História Appa - Imagina Taehyung | Incesto - Capítulo 40


Escrita por: ~ e ~TTPudding1230

Visualizações 85
Palavras 3.154
Terminada Sim
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Ação, Aventura, Colegial, Comédia, Drama (Tragédia), Hentai, Lemon, Luta, Romance e Novela, Shonen-Ai, Shoujo (Romântico), Universo Alternativo, Violência, Visual Novel
Avisos: Álcool, Bissexualidade, Estupro, Heterossexualidade, Homossexualidade, Incesto, Insinuação de sexo, Linguagem Imprópria, Nudez, Sadomasoquismo, Sexo, Violência
Aviso legal
Os personagens encontrados nesta história são apenas alusões a pessoas reais e nenhuma das situações e personalidades aqui encontradas refletem a realidade, tratando-se esta obra, de uma ficção. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos, feita apenas de fã para fã sem o objetivo de denegrir ou violar as imagens dos artistas.

Notas do Autor


Espero que gostem.

Capítulo 40 - OVA - Pedidos de casamento.


Fanfic / Fanfiction Appa - Imagina Taehyung | Incesto - Capítulo 40 - OVA - Pedidos de casamento.

Era uma noite preciosa para Tae aparentemente ele foi convidado para um jantar muito importante e ele estava até que animado, ele disse que era de uma empresa rival, mas que desta vez ele não estava ligando a mínima para isso e eu claramente tive que perguntar o "Por quê?" e ele respondeu "Porque desta vez eu terei você ao meu lado, não como a minha fi-... não como antes, mas assim como minha mulher" ele falou com tanta convicção que meu coração parou por um momento, "Mulher?" surpresa eu o olhei como se ele estivesse ficado louco "Sim, não é isso o que você é?" se agachou na minha frente de repente "Minha mulher?" ele colocou uma mão para trás e quando voltou havia uma caixinha preta na mão dele, ele logo a abriu e sussurrou, talvez para si mesmo, "Eu estava guardando isso para outra hora, mas eu não consigo me aguentar mais, essa parece a primeira oportunidade que tenho...", meus olhos não estavam mais acreditando no que viam, havia um anel dentro daquela caixinha, ele era prateado e havia uma pequena pedra em cima, eu pensei por um momento ser um diamante, mas logo deixei de lado e foquei no anel todo, ele era tão simples, pequeno e delicado que eu comecei a sentir uma vontade inexplicável de chorar, "Ana..." olhou para cima, para mim, olhou em meus olhos "Você aceita ser minha mulher não só hoje, mas para o resto de minha vida?", seus olhos com certeza brilharam e quando ele terminou de dizer aquilo eu comecei a chorar "Eu..." minha cabeça deu um nó, mas logo minha língua o desenrolou por conta própria "Aceito", ai meu deus, eu não acredito que isso está acontecendo, o que foi que eu disse? "Que bom...", ele parecia aliviado ao dizer aquilo e soltar o ar que parecia prender enquanto eu não respondia, ele pegou minha mão e nela depositou o anel, ao ver o anel na minha mão direita presumi que eu era noiva... espera... eu e Tae estamos noivos? "Ana..." levantou-se com um olhar decidido; antes que eu pudesse perceber nossos lábios estavam se tocando e meus olhos se fechando como se fosse obrigatório fecha-los, eu juro que mesmo de olhos fechados eu pude ver algumas estrelas "Tae... espera..." me afastei e aproveitei para pegar um ar, nosso primeiro beijo, não acredito "O que foi?", se aproximou e eu me perguntou porque tinha me afastado, acho que é porque ainda não processei a informação direita "Isso é real?" meu olhar estava no chão, eu me sentia tão envergonhada, "Tão real quanto o que sinto por você", pegou em minha mãe e a acariciou, meu corpo estremeceu e meu coração bateu mais forte. Droga, eu odeio quando isso acontece! Ele sempre consegue me deixar desse jeito. "Vamos ou nos atrasaremos", chamou minha atenção depois de um tempo, senti ele me puxar pela mãe e eu deixei que ele me levasse sem hesitar.  

