História Aposta Surpreendente - Capítulo 4


Escrita por: ~

Postado
Categorias Orange Is the New Black
Personagens Personagens Originais
Tags Laura Prepon, Laylor, Natasha Lyonne, Oitnb, Taylor Schilling, Yael Stone
Visualizações 281
Palavras 2.748
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Drama (Tragédia), Romance e Novela, Yuri
Avisos: Álcool, Bissexualidade, Homossexualidade, Insinuação de sexo, Linguagem Imprópria, Sexo
Aviso legal
Alguns dos personagens encontrados nesta história e/ou universo não me pertencem, mas são de propriedade intelectual de seus respectivos autores. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos criada de fã e para fã sem comprometer a obra original.

Notas do Autor


Como prometido, capítulo novo❤️ espero que todos gostem! Comentem a opinião de vocês meus amores, ignore qualquer erro, please.

Capítulo 4 - Jealous


Taylor

Laura chegou em casa mais cedo, com um sorriso no rosto trazia o arranjo que eu havia mandando horas atrás. Seu sorriso morreu ao perceber que eu estava acompanhada, mas ela manteve a pose e caminhou lindamente até a minha direção, antes de cumprimentar a pessoa que agora estava em pé em frente ao seu sofá; Laura estranhamente me cumprimentou com um "Oi amor" e depositou um selinho em meus lábios, me pegando de surpresa.

Laura logo se virou ficando de frente para a pessoa que nos olhava com os olhos arregalados. Bastou um pigarro de Laura para que eu voltasse para a realidade. Essa é a Laura, minha namorada. – Pela primeira vez disse aquela frase em voz alta. E essa é.. – Não tive tempo de dizer mais nada, Laura foi mais rápida.

Carrie Brownstein! A que devo a honra da sua visita?

– Desculpa, nós nos conhecemos? – Perguntou Carrie confusa.

Não! Mas ouvi tantas histórias ao seu respeito que é como se eu a conhecesse como a palma da minha mão.

– Wow! Histórias boas eu espero. – Disse sorrindo.

Laura retribuiu com um falso sorriso e sentou se no sofá, me levando consigo para o seu colo. Eu até tentei sair de seu colo, mas ela não permitiu.

Então Carrie, o que te trás a minha casa?

– Vi um post da Taylor sobre nunca mais chegar perto de camarões e me preocupei, decidir fazer uma visita e cá estou. Não sei se você sabe mas Taylor e eu já fomos muito próximas. – Não entendi qual era necessidade de Carrie mencionar aquilo, senti as mãos de Laura apertar minha cintura.

Vocês foram namoradas, eu sei! – Olhe incrédula para Laura, mas decidi que cobraria explicações depois.

– Wow! Não sabia que tinha contado a ela Taylor.

Mais uma vez não tive tempo de responder. Taylor e eu não temos segredos uma com a outra, transparente como a água.

– Devo admitir que estou surpresa. Vocês estão juntas a muito tempo? Porque não me lembro da Tay ter mencionado que estava com alguém.

Nós não abrimos a nossa intimidade para qualquer pessoa minha cara. – Era possível perceber o tom de deboche na voz de Laura.

– Entendo, fico feliz por você Taylor! Eu só espero que você não a faça sofrer. – Carrie brincou.

Quanto a isso não precisa de preocupar, Taylor será muito feliz! E eu não sou você! – Laura sussurrou ao pé do meu ouvido.

– Muito bem então. – Respondia Carrie com um sorriso amarelo. Bom, está na minha hora, vejo que Taylor já está melhor e em boas mãos.. foi um prazer te conhecer Laura, vamos marcar alguma coisa um dia desses.

Vamos sim. – Laura sorriu falso.

– Agora você mocinha, fique longe dos camarões e nos conversamos depois. – Disse Carrie me abraçando e em seguida saindo da casa de Laura.

Voltando para dentro de casa, soltei o ar dos pulmões que nem percebi que estava prendendo. Laura estava sentada no sofá com cara de poucos amigos e eu imediatamente tratei de me explicar.

– Olha Laura..

O que aquela mulher fazia aqui Taylor???

– É como ela disse, viu um post, se preocupou, ligou querendo me ver.. não achei que seria um problema e eu achei que você só chegaria a noite.

Então você está me dizendo que eu não saberia dessa visita se não tivesse chegado cedo? – Laura perguntava aumentando o tom de voz.

– Não, não é isso! Eu contaria a você quando chegasse e Dona Lola também está aí.

