História Aposta Surpreendente - Capítulo 3


Escrita por: ~

Postado
Categorias Orange Is the New Black
Personagens Personagens Originais
Tags Laura Prepon, Laylor, Natasha Lyonne, Oitnb, Taylor Schilling, Yael Stone
Visualizações 226
Palavras 3.119
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Drama (Tragédia), Romance e Novela, Yuri
Avisos: Álcool, Bissexualidade, Homossexualidade, Insinuação de sexo, Linguagem Imprópria, Sexo
Aviso legal
Alguns dos personagens encontrados nesta história e/ou universo não me pertencem, mas são de propriedade intelectual de seus respectivos autores. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos criada de fã e para fã sem comprometer a obra original.

Notas do Autor


Olá meus amores❤️cês tão bem? Ô, espero que o capítulo esteja do agrado de todos e desculpem qualquer erro.
Leiam as notas finais.

Capítulo 3 - Maybe she's not so grumpy like that.


Laura

Sai daquele quarto de hospital com cara de poucos amigos e Lyonne logo veio atrás de mim, ela me chamava, eu a ouvia gritar meu nome e ainda assim não parei meus passos apressados. Pelo canto do olho pude vê lá correndo na minha direção, faltando pouco para ser atropelada. Pensar nessa possibilidade fez com que meus passos fossem diminuídos, dando assim a oportunidade para Tasha me alcançar.

– Mas.. o que. . foi isso? Perguntou ela ofegante.

Sentada no banco da praça próxima ao hospital suspirei pesadamente e olhei para a minha melhor amiga ainda ofegante. Não foi preciso dizer nada, Lyonne me lia tão bem que simplesmente me envolveu num abraço demorado, só então me permiti chorar, me permiti tirar todo aquele peso dos meus ombros.

– Ela já está fora de perigo Laura. Dizia na tentativa de me acalmar.

Depois de fungar e secar as lágrimas que insistiam em cair disse: Ela foi tão idiota! Ela.. ela poderia ter morrido Tasha! Morrido por comer a minha comida, ela disse que comeu para não fazer desfeita..mas porra.. ela poderia ter dito que era alérgica, não levaria para o pessoal.

– Ela se desculpou?

Sim, mas em seguida foi super insensível ao dizer que era "alérgica a Laura Prepon". Tentei imitar a voz de Taylor e Tasha sorriu com isso.

– Isso se chama autodefesa snap! Taylor está atacando antes que você o faça.

Mas eu não estou a atacando, quer dizer, respondo as provocações dela.. mas estou com a guarda desarmada Natasha e ela me ataca gratuitamente! Nem parece a mesma pessoa que carreguei escadas a cima.. ontem. Natasha me encarava com um sorriso de orelha a orelha.

– Eu sabia!!! Sabia que não conseguiria ficar longe do corpo de Taylor.

O que? Perguntei incrédula com aquela insinuação. Não é nada disso que você está pensando Lyonne!

– A é? E o que estou pensando?

Que Taylor e eu transamos!

– Olha, ninguém aqui mencionou a palavra sexo hahaha. Mas vocês transaram?

Óbvio que não! Eu só a levei para a cama, não dá maneira que você gostaria.

– Poxa. Fez uma cara de decepção. Estava crente que não passaria dessa noite.

Olha, me poupe.

– Que foi? Você tem que concordar comigo que Taylor é uma mulher muito bonita e incrivelmente sexy.

Deixa a Yael te pegar falando isso da sua melhor amiga!

– Mas ela sabe disso tanto quanto eu. Você não concorda?

Que Taylor seja sexy?

– Obviamente, mané hahaha.

Ela não é tudo isso, mas tenho que concordar com o fato dela ser sexy.

– Ela já usou aquele pijama de ceda?

Sim.. Lyonne, as vezes você me tira do sério! Está se aproveitando da minha fragilidade para arrancar informações sobre a minha noite com Taylor.

– Esse é o meu trabalho amor!

Por que ainda sou sua amiga? Brinquei.

– Porque eu sou incrível pra caralho!

Sim, você é.

– Agora vamos lá pra dentro, Yael deve ter um milhão de perguntas para fazer.