Tumtum... tumtum... tumtum... 

*_*_*_* 

Agora nós estávamos em seu carro, quer dizer, nós estávamos prestes a descer de seu carro em frente a tal empresa inimiga de Tae, ele realmente queria ir nessa festa, mas agora ele parece tão mais calmo. 

-Por que seu humor mudou? - Perguntei e ele me olhou pelo retrovisor. 

-Como assim? - Fez uma carinha tão inocente. 

-Você estava tão agitado sobre isso - Olhei para fora dando a entender que se tratava da festa. 

-Eu estava planejando te mostrar para todo mundo antes de te pedir em casamento, mas parece que foi o contrário e agora que você já aceitou eu me sinto mais calmo, pois posso te mostrar como minha mulher do jeito que você é... - Sorriu e eu desviei o olhar, eu estava completamente envergonhada. 

-Este homem é um louco Hoseok - Coloquei Hoseok em pé sobre meu colo. Ele já estava grandinho, ele tinha cinco meses e logo faria seis, me pergunto agora como será a vida dele, eu ainda não tive nenhum progresso com o pai dele, quer dizer, eu não entrei em contato com ele, mesmo tendo o seu número conseguido pela halmeoni... e o Jimin... realmente não tivemos mais contato depois daquilo e já se passou um mês, eu quero tanto vê-lo de novo, mas darei mais tempo a ele se é isso o que ele precisa. 

-Senhorita - A porta se abriu repentinamente e eu tomei um pequeno susto. 

-Oh!... obrigada - Desci do carro ao perceber que era um dos funcionários e logo senti Tae enganchar seu braço no meu. 

-Vamos - Sorriu para mim lindamente e eu derreti por dentro. 

-Vamos - Segurei Hoseok mais firmemente, mas ao chegarmos no meio da escadaria que levava a grande entrada ele começou a chorar - Pega ele... ele quer o seu coloco como sempre... - Me desvencilhei de seu braço e lhe entreguei Hoseok. 

-Vem com o appa... - Falou melosamente. 

-Eu mereço... - Resmunguei, mas não pude deixar de rir daquilo. 

Ele segurou Hoseok em seus braços e ele se acalmou como sempre. Acabei enganchando meu braço no dele antes de entrarmos na recepção da empresa, eu apesar do nervosismo estava me sentindo confiante, eu estava em um vestido preto, brilhante e longo que tinha uma abertura na perna esquerda a deixando meio que a mostra, o vestido era tão elegante, não acreditei quando Tae o trouxe a dois dias atrás depois de eu ter dito que não tinha mais roupas adequadas para ir nesses lugares, até mesmo me trouxe um sapato que combinava com o vestido, preto, de salto e com brilho por todo ele, meus cabelos estavam soltos e ondulados, minha maquiagem era um esfumado de sombra preta e dourada com pouco brilho, além de um delineado de gatinho fino, silhos alongados e um batom rosado que chegava a parecer um tom de boca, eu realmente estava me sentindo bem vestida, mas Tae naquele smoking estava mais arrasador do que eu. 

-Pronta? - Me olhou quando apertei seu braço pelo nervosismo repentino. 

-Hmmm - Tomei folego e entrei. Os recepcionistas logo nos perguntaram nossos nomes e nos mostraram nossos lugares, nós dividimos mesa com outra família e eu acabei fazendo uma amizade com a mulher do outro casal por causa de Hoseok. 

-Meu deus, ele é tão fofo - Seus olhos brilharam e meu coração começou a falhar quando ela o movimentar em seu colo, Tae até mesmo se inclinou para frente como em uma tentativa inútil de prevenir algo. 

-É... - Sorri com o coração na mão, Hoseok ainda era tão pequeno e essa era a primeira vez que ia a um lugar com uma multidão. 

-Senhoras... - Tae levantou-se - Agora é minha vez de mima-lo - Ele foi até a mulher e pegou Hoseok dela, a mulher fez uma cara feia para ele por um breve momento, mas quando Tae sorriu ele sorriu também, esse é o efeito que você tem sobre as mulheres?  

