História Aprenda a como ser um idiota - Capítulo 8


Escrita por: ~

Postado
Categorias EXO
Personagens Baekhyun, Chanyeol, Chen, D.O, Kai, Kris Wu, Lay, Lu Han, Sehun, Suho, Tao, Xiumin
Tags Chanbaek, Chenbaek, Exo, Hunhan, Kaisoo, Sulay
Exibições 64
Palavras 2.608
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Comédia, Crossover, Ficção, Lemon, Romance e Novela, Universo Alternativo, Yaoi
Avisos: Adultério, Álcool, Homossexualidade, Insinuação de sexo, Linguagem Imprópria, Nudez, Sexo, Violência
Aviso legal
Os personagens encontrados nesta história são apenas alusões a pessoas reais e nenhuma das situações e personalidades aqui encontradas refletem a realidade, tratando-se esta obra, de uma ficção. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos, feita apenas de fã para fã sem o objetivo de denegrir ou violar as imagens dos artistas.

Notas da Autora


Finalmente consegui parir esse capítulo!! Aaaaaêeeeee

Gente espero que gostem. Esse capítulo é a porta de entrada de muuuitas coisas kkkk nem conto para vocês kkkkk

Não vou me demorar aqui, vou liberar vocês para ler o capítulo e vou tomar meu sorvete de chocolate com calda de morando que meus pais acabaram de trazer para casa *--------*

Melhor coisa!

Boa leitura!!!

Capítulo 8 - Quando se bate a cabeça


Aaah que a vida está ótima. A vida está linda. Tá tudo tão bem que eu estou começando a estranhar e me preocupar um pouco. Nunca demora muito para algo desastroso acontecer. Ou melhor, eu fazer algo desastroso, vergonhoso e acabar estragando totalmente alguma coisa.

Mas voltando às maravilhas que atualmente existem em minha vida. Eu tenho um namorado! Aahh eu estou namorando.

As coisas entre eu e Jongdae, vulgo ChenChen, deram muito certo. Certo até demais. Já estamos saindo a quase um mês, e tudo tem sido tão ótimo. Tão bom. E totalmente diferente do meu antigo relacionamento. De certa forma agora tenho minha independência, moro em um apartamento que eu mesmo pago. É isso aí, eu ainda tenho um emprego!! Estou mantendo meu emprego sem problemas. Então a minha situação não ameaça a dele, e nem a dele ameaça a minha.

Estamos em um equilíbrio muito gostoso.

E o cheiro do cabelo dele é tão gostoso. O perfume da sua pele. Quer dizer, tem cheiro melhor do que o de macho bom deitado ao seu lado quando você acorda pela manhã? Tenho meus palpites de que não.

E nós já estávamos em outro nível! ChenChen havia passado a dormir em minha casa alguma vezes na semana, e fins de semana inteiros! Não preciso nem dizer o quanto é ótimo quando ele. Mas não pense besteiras: não tantas assim, mas pense um pouco. Nós gostamos muito de sentar e assistir televisão juntos. Mas não ‘Sex and the City’. Ele não gosta.

Ainda bem ou eu iria começar a suspeitar que ele é passivo também como eu. E nós não queremos isso, não é mesmo?

 

Acordei mais cedo, deixei meu homem, adoro dizer isso, deitado dormindo. Fiz um café rapidinho e fui lá fora vestindo meu roupão. Lá em baixo todos os domingos chega o jornal e as revistas que cada morador tem assinatura incluída no aluguel.

Chego lá na recepção com toda minha pose de ‘Fancy’ de domingo de manhã, com todo o glamour que eu poderia esbanjar naquele momento com minha caneca de panda em mãos.

 

- Belas perna Baekhyun. - Ouvi o elogio sarcástico junto de uma risada zombeteira naquela voz grave e petulante que só poderia pertencer a uma pessoa. Sim, ele mesmo que você está pensando.

- Não são pro teu bico. - Falei sem nem dignar a olhar para ele enquanto recebia meu pacote. - E elas já tem dono.

- Eu sei. O ChenChen. - Ele riu mais um vez e agora estava parado ao meu lado. - Como ele está? Dormindo ainda não é? Aposto que está cansado.

- D..do que vo-você está falando? - Corei violentamente com seu comentário rezando para que ele não estivesse falando que eu pensava que ele estava falando.

