma cara assustada, meu coração está a mil e sinto como se fosse enfartar a qualquer momento, ela então me dá um curto beijo e põem a mão em meu peito.

- Pode ficar calmo Sasuke, ninguém vai nos pegar aqui. – Ela me diz isso sabendo que meu nervosismo era devido a minha traição. – Eu não quero te obrigar a nada se você não quiser, mas eu precisava muito te beijar. – Ela diz olhando minha cara confusa.

Dentro de mim eu sinto como se fosse explodir, é um mix de sensações que misturam medo e prazer de uma forma que me deixa em êxtase, eu então a puxo pra mais perto de mim e agarro suas coxas, elas são grossas e eu as aperto com força.

Percebo que ela fica com o rosto corado e sua respiração fica ofegante, assim como a minha.

- Por favor, me beija. – Ela me pede com um olhar como se estivesse suplicando por algo.

Eu ponho uma de minhas mãos em seu rosto e colo nossos lábios, eu a beijo de uma forma selvagem e ela corresponde de imediato, estamos ambos excitados com a situação proibida em que estamos, suas mãos estão sobre a minha nuca e sinto que ela vai abaixando lentamente até minha cintura.

- Posso tirar sua camisa? – Ela me pergunta de forma inocente.

Eu aceno de sim e a ajudo com suas roupas também, voltamos ao nosso frenesi de beijos de uma forma voraz, eu mordo seus lábios fazendo com que ela dê pequenos gemidos e aperte minha barriga, eu a aperto e a trago para perto do meu corpo. Nós ficamos nisso por mais uma hora quando percebo que estamos quase totalmente nus, ela veste somente a calcinha e seus lindos pertos rosados estão completamente a mostra, eu os agarro e aperto eles com força, ela pede para que eu beije eles e eu nem sequer penso duas vezes, coloco eles gentilmente sobre os meus lábios dando pequenos chupões naqueles peitos perfeitos, consigo ouvi-la gemer sem conseguir se segurar, ela põem a mão na boca para tentar inutilmente abafar o som que está fazendo.

- Karin... eu... eu... eu preciso ir mais longe com você. – Digo isso a ela enquanto a vou descendo sua bunda devagar para mais perto da minha cintura fazendo com que nossas intimidades se juntem e se colem, no primeiro momento ela somente se meche em cima de mim a fim de encontrar mais contato entre nós.

Quando ela não consegue mais se segurar de tanto prazer eu vejo que ela assente com a cabeça.

- Você pode ir mais longe comigo Sasuke, por favor, vamos mais longe com isso, me faça ser sua essa noite. – Ela diz com a voz tremula de uma forma a me deixar louco.

Eu somente termino de me despir e puxo sua linda calcinha preta para o lado deixando a entrada de sua intimidade totalmente a mostra para que eu possa penetra-la.

- Só, por favor, vá com calma, essa é a primeira vez que faço isso. – Karin.

A ideia de ser o primeiro homem de Karin, as circunstancias em que estávamos, a sensação de perigo, tudo... Absolutamente tudo estava me deixando louco e eu já estava quase perdendo o controle de mim mesmo, eu a coloco devagar sobre meu membro que estava completamente ereto, de uma forma a assustar um pouco a Karin.

- Não se preocupe, eu vou ser gentil com você e não vou te machucar. – Digo isso sussurrando em seu ouvido fazendo com que ela mordesse seus lábios.

Eu então vou descendo ela devagar enquanto beijo seu pescoço e dou pequenas e curtas mordidas fazendo com que a ruiva grite de tanto prazer, ela me aperta cada vez mais forte e rebola sobre o meu pau completamente dentro dela. Quando sinto que ela já está acostumada começo a move-la para cima e para baixo fazendo com que ela dê vários gemidos altos, nessa hora nem eu e muito menos ela estávamos preocupados em sermos pegos, só queríamos que aquele momento de prazer nunca acabasse, eu então começo a estoca-la mais forte e mais fundo ainda a fazendo ficar sem folego, eu percebo que ela está adorando o que está acontecendo.