Desse modo Natasha e eu nos juntamos a Yael na sala de espera. As mulheres conversavam entre si e eu fiquei quieta no meu canto pensando em como as últimas duas noites haviam sido conturbadas, tudo isso graças a um ser minúsculo quando comparado a mim – como um ser tão pequeno pode criar tanta confusão em tão pouco tempo? – sorrir com o pensamento mas logo tratei de afasta ló quando vi o médico de Taylor se aproximando.

– Bom, vocês já podem leva lá pra casa e deixe aquela mocinha longe de camarões por um longo período! Disse sério.

Não se preocupe doutor, manteremos os camarões fora do alcance daquela criança. Disse Yael sorrindo para o doutor.

– Muito bem senhoritas, peço que me procurem imediatamente caso as manchinhas vermelhas voltem a surgir.

Muito obrigada por cuidar da nossa amiga doutor! Disse Yael cumprimentando o médico.

– Bom, agradeça a essa moça. – Disse aprontando para mim. Se não fosse por ela, sua amiga teria partido dessa para melhor.

Instantemente corei e em seguida me despedi do médico com um aperto de mão.

—///—

A saída do hospital foi um tanto dramática, Tasha queria carregar Taylor até o carro e a mesma protestava dizendo ser capaz de caminhar sozinha. Eu nada disse, apenas busquei o carro e esperei até que todas entrassem no mesmo. A volta pra casa teria sido rápida se não tivéssemos parado para deixar Yael e Natasha em casa. Depois de deixar as meninas em casa o clima no carro caiu drasticamente, um silêncio constrangedor se fez presente e foi assim o caminho todo.

Chegamos em casa por volta das sete horas, as luzes automáticas estavam funcionando perfeitamente. Depois de estacionar o carro, esperei que Taylor descesse do mesmo e o tranquei, abri passagem para que ela passasse e caminhei logo atrás de si, o silêncio ainda se fazia presente, revirando os olhos e passando por cima do meu orgulho disse: Tome um banho, enquanto preparo uma sopa pra gente.

Pela misericórdia de Deus, Taylor apenas assentiu e subiu as escadas. Desse modo pude preparar a sopa em paz.

—///—

Taylor

Tomei um banho demorado, permitindo que a água quente tirasse todo aquele odor hospitalar, esperando que ela levasse consigo o que restou da reação alérgica. Ainda era possível ver algumas manchinhas vermelhas pelo meu corpo, a garganta ainda não estava sem por cento.

Enquanto esfregava meu corpo as palavras de Yael tomaram conta da minha cabeça:

Tasha nunca viu Laura tão preocupada.. Você deveria pedir desculpas.. Nos últimos dois dias você tem sido uma completa idiota! Laura acabou de passar por mim, parecia o flash.. sua cara não era uma das melhores, o que você fez desta vez? Pode pedir desculpas e consertar as coisas.

Mais uma vez Yael estava certa e eu errada, estava sendo idiota gratuitamente, mas essa foi a maneira que encontrei para me proteger de Laura. "Laura chefe e Laura pessoa, são pessoas completamente diferentes" gritava o meu subconsciente. Eles estavam certos, mas é tão fácil atacar antes de ser atacado.

Afastando aqueles pensamentos, finalizei o banho, coloquei o mesmo pijama da outra noite e logo desci. Encontrei com Laura no meio do caminho, ela apenas disse para que eu aproveitasse e logo sumiu das minhas vistas. Já na cozinha, coloquei um pouco de sopa no prato que por sinal, estava com uma cara maravilhosa e logo comi; lavando a louça que eu havia sujado, caminhei de volta para o quarto, esbarrando mais uma vez em Laura, que nada disse.

Não faço a mínima ideia de quanto tempo passei no quarto editando aquelas fotos, meus olhos estavam começando a ficar pesados então desliguei o computador e me permiti cochilar um pouco. Acordei horas depois com vontade de ir ao banheiro e para a minha surpresa Laura ainda não estava lá, depois de usar o banheiro, caminhei até a cama, olhei as horas – 00:30. Do lado de fora ouvi um misto de palavras indecifráveis, logo presumi que seria Laura. Sendo assim me joguei na cama, tentei controlar a respiração ofegante e fingi que estava dormindo.

