História Após a meia-noite - Capítulo 12


Escrita por: ~

Postado
Categorias Originais
Personagens Personagens Originais
Visualizações 15
Palavras 656
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Drama (Tragédia), Mistério, Romance e Novela, Suspense, Terror e Horror, Violência
Avisos: Álcool, Heterossexualidade, Homossexualidade, Insinuação de sexo, Linguagem Imprópria, Mutilação, Tortura, Violência
Aviso legal
Todos os personagens desta história são de minha propriedade intelectual.

Notas da Autora


Olá! Bem vindos a mais um capítulo. Bem, eu não recomendo muito para quem é sensível a sangue pois tem algumas cenas um pouco fortes. Enfim, boa leitura!

Capítulo 12 - Capítulo 12


Eu não consigo enxergar nada. Está escuro demais. Ainda assim continuo correndo, não sei bem o motivo mas sinto muito medo. 

- Mamãe? - paro completamente desnorteada. Aquela voz... Procuro de onde vem a voz mas não vejo nada. - Eu estou aqui mamãe. - me viro lentamente. Em meio a tanta escuridão há um feixe de luz que ilumina uma criança. A garotinha sorri para mim.

- Eloíse? - arquejo. Sinto minhas pernas fraquejarem e caio de joelhos. Meus olhos estão marejados. 

- Eu senti sua falta mamãe. - Eloíse me olha serena. 

- E-eu também senti sua falta. Muita. Eu te amo tanto. - começo a chorar. 

- Não chora mamãe. Não quero te ver triste. - sorrio para ela e seco minhas lágrimas. Estou tão feliz em finalmente poder vê-la. - Mamãe, por que você me abandonou? - meu sorriso desaparece. 

- O quê? - de repente uma mão segura o ombro de Eloíse. A princípio não consigo ver quem é mas aos poucos a visão vai se tornando clara. Gregory está ali. 

- Por que a abandonou Evie? - ele segura a mão dela e sorri. Larga minha filha!, eu quero gritar mas não consigo dizer nada. De repente, outro feixe de luz aparece. 

- Por que você me matou Eveline? Eu te amava tanto. - arfo ao ver o rosto de David. 

- Por que matou seu marido Evie? - Gregory pergunta. 

- Mamãe, por que você matou o papai?- não consigo falar ou agir, apenas os olho paralisada, em choque. Gregory pega Eloíse em seus braços e me dá as costas, levando-a para longe. Eloíse acena para mim. - Adeus mamãe. - tento correr atrás deles mas não me movo um centímetro sequer. Estou presa ali vendo Gregory desaparecer na escuridão com minha filha. Olho para David que está parado me encarando. 

- Ah Eveline, olha só o que você fez. Isso é tudo culpa sua. - então ele também desaparece. Várias imagens translúcidas começam a aparecer : eu matando David, eu abandonando minha filha, Gregory matando aquela mulher diante dos meus olhos. As imagens giram à minha volta. Olho para baixo e percebo que minha roupa está manchada de sangue, em minha mão há uma faca. Apavorada solto-a imediatamente. Um espelho aparece em minha frente e olho meu reflexo. 

- Por que está tão assustada Evie? - O reflexo de Gregory aparece. Olho para trás mas não o vejo. - Essa é você Evie. - olho novamente para minha imagem refletida. Estou ensanguentada da cabeça aos pés. - Nós somos exatamente iguais. 

- Não sou igual a você! - grito para ele furiosa. Ele sorri. 

- Ah não? Então como explica os corpos deles?- ele gesticula com a mão e a acompanho. Ali, ao meu lado, há uma pilha de corpos ensanguentados. Reconheço os corpos : Amy, Will, Arthur, David, Joe e em cima de todos eles, o corpo de Eloíse. Dou um grito e olho para o espelho. Estou sozinha novamente. Então meu reflexo me fita e sorri maldosamente. 

Acordo desesperada pulando da cama. Estou arfando completamente perdida. Uma gota de suor escorre em minha testa. Minhas mãos estão gélidas e trêmulas. Imediatamente começo a chorar. 

- Está tudo bem? - Gregory pergunta mas não o respondo, lembrando-me do pesadelo. - Deve ter sido só um pesadelo, logo você esquece.-Continuo chorando. Tenho certeza que vai ficar por muito tempo na minha memória. 

- Bem, levante-se e tome seu café da manhã.- ele aponta para a mesa que tem uma bandeja cheia de comida. Meu estômago está revirado e não sinto fome alguma. - Depois arrume suas coisas porque vamos embora. 

- Para onde vamos? - me desespero. 

- Andei pesquisando uns imóveis durante a madrugada. Vamos para um lugar mais seguro. - fito-o atônita. Ele não diz nada, apenas joga uma caixa de lenços para mim e sai do quarto. Começo a chorar novamente. Eu odeio a minha vida. 


Notas Finais


Pesado. A coitada só sofre! Ô vida difícil. Espero vocês no próximo capítulo. Até lá! ♡


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...