Eu olhei para aquilo com tanto desleixo que cheguei a me sentar na mesa corretamente como se não ligasse, até sentir Tae colocar a mão sobre meu ombro e piscar para mim como quem diz "Agora tudo está bem" e eu assenti como se tivesse entendido. Tae logo foi até um grupo de homens em seus smokings com Hoseok no colo, todos o olharam com uma cara de surpresa, mas logo depois de ele dizer algo todos começaram a rir e ele se enfiou no meio de seu grupinho, meus olhos ficaram ali durante um longo tempo, meu coração apertava só de ver meu garotinho no meio de um monte de desconhecidos, mas eu sabia que ele estava seguro desde que ele estivesse com Tae, mas logo que alguém familiar passou por eles minha atenção foi chamada para aquela pessoa, ela estranhamente me parecia com pressa, meus olhos acompanharam aquele corpo masculino até que... paralisei... 

-Jungkook... - Sussurrei descrente e de alguma forma, quando ele se virou, seus olhos se encontraram com os meus como se ele tivesse escutado o que eu havia dito, mas era impossível mesmo se eu tivesse falado normalmente, era tanto barulho mais a música clássica que tocava no ambiente, ele não poderia me escutar a mesmo que estivesse perto de mim. 

... 

Ou minha visão estava me pregando uma peça ou ele estava se aproximando cada vez mais. 

... 

Ou meu coração havia parado de bater ou ele estava batendo tão rápido que eu não o sentia mais no peito. 

... 

Ou meu corpo estava desaprendendo que tinha que ficar sentado ou eu realmente estava começando a me levantar. 

... 

Ou eu estava sendo idiota ou estava sendo correta. 

... 

-Olá - Seu sorriso descompromissado me fez engolir em seco. 

-Olá - Tentei disfarçar o nervosismo, mas não deu muito certo. 

-Está tudo bem? - Pegou em meu braço com suavidade. 

-Sim... mas... - Engoli em seco, por que eu estava fazendo aquilo tão de repente e indo direto ao ponto? - Eu preciso falar com você - O medo estava tomando conta de mim como se eu fosse algo fácil de possuir, não mesmo, seja corajosa. 

-Conversar? - Estranhou. 

-Sim... - Confirmei com a cabeça - É algo importante... - Meus olhos estavam presos nos seus e depois de um tempo parece que ele decidiu que iria conversar comigo, pois sem falar nada ele me segurou pelo pulso e me puxou até uma sala reservada, não havia nada nela além de sofás e poltronas de couro, era como uma sala de espera muito chique. 

-O que quer falar? - Perguntou trancando a porta. 

-Bem... - Tentei pensar em como dizer. 

-Você pode ser direta se quiser, eu estou vendo que você está bem nervosa - Começou a se aproximar. 

-Direta? Será que posso ser direta? - Resmunguei para mim mesma - Ok - O olhei nos olhos - Você não está surpreso em me ver depois de um ano? - Perguntei meio séria, mas tudo era por causa do nervosismo. 

-Sim, eu vim em muitas festas só para poder te ver, mas não te enxergava em lugar nenhum, somente o seu pa- - Antes que ele pudesse terminar de falar eu o interrompi. 

-Ele é... ele não é meu pai... - Disse antes que ele pudesse dizer aquela palavra que agora soava como "abominação". 

-Então o que ele é? - Franziu o cenho achando tudo muito estranho. 

-Isso não é importante agora... o importante é que eu tenho algo para te mostrar. 

-O que? 

-Sabe, a um ano atrás quando nós fizemos aquilo sob as estralas?  

-Hmmm - Um sorrisinho brotou em seus lábios. 

-Bem naquela noite algo a mais aconteceu. 

-O que? - Pareceu acordar de seus pensamentos. 

-Bem... não foi exatamente naquela noite... foi tecnicamente nove meses depois daquela noite - Eu estava quase hesitante, mas falei no final. 

-O que poderia acontecer no-... não - Seus olhos se arregalaram - Não me diga que você... - Apontou para a minha barriga. 