- Onegai Sasuke-kun, não pare... Onegai, continue me comendo assim. – essas palavras que saiam da boca da Karin só conseguiam me deixar ainda mais louco de prazer por ela, eu atendia aos desejos dela, até que senti um liquido quente descer por entre as minhas coxas e vi Karin desabar sobre o meu peito, ela tinha acabado de gozar.

Eu ainda estava com muito tesão por aquela situação e por aquela garota ela nem ao menos descansou e saiu de cima de mim se colocando de quatro ao meu lado apoiada na parede.

- Vamos Sasuke-kun, não me faça esperar demais. – Disse Karin me olhando com prazer em querer ser comida por trás.

Eu rapidamente levanto e sem dizer uma palavra vou de encontro a sua entrada com meu membro, eu coloco devagar mas de uma vez, ela geme e pede que eu vá mais rápido, com uma de minha mãos eu aperto seu peito com força enquanto a outra fica grudada em sua maravilhosa bunda e reveza dando alguns tapas fazendo a ruiva delirar de excitação e não conseguir conter seus gemidos.

Quando eu a olho uma de suas mãos está na sua vagina.

- Eu não sou bom o suficiente a ponto de você precisar de uma mãozinha para gozar? – Pergunto provocando a ruiva.

- Não Sasuke-kun, não é isso, eu só não consegui me conter. – ela responde com dificuldade devido ao tesão.

- Então vamos ver como você vai ficar agora. – Eu digo puxando ela para trás, a deixando de joelhos bem na minha frente, eu pego seus braços e os prendo para trás com as minhas mão e volto a estoca-la com força. Ela grita de tanto prazer e pede pra que eu a solte, eu digo que não e paço a segurar os dois braços com apenas uma de minhas mãos e com a outra vou de encontro com seus peitos os apertando com muita força para deixa-la ainda mais excitada.

Ela então começa a gemer ainda mais alto anunciando que vai gozar novamente e pede para que não pare.

- Onegai Sasuke-kun, me faça gozar de novo, não pare e me deixe sentir isso mais uma vez. – ela suplica enquanto eu a como de forma selvagem.

Meu tesão era tanto que eu não conseguiria me segurar por mais muito tempo, eu começo a acelerar meus movimentos deixando Karin ainda mais louca, o corpo dela começa a ter pequenos espasmos e eu sinto sua pequena e rosada vagina se contrair de forma a apertar meu membro, isso é o suficiente para me fazer chegar ao nível máximo de excitação.

- Eu não consigo mais segurar Karin, eu vou gozar... eu vou... gozar. – Digo isso em seu ouvido enquanto continuo a come-la com rapidez.

- Não se preocupe Sasuke-kun, onegai goze junto comigo. – Karin pede.

Nesse momento tudo fica escuro e eu me sinto exausto, vejo Karin apoiada na parede mal conseguindo se mexer, e eu não estava num estado muito diferente. Eu ponho nossas roupas esticadas no chão imitando uma lona para que pudéssemos no deitar. Ela se apoia em meu ombro e vai passando a mão por entre todo o meu corpo da cintura para cima, até chegar no meu rosto, ela me olha de uma forma apaixonada e agradecida.

- Espero não ter te machucado. – Eu digo a olhando preocupado

- Não se preocupe, quase não doeu nada, mas foi a melhor coisa da minha vida, arigatou Sasuke-kun. – ela então me beija de forma suave e apoia sua cabeça em meu peito.

Nessa hora eu já não me preocupava mais com que horas eram, com quantas mensagens Sakura tinha me mandado, se seriamos pegos ou com como seria o futuro dali pra frente, eu só queria me concentrar no que estava acontecendo naquele momento, aquela ruiva linda deitada completamente entregue a mim e eu a abraça-la, completamente entregue a ela.


Notas Finais


E é isso, desculpa a enrolação pra começar a parte principal, mas precisava de uma historinha pra fazer sentido, dá próxima prometo ser mais direto hauhauahuahuaha <3


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...