Laura suspirou pesadamente. – Você não pode trazer pessoas desconhecidas para a minha casa sem me avisar antes! E aquela mulher.. – Virou uma dose de whisky. Aquela mulher não é bem vinda em minha casa!

– E por que não? Isso me leva a outra questão, como sabia quem era ela?

Porque ela não é uma pessoa confiável!

– Você não pode dizer isso, nem a conhece! Gritei sem me importar se Lola ouviria ou não.

Eu sei o suficiente para não querer que aquela mulherzinha frequente a minha casa! – Virou outro copo de whisky. E mais, não quero ela perto de você!

– Hahaha e desde quando você manda em mim?

Desde quando eu sou sua namorada! Ela gritou me fazendo parar e perguntar – O que?

Tudo aconteceu de forma rápida, Laura estava do outro lado da sala, de repente já estava na minha frente, cada vez mais diminuindo o espaço entre nós. Aquela aproximação repentina fazia meu coração bater num ritmo descompassado, sua respiração já se misturava com a minha e então a voz de Yael se fez presente mais uma vez " Se permita ser feliz de novo" e eu simplesmente fechei os olhos absorvendo aquele cheiro amadeirado que vinha de Laura.

Não demorou muito para que ela selasse nossos lábios, eu até resisti no início, tentei me desvencilhar mas Laura era mais forte e eu fraca demais, cedi. A boca de Laura era macia, suculenta. O hálito tinha aquele gosto de whisky e menta, uma mistura particularmente afrodisíaca. Ela passou a ponta da língua pelo meu lábio inferior, e eu suspirei baixinho e aprofundei ainda mais o beijo. As carícias estavam se intensificando cada vez mais e por um minuto eu desejei senti lá dentro de mim, já estávamos deitadas no sofá quando Laura rapidamente se afastou me deixando zangada. O que você pensa que está fazendo? Perguntei irritada! Laura Prepon volte já aqui! Gritei.

E ela apenas piscou pra mim e subiu para o seu quarto.

—///—

Laura

Depois de deixar uma Taylor zangada na sala, segui para o banho gargalhando internamente, havia sido uma vitória e tanto deixa lá com um gostinho de quero mais. Finalizando o banho minutos depois, coloquei uma blusa larga e a calcinha e assim fiquei, finalizando algumas pendências do trabalho, liguei para mamãe e em seguida decidir contar os meus avanços no "projeto Taylor" para Natasha.

No segundo toque ela atendeu. – Você acabou de me ver.. isso tudo é saudade é?

Engraçadinha, quero te fazer um convite e preciso te contar os últimos acontecimentos minha cara Lyonne.

– Primeiro a fofoca, depois o convite. – Ela dava risada do outro lado.

Adivinha quem estava aqui quando cheguei.

– Eu sou péssima em adivinhação cara! Taylor? Lola? – Ela perguntou.

Elas também estavam né Tasha! Aquela ex namorada da Taylor.

– Carrie!? E o que ela fazia aí?

Ela disse que viu uma publicação da Taylor e se preocupou.

– E como foi esse encontro? você bateu nela?

Minha cara Lyonne, tratei de mostrar que Taylor não estava sozinha! Com direito a chama lá de amor e selinho. Não bati, mas pode ter certeza que não faltará oportunidades.

– Não acredito! Você chamou Taylor de amor e ainda a beijou? Que progresso. Ela disse alguma coisa sobre isso?

Não foi bem um beijo né, ela não disse nada, me pareceu surpresa na hora. Mas me diga, como Taylor teve coragem de manter um relacionamento sério com aquela mulher?

– O amor as vezes cega as pessoas! Yael disse que ela parecia ser a alma gêmea de Taylor!

Parece que ela perdeu a vez.. – Deixei no ar. Talvez você vá dar uma pirada por isso, mas nós nos beijamos depois que Carrie foi embora.

– Vocês o que? – Lyonne gritou.

Por Deus garota, não grite desse jeito!

– Desculpa. – Disse sorrindo. Mas me conta essa história direito.

Quando cheguei em casa dei de cara com aquela mulher asquerosa, mas mantive a pose. Não sei como consegui me segurar Tasha, a minha vontade era expulsa lá da minha casa a ponta pés, principalmente depois de saber o mal que ela havia feito a Taylor! Depois que ela foi embora Taylor se sentiu obrigada a me dar explicações e foi aí que deixei minha máscara cair, deixei claro que a presença daquela mulher em minha casa não me agradava em nada e ainda por cima disse que queria que Taylor ficasse longe dela, nisso eu já tinha tomado um ou dois copos de whisky, eu gritava de um lado e Taylor de outro, quando fui ver, já estava beijando ela.