-Sim - Passei a mão sobre ela. 

-Como? - Ele estava tão surpreso que se fosse em um Dorama até que seria engraçado ver essa cena. 

-Você sabe como... - A vergonha me atingiu mais uma vez. 

-Mas... você... - Ele estava tão surpreso. 

-Sim? - Eu estava em dúvida se ele estava recebendo bem ou mal a notícia. 

-Como você...? Quero dizer... como você não me disse nada? Como você ficou um ano sem me dizer nada? - Ele parecia levemente bravo. 

Meu coração desapertou um pouco naquele instante. 

-Foi uma longa jornada, mas no final foi bom o resultado, ele é um garoto lindo - A alegria boba escapou. 

-É um menino? - Deu um passo à frente parecendo ainda mais interessado. 

-Sim - Sorri. 

-Qual o seu nome? 

-Hosoek. 

-Hoseok... é um belo nome - Falou com aquele "ar" de "isso me parece bom". 

-Se você quiser... eu posso... posso te trazer ele...  

-Sim - Ele parecia bem com aquilo. 

-Hmmm - Demorou alguns minutos para que eu realmente saísse daquele cômodo.  

Minha cabeça estava em branco. Eu caminhava por caminhar, eu não havia traçado um caminho ainda, mas eu nem mesmo precisei traçar um, pois quando menos esperava voltei a festa e vi Tae ainda naquele grupo de homens, sem pensar em nada eu fui até ele e pedi o Hoseok, disse que precisava ver como é que estava a sua frauda, eu claramente estava mentindo, mas Tae estava tão entretido em seu mundo de amigos que nem deve ter notado. Com Hoseok no colo foi fácil para voltar até aquele cômodo, mas quando cheguei perto da porta me perguntei se tudo aquilo era certo. Quer saber... que se foda... Hoseok precisa ter esse momento, se não faço por mim, faço por ele. Eu logo abri a porta aonde vi Jungkook levantar-se de uma das poltronas de coro rapidamente, seus olhos estavam fixos em nós dois e ele estava nervoso. 

-Então... esse é...? - Ele começou a mordiscar seus lábios. 

-Sim - Confirmei por um fio de voz e ele não demorou muito para se aproximar. 

-Ele parece tão pequeno - Parou na nossa frente. 

-Ele é... só tem cinco meses - Achei graça. 

-Oh... posso... posso pega-lo no colo? - Me olhou nervoso. 

-Claro, é seu filho também - Eu lhe entreguei o Hoseok com cuidado e ele passou os próximos vinte minutos olhando para ele fascinado. 

-Como você está sobrevivendo? - Me olhou de repente. 

-Bem... - Admiti. 

-Quem diria que uma primeira vez séria resultado disso - Sorriu para Hoseok. 

-Foi sua... sua primeira vez também?  

-Sim - Confirmou. Eu nunca paro de me surpreender - Você acha que eu devo... - Antes que ele pudesse dizer mais alguma coisa eu o interrompi. 

-Não precisa se preocupar, Hoseok já está no registro da minha família - Me obriguei a dizer. 

-Eu sei, mas eu fiz isso também, devo assumir o meu papel... - Olhou para Hoseok com ternura. 

-Eu... eu não quero que você faça algo que vai atrapalhar todo o seu futuro...  

-Eu sei que esse jantar é apenas uma festinha de noivado, mas isso não significa que eu não possa cancelar tudo, eu tenho um filho agora. 

-Espera. Você vai se casar? - Fui pega de surpresa. 

-Meu pai está me obrigando pelo bem da empresa, mas agora que eu tenho isso... acho que troco tudo... 

-Você... ai meu deus... se eu soubesse... - Eu estava começando a me sentir culpada. 

-O que foi?  

-Você vai se casar e... - Antes que eu pudesse terminar de falar ele me interrompeu. 

-Eu estou apaixonado por você... e não, não é de agora, eu venho gostando de você a mais de três anos, desde a primeira vez que eu te vi - Falou corajosamente. 

-O que? - Mais uma vez eu estava surpresa. 