O cheiro amadeirado invadiu o quarto e preencheu meu olfato, era possível ouvir Laura andando de um lado para o outro, ora tropeçava nas coisas, ora dava risada e dizia shhhhii pra si mesmo. Laura se aproximou de forma desengonçada até a poltrona que ficava do meu lado na cama e me analisou, bom, eu senti o seu olhar sobre o meu corpo. Me mexi e Laura se afastou, minutos depois se aproximou de novo, era possível sentir o seu hálito embriagado, fiquei tonta só de senti ló.

– Sabe.. ela começou falando e se sentando corretamente na poltrona. Natasha tem razão.. você realmente é uma mulher muito bonita e.. é tão sexy.. percebi isso no instante em que você pisou na minha revista, você estava tão linda com aquele vestido branco.. hmm.. estava com um coque? .. sim, um perfeito coque.. na boca um batom vermelho.. as suas covinhas perfeitas me fizeram te achar o ser mais adorável da face da terra e então dei de cara com um par de olhos azuis que imediatamente me fizeram lembrar do mar..

Eu achei que você fosse um anjo e naquele momento eu desejei muito ter uma chance com você.. mas então, nas primeiras horas de trabalho você fez justamente o contrário do que eu havia pedido e isso me deixou muito brava.. mas seu trabalho foi realizado de forma brilhante e eu ainda estava brava por você me desobedecer que nem me lembro se te dei os parabéns.. você é muito teimosa, deu pra perceber isso com dois dias de convivência, não gosta que mandem em você, fiz isso no trabalho.. até porquê é o meu trabalho mandar ou as coisas não funcionam, desde lá você guardou em sua memória uma Laura rabugenta e mandona mas.. – ela parou, olhou as horas e continuou. Se você soubesse como sou de verdade, mudaria de opinião na mesma hora. Hoje o dia foi tão estressante, você me deu um baita susto, já pensou perder você antes mesmo de ganhar? – ela forçou uma risada. Seria cômico se não fosse trágico.

Laura levantou se e caminhou para o seu lado da cama, ainda falando.

Eu passei todas essas horas lá em baixo só para não vir te incomodar, digamos que eu esteja levemente bêbada e provavelmente não me lembrarei de nada disso amanhã e por falar em lembrar, você dormiu agarrada a mim na noite passada, mas não te direi isso, porque provavelmente você dirá que foi eu que agarrei você, mas foi justamente ao contrário.. – Nesse momento meu coração deu uma acelerada, eu agarrei Laura durante a noite.. eu só quero que você não se sinta incomodada com a minha presença e que veja que não sou esse monstro de sete cabeças e que apesar de tudo, farei o que estiver ao meu alcance para te mostrar que você pode sentir alguma coisa por mim.. que não seja o ódio. Eu já falei demais e você está aí dormindo, suas manchinhas sumiram e eu já posso dormir melhor.. – Bocejo. Boa noite Tay. Disse depositando um beijo na minha bochecha.

Meu coração ganhou um aperto desconhecido, ouvir tudo aquilo havia me deixado confusa, me fazia pensar em como estava sendo injusta com Laura e comigo mesmo. Esperei alguns minutos para não acorda lá e em seguida pulei da cama, com o celular em mãos segui para a sala já discando o número de Yael, mesmo sabendo que ela provavelmente já estaria dormindo e que sem sombra de dúvidas me mataria por ligar tão tarde. O telefone tocou uma, duas vezes e nada, na terceira tentativa ela atendeu.

– É bom que seja uma emergência Schilling!

Eu sei, eu sei! Desculpa ligar tão tarde, é que.. estou confusa.

– Confusa com o que?

Laura..

– Hmm, o que houve?

Relatei os últimos acontecimentos sem deixar nada de fora e esperei pela resposta de Yael.

– Hahaha, ela gosta de você minha querida.

Mas Lyonne disse que ela é a maior pegadora que ela conhecia!

– E daí? Algumas pessoas também amam sabia?

Não, ela não! Lyonne disse que Laura é capaz de ter a mulher que quiser e que nunca a viu com ninguém por mais de uma noite.

