História Appassionato - Capítulo 3


Escrita por: ~

Postado
Categorias EXO
Personagens Lu Han, Sehun, Xiumin
Tags Angst, Hanhun, Hunhan, Lumin, Musical, Piano, Romance, Sehan, Selu, Xiuhan
Visualizações 75
Palavras 1.081
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Drama (Tragédia), Ficção, Fluffy, Romance e Novela, Shonen-Ai, Shoujo (Romântico), Universo Alternativo, Violência, Yaoi
Avisos: Homossexualidade, Linguagem Imprópria, Violência
Aviso legal
Os personagens encontrados nesta história são apenas alusões a pessoas reais e nenhuma das situações e personalidades aqui encontradas refletem a realidade, tratando-se esta obra, de uma ficção. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos, feita apenas de fã para fã sem o objetivo de denegrir ou violar as imagens dos artistas.

Notas da Autora


Leiam as notas finais!

Capítulo 3 - Mi


Os dias seguintes seguiram calmos demais para o meu gosto. Durante todos eles,não havia visto nem sinal do garoto Luhan naquela mansão... Sabia que tinha meu acesso autorizado a apenas alguns cômodos da casa,então não podia me precipitar achando que o garoto não estava mais ali.

Tinha arquitetado um plano que consistia em procurar Luhan e se fosse pego diria que havia me perdido naquela mansão gigante. Seria convincente,não é mesmo? Tinha certeza que até os empregados dali já haviam se perdido alguma vez. Querendo colocar meu plano em prática,depois de mais um dia cansativo de aula acabei por dizer que precisava ir ao banheiro.

Donghyun sabia de todo o meu plano e não precisava nem dizer que ele não havia gostado nadinha,não é mesmo? Pedi—lê-se implorei—para que ele despistasse meu sunbaenim por um tempo para que este não percebesse a minha demora. Se Jongki-sunbaenim percebesse minha ausência demorada,eu estaria um pouco mais que ferrado.

Já havia vasculhado quase todo canto daquela mansão e parecia que um trator—literalmente—havia me atropelado sem dó. Como um ambiente podia ser tão grande e não ter pelo menos um elevador? Eu não era muito fã de escadas e elas também não eram grandes aliadas.

Chegou a um ponto onde parecia que nenhum oxigênio conseguia ser detectado pelos meus pulmões. Enxugava as gotículas de suor que insistiam em cair por meu rosto. Minhas roupas sociais grudavam em minha pele de maneira desconfortável e aquela dor fina e angustiante latejava em meu peito.

Meu coração estava deveras acelerado e por isso decidi sentar-me no topo das escadas para descansar,não tinha mais condições físicas de continuar procurando por Luhan. Teria que ficar pra outro dia.

Sentei-me em um dos degraus e deixei com que minha cabeça recostasse na escada. Com uma mão no peito tentava regular minha respiração,a exaustão já tomava conta de todo o meu corpo e seria um sacrifício me levantar dali.

—Definitivamente não foi uma boa ideia. —murmurei ofegante.

Saí do transe em que havia me perdido quando ouvi um barulho de algo se quebrando vindo de algumas das salas daquele mesmo andar. Estaria Luhan em uma delas? Curioso e esperançoso,levantei-me com muita dificuldade apoiando-me ao corrimão e andei de maneira lânguida até a última sala do corredor daquele andar,de onde vinha uma gritaria exacerbada.

Franzi o cenho.

O que estaria realmente acontecendo ali?

Apoiando-me nas paredes,parei rente a porta e levei a mão até a maçaneta. Com cautela—para que não fizesse algum barulho que me denunciasse—abri uma fresta para tentar ver o que acontecia dentro daquele ambiente.

—Quantas vezes eu tenho que dizer? —o mesmo homem mais velho a pegar Luhan brutamente dias atrás gritava com o garoto novamente. Dessa vez havia algo parecido com uma batuta em suas mãos.

Luhan estava sentado todo encolhido em frente a um piano,seu olhar perdido focado no chão. Percebi também que suas mãos sangravam abundantemente. Abri um pouco mais a porta e consegui ver um vidro de balas despedaçado ao chão e manchado com o líquido escarlate.

—Eu errei,me desculpe! —dizia o garoto estridentemente. Ele parecia estar em intensa dor. —Não foi minha intenção,eu juro!

—Não foi sua intenção também pegar sua recompensa sem ter acertado as notas devidamente e quebrado o vidro no processo,não é? —gritava o mais velho. —Isso é inaceitável! Quantas vezes tenho que dizer que você só ganha algo quando consegue atingir os resultados que almejamos de você?