-Eu trocaria tudo isso por você e por Hoseok, eu não me importo com mais nada - Declarou. 

-Mas... eu... eu pensei que... - Aquilo estava ficando cada vez mais difícil de se fazer. Desculpe-me Jimin, eu queria te dizer primeiro já que é meu melhor amigo, mas eu tenho que dizer algo rápido, antes que as coisas passem para um outro lado - Eu não posso fazer isso com você... eu estou noiva de outra pessoa... - Falei como se não ouvesse amanhã. 

-O que? - Foi a vez dele de ficar surpreso. 

-Eu vou colocar as coisas em pratos limpos antes que meu tempo acabe, mas eu também gostava de você, você foi minha segunda paixão, mas eu não te amo e Hoseok é seu filho a cima de tudo, então você pode ir vê-lo, pode ter contato com ele, ter guarda compartilhada, mas eu não posso me casar com você... eu já estou noiva de outra pessoa... - Eu sei, aquilo era difícil, mas necessário. 

-Voc- - Um estrondo nos fez olhar para a porta e logo que meus olhos fixaram naquela figura eu pude ver que era Tae. 

-O que está fazendo aqui? - Eu estava paralisada. 

-Aquela mulher disse ter visto vocês juntos e eu... bem... não perdi tempo... o que está acontecendo aqui? - Nos olhou sério. 

-Nós estamos tendo uma conversa particular - Jungkook falou bravo. 

-Que bom, então quer dizer que posso participar... o que você está fazendo com Hoseok no colo? - Olhou para Jungkook como se fosse mata-lo. 

-Calma Tae - Me meti na frente por impulso quando ele começou a vir na nossa direção - Você não disse que queria conhecer o pai do Hoseok? - O olhei séria - Então, te apresento o pai do Hoseok - Me inclinei para o lado e os dois se entre olharam. 

-Eu vou te matar seu filho da puta, quem disse que você podia encostar nela?! - Tae começou a gritar com ele. 

-Você não quer que o Hoseok veja você preso por matar o pai dele, você não passaria de um monstro para ele e você não quer isso, quer? -  Sussurrei para ele, o pegando bem no seu ponto fraco. 

-Ah! - Suspirou. 

Ufa, essa foi por pouco. 

-Bem... - Tomei a posição de controlar a situação - Quero lhe apresentar - Sai de entre os dois - Jungkook esse é Tae meu noivo e Tae esse é Jungkook o pai de Hoseok - Disse olhando de um para o outro nos momentos em que citava seus nomes. 

-Olá - Tae rosnou. 

-Olá - Jungkook disse cabisbaixo. 

-Bons garotos - Fui sarcástica. 

Ah, estou vendo que isso vai demorar e vai ser difícil. 

*_*_*_* 

Depois de muita conversa e explicações Jungkook desistiu da ideia de se casar comigo, claro, isso foi logo depois de Tae quase lhe dar um soco no olho, ainda bem que eu deixei Hoseok no colo de Jungkoo, eu sabia que essa era uma boa jogada para impedir Tae de fazer alguma coisa impulsiva, mas apesar de ter desistido de se casar comigo ele ainda quis arcar como um bom pai e disse que pediria para o advogado dele resolver tudo entre nós para uma guarda compartilhada, Tae soltou um "a gente se encontra no tribunal" como se fosse uma ameaça e como nós não podíamos passar a noite por lá, nós voltamos a festa aonde foi anunciado o noivado de Jungkook e depois de umas duas horas Tae decidiu que era hora de nós irmos embora. Eu me despedi do Jungkook que me deu um beijo muito doce na bochecha o que deixou o Tae com raiva e quando chegamos no carro quando eu pensei que ele só iria me ajudar com Hoseok ele acabou me dando um beijo completamente violento e sem mais explicações me olhou nos olhos por dez segundos, sim eu contei, antes de fechar a porta e ir para o seu lugar no banco do motorista, fazendo com que eu pensasse a volta inteira para casa naquele beijo sem sentido e maravilhoso que eu havia recebido. 



Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...