– Então você está com sorte, já passou duas noites com ela haha.

Não tem graça Yael!

– Tem sim! E eu não posso fazer muito por você minha querida, você só precisa se deixar levar.

Eu não posso, eu a odeio!

– Você está certa disso?

Silêncio.

– Foi o que pensei! Vá dormir Schilling e aproveite esse tempo com Laura haha.

Vá se foder.

Conversar com Yael não havia ajudado tanto quanto eu gostaria, a conversa só serviu para me deixar mais confusa. Frustrada, segui para o quarto e me deitei ao lado da "minha namorada".

—///—

Laura

Acordei antes mesmo do celular despertar e mentalmente agradecia por isso, não estava afim de acordar Taylor. Peguei o celular no criado mudo e segui com ele para o closet, pegando um dos meus melhores terninhos segui para o banho, minha cabeça latejava, não podia ouvir um ruído sequer que a dor se mostrava presente, tomei banho calmamente, me deixei aproveitar aquela maravilhosa água quente e afinal de contas, ainda estava muito cedo, não passava das cinco e meia da manhã. Finalizando meu banho momentos depois, vesti a roupa, fiz a maquiagem e arrumei o cabelo.

Meu celular só veio despertar quando já estava na cozinha finalizando meu café, aguentando a louça que havia sujado resolvi deixar um bilhete a Lola, afinal de contas ela precisava saber que tinha alguém além de mim na casa. Seguindo para o quarto minutos depois, observei Taylor dormindo e suspirei pesadamente. Deixei um bilhete em cima de seu computador, dizendo a mesma que não precisava ir ao trabalho e que poderia me enviar as fotografias por e-mail.

Havia saído de casa mais cedo do que o normal então resolvi dar uma passada no píer e por lá fiquei por cerca de uma hora e meia, seguindo para a revista em seguida, sentia que minhas energias estavam renovadas só por ter ficado um tempo naquele lugar maravilhoso. Apesar de ser segunda feira e apesar da dor de cabeça que insistia em se fazer presente, decidi que não deixaria nada e nem ninguém acabar com aquela paz adquirida recentemente.

Nem mesmo o trânsito parado foi capaz de estragar meu humor e olha que aquilo acontecia com frequência, ligando o rádio em um volume razoável segui sem pressa para o trabalho. Cheguei no trabalho por volta de oito horas e não havia quase ninguém ali, dando bom dia para o segurança, caminhei lentamente para a minha sala, chegando na mesma dei de cara com Terasa arrumando minha mesa.

– Formigas na cama? Laura Prepon chegando antes das dez horas, estou chocada. Ela brincou!

Me lembre de pegar leve na bebida minha cara e Bom dia né. Disse abraçando minha amiga.

– Bom dia, andou bebendo foi?

É o que acontece quando você está com pensamentos demais, tenta afoga lós no álcool.

– Mas o efeito é justamente ao contrário, você pensa mais ainda.

Infelizmente! Lyonne já chegou?

– Sim, está finalizado a última matéria da revista. Mas me diga, como estão as coisas com Taylor?

Pelo seu sorrisinho debochado, posso presumir que você já esteja por dentro dos últimos acontecimentos.

– Tão óbvio assim?

Super! Você poderia checar meu e-mail? Taylor está para mandar as fotos desta semana.

– Tudo bem. Ah, não se esqueça que hoje você tem a reunião de pauta. – Olhou o relógio. Daqui a dez minutos para ser exata.

Não me incomode durante esse período!

Terasa logo saiu e eu segui para a sala de reuniões. A Reunião durou cerca de duas horas e quarenta e cinco minutos, foi decidido sobre quais temas publicaríamos aquela semana e como seriam feitas as ligações, entrevistas, fotografias, editoriais e capa. Finalizando aquela exaustiva reunião segui para a minha sala e Terasa logo tratou de me avisar que Taylor havia me enviado as últimas fotografias que faltavam para aquela edição ir às bancas. Sentei me em meu sofá e fiz uma inspeção minuciosa nas tais fotografias e como previsto, aprovei a maioria.

Estava distraída olhando as ruas de Los Angeles através das janelas que nem percebi que Natasha havia entrado.