– Você demorou mais do que eu imaginei para tomar uma atitude hahaha, mas fico feliz que vocês tenham se acertado.

Acertado? – Foi minha vez de sorrir com deboche. Nós não nos acertamos nada, não viaja, foi só um beijo e não significou nada.. "a quem você está querendo enganar?" Gritava meu subconsciente. Bom, pelo menos pra mim! As coisas deram uma esquentada, então eu interrompi o beijo e praticamente corri para o quarto enquanto Taylor ficava gritando meu nome na sala.

– Hahahaha, você não fez isso!?

Pode apostar que fiz e estou muito feliz com o resultado.

– Consigo perceber isso só pela animação em sua voz, Taylor deve estar uma arara haha. Enfim, agora me faça o tal convite.

Você e Yael não gostariam de vir aqui na sexta a noite? Darei um jantar ao Brad que está vindo passar o final de semana comigo.

– Eu só vou falar com a Yael antes, mas pode deixar dois pratos reservados, certeza que vamos.

Então está combinado.

—///—

Os dias haviam passado de forma rápida, o clima entre mim e Taylor continuava o mesmo, não nos falamos direito desde o dia do beijo. No trabalho era a mesma coisa de sempre, Taylor fazia o contrário do que eu mandava, cansada de lutar com aquele ser teimoso, dei total liberdade para que ela fizesse o que lhe desse na telha.

Por volta das cinco horas da tarde de sexta-feira dei o expediente como encerrado e parti pra casa, para a minha sorte Lola ficou responsável por cuidar do jantar. Sendo assim quando cheguei em casa apenas tomei um banho rápido, optando por vestir uma saia envelope preta que combinava perfeitamente com a cor dos saltos scarpin, optei por deixar os cabelos soltos, apliquei pouca maquiagem e logo desci para sala.

Não demorou muito para que Brad chegasse, fizemos a um tour pela casa, conversamos sobre coisas aleatórias e abrimos um vinho e colocamos uma música para tocar.

—///—

Taylor

Cheguei em casa por volta de oito horas, o som estava ligado, o que era estranho já que Laura preferia se recolher logo após o jantar. Caminhando até as escadas dei de cara com uma Prepon se mexendo no ritmo da música, não pude deixar de sorrir. Meu sorriso morreu em seguida quando um cara que até então não tinha visto se fez presente na dança. "Quem é aquele cara?" Comecei a me perguntar pelo jeito íntimo e carinhoso com que ela falava e dançava com ele. Naquele instante desejei subir e ficar enfiada no quarto até que aquele cara fosse embora mas Laura me flagrou assim que comecei a subir as escadas e em seguida me convidou para se juntar a eles.

Subindo para o quarto, suspirei pesadamente, não tinha ânimo algum para ficar fazendo sala para Laura e para quem quer que fosse aquele homem! Entre um suspiro e outro segui para o banho e por lá fiquei por longos minutos. De repente me peguei imaginando o que Laura fazia com aquele sujeito, ela não era lésbica? Imaginei os jantares íntimos que ela já havia tido com o tal sujeito, as conversas sem fim, suas risadas ao compartilhar uma história engraçada, entre um drinque e outro Laura ficando mais descontraída.. a ideia de imaginar outra pessoa tocando-a me deixava furiosa. "O que está acontecendo comigo?" Eu continuava sem entender.

Saindo do banho fiquei sem saber o que vestir, não sabia se usava uma roupa mais formal ou uma roupa mais confortável. Na dúvida peguei o primeiro vestido que surgiu, ele se ajustava perfeitamente nas minhas curvas, deixando o cabelo solto, apliquei pouca maquiagem, nos lábios o batom cor nude e em seguida desci.

– Que bom que se juntou a nos Schilling.

Laura, quem é ele? Tentei perguntar no tom mais neutro possível enquanto pensava "quem é esse cara e o que ele está fazendo aqui?"

Antes que ela pudesse nos apresentar, ele estendeu a mão pra mim e se apresentou:

– Muito prazer Taylor, meu nome é Brad.

O prazer é meu, Brad. – Respondi tentando disfarçar a minha raiva.

Nesse momento a campainha soou e Laura imediatamente pediu que eu atendesse. – Agora virei porteiro? Pensei enquanto caminhava até a porta.

Taylorface não está com uma cara muito agradável amor. – Brincou Natasha.

– Entrem logo, disse sem paciência.