- Baek - de onde ele acha que tem intimidade para me chamar assim? - Por favor, grite menos. Eu não consigo dormir e é irritante para caramba! - Dizendo isso ele pôs o fone de ouvido e saiu correndo porta a fora do prédio.

- VOCÊ NÃO SE META NA MINHA VIDA!!! - Gritei e ainda consegui o ver rindo e mandando um tchauzinho para mim. Aaaarrrrrgggggghhhhh!!!! Chanyeol!!
 

Novas metas de vida para a lista de metas: Colocar proteção de som em meu apartamento.

Ou dar protetores de ouvido ao Chanyeol. Não vou fazer menos barulho só porque ele quer.


 

~:~


 

- Vizinho! - Estava saindo na calçada para ir até a calçada e fui parado por uma das colegas que moravam no prédio. As queridas me convenceram a bater na porta do inferno também conhecido como apartamento do Chanyeol orelhudo.

- Oi! A quanto tempo! - Realmente fazia muito tempo que eu não as via. Eu estava tão ocupado assim que não tive tempo nem de fofocar com as vizinhas do prédio?

- Ei Baekhyun, faz tempo que quero comentar algo com você.

- Pode falar.

- Você disse que não gostava do seu vizinho gostoso. Mas agora vocês parecem bem próximos não é mesmo? - Ela fazia aquela cara maliciosa insinuando alguma coisa entre nós. Só de pensar na possibilidade eu tive vontade de vomitar.

- Como assim? Do que você tá falando mulher?

- Eu vi vocês chegando aqui juntos no carro dele várias vezes. E em todas elas vocês estavam sorrindo e rindo. Tão lindo. - Ela sorria boba. - Vocês são lindos juntos. Um belo de um casal.

- Não não não não não! - Eu estava até nervoso. Louca! - Nós não somos um casal. Eu tenho namorado. - O sorriso dela se desfez. Desculpa amiga se o seu ship não é real. - Aquilo era porque ele me ajudou com umas questões. Ele foi meu advogado.

- Aaahh! Desculpe então insinuar algo.

- Tudo bem. Agora eu tenho que ir para o trabalho. Até mais.

- Até!


 

~:~

 

O dia no trabalho foi tranquilo. Tranquilo até demais. As vezes fico tão entediado que começo a pensar que se estivesse em casa ninguém ia nem saber, nem notar. Mas eu estava lá todos os dias em meu horário certinho para cumprir minha carga horária certinho, como o trabalhador dedicado e exemplar que eu sou.

Cheguei em casa irritado de tédio. Isso mesmo, estava com raiva de tanto tédio que havia sentido.

Tomei um banho e ainda de roupão, antes mesmo de vestir qualquer peça de roupa fui até a cozinha. Queria tomar uma taça, ou uma garrafa de vinho em toda a liberdade que existia em não usar nada por debaixo do roupão.

Peguei a garrafa de vinho que estava na geladeira, mas esta ainda se encontrava fechada. Abri o armário para pegar o saca rolhas que estava lá dentro. Mas a desgraça estava lá atrás detrás de várias panelas e afins. Quando eu puxei o saca-rolhas veio um montanha de panelas em cima de mim e eu só sei que fui ao chão com tudo,  fazendo um barulho estrondoso pela casa inteira.

Vi meu sangue escorrendo pelo chão da cozinha. A única coisa que pense foi: adeus vida. Byun Baekhyun morreu soterrado por panelas. Que morte horrível.

E tenho certeza que desmaiei depois disso.

Tá, eu só desmaiei alguns segundos.

Acordei com um som desesperado de alguém entrando gritando em meu apartamento perguntando se estava tudo bem. Pensei “É ChenChen! Meu herói JongDae veio me resgatar da morte iminente nesse apartamento solitário.” Pouco dramática a pessoa aqui, não?

 

- Baek! Baek! O que aconteceu? - Ele vinha se aproximando de mim retirando as panelas de cima de mim e ao meu redor.

- Ee...Eu… - Eu tentei articular alguma palavra e explicar a situação mas não consegui falar nada.

- As panelas caíram por cima de você. - Ele já havia afastado todas de mim. Eu ainda podia ver o sangue escorrendo pelo chão. - Ai meu Deus! Você está sangrando! Se cortou em algo.