– O que deu em você? Perguntou ela e eu ainda me mantive na posição inicial.

Por que?

– Você chegou super cedo e já resolveu um monte de problemas! E normalmente você é a última a chegar.

Formigas na cama. Usei a piadinha que Terasa havia feito mais cedo.

– Fugindo da Taylor hm?

Não estou fugindo de ninguém. Disse encarando Natasha. O que é isso em suas mãos?

– É meio óbvio, flores!

Certo, de quem são? Por que você está com ela?

– São pra você né tonta.

Wow! E de quem são?

– Não sei, Terasa que pediu pra trazer.

Caminhei até o arranjo de flores, peguei o pequeno cartão e comecei a ler. O cartão dizia o seguinte:

Estou com o computador aberto em um site de flores e seus significados, porque eu realmente não entendo nada delas, seus significados são muito interessantes aliás, achei uma que casa perfeitamente com esse momento! Por isso te mando esse lindo arranjo de Madressilva que tem como significado a delicadeza (gentil). Aceite isso como forma de agradecimento e pedido de desculpas pelos problemas causados.

PS. Talvez você não seja tão rabugenta assim!

Ass: Taylor Schilling.

– De quem são? – Lyonne perguntou.

São da Taylor. – Disse jogando o cartão sobre a mesa sem me importar muito.

– E você fala isso com toda essa naturalidade?

Queria que eu falasse como? – Por dentro eu estava dando pulinhos de felicidades, mas não diria isso a minha melhor amiga.

– Queria que você desse pulinhos de felicidades! – Disse com cara de decepção.

Pulinhos de felicidades por isso? – Perguntei com desdém. Taylor não fez mais que a sua obrigação, afinal de contas, eu salvei sua vida.

– Aí que horror Laura!

Esqueça isso, agora senta aí e me conta o tal "assunto proibido" que mencionou aquele dia.

– Desde que Taylor se assumiu para a família, manteve um relacionamento sério com uma única pessoa. Carrie Brownstein, essa aqui – Disse mostrando a foto.

Até que ela não é de se jogar fora.

– Bom, essa mulher foi responsável por grande parte das coisas ruins que aconteceram a Taylor!

Como o que por exemplo?

– Acho que você percebeu o grande talento que Taylor tem para fotografia não é? – Assenti de maneira positiva. Bom, ela tinha tudo para se tornar uma fotógrafa mundialmente conhecida mas isso não veio a acontecer pois Carrie roubou fotos importantíssimas e além disso roubou grande parte das suas economias.

Que filha da puta! E Taylor deu parte dela na polícia?

– Não, Taylor a amava tanto que preferiu deixar isso pra lá e continuou trabalhando como freelance. E isso não é nada quando comparado ao que ela fez antes de Taylor se assumir para a família.

Explica!

– Carrie foi responsável pela saída de armário de Taylor, ela tirou uma foto da T com a boca na botija e enviou a sua mãe.

Puta que pariu, ela não fez isso!

– E como fez! A mãe de Taylor a expulsou de casa no dia seguinte, dizendo que não aceitaria ter uma filha que não seguida os mandamentos de Deus. E foi desse modo que Taylor e Carrie começaram a namorar sério, Taylor ficou sem ter para onde ir e então foi morar com Carrie e o resto você já sabe.

Como ela foi capaz de fazer isso com a Tay? – Aquela história fez meu coração ficar pequeninho e a minha vontade era correr até Taylor e abraça lá, protege lá do resto do mundo. Eu preciso sair agora Lyonne.

– Mas nos estamos no meio do expediente Laura! Onde você vai?

Eu preciso ver Taylor. – Disse apressada.


Notas Finais


Primeiramente, gostaria de agradecer pelos favoritos e comentários, isso me inspira muito, saber que vocês estão me acompanhando nessa jornada é tão gratificante❤️ estou muito feliz meus amores! Se os capítulos estiverem tediosos me perdoem, vou procurar melhorar u.u e vocês podem comentar, dar sugestões, fazer críticas, estou aqui para ouvi lás e também tô no Twitter @thisisfucktw – o próximo capítulo já está pronto, quer dizer, falta uma pequena parte, então lá pela tarde, posto ele!


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...