Por que está brava Taylor? Yael perguntou depois de me dar um abraço.

– Não estou brava. – Menti. Só estou cansada.

Yael pareceu acreditar e eu dei de ombros.

Seguimos todos para a cozinha, Yael e Tasha cumprimentaram o homem misterioso com um abraço. – Estranho. Todos riam das suas histórias enquanto eu revirava os olhos, não estava interessada em saber sobre a sua vida, já Laura fazia justamente o contrário, o abraçava, dava risada de tudo que ele dizia. "Por que você está tão incomodada com isso Taylor?" Gritava meu subconsciente, "Vocês não são namoradas de verdade, isso tudo não passa de uma aposta!" Tentei afastar os pensamentos, mas eles estavam me consumindo.

– Você poderia disfarçar pelo menos?–Yael sussurrou

Disfarçar o que? – Perguntei sem entender.

– Esse seu ciúmes!

Ciúmes? Não tem ciúmes algum. – Menti.

– Não tem né? Então por que está com essa cara de poucos amigos?

É a única cara que tenho oras!

– Você sabe que não adianta tentar mentir para sua melhor amiga não é?

Não estou mentindo! Acredite se quiser. – Disse um pouco alto atraindo a atenção de todos.

Ei ei, qual é o problema das duas? Perguntava Tasha sorrindo.

Sua namorada está vendo coisas demais! – Disse ríspida.

—///—

Laura

Por mais que Taylor tentasse disfarçar era visível seu incômodo diante da presença de Brad, eu pude percebê-lo. Meu irmão apresentou se apenas com o primeiro nome, sem mencionar o nosso grau de parentesco e ao que parece todo mundo esqueceu de mencionar isso a Taylor. Se a minha impressão estivesse correta, Taylor deveria estar com um pouco de ciúmes e eu não pude conter a vontade de provoca lá. Ria de tudo que Brad falava, pegava em sua mão, o abraçava e Taylor apenas revirava os olhos do outro lado da mesa.

Quando entramos na cozinha para buscar as taças do vinho, Brad disse:

– A Taylor não desgrudou os olhos de você! Tenho a impressão de que ela está com vontade de voar em meu pescoço.

Não viaja Brad! Disse sorrindo.

– E eu também reparei que você não consegue tirar os olhos dela! Me diga, o que foi que eu perdi?

Nós conversamos sobre isso depois. – Disse enquanto levava as taças para a mesa e Brad abria o vinho.

— Laura, você esqueceu uma taça. Brad disse e eu parti novamente para cozinha, dessa vez esbarrando com Taylor e seu copo d'água.

– Olha por onde anda! Ela disse brava.

Olha o que você fez! Disse mostrando minha roupa toda molhada.

– Ninguém mandou não prestar atenção por onde anda! Não tive culpa.

Quer saber? Esqueça essa merda! Disse saindo da cozinha em passos apressados.

Passando pelos presentes não pude deixar de ouvir a piadinha de Lyonne " wow, ela está molhadinha" mostrando o dedo do meio para ela segui para o quarto.

Estava dentro do closet trocando de roupa quando ouvi alguém entrar no quarto, imaginei que seria Tasha e então disse: Sua amiga é completamen..te. – Parei de falar quando dei de cara com Taylor. Revirando os olhos comecei a caminhar em direção a porta e quando passei por ela, senti sua mão segurar meu braço com força.

O que pensa que está fazendo? – Perguntei o mais ríspida possível.

– Quero explicações! Quem é aquele cara? O que ele faz aqui? Você já se esqueceu as regras dessa maldita aposta? – Taylor não conseguia esconder a irritação em sua voz.

Primeiro, solta a porra do meu braço! Segundo, essa é a minha casa e quem dita as regras aqui sou eu! Terceiro, eu não te devo satisfações Taylor!

– Você me deve sim, você é a minha namorada! não foi isso que me disse no outro dia!?

Agora eu sou sua namorada né? Na hora de soltar suas grosserias eu sou apenas sua chefe rabugenta. – Respondi com desdém.

– Laura, não me provoque! A uma semana que estamos vivendo juntas nessa casa. Quatro dias atrás estávamos nos beijando, agora você aparece aqui com aquele sujeito, cheia de intimidade com ele. Qual é o seu problema?

Não tenho problema nenhum, Taylor. Pelo menos não tinha até você entrar na minha vida! Você está completamente louca.

– É Laura. Eu estou completamente louca e a culpa é sua, porra!

Taylor não me deu chance de resposta e partiu pra cima de mim me jogando contra a cama.



Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...