 

Foi então que percebi que o sangue que vi na verdade não era sangue, era vinho. A garrafa que estava na minha mão, se chocou com o chão e quebrou violentamente jorrando vinho para todo lado e de maneiras misteriosas acertando um de seus cacos em minha cabeça me fazendo sangrar um pouco demais.

Eu fui tomado nos braços. Que vergonha que eu estava, nu, apenas de roupão e jogado no chão soterrado por panelas. Detalhe para meu roupão branco que agora era que cor? Vinho, isso mesmo.

 

- Você é meu herói. - Agarrei o pescoço dele. - Você salvou minha vida. Obrigado por me salvar. - O apertava cada vez mais forte, juntando mais ainda nossos corpos.

- Você me agradecendo? - Ouvi uma risada. - A batida da cabeça foi forte mesmo. Mas não foi nada. Eu só fim o que um bom vizinho faria.

 

Pera aí? Vizinho?

 

Foi quando olhei melhor para o homem que me carregava e percebi que realmente se tratava de alguém alto demais para ser JongDae. Tomei um tremendo susto, mas tão grande que comecei a gritar e me balançar em seus braços e quase caí de novo. Só não cai porque ele me segurou com muita força e então eu me acalmei e parei de gritar.

Ele me depositou no sofá e deu as costas.

 

- Você vai me deixar aqui assim só porque eu gritei? - Falei sem elevar muito a voz. Estava com uma dor de cabeça muito forte. - Eu preciso de cuidados, não posso ficar sozinho agora. - Não acredito que falei isso. E da forma mais manhosa possível.

 

Ele não falou nada. Depois de um ou dois minutos ele voltou com um pouco de água e um remédio.

 

- Toma. É um analgésico. Pra sua dor. - Eu tomei e devolvi o copo para ele. - Agora fica sentadinho aí que eu vou cuidar do seu corte.

 

Ele se abaixou na minha frente e com álcool e soro fisiológico começou a fazer a assepsia do meu corte na cabeça e na testa. Depois de estar bem limpo, ele finalizou fazendo o curativo. Ainda me pergunto como um cara com as mão tão grandes como as de Chanyeol podia ser tão delicado e cuidado. Chegava a nem fazer sentido.

 

- Você deveria ser médico, ou enfermeiro ao invés de advogado. - Ele riu. - Leva jeito.

- Quase aconteceu. Mas o direito me escolheu.

 

Ele se levantou e me deixou novamente sozinho na sala. Eu me deitei no sofá e pelos sons que eu ouvia, ele foi limpar a sujeira e organizar a bagunça da cozinha. Que vizinho prestativo. Acho que vou diminuir os gritos em agradecimento. E quem sabe tirar o nome dele da boca do sapo também.

 

- Ei ei ei ei!! - Ele veio gritando e devia estar correndo também. Me fazendo despertar do sono em que quase caía.

- O que foi? Me deixa!

- Não! Você não pode dormir! - Ele segurava minha cabeça e puxava meu corpo delicadamente para me por sentado.

- Oras. Por quê? Eu estou com sono. - Disse muito mau humorado.

- Porque você bateu a cabeça. Não se pode dormir depois de levar uma pancada na cabeça. - Ele suspirou. - Acho que vou ter que te vigiar, ou do contrário você vai dormir.

 

Resultado: eu me encontrava tarde da noite com Chanyeol ainda sentado no meu sofá comigo, comendo macarrão instantâneo sem a menor intenção de ir embora. E eu não estava mais de roupão. Havia vestido uma roupa descente. Quer dizer, um pijama decente.

 

- Como esse acidente aconteceu Baek? - Ele perguntou quebrando o clima de silêncio que havia se instalado entre nós.

- Queria beber vinho, aí fui pegar o saca rolhas para abrir a garrafa. - Suspirei - Pessoa baixa mais armário alto igual a aquela cena que você encontrou. - Ele riu. Tomara que pelo meu jeito de falar e não da situação em si. - Que bom que você ouviu o barulho.

- Sou muito bom em ouvir os barulhos que vem do seu apartamento. - Ele riu. - No fim das contas não é só ruim eu ser seu vizinho.

- É… - Falei morrendo a fala. - Ah Chany! Sabe porque eu fui parar na porta do seu apartamento? - Falei rindo me lembrando do acontecimento e ele me olhava curioso. Tava alegrinho demais. Devia ser ação do remédio forte.

- Por quê? - Ele já ria também. Reflexo da minha risada.