—Me desculpe,eu pensei que você não estivesse na sala e... —tentou falar,mas deixou um gemido de dor sair de seus lábios quando um golpe forte foi desferido pelo mais velho com a batuta contra suas mãos machucadas.

—Estou farto de tentar fazer com que você seja útil em alguma coisa. —disse irritado. —Seu pai me paga pra isso,para ensinar a você algo de bom para que ele não tenha um filho inútil... Mas creio que nem por todo o dinheiro do mundo alguém conseguiria fazer você valer alguma coisa. Você não passa de um deficiente de merda,é isso que te define. Cego,você é só um cego inútil que não consegue fazer nada!

 —Por favor,não conte isso pro pai! —implorou. —Por favor,Senhor Yi Cheng. Eu consigo fazer melhor,eu posso fazer melhor!

—É bom você trabalhar pra que suas palavras se mostrem certas,garoto. —desafiou o mais velho. —Senão você sabe o seu destino,sou a única esperança e razão pela qual seu pai não te largou em um lar para deficientes até hoje. Você teve sorte de não ser um cegueta de merda quando seu pai te adotou.

—Me desculpe... —murmurava baixinho fazendo se curvando várias vezes em sinal de desculpas enquanto fungava. Lágrimas podiam ser vistas caindo pelo seu rosto delicado.

—Vamos,temos que tratar desse ferimento antes que seu piore. —pegou o menor pelo pulso e veio andando lentamente até a porta. Ele estava nitidamente machucando o mais novo. —Você sempre tem que fazer tudo errado? As horas da nossa próxima aula serão duplicadas por causa desse inconveniente,está me entendendo? Sinceramente... Não sei nem porque perco meu tempo com você.

Luhan apenas assentia com um semblante de dor.

Filho da...

Respirei fundo tentando me acalmar.

Então Luhan era cego e por isso era tratado daquela maneira tão desumana? Isso era um absurdo!

Queria poder interferir e ajudá-lo naquele momento,mas sabia que só pioraria as coisas. Agora que sabia onde era o seu suposto aposento do garoto,poderia ajudá-lo de outras maneiras e em outras ocasiões. Tinha que voltar correndo para Donghyun antes que me encontrassem ou que o desgraçado que vinha com Luhan me visse.

Fechei a porta com cautela e comecei a andar rapidamente temendo que conseguissem me ver ali. Teria que descer infinitos lances de escada até conseguir chegar até a sala principal,mas era um esforço preciso. Enquanto descia cada lance rapidamente percebi minha respiração ficar entrecortada,o que me fez levar a mão até meu peito de maneira inconsciente. As batidas falhas alertaram-me para um detalhe: já havia passado da hora e eu não havia tomado minha medicação.

Com o esforço exacerbado já conseguia sentir palpitações e as batidas descontroladas em meu peito cortando-me como lâminas afiadas. Minha visão começou a ficar turva e por isso segurei-me no corrimão para adquirir mais estabilidade já que precisava continuar correndo. Quando menos esperava acabei por tropeçar nos meus próprios pés quando chegava aos últimos lances de escada.

Tudo o que consegui ouvir foi o grito de meu médico e meu sunbaenim antes que minha consciência fosse tomada de mim pelo intenso breu. 


Notas Finais


Então...

Tive ideia para essa shortfic vendo um mv aleatório(ou não) por aí e então o plot veio em minha cabeça rapidamente e decidir escrever,tenho uma cabeça um tanto quanto conturbada com plots porque um vem em cima do outro e eu acabo entrando em pane. E foi o que aconteceu e por causa disso acabei por ficar bloqueada no plot dessa fic.

Em outras palavras: eu me perdi totalmente no enredo e relendo acabei por ver que queria mudar isso,me dedicar a essa shortfic quando eu conseguisse montar algo consistente na cabeça para que eu possa passar pro papel.

E é exatamente o que eu vou fazer,esse capítulo postado (que está horrendo em minha opinião,me desculpem mesmo por isso) foi o último escrito por mim ás pressas alguns dias atrás porque eu queria postar e não deixar vocês esperando e postei ele como uma "despedida não permanente". Por quê? Porque irei reescrever a fic e reformulá-la todinha quando o plot se cristalizar em minha mente. Há muita coisa acontecendo em minha vida e por enquanto não posso me focar nela,mas prometo que esse enredo amorzinho não vai ser esquecido por mim,então se quiserem manter a história em suas bibliotecas,claro que podem porque eu não vou desistir dela!

É apenas um período pra eu pensar,reformular e construir algo consistente que esteja me satisfazendo para que satisfaçam vocês também.

Amo vocês,viu?

E repito: Não. Vou. Desistir. De. Appassionato.


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...