- As vizinhas me disseram que meu tinha um cara bonitão e gostoso no apartamento  ao lado do meu. E que eu deveria me apresentar. - Eu ria mais ainda. - Então eu fui e dei de cara com você. - Ele já não ria mais.

- Desculpa não ser bonitão e gostoso. - Ele encostou as costas no sofá.

- Não é isso. - Me arrumei no meu lugar. - Não que você não seja bonito ou gostoso. - Fiz um pausa. - Eu só não esperava encontrar você lá. Você sabe.

- Aah então quer dizer que você me acha bonito e gostoso? - Ele sorriu travesso se aproximando de mim. - Sabia que você gostava dos meus braços.

- Não foi isso que eu disse. - Joguei uma almofada nele e quando notei ele estava próximo demais de mim.

- Eu acho você bonito. - Ele me olhava fixamente e eu já estava ficando sem jeito.

- Ée… eu vou ao banheiro. - Ele se afastou de mim e eu me levantei sem jeito.

 

Fui até o banheiro para disfarçar o meu coração batendo em uma velocidade estupidamente alta. Por que diabos Chanyeol havia me deixado assim?


 

No dia seguinte, depois de Chanyeol quase não ter me deixado dormir e ter adormecido primeiro no meu sofá me deixando sozinho, eu fui para o shopping com Tao e Luhan.

Tao queria aproveitar uma promoção que estava tendo na loja preferida dele, e como ele não faz compras sozinho, arrastou eu e Luhan para dar opinião e também se exibir um pouco porque Tao é desses.

Passamos horas andando de um lado para o outro na loja , Tao ter experimentado 50 peças de roupas e nos ter feito ir para o caixa carregando 15 peças cada e ter levado apenas 10 delas, sendo que 3 delas nem estavam entre as roupas que levamos para o caixa.

Mas finalmente estávamos na praça de alimentação comendo, porque merecemos! Por que também sou gente! E Tao que iria pagar porque abusou demais de mim, quer dizer, de nós.

Luhan não queria comer naquela lanchonete que eu e Tao havíamos escolhido, então ele levantou para fazer seu pedido e Tao levantou para fazer o nosso.

Enquanto eu aproveitava a iluminação do local para tirar algumas selfies notei sobre mim o olhar de um homem algumas mesas distante da minha. Era bonito. Bastante até. Mas eu tinha ChenChen, então ignorei. Mas o homem era insistente e continuou olhando.

De repente ele se levantou e sentou na minha frente.

 

- Boa tarde. Eu me chamo Sung-min. Lee Sung-min. - ele dizia muito sorridente.

- Baekhyun. Byun Baekhyun. - Disse sorrindo meio receoso.

- Tava ali e não pude deixar de reparar em você. Você é muito bonito.

- Olha me desculpa - Já fui dando logo o chega pra lá no boy. - Mas eu namoro. - Ele riu.

- Não. Eu comecei errado. Mas não é isso.- Ele continuava sorrindo. - Eu sou agente de uma agência de modelos. - Ele tirou um cartão da carteira e me entregou. - Eu te achei muito bonito. E você tem um postura boa, atitude. Você não estaria interessado em fazer um teste? Quem sabe fotografar para alguma campanha? - Meu olhos brilharam. Não era possível aquilo!! Um agente me chamando para ser modelo. Eu sabia que um dia reconheceriam a minha beleza única e estonteante!!

- Mas porque eu? - Comecei a fazer a linha difícil. Um doce básico. - Você deve ter visto meus amigos aqui. Eles são tão bonitos também. Por que não eles?

- Ah os vi sim. São realmente muito bonitos. Um deles é bem alto até. Mas você é quem tem a aparência que eu procuro. - Ah! Esse homem sabia o que dizer para convercer alguém. Já estava para dar meu sim. - Pense. Se você ficar interessado, me ligue e nós agendamos um teste.

 

Depois disso ele se levantou e foi embora.

 

E agora? O que eu iria fazer?

É claro que eu ia abrir minhas asas e mostrar para o mundo o meu brilho! A minha hora de cegar a todos, finalmente havia chegado!

Ahhh que eu ia esfregar isso até na cara do Sehun!


Notas Finais


Gente o que acharam?? kkk Tô me sentindo escrevendo uma crack fic kkk mas não é tá?

Será que isso de ser modelo é sério ou furada??

Beijoooooos e até o próximo capítulo!!


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...